of 36 /36

(Transformar) Gestão Financeira-dia1

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: (Transformar) Gestão Financeira-dia1
Page 2: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Aline Venturi

Economista (UFSC), Mestre em Políticas Públicas (UFPR) e

Especialista em Gestão Estratégica e Administração Pública (FGV)

Atuou por 4 anos junto à governos em projetos de desenvolvimento

e há 8 anos em organizações do Terceiro Setor

Aliança Empreendedora

Consulado da Mulher

ICom – Instituto Comunitário Grande Florianópolis

Ocupação atual principal: Mãe do Davi

Page 3: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Expectativas

• Cenário das organizações da sociedade civil

• Pressupostos

• Orçamento

• Gerenciando o Orçamento

• Estratégias

• Ferramentas para Gestão Financeira

Page 4: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

O que é essencial em relação aos aspectos

financeiros da minha organização?

Page 5: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Aumento do reconhecimento do Terceiro Setor

• Sexto lugar no ranking da produção do país (1,5% do PIB)

• Atuação multisetorial e eficiente

• Expansão acelerada

• Profissionalização

• Participação de novos atores

• Inovação para Transformação

Page 6: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Capacidade da organização de cumprir sua missão com os recursos humanos e financeiros

adequados no presente e no futuro.

Page 7: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

1) Recursos na Administração Pública

2) Lógica de aplicação de recursos

Pressupostos:

3) Conceito

4) Reflexões

5) Gerenciando o orçamento

6) Estratégias

Orçamento de OSCs:

Page 8: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Quem se submete:

- Administração estatal direta e indireta

- Autarquias

- Fundaçõs Públicas

- Agências reguladoras e executivas

- Empresas públicas e de economia mista

E as OSCs, associações privadas:

- Quando operam ofertando serviços como o Estado

- Por serem beneficiadas por renúncia fiscal

Page 9: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Princípios:

- Legalidade

- Impessoalidade

- Moralidade

- Publicidade

- Eficiência

Page 10: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Administração:

- fazer mais com menos recursos;

- lucratividade;

- acumulação de recursos que

financiam ou permitem financiar

a continuidade do trabalho.

- métrica: qualidade, consumo de

recursos, impactos econômicos

e socioambientais, lucratividade.

Administração pública:

- fazer mais com menos recursos;

- volume maior de serviços;

- ampliar atendimento às

demandas;

- sociedade financia a continuidade

do trabalho.

- métrica: qualidade, consumo de

recursos, impactos econômicos e

socioambientais, cumprimento da

legislação, satisfação de

usuários/beneficiários, alcance de

atendimento.

Page 11: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Orçamento é o cálculo prévio da receita e da despesa de uma

organização.

As OSCs possuem despesas muito similares àquelas de empresas ou

governamentais. Para efeitos práticos, dividem-se aqui em “despesas

correntes/fixas” e “despesas relacionadas a ação social/variáveis”.

Enquanto governo e empresas

possuem receitas correntes (de

impostos ou remuneração por

trabalho/produto entregue), as

OSCs operam sem receita

prevista.

Page 12: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Orçamento de

quem?

Orçamento para?

Como elaborar

e aplicar

orçamento?

Com quem

contar?

Page 13: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

A missão que dá origem ao orçamento deve

fazer sentido para a comunidade.

Inclusão da governança da OSC na construção

desse cálculo é fundamental para comprometê-

la com sua concretização.

Orçamento de

quem?

Page 14: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Conhecer o tamanho do público alvo a que se

destina esse orçamento e o tamanho das “pernas”

da estrutura organizacional para gerar o impacto que

se quer.

Orçamento para

quem?

Page 15: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

A dificuldade orçamentária das OSCs se concentra em

Identidade e Resultados.

Um pobre reconhecimento das necessidades da

comunidade, dos problemas a serem tratados ou das

oportunidades que se apresentam e a falta de cuidado

na análise da capacidade de trabalho/entrega da

organização são os pontos que mais dificultam o trabalho

nas dimensões seguintes de gestão e de estabelecimento

de parcerias.

Page 16: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Observar a capacidade e competências das pessoas que estão

na organização. Compor uma equipe capaz de gerenciar projetos e

pessoas é fundamental para otimizar a alocação de recursos e

equilibrar as despesas fixas e variáveis com pessoal.

Como elaborar

e aplicar

orçamento?

Page 17: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Para quem sabe claramente:

- O sentido de sua existência como interesse público;

- O impacto que sua ação causa;

- Como se faz com eficiência;

Fica mais fácil propor parcerias. A OSC é uma proponente que traz

para a parceria o conhecimento de causa, a legitimidade da

missão e o apoio da comunidade/sociedade (ou de uma boa

parte delas). Demais recursos aportados pelos parceiros (inclusive

financeiros) ganham outra ordem de importância.

Com quem

contar?

Page 18: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Receitas: são provenientes do apoio da

sociedade em reconhecimento ao trabalho da

OSC e da importância de sua missão.

Quais são as fontes de receitas

atuais da sua organização?

Page 19: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

- Governos apoiam OSCs por eficiência, custo, criatividade,

engajam grupos de difícil acesso, apoio de outras fontes,

voluntariado, ajudam a desenvolver políticas, meio de agir em

questões de maior risco político.

- ISP (fundações), apoiam OSCs pois são fonte de inovação social,

defendem grupos minoritários, reagem rapidamente, dialogam com o

governo, não acessam financiamento de mercado.

- Empresas aliam-se à OSCs para promover os negócios,

relacionamento com a comunidade.

Page 20: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Essas entradas podem servir para cobrir despesas de:

- Manutenção institucional (despesas correntes/fixas)

- Projetos/iniciativas (despesas relacionadas/variáveis)

- Desenvolvimento institucional (investimentos)

- Fundos de reserva ou patrimoniais (estabilidade e emergências).

As estratégias de mobilização de recursos para cada

um desses “destinos” são diferentes e variáveis, e não

serão alvo de discussão dessa conversa.

Page 21: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Considera-se despesas correntes/fixas os compromissos contratuais

da OSC, não estejam ligados a projetos. São as despesas que

respondem a pergunta: “– Se não há nenhuma ação ou projeto,

quais são os compromissos financeiros e legais a pagar?”.

Exemplo:

- funcionários celetistas e encargos (incluindo transporte e refeição)

- aluguel e condomínio

- agua, luz, telefone, internet, material de expediente

- contabilidade, auditoria

- limpeza e manutenção

- impostos e taxas diversas

- compromissos assumidos por contrato (compras a prazo,

financiamentos, contratos sem possibilidade de rescisão)

Page 22: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Despesas relacionadas a projetos/variáveis não mais se aplicam a

partir do momento que a ação/iniciativa social deixa de existir.

Exemplos:

- honorários consultores

- funcionários celetistas e encargos (contratados especificamente para

o projeto/ação), bolsa estágio

- material pedagógico ou de treinamento

- comunicação

- viagens, transporte, alimentação

- aluguel de equipamentos

- impostos e taxas diversas

- Doações

Page 23: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Estratégia 1 – Orçamento é feito de meios/recursos

Portanto: Escrever projetos cujos recursos necessários à execução

não sejam estranhos a OSC e possam ser compartilhados com

outros projetos da instituição ou necessidades organizacionais.

Page 24: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Estratégia 2 – Orçamento é feito de pessoas

Portanto: Montar uma equipe de profissionais com competência para

cuidar das necessidades institucionais E das necessidades das

ações/projetos.

Page 25: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Estratégia 3 – Orçamento é feito de parceiros

Portanto: Fazer uso da competência de parceiros para elaborar,

executar, financiar e avaliar projetos/ações sociais.

Page 26: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Plano de Contas

• Centro de Custos

• Conciliação Bancária

• Razão Financeiro

• Fluxo de Caixa

• Orçamento de Projetos

Page 27: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

•Plano de Contas

•Centro de Custos

Page 28: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Receitas Operacionais / Não operacionais

• Receitas com doações

• Receitas com projetos

• Despesas Operacionais / Não operacionais

• Despesas com Pessoal

- Salários

- Encargos Sociais

- Benefícios

• Despesas Administrativas

- Serviços de Terceiros

- Aluguel

- Telefone e Internet

• Despesa com Viagens

Page 29: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Centro de Custos:

• Projeto Centro de Apoio (IAF)

• Projeto Fortalecer (Instituto C&A)

• Fundo Comunitário

• Institucional/ Livre

1. Projeto Centro de Apoio (IAF)

1.1 Receitas com doações

1.2 Receitas com projetos

1.3 Despesas com Salários

1.4 Despesa com Material de Escritório

1.5 Despesa com Viagens

1.6 Despesas com Escritório (aluguel, água, luz, etc) ...

Page 30: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Conta Contábil

Centro de Custo

Page 31: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Livro Caixa / Banco > Razão Financeiro

• 1 conta corrente por Projeto/Centro de Custo

• 1 caixa por Projeto (em casos específicos)

• Emissão de extratos mensais de cada conta corrente e aplicação

• Separação dos documentos pagos (Comprovante de Pagamento/Boleto/Nota

Fiscal/Cópia do Cheque)

• 1 lançamento por evento e por documento Conciliação Bancária

• 1 Razão Financeiro por Projeto/Centro de Custo

Page 32: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Sempre aplique o dinheiro parado (resgate automático)

• Faça um controle dos rateios de custos. (uma despesa paga por mais de um

projeto).

• Imprima o boletim de caixa mensalmente e assine.

• Carimbe as notas do caixa com carimbo “Pago” para evitar duplicidade

• Exija sempre documentos oficiais das despesas (Notas Fiscais, Recibos

somente em casos específicos)

• Se possível faça um regimento interno para uso dos recursos -> Modelo de

Autorização de Despesa assinado pelo Coordenador

• Mantenha pouco dinheiro em caixa, em um montante sempre fixo de saque.

Page 33: (Transformar) Gestão Financeira-dia1
Page 34: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Indica como será o saldo de caixa para o período projetado

Page 35: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

Rubrica Equipe Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro

Coordenação 38.400,00R$ 4.800,00R$ 3.200,00R$ 3.200,00R$ 3.200,00R$ 3.200,00R$ 3.200,00R$ 20.800,00R$ 17.600,00R$

Consultor DI/ HubEscola 3.000,00R$ 2.625,00R$ 2.625,00R$ 375,00R$

Consultor Comunicação 8.600,00R$ -R$ 8.600,00R$

50.000,00R$ 23.425,00R$ 26.976,05R$

20.000,00R$ 20.000,00R$ 40.000,00R$

199,42R$ 201,63R$ 401,05R$

PREVISÃO DE ORÇAMENTO - PROJETO CAIS SAPIENS PARQUE - 2014

Repasses

Rendimentos

Total Gasto Saldo

SAPIENS

Assessoria e

Consultoria

(contrato com PJ)

2014

TOTAL Sapiens

Orçamento

• O Fluxo de Caixa serve para projeções e controle.

• Tenha um Fluxo de Caixa para cada Projeto/Centro de Custo.

• Tenha um Fluxo de Caixa para os Recursos Livres

• Atualize e acompanhe mensalmente.

Page 36: (Transformar) Gestão Financeira-dia1

• Orçamento e Formação de Preços

• Orçamento/Planejamento Financeiro Anual

• Prestação de Contas

• Transparência

• Controle Externo: Auditoria/Conselho Fiscal

• Práticas Contábeis do 3º Setor

• Receita de Doações

• Trabalho Voluntário

• Departamento Pessoal