Click here to load reader

Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage Barbosa ... · PDF file Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage - Projecto Educativo 2009-2012 2 Índice ... multiculturalidade

  • View
    10

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage Barbosa ... · PDF file Agrupamento Vertical...

  • Agrupamento Vertical de

    Escolas Barbosa du Bocage

    Barbosa du Bocage

    2009 / 2012

  • Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage - Projecto Educativo 2009-2012

    2

    Índice

    1. Introdução …………………………………………………………………………………………………………… 3

    2. Enquadramento Legal ………………………………………………………………………………………… 4/5

    3. Caracterização do Agrupamento ………………………………………………………………………… 5/11

    3.1. Contexto Histórico ……………………………………………………………………………………… 5/6

    3.2. Escolas que integram o Agrupamento, sua localização……………………………………. 6/7

    3.3. Caracterização das Escolas …………………………………………………………………………. 7/11

    3.3.1. EB2/3 Barbosa du Bocage……………………………………………………………….. 8

    3.3.2. EB1 de Setúbal nº 12 (Amoreiras)……………………………………………………. 9

    3.3.3. EB1 de Setúbal n.º 3 (Montalvão)……………………………………………………. 9

    3.3.4. EB1 de Setúbal nº 2 (Santa Maria da Graça)…………………………………….. 9/10

    3.3.5. EB1/JI dos Arcos ………………………………………………………………………….. 10

    3.3.6. EB1/JI de São Gabriel …………………………………………………………………… 10

    3.3.7. JI das Amoreiras ………………………………………………………………………….. 11

    3.3.8. JI de Setúbal ( ex-CEPI) ……………………………………………………………….. 11

    4. Recursos Físicos / Espaços Físicos…………………………………………………………………… 12

    5. Serviços / Recursos Educativos ……………………………………………………………………… 13/14

    6. Organograma do Agrupamento (Enquadramento Legal) …………………………………... 15

    7. Parceiros Educativos …………………………………………………………………………………….. 16

    8. Princípios Orientadores do Projecto Educativo ………………………………………………… 17/21

    8.1. Área Pedagógica ……………………………………………………………………………………. 21

    8.1.1. Garantir o direito ao sucesso educativo de todos os alunos valorizando

    literacias de informação, escrita, artística, tecnológica e científica… … 22/23

    8.1.2. Contribuir para a formação integral do indivíduo e desenvolver

    competências para a aprendizagem ao longo da vida …………………… 28/29

    8.2. Área Organizacional ………………………………………………………………………………. 30

    8.2.1. Assegurar a verticalidade entre ciclos …………………………………………… 31/32

    8.2.2. Desenvolver protocolos de colaboração com entidades locais e regionais 33

    9. Acções e medidas a implementar no triénio 2009/2012 ……………………………………. 34

    10. Implementação e avaliação do Projecto Educativo de Agrupamento………………….. 34/35

    11. Anexos ……………………………………………………………….……………………………………….. 36/77

    Anexo I - Dados estatísticos dos alunos (2009/2010)

    Pré-escolar ………………………………………………………………………………… 36

    Primeiro Ciclo ………….…………………………………………………………………… 37

    Segundo e terceiro Ciclos ………….…………………………………………………. 38

    Anexo II – Inquéritos ………………………………………………….……….……………….. 39/77

  • Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage - Projecto Educativo 2009-2012

    3

    1. Introdução

    O Projecto Educativo constitui um instrumento orientador e de referência para a acção

    colectiva e individual, que valoriza a possibilidade de intervenções de mudança na escola,

    que possibilita o desenvolvimento de compromissos e vínculos com todos os membros da

    comunidade educativa e determina a filosofia que sustenta a dinâmica a imprimir às

    escolas do Agrupamento. Pretende, ainda, potenciar os recursos humanos e materiais

    disponíveis e prevê o estabelecimento de colaboração e parcerias com várias instituições

    locais, tentando dar, assim, uma resposta educativa global que permita a mobilização de

    novos recursos e novas respostas que conduzam ao sucesso educativo.

    Portanto, este Projecto Educativo é o tronco comum de onde partem os vários

    projectos existentes, ou que venham a existir, nas escolas do agrupamento, quer no

    âmbito da organização curricular e das ofertas das escolas, quer no âmbito das

    orientações administrativas e da formação do pessoal docente e não docente.

    É, também, um documento que pretende definir valores e princípios educativos, bem

    como definir objectivos e estratégias a partilhar, a desenvolver pelas escolas do

    agrupamento, partindo do levantamento de problemas prioritários identificados quer pela

    aplicação de um inquérito quer pela sua análise em sala de aula.

    Deve constituir um instrumento de trabalho perfeitamente exequível e

    operacionalizavel, a ter sempre presente como instrumento orientador e de referência na

    elaboração e concretização do Projecto Curricular do Agrupamento, do Projecto Curricular

    de Turma e do Plano Anual de Actividades.

  • Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage - Projecto Educativo 2009-2012

    4

    2. Enquadramento Legal

    No desenvolvimento dos princípios da administração educacional estabelecidos na

    Lei de Bases do Sistema Educativo, aprovada pela Lei n.º 46/86, de 14 de Outubro, o

    Decreto -Lei n.º 43/89, de 3 de Fevereiro, consagrou a autonomia das escolas, prevendo a

    transferência progressiva de atribuições e competências para as organizações escolares,

    traduzindo o reconhecimento pelo Estado da capacidade das escolas em melhor gerirem

    os recursos educativos de forma consistente com o seu projecto educativo.

    Posteriormente, o Decreto-Lei n.º 115 -A/98, de 4 de Maio, veio estabelecer o

    actual regime de autonomia e gestão das escolas com vista a dar efectiva execução

    àqueles objectivos e define a autonomia como o poder reconhecido pela

    administração educativa à escola para tomar decisões no domínio estratégico,

    pedagógico, administrativo, financeiro e organizacional, no quadro do seu

    projecto educativo e em função das competências e dos meios que lhe estão

    consignados. No âmbito do Programa de Reestruturação da Administração Central do

    Estado, o XVII Governo Constitucional tomou várias medidas de descentralização,

    transferindo competências para a administração local e para as escolas e agrupamentos

    de escolas, aprofundando, assim, o nível de base da autonomia destas unidades de gestão

    como instrumento de melhor prestação do serviço público de educação.

    O contrato de autonomia implica compromissos e deveres mútuos e assume-se

    como um instrumento de gestão privilegiado no sentido da oferta de melhores condições

    para a realização pelo Agrupamento do serviço público que lhes está confiado.

    Essa autonomia exprime-se, em primeiro lugar, na faculdade de auto-organização da

    escola. Neste domínio, o Decreto-lei nº75/2008, de 22 de Abril, estabelece um

    enquadramento legal mínimo, determinando a criação de algumas estruturas de

    coordenação de 1.º nível (departamentos curriculares) com assento no conselho

    pedagógico e de acompanhamento dos alunos (conselhos e directores de turma),

    definidas em Regulamento Interno. No mais, é dada às escolas a faculdade de se

    organizarem, de criar estruturas definidas no Regulamento Interno do Agrupamento e de

    as fazer representar no Conselho Pedagógico. O Decreto-lei nº75/2008, define, ainda, os

    instrumentos de autonomia do Agrupamento (Anexo I) dos quais o Projecto Educativo

    de Agrupamento (PEA) consagra a sua orientação educativa, sendo elaborado e

  • Agrupamento Vertical de Escolas Barbosa du Bocage - Projecto Educativo 2009-2012

    5

    aprovado pelos os órgãos de administração e gestão para um horizonte de três anos, no

    qual se explicitam os princípios, os valores, as metas e as estratégias