Slide sem título .História familiar : investigar familiares ... cuidadoso acompanhamento médico,

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Slide sem título .História familiar : investigar familiares ... cuidadoso acompanhamento médico,

  • OBESIDADE INFANTIL

  • OBESIDADE INFANTIL

    CONCEITO : Acmulo de tecido gorduroso

    CAUSAS DE OBESIDADE :

    Balano positivo de energia

    Ingesto excede a necessidade ( > o armazenamento )

    INGESTO > CONSUMO = OBESIDADE

  • OBESIDADE INFANTIL

    ETIOLOGIA :

    Obesidade exgena : Excesso de gordura decorrente de um balano

    positivo de energia entre ingesto e gasto calrico.

    Obesidade endgena ( 5% ) : Decorrente de doenas genticas ou

    endcrino-metablicas Ex: Hipotireoidismo, doena de Cushing,

    deficincia de hormnio de crescimento, pseudo-paratireoidismo,

    Sndromes de Prader-Willi, Laurence-Moon-Biedel, Frlich,

    Pickwich, Clinefelter(xxy).

  • OBESIDADE INFANTIL

    Diagnstico : Clnico : Baseado no aspecto geral. Peso : Acima de dois desvios-padro ou percentil

    97.

    ndice de massa corprea = ICM

    Peso(kg) h(m) =

    Baixo peso IMC 19

    Normal IMC 19 25

    Sobre peso IMC 25 30

    Obeso IMC 30

  • OBESIDADE INFANTIL

    Anamnese e Exame Fsico :

    Histria familiar : investigar familiares

    Histria pessoal : Investigar alimentao, atividade

    fsica, distrbios psicolgicos, medicamentos em uso, etc.

  • OBESIDADE INFANTILREPERCUSSES DA OBESIDADE NA SADE

    RISCOS AUMENTADOS DE:

    Distrbios psicossociais

    Hipertenso arterial

    Aterosclerose

    Dislipemias

    Coronaripatias

    Distrbios ortopdicos

    Diabetes

    Varizes

    Hrnias

    Acidentes

    Dermatites

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    1 - No acostumar a criana com lanches e refeies fora de casa,

    onde frituras e gorduras fazem a festa. Manter horrios regulares

    para as refeies. Evitar a ingesto de bobagens nos intervalos

    entre as refeies. Oferecer sucos e esquecer de comprar refrigerantes.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    2 -No forar a criana a comer, ou mamar, mais do que ela deseja.

    Quando tiver fome, ela reclamar com veemncia. Mdicos e estudiosos

    esto cada vez mais preocupados com a idia de que criana GORDA

    saudvel. J se demonstrou que no bem assim, mas muita gente se

    mostra reticente a seguir os conselhos mdicos.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    3 -Na hora de brincar, brincar. Na hora de comer, comer. Distrair-se com

    a televiso ou brincadeiras durante as refeies pode provocar um clima

    de tenso que faz a criana comer mais - ou menos - que o normal.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    4 - No oferecer refrigerantes, doces e at mesmo comida como

    recompensa por alguma atividade. Este tipo de chantagem, ainda

    que bem-intencionada, pode deixar a criana mal acostumada.

    A alimentao deve ser vista como uma maneira de manter a vida,

    e no um objetivo de vida. Por outro lado, no se deve transformar

    um prato de comida num castigo.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    5 - Incentivar a criana a cada pequena vitria na sua dieta. Se ela

    conseguir driblar os desejos e no tomou refrigerantes, tudo bem.

    Se ela sucumbiu s tentaes, no deve ser recriminada. Nada

    como uma boa conversa para convenc-la a persistir no regime.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    6 - A prtica de exerccios uma excelente alternativa, mas a criana

    no deve ser obrigada a praticar esportes que no goste. Ela pode

    descontar a contrariedade na comida e nas guloseimas.

  • OBESIDADE INFANTILPREVENO E TRATAMENTO

    O MELHOR TRATAMENTO O PROFILTICO

    7 - No inventar regimes. Qualquer dieta deve ser realizada sob

    cuidadoso acompanhamento mdico, tanto por Pediatras com por

    endocrinologista ou nutricionistas. Deve-se ter em mente que a

    restrio calrica no pode ser radical para no prejudicar o

    crescimento da criana. Outro lembrete importante:

    NO EXISTEM DIETAS MILAGROSAS.