A SOCIOLOGIA E O ENEM: UMA ANÁLISE A PARTIR DO .Programa de Sociologia do CAp contribui para quatro

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of A SOCIOLOGIA E O ENEM: UMA ANÁLISE A PARTIR DO .Programa de Sociologia do CAp contribui para quatro

  • 1

    Walace Ferreira

    PROFESSOR ADJUNTO DE SOCIOLOGIA DO CAP-UERJ

    Bruna Navarone Santos

    GRADUANDA DE CINCIAS SOCIAIS DA UERJ

    A SOCIOLOGIA E O ENEM: UMA ANLISE A PARTIR DO

    CURRCULO DO CAP-UERJ

    RESUMO

    Neste trabalho desenvolvemos uma pesquisa preliminar em que relacionamos o currculo de

    Sociologia do CAp-UERJ com as competncias e habilidades exigidas pelo Exame Nacional do

    Ensino Mdio (ENEM), envolvendo principalmente a matriz programtica da rea de Cincias

    Humanas e suas Tecnologias assim como a prova de Redao. Consideramos na anlise a

    excelncia desse Instituto, haja vista uma srie de elementos fundamentais para o xito

    escolar, conforme pensado por Bourdieu, estarem presentes. Dentre os resultados,

    mostramos, por meio de quadros comparativos, que os contedos de Sociologia previstos no

    Programa de Curso, assim como as capacidades crticas e reflexivas que a disciplina estimula,

    so cobrados pelo exame. Nesse sentido, apesar do recorte analtico, o resultado chama

    ateno para um potencial papel da Sociologia que nem sempre considerado por professores

    e estudantes em diferentes colgios, ou seja, a sua importncia direta junto ao atual modelo

    de ingresso no ensino superior.

    PALAVRAS-CHAVE: ENEM Currculo de Sociologia CAp-UERJ.

  • 2

    INTRODUO

    Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Mdio (ENEM) foi usado inicialmente para avaliar

    a qualidade da educao nacional. No entanto, ganhou nova verso em 2009, com aumento

    do nmero de questes e utilizao da prova em substituio ao antigo vestibular. No estado

    do Rio de Janeiro, alm das universidades particulares, tambm as instituies federais

    passaram a usar a prova como mtodo de ingresso. Apenas a Universidade do Estado do Rio

    de Janeiro (UERJ), de carter estadual, ainda mantm vestibular prprio.

    Em seu modelo atual o exame realizado uma vez por ano, tem durao de dois dias e contm

    180 questes objetivas (divididas em quatro grandes reas), alm de uma redao. A rea de

    Cincias Humanas e suas Tecnologias passou a integrar assuntos de Histria, Geografia,

    Filosofia e Sociologia, contando ao todo com 45 questes. Isso fez com que as disciplinas de

    Humanas tivessem considervel peso na pontuao final do candidato. Outro destaque,

    equivalente a 20% da nota final, vem da prova de redao, onde a Sociologia aliada no

    fornecimento de valiosos subsdios argumentativos.

    Quanto ao CAp-UERJ1, a despeito das inmeras dificuldades econmicas enfrentadas no

    presente, trata-se de um colgio de excelncia do Rio de Janeiro, com timos resultados no

    ENEM e no vestibular da UERJ. uma instituio de ensino pblico que tem por finalidade a

    formao docente inicial e continuada, em parceria com outras unidades acadmicas da

    Universidade e a promoo da educao bsica de qualidade, de atividades de pesquisa em

    ensino e educao e da extenso universitria.

    O espao fsico do CAp-UERJ, situado na Rua Santa Alexandrina, n 288, bairro Rio Comprido,

    possui razovel infraestrutura. No entanto, o tamanho da escola considerado pequeno

    diante da demanda e das necessidades da instituio. Outro problema do atual prdio a

    acessibilidade para deficientes.

    Conforme salientado por Ferreira e Rodrigues (2014), os alunos so oriundos de diversos

    bairros e famlias com diferentes aspectos scio-econmicos, apesar de haver uma

    predominncia de estudantes de classe mdia. De um modo geral a participao nas causas

    comuns do colgio bastante destacada. Auxilia nesse sentido o modelo de entrada de

    estudantes na instituio, quando um sorteio pblico define a sorte de quem estuda no CAp a

    partir do primeiro ano do ensino fundamental. No sexto ano, um processo seletivo inclui mais

    estudantes. Deve-se sublinhar que desde 2014 o colgio conta com cotas raciais no seu

    sistema de ingresso.

    Ademais, como explcito no site do Instituto, e corroborado por quem vive no colgio, tanto os

    estudantes como seus responsveis so incorporados numa dinmica institucional e educativa

    1 A escolha do CAp-UERJ se deu principalmente pelo fato de o professor autor ser docente nesta instituio e da coautora ser estudante da Licenciatura em Cincias Sociais da Uerj e futura estagiria no colgio. A partir dessa proximidade gerou-se o interesse em utilizar o CAp como recorte para a correlao objeto dessa pesquisa.

  • 3

    diferenciada, considerando a escola como um relevante espao de participao coletiva e de

    luta constante pela qualidade.

    OBJETIVOS

    Neste trabalho desenvolve-se uma relao entre o atual currculo2 de Sociologia do Colgio de

    Aplicao da UERJ (CAp-UERJ) com a matriz programtica do Exame Nacional do Ensino Mdio

    (ENEM) principalmente no que se refere rea de Cincias Humanas e suas Tecnologias e

    prova de Redao.

    O objetivo mostrar como o currculo de Sociologia, por meio desse recorte, possui grande

    papel na formao do estudante junto ao principal modelo de ingresso no ensino superior.

    O Programa de curso do CAp aqui considerado de 2015, quando algumas mudanas foram

    feitas no programa formulado em 2012.

    DISCUSSO TERICA

    No Plano de Curso de Sociologia do CAp-UERJ vemos a tentativa de seguir as estratgias

    recomendadas pelas Orientaes Curriculares Nacionais do Ensino Mdio (OCN) de Sociologia

    (2006), o que ocorre nas vrias vezes em que aparecem articulados teorias, conceitos e temas.

    Exemplo disso est no Item 2 da Unidade I3 do Segundo Ano. Ao propor a explicao terica

    dos diferentes modelos de Estado e a teoria sociolgica do Estado, o programa chama as

    teorias contratualistas e as teorias de Marx, Durkheim e Weber. Vrios conceitos emergem

    dessa vasta abordagem terica, como Ideologia e Alienao de Marx, Legitimao de Weber e

    Coeso de Durkheim, dentre outras. O tema o Estado.

    A proposta desse Programa consiste em desenvolver o pensamento sociolgico por meio da

    desnaturalizao e do estranhamento dos fenmenos sociais, desconstruindo

    preconceitos e pensamentos originrios do senso comum e de produes jornalsticas. Nos

    programas dos trs anos do ensino mdio d-se destaque ao dilogo entre o saber acadmico

    e cientfico, alm da cultura popular e da tradio social, permitindo que o ensino da

    Sociologia seja til inclusive em outras reas de conhecimento, para alm das Cincias

    Humanas.

    Portanto, segundo nossa percepo, sua densidade visa um caminho duplo. O primeiro, que

    ser o foco desse trabalho, diz respeito associao com as demais Cincias Humanas e com

    as temticas da prova de Redao, fornecendo subsdios para os alunos utilizarem seu

    contedo no enfrentamento de avaliaes rumo universidade. O segundo, por sua vez, diz

    respeito reflexo, formao cidad e viso crtica dos diversos processos sociais.

    2 Como sinnimos de currculo usaremos, ao longo do texto, expresses como Plano de Curso, Programa e Programa de Curso. 3 O CAP-UERJ possui, em todos os trs anos do Ensino Mdio, trs trimestres por ano letivo.

  • 4

    Com dois tempos semanais em todos os trs anos do ensino mdio, a Sociologia tem no

    Instituto uma solidez ainda buscada em outras realidades educacionais. Como nos lembra

    Sarandy (2008), a disciplina sempre foi vista de modos contraditrios. Ora entendida como

    revolucionria ou de esquerda uma ameaa conservao dos regimes polticos

    estabelecidos , ora como expresso do pensamento conservador e tcnica de controle

    social, uma entre tantas formas engendradas pelos diversos Estados no seu af de manterem

    a ordem constituda4.

    No CAp-UERJ, todavia, a disciplina ganha outro carter, considerando as especificidades do

    colgio, os objetivos dos alunos e um currculo com densidade crtica, ligado cidadania, com

    discusses polticas, mas tambm de contedo rico e voltado para a anlise de questes que

    so recorrentemente cobradas nos exames de ingresso do ensino superior.

    Em seu ensino, a Sociologia conta com o livro didtico Sociologia em Movimento (SILVA et al,

    2008), alm do uso comum de outros recurso didticos, como filmes (curta, mdia e longa-

    metragem), artigos e matrias de revistas e jornais, contos, msicas, textos literrios, capas de

    revista, imagens, etc. Tais elementos, alm de dinamizar as aulas, tornando-as mais atrativas,

    ajudam a aproximao dos contedos ao cotidiano vivido e oferece aos alunos o contato junto

    s diferentes manifestaes culturais e artsticas que fazem parte do ensino.

    O rigor com que a Sociologia desenvolvida no colgio vivel por conta de encontrarmos ali

    uma cultura do estudo, assim como pensou Bourdieu (1998), de modo que o prprio foco no

    preparo para o vestibular mais presente. O fato de muitos pais terem nvel superior leva-os a

    estimularem seus filhos na carreira educacional. O autor j ressaltava, na Frana da dcada de

    70, que estudantes emergentes de ambientes culturais com maior escolaridade tendem a

    apresentar um desempenho melhor e mais constante, pois as famlias lhes ajudam a investir

    na educao como um projeto de futuro.

    Como diz o autor:

    Na verdade, cada famlia transmite a seus filhos, mais por vias indiretas que diretas, um certo capital cultural e um certo ethos, sistema de valores implcitos e profundamente interiorizados, que contribui para definir, entre outras coisas, as atitudes face ao capital cultural e instituio escolar. A herana cultural, que dife