LEGITIMAÇÃO SUCESSÓRIA. O primeiro passo é a identificação da condição de herdeiro que se dá: A) Pela previsão como sucessor na ordem de vocação hereditária

Embed Size (px)

Text of LEGITIMAÇÃO SUCESSÓRIA. O primeiro passo é a identificação da condição de herdeiro que se...

  • LEGITIMAO SUCESSRIA

  • LEGITIMAO SUCESSRIA

    O primeiro passo a identificao da condio de herdeiro que se d:

    A) Pela previso como sucessor na ordem de vocao hereditria ou;

    B) Atravs de nome indicado em testamento.

    A transmisso causa mortis necessita: 1) da condio de herdeiro e 2) legitimao para suceder.

    Essa legitimao consiste na aptido para receber a herana.

    Momento para verificao: na abertura da sucesso (art. 1.798 CC)

  • Importante: verificar, de acordo com a legislao vigente na data da abertura da sucesso.

    A aptido para suceder aferida de acordo com a possibilidade de a pessoa vir a ser titular de uma herana e exige-se alguns critrios:

    PersonalidadeCoisas inanimadas ou animais no tm legitimidade sucessria.O chamado a suceder deve existir no momento da abertura da sucesso.

    Se j falecido na sucesso legtima: defere-se a herana aos demais da mesma classe ou da seguinte por direito de representao dos descendentes do pr-morto.

    Se j falecido na sucesso testamentria: torna-se ineficaz o benefcio devolvendo-se o quinho ou legado massa.

  • Excepcionalmente: defere-se a herana a pessoa ainda no existente no momento da abertura da sucesso.

    Direito do nascituro (art. 1798): se j concebido quando da abertura da sucesso tem preservada a titularidade condicionado ao nascimento com vida.

    Prole eventual (art. 1799, I): eventual concepo de um filho. Neste caso o direito condicional, se subordinando a sua aquisio ao evento futuro e incerto. De acordo com o art. 1800, 4 o prazo para concepo de 2 anos a partir da abertura da sucesso (prazo de espera). O testador pode impor um limite inferior.

  • Pessoa Jurdica: inscrio do ato constitutivo no respectivo registro.

    Somente se previsto em testamento, exceto o Poder Pblico (herana vacante)

    Pode tambm destinar bens a pessoa jurdica no existente: (art. 1799, III)

    O Cdigo Civil restringe em determinadas situaes aqueles que no podem receber a herana, dentre elas:

    Indignidade;Deserdao e;Inaptido de ser herdeiro testamentrio.

  • Excluso pela indignidade:

    a retirada da sucesso de quem era, at ento capaz, em virtude de atos de ingratido.

    O legislador criou uma pena civil ao sucessor pela conduta ofensiva pessoa ou honra do de cujus ou atentatria contra sua liberdade de testar.

    O CC/02: acrescentou o cnjuge - herdeiro necessrio.

  • Causas de excluso por indignidade:

    Art. 1.814. So excludos da sucesso os herdeiros ou legatrios:

    I - que houverem sido autores, co-autores ou partcipes de homicdio doloso, ou tentativa deste, contra a pessoa de cuja sucesso se tratar, seu cnjuge, companheiro, ascendente ou descendente;

    OBS: para aplicao da excluso no h necessidade de prvia condenao criminal.

    II - que houverem acusado caluniosamente em juzo o autor da herana ou incorrerem em crime contra a sua honra, ou de seu cnjuge ou companheiro;

    III - que, por violncia ou meios fraudulentos, inibirem ou obstarem o autor da herana de dispor livremente de seus bens por ato de ltima vontade.

    OBS: se a conduta no produzir efeito de inibir a livre disposio de bens desconsidera-se a ofensa no se justificando a excluso do herdeiro.

  • Procedimento para obteno da excluso.

    S se far por sentena proferida em ao declaratria com esta finalidade (art. 1815). Mesmo condenado criminalmente necessrio um processo prprio no juzo cvel.

    A legitimidade para propor ao estendida a qualquer interessado.

    Momento para propositura da ao: a partir do falecimento com prazo prescricional de 4 anos (art. 1815, pargrafo nico).

    O prprio ofendido se quiser excluir o herdeiro necessrio da sucesso dever fazer por deserdao.

    A indignidade favorece apenas os descendentes do indigno, que recebero o quinho deste por representao, no podendo dele se beneficiar os demais herdeiros previstos na ordem de vocao hereditria.

    Na ausncia de descendentes do indigno, os sucessores da classe imediata recebero.

  • Efeitos do reconhecimento judicial da indignidade:

    A sentena declaratria produz efeito ex tunc, retroagindo data da abertura da sucesso.

    Os efeitos so pessoais. Se no existir descendentes seu quinho volta ao monte.

    No poder administrar estes bens em favor dos filhos e nem participar desta parte numa possvel sucesso de seus filhos.

    E excluso s se opera aps o trnsito em julgado: condio resolutiva. o chamado herdeiro aparente.

    Terceiros de boa-f no podem ser lesados, salvo se receberem gratuitamente.

    A excluso limitada herana do ofendido, podendo receber heranas de outros parentes que vierem a falecer.

  • Reabilitao do indigno:

    Perdo do indigno (art. 1818)

    Ato exclusivo do ofendido e exige-se ato autntico ou testamento perdoando. A declarao expressa.

    O perdo irretratvel e impede qualquer discusso futura.

  • Distino entre a falta de legitimao para suceder e indignidade:

    A falta de legitimao: no h direito. J a indignidade: retira o direito de suceder.

    A legitimao inerente pessoa do herdeiro. A indignidade uma pena imposta em razo de uma conduta ilcita.

    Ausente a legitimao: nunca existiu o direito. O indigno: excludo.

  • Como na legitimao: no se chega a adquirir a herana o quinho da pessoa devolve-se ao monte. Na indignidade: o quinho transmite-se aos seus descendentes, se houver.

  • SUCESSO LEGTIMA

    a transmisso causa mortis deferida s pessoas indicadas na lei.

    Esta indicao feita atravs:

    Da ordem de vocao hereditriaOu por regras prprias (art. 1790)

    As pessoas indicadas so classificadas em classes: existncia de um herdeiro em determinada classe exclui os das demais.

    Pessoas da mesma classe: os graus mais prximos excluem os mais remotos, ressalvado o direito de representao.

  • Quando o ttulo da herana for idntico entre os herdeiros (todos na mesma classe e grau) : cabea ou direito prprio.

    Quando se opera mediante representao (ou por estirpe): os herdeiros recebem o que o por cabea receberia.

    A sucesso legtima ocorre nas seguintes hipteses: (Art. 1788)

    1. Na ausncia de testamento vlido.

    2. Se o testamento perder a eficcia.

    3. Se as disposies no contemplarem a universalidade dos bens deixados pelo testador. O restante ir para sucesso legtima.

    4. Quando vivos os herdeiros necessrios preservao dos 50% indisponveis. (art. 1789)

  • Atualmente sero chamados a suceder os colaterais at o quarto grau (art. 1839).

    Na falta de familiares a herana ir para o Poder Pblico.

    Parentesco por afinidade no sucede.

    Critrio de convocao: so os herdeiros a serem chamados pela indicao da lei.

    Critrio de diviso: a lei determina como ser divido cada quinho hereditrio. Diferentes vnculos = partilha desigual

  • Ordem de vocao hereditria

    Art. 1.829. A sucesso legtima defere-se na ordem seguinte:I - aos descendentes, em concorrncia com o cnjuge sobrevivente, salvo se casado este com o falecido no regime da comunho universal, ou no da separao obrigatria de bens (art. 1.640, pargrafo nico); ou se, no regime da comunho parcial, o autor da herana no houver deixado bens particulares;II - aos ascendentes, em concorrncia com o cnjuge;III - ao cnjuge sobrevivente;IV - aos colaterais.

  • O legislador deixou de fora os companheiros e tratou no art. 1790 as regras especficas para a unio estvel:

    Art. 1.790. A companheira ou o companheiro participar da sucesso do outro, quanto aos bens adquiridos onerosamente na vigncia da unio estvel, nas condies seguintes:I - se concorrer com filhos comuns, ter direito a uma quota equivalente que por lei for atribuda ao filho;II - se concorrer com descendentes s do autor da herana, tocar-lhe- a metade do que couber a cada um daqueles;III - se concorrer com outros parentes sucessveis, ter direito a um tero da herana;IV - no havendo parentes sucessveis, ter direito totalidade da herana.A distribuio ser feita por classes de preferncia e seguir uma ordem legal hierrquica.

  • Apenas se no existirem descendentes, ascendentes e vivo: parentes at o quarto grau.

    Poder Pblico em ltimo caso.

    A distribuio de verbas relacionadas ao saldo de salrio, FGTS, PIS-PASEP, restituio de imposto de renda e saldos bancrios de pequeno valor: segue o critrio de dependncia previdenciria.

    Quanto ao DPVAT: metade ao cnjuge/companheiro no separado e outra metade aos herdeiros indicados na ordem legal de sucesso.

  • Sucesso por direito prprio e por representao e partilha em linha.

    Ser por direito prprio: o que ir receber o prprio sucessor do autor da herana - recebendo sozinho ou partilhando com outros de igual preferncia e na mesma qualidade.

    Levam-se em conta que os graus mais prximos excluem os mais remotos.

    Na sucesso por direito prprio pode ocorrer a partilha por linha, ao invs de cabea: s existe na classe dos ascendentes.

  • Sucesso por representao

    Direito por representao: os descendentes de um herdeiro pr-morto e se outros existirem na classe e grau do falecido recebem o que aquele teria direito se vivo fosse.

    Preserva-se integralmente o direito dos co-herdeiros, pois os respectivos quinhes so mantidos na proporo original.

    A partilha se faz por estirpe e no por cabea, assim, independente de quantos forem os herdeiros, receber a parte que caberia ao seu representado .

  • O direito de representao se d em dois casos:

    Em linha reta descendente

    Em linha colateral em favor somente dos filhos de irmos do autor da herana quando com irmo concorrer. (tio e sobrinhos)

  • Pressupe a morte antes da abertura da sucesso e que ao menos um herdeiro do grau preferencial exista.

    Caso con