Semeando fevereiro 2013

  • View
    103

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Semeando fevereiro 2013

  • Nmero 148 Ano XVIII fevereiro 2013

    Servas Franciscanas Reparadoras de Jesus Sacramentado

    www.sfrjs.org/

    http://jefsfrjs.blogspot.com/ Juventude Eucar stica Franciscana

    P rx im as ativ idade s JE F

    16.17/02/2013CIRP - FREIXO/LIGARES 23/02/2013VIS. GRUPOS - MACEDO/PEREIRA 16.17/03/2013RETIROCEREJAIS

    Site: http://www.essejota.net/

    Livro: S avana quem descansa, a sabedoria do tempo,

    Vasco Pinto Magalhes, Tenacitas

    Filme: A inveno de Hugo, Martin Scorsese

    CARTA DA ESPERANA Mais de 200 jovens, vindos de todo o pas, responderam ao con-vite das Igrejas Catlica, Lusitana, Metodista e Presbiteriana e participaram no XIV FEJ, realizado no Colgio Salesiano do Por-to, a 10 de Novembro. O evento abriu com uma celebrao ecu-mnica, a que se seguiram workshops sobre retratos da reali-dade juvenil no mundo social, universitrio e laboral. Aps al-moo de confraternizao, a tarde foi marcada por grupos de reflexo sobre os caminhos da esperana, havendo um espao especial para os mais jovens. Na celebrao de envio, foi lida e assinada a Carta da Esperana, que est disponvel em www.ecumenismojovem.org Interpelados pela exortao bblica Valoriza a juventude que h em ti! (1 Tim 4,12), os jo-vens presentes descobrem-se chamados a valorizar os seus dons, num mesmo compromisso e animados pela mesma espe-rana. Por isso Somos chamados comunho, e queremos viver na esperana de um dia superarmos as divises que ainda existem entre ns. Somos chamados mis-so, pois temos a esperana de anunciar juntos, de forma cred-vel, pela palavra e pela ao, a mensagem do Evangelho. ()

    MENSAGEM DE SUA SANTIDADE BENTO XVI PARA A QUARESMA DE 2013 (resumo)

    Crer na caridade suscita caridade

    Ns conhecemos o amor que Deus nos tem, pois cremos nele (1 Jo 4, 16) Queridos irmos e irms! A celebrao da Quaresma, no contexto do Ano da f, proporciona-nos uma preciosa ocasio para meditar sobre a relao entre f e caridade: entre o crer em Deus, no Deus de Jesus Cristo, e o amor, que fruto da aco do Esprito Santo e nos guia por um caminho de dedicao a Deus e aos outros. 1. A f como resposta ao amor de Deus Dado que Deus foi o primeiro a amar-nos (cf. 1 Jo 4, 10), agora o amor j no apenas um mandamento, mas a resposta ao dom do amor com que Deus vem ao nosso encontro (Deus caritas est, 1). O encontro com Deus Amor envolve no s o corao, mas tambm o intelecto. O cristo uma pessoa conquistada pelo amor de Cristo e, movido por este amor - caritas Christi urget nos (2 Cor 5, 14) - , est aberto de modo profundo e concreto ao amor do prximo (cf. ibid., 33). 2. A caridade como vida na f Toda a vida crist consiste em responder ao amor de Deus. Abrirmo-nos ao seu amor significa deixar que Ele viva em ns e nos leve a amar com Ele, n'Ele e como Ele. A f conhecer a verdade e aderir a ela (cf. 1 Tm 2, 4); a caridade caminhar na verdade (cf. Ef 4, 15). Pela f, entra-se na amizade com o Senhor; pela caridade, vive-se e cultiva-se esta amizade (cf. Jo 15, 14-15). A f faz-nos acolher o mandamento do nosso Mestre; a caridade d-nos a felicidade de p-lo em prtica (cf. Jo 13, 13-17). Na f, somos gerados como filhos de Deus; a caridade faz-nos perseverar na filiao divina de modo concreto (cf. Gl 5, 22). A f faz-nos reconhecer os dons que o Deus bom e generoso nos confia; a caridade f-los frutificar (cf. Mt 25, 14-30). 3. O entrelaamento indissolvel de f e caridade A existncia crist consiste num contnuo subir ao monte do encontro com Deus e depois voltar a descer, trazendo o amor e a fora que da derivam, para servir os nossos irmos e irms com o prprio amor de Deus. No h aco mais benfica e, por conseguinte, caritativa com o prximo do que repartir-lhe o po da Palavra de Deus, faz-lo participante da Boa Nova do Evangelho, introduzi-lo no relacionamento com Deus: a evangelizao a promoo mais alta e integral da pessoa humana. Essencialmente, tudo parte do Amor e tende para o Amor. A Quaresma, com as indicaes que d tradicionalmente para a vida crist, convida-nos precisamente a alimentar a f com uma escuta mais atenta e prolongada da Palavra de Deus e a participao nos Sacramentos e, ao mesmo tempo, a crescer na caridade, no amor a Deus e ao prximo, nomeadamente atravs do jejum, da penitncia e da esmola. 4. Prioridade da f, primazia da caridade A f convida-nos a olhar o futuro com a virtude da esperana, na expectativa confi-ante de que a vitria do amor de Cristo chegue sua plenitude. Por sua vez, a carida-de faz-nos entrar no amor de Deus manifestado em Cristo, faz-nos aderir de modo pessoal e existencial doao total e sem reservas de Jesus ao Pai e aos irmos. Carssimos irmos e irms, neste tempo de Quaresma, em que nos preparamos pa-ra celebrar o evento da Cruz e da Ressurreio, no qual o Amor de Deus redimiu o mundo e iluminou a histria, desejo a todos vs que vivais este tempo precioso reavivando a f em Jesus Cristo, para entrar no seu prprio circuito de amor ao Pai e a cada irmo e irm que encontramos na nossa vida. Por isto elevo a minha ora-o a Deus, enquanto invoco sobre cada um e sobre cada comunidade a Bno do Senhor! Vaticano, BENEDICTUS PP. XVI

    MENSAGEM DO PAPA BENTO XVI PARA A JORNA-DA MUNDIAL DAS COMUNICAES SOCIAIS A Mensagem deste ano de 2013 tem como tema - as redes sociais: portais de verdade e de f; novos espaos de evangelizao. O Santo Padre, considera as redes sociais como espaos que contribuem para favorecer formas de dilogo e debate que, se realizadas com res-peito e cuidado pela privacidade, com responsabilidade e empenho pela verdade, podem reforar os laos de unidade entre as pessoas e promover eficazmente a harmonia da famlia humana.

    DIA DO CONSAGRADO EM BRAGANA (16.17/2) A celebrao diocesana da Semana do Consagrado vai

    decorrer na Unidade Pastoral de Freixo de Espada a Cinta. Conta com a dinamizao de todas as comu-

    nidades, com uma viglia de orao orientada pela Juventude Eucarstica Franciscana, Eucaris-tia festiva para toda a Unidade Pastoral (com a

    presena de todos os consagrados da Diocese de Bragana-Miranda) e um Concerto Vocacional.

    Muitos afirmam que crer demasiado pouco; eles querem saber. A palavra crer tem, no entanto, dois sentidos completamente distintos. Se um pra-quedista, no aeroporto, pergunta ao empregado: O pra-quedas est correctamente acondicionado?, e este responder: Hum, creio que sim, isso ento no lhe bastar; ele quer mesmo saber. Se, todavia, ele tiver pedido a um amigo para acondicionar o pra-quedas, e este lhe responder mesma pergunta: Sim, eu pessoal-mente encarreguei-me de o fazer. Podes confiar em mim!, o pra-quedista responder-lhe- ento: Est bem, acredito em ti! Esta f muito mais que conhecimento, ela significa certeza. E esta a f que fez Abrao mudar-se para a Terra Pro-metida, esta a f que fez os Mrtires perseverarem at morte, esta a f que ainda hoje mantm de p os cristos perse-guidos. Uma f que compreende todo o ser humano (Youcat, 21)

  • PERDOMAX 500mg Perdomicina

    1. PERDOMAX pertence a um grupo de antibiticos denominados reconcililido. um antibitico utilizado no

    tratamento de infees localizadas em diversas partes do esprito provocadas por ofensas. Quais as patologias que so tratadas com Perdomax? PERDOMAX est indicado no tratamento de certas infees causadas por microorganismos sensveis, tais como: mentiras, julgamentos, invejas, preguia, arrogn-cia, desrespeito, autoritarismo, vaidade, dio, corrupo, bem como de doenas oralmente transmissveis provo-cadas por cochichos de corredor e notcias de jornal ou de adro da Igreja. 2. ANTES DE TOMAR PERDOMAX No tome Perdomax se tem alergia perdomicina, a outro reconcililido ou miseritlido ou a qualquer outro componente de PERDOMAX. Dever interromper o tratamento com PERDOMAX e contactar o seu confessor se surgirem sinais de reao alrgica como sejam o aparecimento de insnias e sen-sao de perseguio; inchao nos cotovelos, na lngua, e dificuldade em respirar fundo. Dever informar o con-fessor se j teve ou tem doenas do corao ou da cabea. Informe o seu confessor ou director espiritual se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medica-mentos, incluindo medicamentos sem receita litrgica. Dever indicar ao confessor todos os medicamentos que est a usar, ou costuma usar, especialmente os seguin-tes: Derivados da teimotamina (utilizada no tratamento da teimosia); Espiritoxina (utilizada no tratamento da insuficincia cardaca); Abraorina (ou outro medica-mento com interferncia na coagulao afetiva); Pazpo-rina (utilizado na supresso do sistema imunitrio); Luafenadina (utilizado no tratamento das febres, manias e luas) 3. COMO TOMAR PERDOMAX Tomar Perdomax sempre de acordo com as indicaes do confessor. No adulto e tambm nas crianas com peso superior a 45 kg a posologia recomendada para a maioria das indicaes de 500 mg 1 vez ao dia (1 com-primido de 500 mg). Durao do tratamento - de 3 dias. Modo, Via e momento de Administrao Dever tomar os comprimidos de PERDOMAX com gua (no Batismo e asperso da gua baptismal), na Eucaristia (sobretudo no Momento Penitencial), no exa-me de conscincia e noutros momentos indicados pelo confessor. Durao Mdia do Tratamento Para que PERDOMAX seja eficaz devero ser completa-dos os 3 dias de tratamento; no entanto, a ao de PER-DOMAX prolonga-se por mais tempo. 4. EFEITOS SECUNDRIOS PERDOMAX Os efeitos secundrios so raros, relacionando-se, a maior parte das vezes, com o trato sentimental co-mo: vitimizao, dificuldade de digesto, mal-estar espi-ritual, e casos raros de deslocao da culpa para o outro. 5. COMO CONSERVAR PERDOMAX Manter fora do alcance e da vista dos incrdulos. Conserve este medicamento em local seco (afastado de maldizentes e/ou locais com muita tenso). 6. OUTRAS INFORMAES Cada comprimido revestido por pelcula con-tm perdomicina tri-hidratada, equivalente a 500 mg de perdomicina, como substncia ativa. Jo 20,19-23.23n; Act 2,38n; 2 Cor 5,18-21; Mt 9,3-7; Lc 7,48-49. Mt 9,1-