HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS DO ADVOGADO oabce.org.br/wp-content/uploads/2015/04/Artigo-Honorários-sucumb... ·…

Embed Size (px)

Text of HONORÁRIOS SUCUMBENCIAIS DO ADVOGADO...

  • HONORRIOS SUCUMBENCIAIS DO ADVOGADO EMPREGADO:

    CRTICA AO POSICIONAMENTO DO STF

    Jos Navarro1

    Antonio Torquilho Praxedes2

    RESUMO

    A destinao dos honorrios de sucumbncia sempre foi objeto de grandes discusses

    doutrinrias e jurisprudenciais. Pertencem eles parte vencedora ou seriam destinados ao

    advogado que atuou na causa? A discusso aprofunda-se quando os honorrios sucumbenciais

    envolvem o advogado empregado, acerca da possibilidade de ser pactuada sua destinao ao

    empregador. A pesquisa identificou que a discusso pauta-se principalmente no artigo 22 da

    Lei Federal n. 8.906/1994 (Estatuto dos Advogados e a Ordem dos Advogados do Brasil), no

    artigo 20 da Lei Federal n. 5.869/1973 (Cdigo de Processos Civil) e na deciso do Supremo

    Tribunal Federal motivada pela ao direta de inconstitucionalidade, ADIN 1.194-4. Os

    argumentos que justificam posicionamentos pelas cincias jurdicas permeiam o fenmeno da

    antinomia jurdica e o advogado na relao de emprego. Por fim, trata o Projeto de Lei n.

    8.046/2010 do novo Cdigo de Processo Civil, entendendo que ele vem em boa hora dirimir

    dvida impertinente quanto destinao da verba honorria de sucumbncia.

    Palavras chave: Honorrios sucumbenciais. Advogado empregado. Hermenutica

    constitucional. Natureza alimentar da remunerao.

    ABSTRACT

    The destination of defeat fees have always been an object of great doctrinal and jurisprudential

    discussions. Do they belong to the prevailing party or are they intended to the lawyer who acted

    in the cause? The discussion deepens when defeat fees involves the employee attorney and

    about the possibility of agreement on their destination to the employer. The research identified

    that the discussion is guided primarily in article 22 of the Federal Law n. 8.906/1994 (State

    Bar and Brazilian Bar Association), in article 20 of Federal Law n. 5.869/1973 (Code of Civil

    Procedures) and in decision of the Supreme Court motivated by direct action of

    unconstitutionality ADIN 1194-4. The arguments justifying positions by legal sciences

    permeate the phenomenon of legal antinomy and the lawyer in the employment relationship.

    And finally the Draft Law n. 8.046/2010 from the new Code of Civil Procedures is

    understanding that this comes at a good time to settle down doubt about the destination of

    burden of defeat.

    Key-words: Defeat fees. Lawyer employed. Constitutional hermeneutics. Alimentary nature of

    the remuneration.

    1 Advogado e Professor. Coordenador do Centro de Apoio de Defesa das Prerrogativas do Advogado e da

    Advocacia da OAB-CE. Especialista em Direito Empresarial.

    2 Professor Orientador. Mestre em Direito pela Universidade de Coimbra. Professor dos cursos de Graduao e

    Ps-Graduao em Direito do Centro Universitrio CHRISTUS.

  • 1 INTRODUO

    O presente trabalho objetiva enfocar a temtica relativa titularidade dos honorrios

    advocatcios de sucumbncia, em especial, quando a verba envolve o advogado empregado.

    Parte-se da interpretao do artigo 20 do Cdigo de Processo Civil, em confronto com o artigo

    22 da Lei Federal 8.906 (BRASIL, 1994), para constatar que, no quadro jurdico atual, o titular

    da verba honorria sucumbencial o advogado da parte vencedora.

    Com relao ao advogado empregado, busca-se chamar a ateno da comunidade

    jurdica para a equivocada deciso do Supremo Tribunal Federal por ocasio da apreciao da

    Ao Direta de Inconstitucionalidade n 1194-4. Foi declarado inconstitucional o 3 do artigo

    24 da Lei 8.906/94 e dada interpretao conforme ao artigo 21 da mesma lei permitindo que os

    honorrios do advogado empregado sejam objeto de negociao entre ele e seu empregador por

    se tratarem de direitos disponveis.

    Busca-se na pesquisa demonstrar que a indispensabilidade do advogado na

    administrao da justia consignada no artigo 133 da Constituio Federal (BRASIL, 1988)

    aliada situao de que a sobrevivncia do advogado so os seus honorrios, provenientes de

    seu trabalho tcnico profissional, ensejam a garantia legal de que eles devem ser destinados

    exclusivamente ao advogado, independentemente de sua condio de autnomo, empregado

    pblico ou empregado privado.

    Objetiva-se comprovar que a interpretao do STF vai de encontro produo

    legislativa atual, no momento em que o Projeto do novo Cdigo de Processo Civil cria uma

    gama de dispositivos legais para ampliar e garantir o direito exclusivo remunerao enquanto

    resultado da atuao profissional do advogado por meio de seus honorrios.

    O estudo foi dividido em trs pontos principais: no primeiro, buscou-se conceituar e

    estabelecer a natureza jurdica dos honorrios advocatcios, analisar o conflito aparente entre a

    norma prescrita no art. 20 do Cdigo de Processo Civil e no artigo 22 da Lei 8.906/94, para em

    seguida, abordar os honorrios sucumbenciais do advogado empregado e o posicionamento do

    STF na ADI 1.194-4. No segundo, foi feita a exposio da metodologia da pesquisa a partir de

    referencial bibliogrfico associada atividade prtica desenvolvida pelo autor na rea

    pesquisada. No terceiro captulo, buscou-se analisar os resultados a partir da crtica ao

    posicionamento do STF e da anlise dos dispositivos do Projeto do novo Cdigo de Processo

    Civil pertinentes ao tema.

    O assunto explorado obviamente no ser esgotado porque a dinmica da atividade

    jurisdicional e, neste contexto, o exerccio da advocacia, exige constante aprofundamento.

  • 3

    Portanto, a pretenso chamar a ateno para a discusso deste tema que considerado de suma

    importncia para o reconhecimento e valorizao do advogado.

    2 FUNDAMENTAO TERICA

    O presente estudo esbarra na escassa produo terica acerca do tema. Poucos autores

    abordam a problemtica de maneira um pouco mais aprofundada, restando a abordagem reflexa

    em algumas obras doutrinrias que analisam o Estatuto da Advocacia e outras que tratam

    especificamente dos honorrios advocatcios.

    Portanto, a pesquisa fundamentou-se na discusso travada pelo Supremo Tribunal

    Federal na ADI 1194-4, perquirindo os aspectos que fundamentaram a declarao do STF.

    2 1 Conceito e natureza dos honorrios advocatcios

    Existem trs tipos de honorrios, todos assegurados aos advogados regularmente

    inscritos na OAB: os convencionados, os fixados por arbitramento judicial e os de sucumbncia.

    Os honorrios convencionados ou contratuais so aqueles pactuados por escrito ou

    verbalmente entre o advogado e seu cliente. Embora muitos advogados celebrem contrato sem

    lavrar o respectivo termo, tal prtica no aconselhvel e, na verdade, viola o Cdigo de tica

    e Disciplina da OAB, como esclarece Paulo Lbo:

    dever tico do advogado, para reduzir o potencial de risco e desgaste com o cliente

    que repercute mal na profisso, contratar seus honorrios por escrito. Assim determina

    o art. 35 do Cdigo de tica e Disciplina, que tambm recomenda seja explicitado o

    valor em caso de acordo (LBO: 2011, p. 152).

    Outra modalidade de honorrios so os atribudos por arbitramento judicial. Ocorre

    quando da inexistncia de estipulao ou de acordo, ocasio em que o juiz dever fixar os

    honorrios. Contudo, este arbitramento no discricionrio e segue parmetros fixados pela lei.

    Sobre o tema discorre Gisela Gondin Ramos:

    Os honorrios so arbitrados judicialmente quando no houverem sido

    convencionados por escrito com o cliente. No arbitramento dos honorrios, o

    magistrado est adstrito aos parmetros legais definidos nas alneas do 3, do art. 20

    mencionado, ou seja, grau de zelo profissional, lugar da prestao dos servios,

    natureza e importncia da causa, trabalho realizado pelo profissional, e o tempo

    exigido para o seu servio. A par destes balizadores, deve o magistrado, igualmente,

    orientar-se no sentido de atender aos valores mnimos fixados em tabela de honorrios

    pela Seccional competente da OAB (RAMOS: 2009, p. 314).

    J os honorrios de sucumbncia, objeto de anlise do presente estudo, so aqueles em

    que a parte vencida deve pagar ao advogado da parte vencedora. De acordo com o 3 do artigo

  • 4

    20 do CPC, so eles fixados entre o mnimo de 10% (dez por cento) e o mximo de 20% (vinte

    por cento) sobre o valor da condenao.

    Em remate a essa anlise preliminar acerca da natureza dos honorrios, valeu-se do

    ensinamento do processualista Cassio Scarpinella Bueno que, sinteticamente, expe:

    De acordo com o art. 22 da Lei n 8.906/1994, a prestao de servio profissional

    assegura aos advogados (v. n. 4, supra) direito aos honorrios convencionados, isto ,

    aqueles ajustados contratualmente entre a parte e o advogado, aos honorrios fixados

    por arbitramento judicial, quando no h consenso com relao a esta fixao e aos

    de sucumbncia, que so aqueles que derivam do resultado da atuao processual

    (BUENO: 2012, p. 241).

    Portanto, consoante se depreende da expressa redao do artigo 22 da Lei 8.906/94 as

    trs modalidades de honorrios pertencem ao advogado. Normalmente ele recebe

    cumulativamente, os honorrios contratuais, pagos por seu cliente, e os honorrios

    sucumbenciais, constituindo-se os ltimos como uma retribuio exitosa, paga pela parte

    adversa que no teve seu direito assegurado pela deciso judicial final.

    2 2 Do conflito aparente entre normas relativamente aos honorrios

    A moderna Cincia do Direito concebe o direito positivado como