CARTA DE INSTRUÇÃO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) .Ref. Msg: JAMP-10 CARTA DE INSTRUÇÃO BUSCA E SALVAMENTO

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of CARTA DE INSTRUÇÃO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) .Ref. Msg: JAMP-10 CARTA DE INSTRUÇÃO BUSCA E...

  • - 1 -

    Exemplar no Comando de Operaes Navais Rio de Janeiro, RJ. R-121313Z abril de 2010. Ref. Msg: JAMP-10

    CARTA DE INSTRUO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) ComOpNav No 001-10 Fuso Horrio: ZULU Do: Comandante Aos: Comandante do 3o Distrito Naval

    Comandante do 5o Distrito Naval Comandante-em-Chefe da Esquadra

    Diretor de Hidrografia e Navegao Comandante do 2o Distrito Naval Comandante do 1o Distrito Naval Comandante do 9o Distrito Naval Comandante do 8o Distrito Naval Comandante do 7o Distrito Naval Comandante do 4o Distrito Naval Comandante do 6o Distrito Naval Comandante do Controle Naval do Trfego Martimo

    Assunto: Busca e Salvamento (SAR) Referncias: (a) Aviso no 0201, de 20FEV1970, do MM;

    (b) Lei no 7.273, de 10DEZ1984; (c) Conveno Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar

    (Conveno SOLAS 74); (d) Port no 156/MB/2004; (e) Conveno Internacional de Busca e Salvamento Martimo, 1979; (f) Decreto no 6516, de 28 JUL2008; (g) Carta de Acordo Operacional entre o Sistema de Busca e Salvamento

    Aeronutico e o Servio de Busca e Salvamento da Marinha do Brasil/2009; (h) Lei Complementar no 97, de 09JUN1999, alterada pela Lei Complementar no

    117, de 02SET2004; (i) Manual Internacional Aeronutico e Martimo de Busca e Salvamento"

    (IAMSAR), Vol. II e III, Coordenao das Misses e Meios Mveis, Edio 2009; e

    (j) COMOPNAV 238 - Operaes de Esclarecimentos - Vol. I e II, Edio 2002.

    1. SITUAO A Conveno das Naes Unidas sobre o Direito do Mar, de 1982, estabelece em seu item 2

    do artigo 98:

    Todo Estado costeiro deve promover o estabelecimento, o funcionamento e a

    manuteno de um adequado e eficaz Servio de Busca e Salvamento, para

  • CARTA DE INSTRUO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) ComOpNav No 001-10

    - 2 -

    garantir a segurana martima e area, e, quando as circunstncias o exigirem,

    cooperar para esse fim com os Estados vizinhos por meio de ajustes regionais

    de cooperao mtua.

    A Conveno Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar, de 1974,

    especifica, na Regra 15 (Busca e Salvamento), do Captulo V (Segurana da Navegao):

    Cada Governo Contratante se obriga a garantir que sero tomadas todas as

    disposies necessrias para vigilncia em suas costas e para o salvamento das

    pessoas em perigo no mar, ao longo dessas costas. Estas disposies devem

    compreender o estabelecimento, a utilizao e a manuteno de todas as

    instalaes de segurana martima, julgadas praticamente realizveis e

    necessrias, levando em conta a intensidade do trfego no mar e os perigos da

    navegao, e devem, tanto quanto possvel, fornecer os meios adequados para

    localizar e salvar as pessoas em perigo.

    A Organizao Martima Internacional (IMO), agncia especializada das Naes Unidas que

    trata dos assuntos martimos, criou uma organizao padro para os Servios de Busca e

    Salvamento Martimo, que, compatvel com as necessidades do trfego martimo, possibilite, em

    nvel internacional, estreitar laos de cooperao entre os servios dos diversos Estados. Essa

    organizao convocou uma conferncia para tratar da matria, em ABR1979, na cidade de

    Hamburgo, Alemanha. Nessa conferncia, foi aprovada a Conveno Internacional de Busca e

    Salvamento Martimo - 1979, tambm conhecida como Conveno de Hamburgo, que entrou em

    vigor em 22JUN1985.

    Para efeito desta CI, a expresso Busca e Salvamento ou Salvamento diz respeito a

    operao de socorro, ou seja, aquela que emprega os recursos disponveis na prestao de auxlio

    a pessoas em perigo no mar. Essa operao uma atribuio da Marinha, nas guas

    jurisdicionais brasileiras e na rea de alto-mar estabelecida em convnios internacionais. um

    servio gratuito e obrigatrio, executado em regime de urgncia, que compreende o emprego de

    pessoal e recursos disponveis, mesmo extra-Marinha, de modo a resgatar pessoas em perigo no

    mar. As atividades desenvolvidas para o socorro so reconhecidas internacionalmente pela sigla

    SAR (Search and Rescue). Normalmente, a operao de socorro no requer navio

    especializado.

    Conforme disposto na portaria em referncia, cabe ao Comandante de Operaes Navais

    promover, coordenar e controlar a execuo dos Servios de busca e salvamento de vida humana

    no mar, nos portos e nas vias navegveis interiores.

  • CARTA DE INSTRUO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) ComOpNav No 001-10

    - 3 -

    2. MISSO Superintender e supervisionar o Servio de Busca e Salvamento na rea SAR brasileira e nas

    vias navegveis interiores do Pas, a fim de contribuir para a salvaguarda da vida humana.

    3. EXECUO Este Comando promover, orientar, controlar e coordenar as atividades de Busca e

    Salvamento sob a responsabilidade da Marinha do Brasil, em observncia aos compromissos

    internacionais assumidos pelo Pas.

    Atribuo a V.Exa. as seguintes tarefas:

    a) Comando do 1o Distrito Naval

    b) Comando do 2o Distrito Naval

    c) Comando do 3o Distrito Naval

    d) Comando do 4o Distrito Naval

    e) Comando do 5o Distrito Naval

    - Coordenar e executar o Servio de Busca e Salvamento Martimo em sua rea de

    responsabilidade SAR e nas vias navegveis interiores sob jurisdio distrital;

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Martimo do Sueste

    (SALVAMAR SUESTE) (Com1oDN);

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Martimo do Leste

    (SALVAMAR LESTE) (Com2oDN);

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Martimo do Nordeste

    (SALVAMAR NORDESTE) (Com3oDN);

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Martimo do Norte

    (SALVAMAR NORTE) (Com4oDN); e

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Martimo do Sul (SALVAMAR

    SUL) (Com5oDN).

    f) Comando do 6o Distrito Naval

    g) Comando do 7o Distrito Naval

    h) Comando do 9o Distrito Naval

    - Coordenar e executar o Servio de Busca e Salvamento nas vias navegveis interiores

    da rea de jurisdio distrital (SALVAMAR OESTE) (Com6oDN) e (SALVAMAR

    NOROESTE) (Com9oDN);

  • CARTA DE INSTRUO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) ComOpNav No 001-10

    - 4 -

    - Executar o Servio de Busca e Salvamento, quando pertinente, nas vias navegveis

    interiores, em cooperao com as entidades pblicas ou privadas com responsabilidades

    correlatas nessa atividade (Com7oDN);

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Fluvial do Oeste (RCC River)

    (SALVAMAR OESTE) (Com6oDN); e

    - Exercer as atividades de Centro de Coordenao SAR Fluvial do Noroeste (RCC River)

    (SALVAMAR NOROESTE) (Com9oDN).

    i) Comandante-em-Chefe da Esquadra

    - Apoiar o Servio de Busca e Salvamento Martimo por meio do Navio de Servio da

    Esquadra (NSE) e a Aeronave de Servio da Esquadra (ANSE), quando solicitado por um

    SALVAMAR; e

    - Apoiar, quando determinado, o Servio de Busca e Salvamento Martimo com meios

    da Esquadra, alm dos NSE e ANSE.

    j) Diretor de Hidrografia e Navegao

    - Divulgar as Informaes de Segurana Martima (MSI Maritime Safety Information)

    necessrias ao planejamento e execuo das operaes SAR; e

    - Prover apoio tcnico que se faa necessrio, com pessoal especializado e material, ao

    Coordenador de evento SAR.

    k) Comando do Controle Naval do Trfego Martimo

    - Controlar o trfego martimo na rea SAR brasileira, por meio do Sistema de

    Informaes sobre o Trfego Martimo (SISTRAM); e

    - Prover ao Coordenador de evento SAR, tempestivamente, informaes sobre o trfego

    martimo, mantendo-as atualizadas.

    4. INSTRUES PARA A EXECUO DAS ATIVIDADES SAR

    a) Cumprir as Instrues Gerais para as Atividades SAR, constantes do Anexo A, onde

    esto previstas, alm de instrues de carter geral, prescries especficas para os Comandos,

    Diretorias, Capitanias, Delegacias, Agncias e outras OM, inclusive Bases Navais envolvidas.

    b) Consta do Apndice I do Anexo A a organizao do sistema SAR e as delimitaes da

    Regio SAR Martima sob responsabilidade do Brasil (RSAR-BR) e respectivas Subregies por

    SALVAMAR regional.

    c) Os planos de busca na rea SAR brasileira sero planejados de acordo com o descrito nas

    publicaes em referncias i e j.

  • CARTA DE INSTRUO BUSCA E SALVAMENTO (SAR) ComOpNav No 001-10

    - 5 -

    d) O SALVAMAR BRASIL, ao receber a informao da ocorrncia de um incidente SAR,

    designar o SALVAMAR regional com jurisdio na rea de incidncia do evento SAR como

    coordenador do evento e supervisionar as aes empreendidas, podendo atuar a qualquer

    momento para prover apoio, orientaes ou quando julgar pertinente.

    e) Quando o incidente SAR ocorrer em rea de responsabilidade SAR limtrofe ao de outro

    Estado costeiro, caber ao SALVAMAR BRASIL efetuar gestes junto ao respectivo MRCC no

    sentido de obter a medida de cooperao que julgar conveniente para a soluo do evento SAR,

    de acordo com o fluxograma constante do Apndice II do Anexo A.

    f) A rea martima sob jurisdio do Com8oDN, no que se refere s atividades SAR, de

    responsabilidade do Com1oDN (SALVAMAR SUESTE). O Anexo A detalha como efetuada a

    coordenao de atividades SAR nesta rea.

    g) Nas vias navegveis interiores brasileiras, quando pertinente, os ComDN atuaro em

    cooperao com as entidades pblicas ou privadas com responsabilidades nessa atividade, ou que

    disponham de recursos que possam ser empregados em misses SAR.

    5. COMUNICAES

    As instrues para Comunicaes constam do Anexo B, onde tambm esto descritos, em

    seus apndices, os recursos disponveis para comunicaes com