Click here to load reader

ANÁLISE ECONÔMICA e ANÁLISE FINANCEIRA

  • View
    27

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

ANÁLISE ECONÔMICA e ANÁLISE FINANCEIRA. Nívea Cordeiro 2011. Xxxxx. Imagine um carro numa estrada. Xxxxx. O que acontece se a gasolina acabar?. O que representa a gasolina na empresa?. Xxxxx. De que forma posso visualizar e planejar o dinheiro na empresa?. Fluxo de Caixa. Xxxxx. - PowerPoint PPT Presentation

Text of ANÁLISE ECONÔMICA e ANÁLISE FINANCEIRA

  • ANLISE ECONMICA eANLISE FINANCEIRANvea Cordeiro2011Xxxxx

  • Imagine um carro numa estrada...Xxxxx

  • O que acontece se a gasolina acabar?Xxxxx

    O que representa a gasolina na empresa?De que forma posso visualizar e planejar o dinheiro na empresa?

  • Fluxo de CaixaXxxxx

  • Xxxxx

    Plan1

    FLUXO DE CAIXA - AGOSTO/2010

    CONTAS8/29/118/30/118/31/119/1/119/2/119/3/11TOTAL DA SEMANA

    PRPRPRPRPRPRPR

    ENTRADAS

    TOTAL: ENTRADAS

    SADAS

    TOTAL: SADAS

    RESUMO

    SALDO ANTERIOR

    TOTAL ENTRADAS

    TOTAL SADAS

    A TRANSPORTAR

  • E se o leo acabar?Xxxxx

    O que representa o leo na empresa?De que forma posso visualizar e planejar o movimento econmico na empresa?

  • Anlise EconmicaXxxxx

  • Xxxxx

    Plan1

    Empresa:

    Ramo:

    LUCRO PRESUMIDO

    ESTIMATIVA DO INVESTIMENTO INICIAL

    INVESTIMENTO FIXOVALORES R$

    Sub-total "a"

    INVESTIMENTOS PR-OPERACIONAISVALORES - R$

    Sub-total "b"

    CAPITAL DE GIRO "c"

    TOTAL DO INVESTIMENTO INICIAL(a+b+c)

  • Xxxxx

    Plan1

    PLANILHA DE RECEITAS - MENSAL

    PRODUTO /SERVIOVALORES

    TOTAL DE RECEITAS

  • Xxxxx

    Plan1

    DESPESAS FIXAS

    DISCRIMINAOVALORES - R$

    Sub-total

    Outros (3% sobre os itens acima)

    TOTAL DAS DESPESAS FIXAS

  • Xxxxx

    Plan1

    DESPESAS VARIVEIS

    DISCRIMINAOVALORES - R$

    Sub-total

    Outros (3% sobre os itens acima)

    TOTAL DAS DESPESAS VARIVEIS

  • Xxxxx

    Plan1

    RESULTADOS OPERACIONAIS

    DISCRIMINAOVALORES - R$

    Receita (Faturamento)

    Despesas Variveis

    Margem de Contribuio (Lucro Bruto) (a-b)

    Despesas Fixas

    Lucro Operacional (c-d)

    Imposto de Renda - 15%

    Contribuio Social sobre Lucro Lquido - 9%

    Lucro Lquido Final (e-f-g)

    DEMONSTRATIVO DA CAPACIDADE DE PAGAMENTO

    DISCRIMINAOVALORES - R$

    Lucro Lquido

    Depreciao

    Disponibilidade (a+ b)

    Prestao do Financiamento

    Saldo (c-d)

  • Xxxxx

    Plan1

    PLANILHAS ACESSRIAS MEMRIA DE CLCULO

    1MO-DE-OBRA - DESPESAS FIXAS

    FUNOQte.Salrio BaseValor Total

    Total dos SalriosR$

    ENCARGOS SOCIAISR$

    DEPRECIAO - MENSALVALOR%R$ - anualR$ - mensal

    TOTAL......................

    IMPOSTOS%Base de ClculoValor a Pagar

    TOTAL

  • Xxxxx

    Plan1

    IMPOSTOS%Base de ClculoValor a Pagar

    TOTAL

  • Anlise EconmicaPermite levantar o montante que ser gasto no empreendimento e se este dar lucro ou prejuzo.

    A anlise econmica trabalha por competncia, permitindo analisar o negcio (se deu lucro ou prejuzo) no prprio ms Xxxxx

  • Anlise FinanceiraTrabalha com o fluxo de caixa, ou seja, recebimentos e pagamentos.

    No olha a competncia das receitas e despesas, mas o que o negcio tem a receber e a pagar em determinado ms.Xxxxx

  • Por isso podemos comparar a anlise econmica e financeira com um carro e seu combustvel e seu leo.Xxxxx

  • Anlise EconmicaXxxxx

  • Anlise EconmicaPara fazer essa anlise precisamos saber:

    a) Os Investimentos Iniciaisb) As Despesas Fixasc) As Despesas VariveisXxxxx

  • Investimentos IniciaisRepresentam a quantidade de capital necessria para a abertura do negcio e para a manuteno do mesmo nos primeiros meses de atividade. Para que voc conhea o capital necessrio, dever relacionar os investimentos fsicos e os financeiros.Xxxxx

  • Investimentos FsicosSo aqueles destinados compra de bens fsicos como mquinas, instalaes, veculos, mveis e utenslios, equipamentos de informtica. Ou seja, destinam-se aquisio de ativos (ativo imobilizado) para o negcio, pois no so consumidos no processo operacional normal da empresa.Xxxxx

  • Investimentos FinanceirosSo aqueles destinados formao do capital de giro para o negcio.

    O capital de giro o montante de recursos em dinheiro que precisa ser investido para o funcionamento normal da empresa: - estoque de produtos, matria-prima; - para o pagamento de salrios, tributos; - demais despesas fixas; - alm de financiar as vendas a prazo. Xxxxx

  • Investimentos FinanceirosO capital de giro uma quantia que a empresa deve ter disposio para movimentar o dia-a-dia do negcio.

    O prazo de clculo do capital de giro vai variar de acordo com a disponibilidade de recursos e dos riscos que cada empreendedor est disposto a correr.Xxxxx

  • Investimentos Pr-OperacionaisSo os gastos que ocorrem antes da empresa comear a funcionar.

    Ex.: uma pesquisa de mkt, registro da empresa, treinamentos.Xxxxx

  • Anlise EconmicaPara fazer essa anlise precisamos saber:

    a) Os Investimentos Iniciaisb) As Despesas Fixasc) As Despesas VariveisXxxxx

  • Assim:Investimentos Iniciaisa) Investimentos Fsicos;

    b) Investimentos Financeiros;

    c) Investimentos Pr-Operacionais.Xxxxx

  • Despesas FixasSo aquelas cuja variao no afetada pelo volume total da produo ou vendas da empresa.

    No importa se a empresa est vendendo pouco ou muito, elas permanecem as mesmas. Xxxxx

  • Despesas FixasAs despesas fixas tendem a se manter constantes, no importa a variao sofrida pelas receitas da empresa.

    As despesas fixas independem da venda, ou seja, elas no variam (aumentam ou diminuem) conforme oscile a venda de bens ou servios.

    Ex.: aluguel, seguro, propaganda e publicidade, gua. Tudo depender da atividade da empresa.Xxxxx

  • Despesas FixasDepreciao = dentro das despesas fixas da empresa existe uma parcela de despesas que destinada proteo dos investimentos realizados.

    a depreciao que a perda do valor do bem medida que o tempo vai passando.

    a obsolescncia (envelhecimento) dos bens e a prpria utilizao do bem no processo produtivo ou de venda.

    Para assegurar que o capital investido ir se manter o mesmo, necessrio criar um fundo de depreciao. Xxxxx

  • Despesas VariveisSo aquelas que variam com a venda de produtos e, por conseqncia, com as receitas.

    Elas costumam ser representadas pelos seguintes itens: mo-de-obra direta, matria-prima, CMV, embalagens, tributos, comisses e encargos sociais.Xxxxx

  • DespesasFixas x VariveisPara classificar corretamente os custos como fixos ou variveis, deve-se analisar a atividade da empresa e o momento em que a despesa ocorre. Ex.: treinamento: pode ser uma despesa fixa (se for espordico), pode ser varivel (se for um % sobre a receita) ou pode ser investimento pr-operacional (antes de abrir a empresa).Xxxxx

  • Planilhasde apoio

    (prxima aula)Xxxxx

  • A Lio da Borboleta"Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo; um homem sentou e observou a borboleta por vrias horas, conforme ela se esforava para fazer com que seu corpo passasse atravs daquele pequeno buraco.

  • Ento pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso.

    Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e no conseguia ir mais.

  • Ento o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta ento saiu facilmente.

    Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas.

  • O homem continuou a observ-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se firmar a tempo.

  • Nada aconteceu!Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas.Ela nunca foi capaz de voar.

  • O que o homem,em sua gentileza e vontade de ajudar no compreendia, era que o casulo apertado e o esforo necessrio borboleta para passar atravs da pequena abertura era o modo pelo qual o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesselivre do casulo.

  • Algumas vezes, o esforo justamente o que precisamos em nossa vida.

    Se fosse possvel passar atravs de nossas vidas sem quaisquer obstculos, seramos de certa forma aleijados. Ns no iramos ser to fortes como poderamos ter sido. Ns nunca poderamos voar.

  • Eu pedi foras...e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.

    Eu pedi sabedoria... e Deus deu-me problemas para resolver.Eu pedi prosperidade...e Deus deu-me crebro e msculos para trabalhar.

  • Eu pedi coragem...e Deus deu-me obstculos para superar.

    Eu pedi amor...e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.

  • Eu pedi favores... e Deus deu-me oportunidades.

    Eu no recebi nada do que pedi...mas eu recebi tudo de que precisava."

  • Viva a vida sem medo, enfrente todos os obstculos e mostre que voc pode super-los. Execuo: Leandro Valdir