CURSO DESIGN GRÁFICO

  • View
    273

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of CURSO DESIGN GRÁFICO

CURSO DESIGN GRFICOResumindo: o webdesign vai mais alm do design grfico, ao influir nele uma infinidade de fatores que limitam as possibilidades do desenho, porm tambm outros que acrescentam interatividade e funcionalidades a uma pgina web que um cartaz, folheto ou revista no tm.

Componentes grficos de um computadorDescrio dos principais componentes grficos de um computador: O carto grfico e o monitor.

Resoluo de telaConsideraes relativas aos distintos tipos de tela que os visitantes possam ter e o espao disponvel para cada caso.

Cores em um computadorComo trabalham os computadores para codificar uma cor. O formato RGB. O olho humano pode distinguir aproximadamente entre 7 e 10 milhes de cores. Devido a isto a vista para ns o principal sentido que nos une com o exterior, de tal forma que sobre 80% da informao que recebemos do mundo exterior visual. Pintores e designers grficos utilizam esta capacidade humana de apreciar cores para criar obras que aprofundem na alma e que inspirem sentimentos nos seres que as contemplam. Porm, o que podemos fazer quando devemos nos expressar com um nmero limitado de cores? Os computadores trabalham com trs cores bsicas, a partir das quais constroem todas as demais, mediante um processo de mistura por unidades de ecr, denominadas pixels. Estas cores so o vermelho, o azul e o verde, e o sistema definido conhecido como sistema RGB (Red, Green, Blue).

Cada pixel tem reservada uma posio na memria do computador para armazenar a informao sobre a cor que deve apresentar. Os bits de profundidade de cor marcam quantos bits de informao dispomos para armazenar o nmero da cor associada segundo a paleta usada. Com esta informao, o carto grfico do computador gera uns sinais de voltagem adequados para representar a correspondente cor no monitor. Quanto mais bits por pixel, maior nmero de variaes de uma cor primria podemos ter. Para 256 cores precisam-se 8 bits (sistema bsico), para obter milhares de cores necessitamos 16 bits (cor de alta densidade) e para obter milhes de cores falta 24 bits (cor verdadeira). Existe tambm outra profundidade de cor, 32 bits, porm com ela no se conseguem mais cores, e sim que as que usarmos se mostraro mais rpido, j que para o processador mais fcil trabalhar com registros que sejam potncia de 2 (lembremos que trabalha com nmeros binrios).

Quanto maior for o nmero de cores, maior ser a quantidade de memria necessria para armazen-los e maiores os recursos necessrios para processa-los. Por este motivo, os computadores antigos dispem de paletas de poucas cores, normalmente 256, por no ter capacidade para manejar mais sem uma perda notvel de prestaes. Para representar uma cor no sistema RGB utilizam-se duas formas de codificao diferentes, a decimal e a hexadecimal, correspondendo-se os diferentes valores com a porcentagem de cada cor bsica que tem uma cor determinada. Porcentagens de cor e cdigos

Por exemplo, um vermelho puro (100% de vermelho, 0% de verde e 0% de azul) se expressaria como (255,0,0) em decimal, e como #FF0000 em hexadecimal (antes do cdigo de uma cor em hexadecimal sempre situa-se um smbolo almofadinha).

Das 256 cores bsicas, o prprio sistema operacional fica com 40 para sua gesto interna, com o qual dispomos de 216 cores. Delas, 18 correspondem-se com as gamas das cores primrias, correspondentes a 6 tons de vermelho, 6 de azul e 6 de verde: Gamas de cores primrios

E o resto, as cores secundrias, so combinaes destas gamas de cores primrias: Cores secundrias

Se usamos uma profundidade de cor de 24 bits, correspondente a milhes de cores, dispomos de uma ampla gama para trabalhar, porm sempre tendo em conta que s sero compatveis as cores que tiverem sua equivalente no sistema de 256 cores, ou seja, aquelas nas que cada cor primria vem definida por uma dupla de valores iguais, devendo estas ser 00,33,66,99,CC ou FF. Quando usamos uma profundidade de cor de 16 bits dispomos de milhares de cores, porm o problema que devido diviso desta gama de cores, os valores obtidos no se correspondem com os equivalentes em 256 cores nem em milhes de cores. Por exemplo, #663399 a mesma cor que 256 e que milhes, mas no igual que o obtido com milhares de cores. Como o cdigo de uma cor dada pode ser difcil de lembrar, foi adotada uma lista de cores as quais foi colocado um nome representativo no idioma ingls (red, yellow, olive, etc.), de tal forma que os navegadores modernos interpretam a mesma e a traduzem internamente por seu valor hexadecimal equivalente.

Calibragem do monitorUma composio grfica pode ser vista com diferentes tonalidades dependendo da configurao do monitor. Temos que calibrar o monitor para que o aspecto de nossa obra seja o mesmo em todos os computadores. As composies grficas podem aparecer de maneira diferente nos distintos monitores, devido principalmente diferena nos parmetros que definem a qualidade e as caractersticas luminosas e cromticas de cada um deles.

Isto pode originar, por exemplo, que ao realizar uma composio sejamos ns mesmos os enganados, ao no corresponder s cores que vemos em tela s reais que estamos codificando no grafismo. Ou que o aspecto visual de uma pgina web desenhada em um monitor mal configurado no corresponda com o que logo vero os usurios, com a conseguinte perda de controle e de qualidade que isso supe. Para evitar estes erros preciso utilizar uns valores padres dos parmetros de configurao, que tornam disponvel que o aspecto de uma obra grfica seja o mesmo em qualquer computador configurado segundo os mesmos valores. Estes valores costumam se com os que trazem um monitor ao sair de fbrica, e a recuperao dos mesmos recebe o nome de calibragem. A calibragem o processo de ajuste da configurao da converso de cor do monitor a um nvel padro, de forma que a imagem se apresente de maneira igual em diferentes monitores.

O mtodo mais simples de calibragem passa pelo uso de imagens "cartas de ajuste", similares s que apareciam no televisor antes de comear a emisso. So imagens formadas por diferentes linhas de cores, umas finas e outras mais grossas, que se podem tomar como referncia para realizar um ajuste totalmente manual, usando para isso os controles que possui o monitor. um mtodo pouco confivel, j que os ajustes so totalmente subjetivos.

Outro mtodo de calibragem mais avanado so as ferramentas de gesto da cor que facilitam certos programas de aplicao, como Adobe Photoshop, que inclui uma ferramenta bsica, denominada Adobe Gamma, que pode ser utilizada para eliminar tonalidades de cor e padronizar a apresentao das imagens. Acessa-se a esta ferramenta atravs do menu Ajuda > Administrao da cor > Abrir Adobe Gamma, com o qual acessamos a uma tela que nos permite ajustar os valores diretamente ou por meio de um assistente. Uma vez calibrado o monitor, os valores podem ser armazenados em um arquivo para as sucessivas re-configuraes. Calibrador de monitor

Porm sem dvida a melhor forma de calibrar um monitor utilizar o hardware especfico para isso. O funcionamento varia segundo o dispositivo usado. Alguns se conectam diretamente ao monitor para coleta de dados binrios, permitindo um ajuste individual direto de cada um dos canhes. Outros se baseiam em situar frente tela do monitor diferentes medidores (calormetros, colormetros, etc.) para colher dados, fornecendo uma leitura dos valores atuais e proporcionando os valores idneos de configurao. Seja qual for o mtodo escolhido, para uma correta configurao do monitor deveremos ajustar uma srie de parmetros, entre os quais se incluem os seguintes: Brilho

Tambm chamado, luminosidade, define a relao no linear entre a tenso de entrada e a luminancia de sada, intrnseco da fsica do ambiente dos canhes de eltrons e no depende da iluminao ambiente. De outra forma, o brilho a intensidade de luz emitida sobre uma rea especfica, pela qual as mudanas de brilho podem escurecer ou clarear todo o contedo da tela. Os monitores tradicionais (CRT) geram aproximadamente de 80 a 100 cd/m (candela por metro quadrado). No caso de monitores LCD, no se admitem valores inferiores a 150 cd/m . Quanto ao tipo de computador, em um PC o brilho no se corrige internamente, por isso se uma imagem se v bem no PC onde se cria, se ver igualmente bem em todos. Nos Mac, ao contrrio, existe uma correo adaptada ao das primeiras impressoras laser para Mac, por isso uma imagem criada em um Mac se v algo mais escuro em um PC. O brilho tpico de um monitor de PC de 2,35 (+/- 0,1). O de um sistema Mac de 1,8. Para Internet pode-se criar as imagens ajustando a gama a um valor intermedirio ponderado entre PC e Mac. Ajustes do brilho

Se o valor do brilho em um monitor baixo, as colores luminosas se escureceram, parecendo cinzas. Ao contrrio, se o brilho for elevado, sero as cores escuras as que perdem profundidade, tornando-se cinzas. Contraste O contraste a relao existente entre a intensidade luminosa do ponto mais claro e o mais escuro de uma imagem. Quanto maior for o valor de contraste, melhor ser a legibilidade. Se tivermos uma fotografia com um ponto branco e outro negro e estes mesmos estiverem em um monitor, geralmente o contraste no monitor (170:1) superior ao que se d em uma fotografia (100:1), mas se o ambiente estiver muito iluminado, o ponto negro deixa de ser negro e a relao de contraste pode baixar bastante (hasta 50:1). Esta situao se agrava quando h reflexos na tela que, ademais, produzem cansao ao usurio.

Ajustes do contraste

Para uma correta calibragem de contraste h que buscar valores de 100:1, ou seja, que o ponto branco tenha 100 vezes mais luminosidade que o ponto negro (valor prximo a 2,2). Cor A cor em um monitor produzida pela soma de diferentes intensidades das cores bsicas (vermelho, verde e azul), mediante um processo denominado adio de cores. A calibragem da cor consiste no processo de ajustar a cor de um dispositivo a um padro estabe