Carta Mensal | Março 2012

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Carta Mensal do Governador do Distrito 1970 de Rotary Internacional

Text of Carta Mensal | Março 2012

  • Maro 2012 | Carta Mensal do Governador | 1

    Carta Mensal Carta Mensal Do Governador

    Distrito 1970 | Portugal | N10 | Maro 2012

    Governador | Antnio Goes Madeira Presidente de RI | Kalyan Banerjee

    Governadoria

    Antnio Goes Madeira TM. 964877788 Email a.g.madeira@hotmail.com

    Maria Jos Santos RC Viseu TM.963334974 Email mjsantos@hstviseu.min-saude.pt Jos Manuel Oliveira RC Viseu TM. 966916991 Email helena.oliveira16@gmail.com Secretaria

    Santos Bento RC Senhora da Hora TM. 917817698 Email santos.bento@sapo.pt Carta Mensal

    Felisberto Figueiredo RC Tondela TM. 964441383 Email felisbertofigueiredo@sapo.pt Design Grfico

    Ricardo Madeira RTC Lisboa Olivais Email h.wilt@hotmail.com

    Alfabetizao enquanto Enfoque de Rotary Internacional Alfabetizao enquanto Enfoque de Rotary Internacional

    Conhea o Programa da XXIX Conferncia do Distrito 1970 Conhea o Programa da XXIX Conferncia do Distrito 1970

  • 2 | Carta Mensal do Governador | Maro 2012

    Queridos irmos e irms

    em Rotary,

    Na minha mensagem de Julho citei um ditado de Mohandas K. Gandhi que diz: Seja a mudana que deseja ver no mundo.

    Desde ento, tenho tido oportunidades incrveis de viajar pelo mundo rotrio e ver como os rotrios esto a por em prtica estas pala-vras.

    Para efectuar uma mudana positiva, utilizamos o nosso conhecimento e recursos para resolver problemas. Porm, quando se trata de resolver problemas humani-trios de uma maneira defi-nitiva, os conhecimentos, ideias e recursos no so

    suficientes para garantir um bom resultado. Temos que nos lembrar de outra coisa muito importante: a susten-tabilidade.

    Uma soluo sustentvel aquela que seguir dando bons resultados mesmo depois dos rotrios que pro-puseram e facilitaram o pro-jecto se forem embora. Isso significa que, mesmo que o projecto tenha vindo de Ro-tary originalmente, a comu-nidade ser responsvel por ele. Quando a pea de uma bomba de gua se avaria, h um processo para consert-la. Se capacitada, a comuni-dade se encarregar-se- do procedimento para consertar a bomba sem buscar a ajuda de Rotary.

    O primeiro passo em direc-o sustentabilidade determinar a necessidade. Um exemplo o problema de gs de cozinha, comum em grande parte dos pases em desenvolvimento. Em

    Mensagem do Presidente de Rotary Internacional

    Kalyan Banerjee

    Presidente RI 2011 - 2012

  • Maro 2012 | Carta Mensal do Governador | 3

    muitas regies, os fornos solares so uma soluo maravilhosa, uma vez que so baratos, dependem de uma fonte de energia gratui-ta que no polui ou esgota, e so simples de usar e de manter.

    Porm, antes de entrarmos numa comunidade e tentar-mos resolver os seus proble-mas de energia atravs de fornos solares, temos que compreender plenamente a situao e olhar alm do problema.

    Talvez os alimentos locais precisem ser cozidos a uma temperatura mais alta do que o forno solar pode pro-porcionar, ou talvez a rea seja muito ventosa, o que impedir o uso de fornos solares. Pode ser tradicional na regio comear a cozi-nhar antes do amanhecer

    Se no levarmos em consi-derao estes problemas, os painis solares podem aca-bar por ser usados como

    material para reparar telha-dos ou manter seco o ali-mento de animais em vez de serem usados para cozinhar, que seria o objectivo origi-nal do projecto.

    Se estivermos a tentar trazer mudanas, no basta dizer: O meu mtodo o me-lhor. Temos que ouvir e observar - no apenas falar.

    S podemos ajudar aos outros se estivermos com a mente aberta e tivermos o conhecimento, empenho e perseverana necessrios para cumprir o que prome-temos.

    Kalyan Banerjee

  • 4 | Carta Mensal do Governador | Maro 2012

    Carssimas Companheiras

    Carssimos Companheiros

    Rotary International consagra o ms de Maro Alfabetizao incentivando, as-sim, os Clubes a darem particular ateno a esta problemtica. Alis, como sabemos, esta uma das seis reas de enfoque que Rotary assume como campo prioritrio de actuao.

    Na realidade a alfabetiza-o absolutamente essencial ao acesso s condies de vida digna a que qualquer pessoa tem direito de usufruir. Ela o sustentculo dos conhecimentos adquiridos, a porta de entrada a condies culturais mnimas que possibili-tam a socializao e o relaciona-mento entre pessoas, comunidades e pases. A fruio de qualidade de vida, a autodeterminao do indivduo, o acesso a condi-es dignas de trabalho, o exerccio de direitos de cidada-nia passam pela possibilidade das populaes acederem a esta ferra-menta inestimvel. O exerccio de direitos e de deveres tem que ser compreendido e maturado pelo ser

    humano e a interiorizao desses valores manifestamente favore-cida pela alfabetizao. No possvel atingir a compreenso mundial e a paz, a Paz praticada como desgnio, se as pesso-as forem privadas da alfabetiza-o. Poder-se- dizer que esta uma condio sine qua non.

    No entanto, todos sabemos que, infelizmente, h vrias regies geogrficas do planeta em que mi-lhes de pessoas no so ainda alfabetizadas. Vivem em situao de precaridade extrema, so coagi-das a aceitar condies de vida infra-humanas, praticamente no possuem poder de reivindicao.

    Rotary dedica, por isso, uma parti-cular ateno a este problema, elegendo-o, como j se referiu, como uma das reas de enfoque da sua actuao. Atravs de progra-mas de servios humanitrios so feitos os maiores esforos para, directa ou indirectamente, actuar sobre o problema. imperi-oso dar voz a quem a no tem, dar condies de dignidade aos exclu-dos. paradigmtico aquele projecto rotrio que dotou com gua potvel uma pequena comu-nidade dum pas africano, o que permitiu que jovens raparigas

    Mensagem do Governador

    Antnio Goes Madeira

    Governador 2011 - 2012

  • Maro 2012 | Carta Mensal do Governador | 5

    tivessem possibilidade de frequentar a escola, j que deixou de ser necessrio acompanhar as mes na tarefa vital e exaustiva de, diariamente, ir buscar a gua a vrios quilmetros de distncia do aldeamento.

    Felizmente que, em Portugal, o proces-so de alfabetizao atinge praticamente toda a populao. Esse facto no nos isenta do dever de solidariedade para com outras populaes que ainda no atingiram o mesmo estdio de conheci-mento. A internacionalidade do Movi-mento Rotrio coloca-nos na primeira linha do apoio interveno humanit-ria, pelo que devemos estar atentos e envolvidos nesta causa. Curiosamente, mesmo em sociedades mais desenvol-vidas, uma outra forma de alfabetiza-o surgiu fruto do avano das novas tecnologias - a chamada alfabetizao funcional. O domnio da informti-ca, ferramenta indispensvel na vida quotidiana, no est ao alcance de alguma populao mais snior. H, assim, que ajudar essas pessoas, os ora designados info-excludos, a vencerem essa barreira, dotando-os de conheci-mentos mnimos que lhes permitam o acesso a esse tipo de linguagem dos dias de hoje. E, tambm nesta rea, alguns os Clubes portugueses esto a prestar um valioso servio atravs das Universidades Seniores de Rotary.

    A alfabetizao , assim, uma rea de actuao que incumbe aos Clubes rot-rios acarinhar, que deve convocar a nossa ateno e o nosso empenhamen-to. Um dos objectivos de Rotary alcanar a Paz e a Compreenso Mundial. Pois o caminho para esse grande desiderato passa, tambm, pela alfabetizao. H que contribuir para dar dignidade e igualdade de oportuni-dades s pessoas. Como rotrios nunca o podemos esquecer.

    Antnio Goes Madeira

  • 6 | Carta Mensal do Governador | Maro 2012

    Indo Eu. Indo Eu..

    A Caminho de Viseu...

    Encontrei a XXIX Conferncia.

    Ai Jesus... L Estou Eu...

    Viseu Viseu

    Mangualde Mangualde

    Tondela Tondela

    Faa Download da Ficha de Inscrio em:

    http://dl.dropbox.com/u/23313006/Partilha/Ficha%20de%20Inscri%

    C3%A7%C3%A3o%20-%20Conferencia%20Distrito%201970.docx

  • Maro 2012 | Carta Mensal do Governador | 7

    Bem vindos a Viseu, Mangualde e Tondela

    Volvidos cinco anos, o Rotary Club de Viseu organiza mais uma Conferncia Distrital, a XXIX, desta feita, partilhada com os clubes afilhados das cidades de Mangualde e Tondela.

    Trata-se da 6 Conferncia que o Rotary Club de Viseu organiza e que constitui uma tarefa assaz aliciante, mas, outrossim, um desafio que envolve uma respon-sabilidade redobrada por mltiplas e variadas razes de que ressalta-mos:

    Honrar os antepassados funda-dores deste Clube com a provecta idade de 78 anos;

    Reconhecer o empenho, dedi-cao e trabalho desenvolvido no presente ano rotrio pelo Compa-nheiro Antnio Madeira, Governa-dor do Distrito 1970, em boa hora indicado para esta misso pelo

    clube onde h mais de um quarto de sculo milita;

    Sublinhar a ideia inovadora de associar cidade de Viriato, urbe que viu nascer e crescer o nosso Governador, as cidades de Mangualde e Tondela, princesas guardis das Serras da Estrela e do Caramulo, propiciando uma Con-ferncia que, mesmo em tempos de crise, se espera seja aglutinado-ra da vontade da Famlia Rotria e, como tal, se afigure muito parti-cipada;

    Debater temas pertinentes no mundo actual, geradores de confli-tos socioeconmicos e culturais que afligem a Comunidade local, nacional e mundial, e que, em suma, questionam o futuro da Humanidade.

    O tema escolhido para