Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA MG ...· Demonstração dos fluxos de caixa Demonstração

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA MG ...· Demonstração dos fluxos de caixa...

  • Demonstraes Financeiras

    Companhia de Saneamento de Minas

    Gerais - COPASA

    31 de dezembro de 2009 e de 2008 com Parecer dos Auditores Independentes

  • ndice

    Parecer dos auditores independentes

    Relatrio da Administrao

    Demonstraes financeiras auditadas

    Balanos patrimoniais

    Demonstrao do resultado

    Demonstrao das mutaes do patrimnio lquido

    Demonstrao dos fluxos de caixa

    Demonstrao do valor adicionado

    Notas explicativas s demonstraes financeiras

    Proposta de Oramento de Capital

    Parecer do Conselho Fiscal

    Declarao de Reviso das Demonstraes Financeiras e do Parecer de

    Auditoria Independente pelos Diretores

  • Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e Acionistas da Companhia de Saneamento de Minas Gerais COPASA 1. Examinamos o balano patrimonial da Companhia de Saneamento de Minas Gerais -

    COPASA e o balano patrimonial consolidado da Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA e empresas controladas, levantados em 31 de dezembro de 2009, e as respectivas demonstraes dos resultados, das mutaes do patrimnio lquido, dos fluxos de caixa e do valor adicionado correspondentes ao exerccio findo naquela data, elaborados sob a responsabilidade de sua Administrao. Nossa responsabilidade a de expressar uma opinio sobre essas demonstraes financeiras.

    2. Nosso exame foi conduzido de acordo com as normas de auditoria aplicveis no Brasil e compreendeu: a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevncia dos saldos, o volume de transaes e os sistemas contbil e de controles internos da Companhia e empresas controladas; b) a constatao, com base em testes, das evidncias e dos registros que suportam os valores e as informaes contbeis divulgados; e c) a avaliao das prticas e das estimativas contbeis mais representativas adotadas pela Administrao da Companhia e empresas controladas, bem como da apresentao das demonstraes financeiras tomadas em conjunto.

    3. Em nossa opinio, as demonstraes financeiras referidas no primeiro pargrafo

    representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posio patrimonial e financeira da Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA e a posio patrimonial e financeira consolidada da Companhia de Saneamento de Minas Gerais - COPASA e empresas controladas em 31 de dezembro de 2009, os resultados de suas operaes, as mutaes de seu patrimnio lquido, os seus fluxos de caixa e os valores adicionados nas operaes, referentes ao exerccio findo naquela data, de acordo com as prticas contbeis adotadas no Brasil.

    4. Anteriormente, examinamos as demonstraes financeiras referentes ao exerccio

    findo em 31 de dezembro de 2008, compreendendo o balano patrimonial, as demonstraes dos resultados, das mutaes do patrimnio lquido, dos fluxos de caixas e do valor adicionado referentes ao exerccio findo naquela data, sobre as quais emitimos parecer, sem ressalvas, datado de 16 de maro de 2009, com pargrafo de nfase quanto ao assunto mencionado no pargrafo 7 a seguir. Conforme mencionado nas Notas Explicativas 02 e 05, nos termos da Deliberao CVM n 603/09, a Companhia optou por antecipar a adoo dos novos Pronunciamentos, Interpretaes e Orientaes tcnicas emitidos pelo Comit de Pronunciamentos Contbeis CPC durante 2009, cuja aplicao era facultativa para as demonstraes financeiras encerradas em 31 de dezembro de 2009. A Companhia efetuou os ajustes relativos adoo dos novos pronunciamentos na data de transio, estabelecida pela Administrao como 1 de janeiro de 2008.

    5. Adicionalmente, conforme descrito na Nota Explicativa 02(c), em decorrncia de erro

    identificado na avaliao do risco de perda relativa contingncia com a cobrana de ISSQN pelo municpio de Belo Horizonte, as demonstraes financeiras referentes ao

  • exerccio findo em 31 de dezembro de 2008 foram retificadas e esto sendo reapresentadas, conforme previsto na Deliberao CVM 592 e CPC 23 Polticas Contbeis, Mudanas de Estimativa e Retificao de Erro, refletindo o ajuste na proviso de contingncias em 31 de dezembro de 2008 para fins de comparao entre os exerccios. Concordamos com os ajustes efetuados. Dessa forma, nenhuma alterao requerida em nosso parecer sobre as referidas demonstraes financeiras refeitas. Nosso parecer sobre as referidas demonstraes financeiras retificadas est sendo emitido nesta data sem ressalvas.

    6. O exame das demonstraes financeiras referentes ao exerccio findo em 31 de

    dezembro de 2007, preparadas originalmente antes dos ajustes decorrentes das mudanas de prticas contbeis descritos nas Notas Explicativa 02 e 05, foi conduzido sob a responsabilidade de outros auditores independentes, que emitiram parecer sem ressalvas, com data 18 de maro de 2008, contendo pargrafo de nfase sobre o mesmo assunto do pargrafo 7 a seguir. Em conexo com os nossos exames das demonstraes financeiras referentes aos exerccios findos em 31 de dezembro de 2009 e 2008, auditamos, tambm, os ajustes decorrentes de mudana de prtica contbil descritos nessa Notas Explicativas 02 e 05. Em nossa opinio, tais ajustes so adequados e foram corretamente efetuados, considerando todos os aspectos relevantes. Fomos contratados somente para auditar os ajustes descritos nas Notas Explicativas 02 e 05 e no para auditar, revisar ou aplicar quaisquer outros procedimentos sobre as demonstraes financeiras referentes ao exerccio findo em 31 de dezembro de 2007 e, portanto, no expressamos opinio sobre as referidas demonstraes.

    7. Conforme mencionado na Nota Explicativa 30, a partir de 20 de setembro de 1989, a Companhia passou a ser contribuinte, em regime especial, do imposto sobre circulao de mercadorias e servios ICMS, relativamente ao fornecimento de gua tratada. De acordo com a opinio de seus assessores jurdicos, para consecuo da referida cobrana seriam necessrios atos normativos especficos regulamentando o assunto. At o presente momento, no h nenhuma definio por parte do Poder Executivo Estadual quanto aos critrios de clculo e exigncia de cobrana do referido imposto; bem como, este no parte integrante do clculo tarifrio da Companhia, o qual promulgado pelo Governo do Estado de Minas Gerais. Consequentemente, o referido imposto no vem sendo cobrado dos consumidores e tambm no vem sendo provisionado pela Companhia ou repassado ao Governo Estadual.

    Belo Horizonte (MG), 25 de maro de 2010. ERNST & YOUNG Auditores Independentes S/S CRC 2SP015199/0-6-F-MG Joo Ricardo P. Costa Flvio de Aquino Machado Contador CRC - 1RJ 066.748/O-3-S-MG Contador CRC - 1MG 065.899/O-2

  • Relatrio da Administrao

    Mensagem da Administrao

    O ano de 2009 caracterizou-se pela retrao da economia mundial e pela sua recuperao a

    partir do segundo semestre. Um ano de muitas adversidades, mas que foram superadas com

    determinao pela COPASA, que manteve seus planos de investimento e de expanso

    encerrando o ano de 2009 com um crescimento de 2,8% na populao atendida com

    servios de abastecimento de gua e de 11,0% na populao atendida com servios de

    esgotamento sanitrio.

    Foram assinados 6 novos contratos de concesso para prestao do servio de esgotamento

    sanitrio, renovadas as concesses de 17 sedes municipais, sendo 16 com servios de

    abastecimento de gua e 1 com servios de esgotamento sanitrio. Foram, ainda,

    transferidas para a subsidiria integral COPANOR - COPASA Servios de Saneamento

    Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais S.A., 22 concesses de gua de sedes

    municipais e 5 de esgoto com o intuito de otimizao operacional e racionalizao de

    custos, de modo a expandir os servios para a populao da rea de abrangncia da

    subsidiria.

    O EBITDA registrado no ano foi de R$ 934,7 milhes com margem de 39,6%.

    Cabe destacar que no ano de 2009, Belo Horizonte foi considerada pela pesquisa A Falta

    que o Saneamento Faz realizada pelo Centro de Polticas Sociais da Fundao Getlio

    Vargas FGV, a capital brasileira que apresentou o melhor desempenho no acesso a rede

    de esgotamento sanitrio entre as 27 capitais brasileiras. O percentual de atendimento chega

    a 97,4% na cidade. Segundo os resultados apontados, apenas 2,59% da populao da cidade

    no tem acesso a rede pblica de esgotamento sanitrio. Esses resultados comprovam o

    intenso trabalho que a Companhia vem executando nos ltimos anos, para ampliar cada vez

    mais o nmero de pessoas com acesso rede de saneamento bsico.

    No ano de 2009 tambm ocorreu a mudana na Presidncia da Companhia que passou a

    partir de 24/09/2009, a ser dirigida pelo empregado de carreira Ricardo Augusto Simes

    Campos, que ocupava a Diretoria Financeira e de Relaes com Investidores.

  • 1. Conjuntura Econmica

    O ano de 2009 comeou ainda sob os efeitos da crise financeira que assolou a economia

    mundial em 2008. Mas a partir do segundo semestre, decorrente das incisivas intervenes

    adotadas por governos de todo o mundo, os temores de prosseguimento da crise foram se

    dissipando, e as economias dos pases desenvolvidos, epicentro do problema, comearam a

    dar sinais de recuperao.

    A retomada do crescimento no Brasil, aps a expressiva queda na produo industrial no

    incio de 2009, comeou a ser percebida a partir do segundo semestre e espera-se a

    consolidao dessa trajetria de crescimento durante o ano de 2010.

    A economia do Estado de Minas Gerais, onde a COPASA concentra a sua atuao, sofreu

    no incio do ano uma forte influncia da retrao nas exportaes, mas ao longo do perodo

    reverteu o pessimismo e mostrou sinais consistentes de recuperao, semelhante

    economia nacional. A previso para 2010 a de que a economia, tanto mineira como do

    resto do pas