Compartilhar objetivos e alCançar um novo patamar em ...· SARZEDO MÁRIO IGARAPÉ CAMPOS JUATUBA

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Compartilhar objetivos e alCançar um novo patamar em ...· SARZEDO MÁRIO IGARAPÉ CAMPOS JUATUBA

Compartilhar objetivos e alCanar um novo patamar em tratamentode resduos slidos. essa a proposta do governo de minas.

Compartilhar objetivos e alcanar um novo patamar no tratamento de resduos. Essa a proposta do Governo de Minas.

Viver em uma regio metropolitana mais do que poder desfrutar de melhores condies de vida, da diversidade cultural e de

inmeras possibilidades de entretenimento. Significa tambm compartilhar. Compartilhar no s um espao fsico mas tambm

experincias, trabalhos, ganhos, perdas e no menos importante desafios.

O tratamento e a disposio final dos resduos slidos hoje so algumas das maiores dificuldades enfrentadas pela Regio

Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Atualmente, grande parte dos municpios destina seus resduos domsticos para lixes

a cu aberto. Essa prtica gera impactos ambientais, econmicos e sociais extremamente negativos, afetando toda a regio

metropolitana. Sendo assim, preciso pensar grande e implantar uma gesto eficiente, econmica e integrada, que se preocupa com

a preservao do meio ambiente e com o bem-estar da RMBH e do seu entorno.

Para isso, o Governo de Minas, por meio da Secretaria Extraordinria de Gesto Metropolitana (SEGEM) e da Agncia de

Desenvolvimento da RMBH, elaborou o programa de Gesto Metropolitana de Resduos Slidos, com alto nvel de sofisticao de

metas, financeiramente inteligente e metodicamente planejado. tambm inovador, pois lana mo da cooperao entre os diversos

atores que constroem o espao metropolitano Estado, municpios, empresas, comunidades e cidados e da gesto compartilhada

entre o setor pblico e a iniciativa privada, sendo o primeiro projeto de gerenciamento de resduos slidos concebido por um governo

estadual e o primeiro de abrangncia metropolitana. Agora, preciso vencer esse desafio do tratamento e disposio final de

resduos. Dividindo essa misso, a RMBH pode super-lo.

sobre a segem

A Secretaria de Estado Extraordinria

de Gesto Metropolitana (SEGEM)

foi criada em 2011 pelo Governo de

Minas para ser uma articulao entre

as diferentes foras presentes no

espao metropolitano: o poder pblico,

a iniciativa privada e os cidados. Com

mtodos inovadores que levam em

considerao as reais necessidades

dos municpios e contando com o

apoio tcnico e executivo das Agncias

de Desenvolvimento da RMBH e

do Vale do Ao, a SEGEM elabora

e realiza solues integradas que

buscam, acima de tudo, qualidade de

vida nas regies metropolitanas de

Minas Gerais.

sobre a rmbh

A Regio Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) formada por 34

municpios, alm de infl uenciar diretamente mais 14 municpios do

chamado Colar Metropolitano. Seus habitantes representam 23,86%

da populao de Minas Gerais e sua extenso corresponde a 1,6%

do territrio mineiro. A RMBH conta com 4.882.977 habitantes

(IBGE 2010). Os municpios do Colar Metropolitano somam 530.650

habitantes (IBGE 2010).

Belo Horizonte a capital do Estado e cidade-polo da RMBH,

concentrando 49% da populao metropolitana. Junto com seis

outros municpios (Contagem, Betim, Ribeiro das Neves, Santa

Luzia, Ibirit e Sabar), rene 4,33 milhes de habitantes, que por

sua vez representam 86% da RMBH. Essa regio metropolitana

majoritariamente urbana, com 97,5% da populao em rea urbana

e somente 2,5% em rea rural.

RMBH

Colar RMBH

BELOHORIZONTE

BALDIM

JABOTICATUBAS

MATOZINHOS

ESMERALDAS

FLORESTAL

MATEUS LEME

ITANA

ITATIAIUU

ITAGUARA

PAR DE MINAS

SO JOSDE VARGINHA

SETELAGOAS

INHAMA

FUNILNDIA

FORTUNADE MINAS

RIO MANSO

BONFIM

BELO VALE

ITABIRITO

BRUMADINHO

SOJOAQUIM

DE BICAS

CONTAGEM

BETIM

IBIRIT

SARZEDOJOAQUIM SARZEDOMRIO

CAMPOS

JOAQUIMIGARAP

JUATUBA

CAETSABAR

RAPOSOS

VESPASIANO

SANTALUZIA

LAGOASANTA

PEDROLEOPOLDO

RIBEIRODAS NEVES

NOVAUNIO

BARODE

COCAIS

SANTABRBARA

PRUDENTEDE MORAIS

TAQUARAUDE MINASLEOPOLDO

SO JOSDA LAPA

CONFINS

NOVA LIMA RIOACIMA

MOEDA

CAPIMBRANCO

CACHOEIRADA PRATA

A gesto compartilhada demonstra os esforos

do Governo de Minas para resolver questes

pblicas de interesse comum aos seus diversos

municpios. Por meio de Parcerias Pblico-

Privadas (PPPs), o Governo viabiliza uma srie de

iniciativas fundamentais para o desenvolvimento

do Estado. As PPPs desenvolvidas em conjunto

com a Unidade de Parcerias Pblico-Privadas

da Secretaria de Estado de Desenvolvimento

Econmico permitem reduzir custos e aumentar a

efi cincia de vrios servios, por meio da diviso

de responsabilidades entre o setor pblico e a

iniciativa privada. No caso dos resduos slidos,

esse modelo permite mais transparncia,

fl exibilidade, estmulo ao uso de novas

tecnologias e importantes redues nos custos

de todo o processo.

sobre a gesto Compartilhada

Os municpios da RMBH utilizam mtodos ultrapassados e pouco efi cientes para

gerir o lixo domstico. Dos 34 municpios da RMBH e mais outros 14 que fazem

parte do Colar Metropolitano (ou seja, a RMBH e sua rea de infl uncia), 28

encaminham seus resduos slidos de forma inapropriada: no fazem a coleta

seletiva para reaproveitar o lixo urbano com reciclagem; despejam os resduos

em lixes, contaminando os lenis freticos, entre outras prticas arriscadas e

improdutivas.

Em todo o Brasil, a situao no menos preocupante: o pas dispe 90% de

seus resduos slidos em aterros e lixes, os outros 10% so reciclados, sem

utilizar qualquer outra alternativa de tratamento. Ao comparar a condio do

Brasil com a de outros pases, o pas ocupa uma posio desprivilegiada. Por

exemplo, a Alemanha e a Holanda destinam menos de 10% de seus resduos

para aterros e utilizam largamente outras tecnologias da rea.

Por que muitos municpios do Brasil no conseguem dispor de seus resduos slidos

de forma efi ciente e correta do ponto de vista ambiental? Apesar das melhores

intenes dos gestores municipais, tratar o lixo de forma adequada custa caro: so

necessrios grandes investimentos em infraestrutura que acabam inviabilizando a

disposio fi nal correta quando pequena a quantidade de lixo gerada.

exatamente para mudar esse quadro que o Governo de Minas elaborou a

Gesto Metropolitana de Resduos Slidos, visando transformar a RMBH na

primeira regio metropolitana do pas a gerir 100% do lixo domstico de forma

segura, sustentvel e com aproveitamento energtico. Para alcanar esse

objetivo, mais do que a determinao do Estado, preciso tambm a superao

de difi culdades fi nanceiras, gerenciais, logsticas, tecnolgicas e ambientais.

sobre o presente COMPARATIVO DO TRATAMENTO DOS RESDUOS SLIDOS URBANOS

sobre o Futuro

A meta estabelecida pela Poltica Nacional de Resduos Slidos (PNRS) de que toda a disposio de resduos slidos em lixes seja eliminada at 2014. Agindo sozinhos, os municpios s conseguiro cumprir essa proposta pagando custos altssimos. Ao reunir os municpios da RMBH e Colar Metropolitano para promover, de forma compartilhada, o transbordo, tratamento e disposio fi nal do resduo slido urbano, a Gesto Metropolitana de Resduos Slidos gera ganhos de escala que viabilizam a implantao da infraestrutura necessria e permitem reduzir o custo de todo o processo. Desse modo, remove-se a principal barreira que impede as cidades de resolverem um grave problema ambiental, econmico e social. Para isso, a primeira etapa criar convnios entre as prefeituras e o Governo de Minas, para estabelecer as responsabilidades e os objetivos de cada um dos atuantes. Juntos, e com o apoio tcnico e fi nanceiro do Governo de Minas, os municpios da RMBH podem fi nalmente dispor o lixo adequadamente.

A segunda etapa envolve o Governo de Minas e a iniciativa privada, que atuaro juntos por meio de uma Parceria Pblico-Privada. Contando com exigncias e incentivos econmicos propostos pelo Estado, a empresa parceira ser responsvel pelos investimentos, unidades de transbordo e tratamento e disposio fi nal dos resduos. A iniciativa privada poder ento empregar novas tecnologias de tratamento na RMBH, com a possibilidade de obter renda adicional a partir do aproveitamento do material tratado para gerao de energia eltrica, reduzindo o volume de lixo aterrado e trazendo ainda mais benefcios para a economia mineira e para o meio ambiente.

Governo e municpios. Cada

municpio ser responsvel pela

coleta do lixo domstico, dando

prioridade coleta seletiva. O

Governo de Minas estipular metas

e incentivos para que os resduos

slidos sejam devidamente

recolhidos e transportados para

as unidades de transbordo ou

diretamente para a central de

tratamento.

1 Governo e municpios. medida que os municpios

cumprirem suas metas, o custo

da coleta e transporte dos

resduos slidos ser barateado.

importante lembrar tambm

que os trabalhadores que

hoje esto envolvidos com a

reciclagem no s podero dar

continuidade a seu trabalho