MÓDULO II.pdf

  • View
    15

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of MÓDULO II.pdf

  • Programa de Educao Continuada a Distncia

    Curso de

    Hematologia Geral

    MDULO II

    Ateno: O material deste mdulo est disponvel apenas como parmetro de estudos para este Programa de Educao Continuada. proibida qualquer forma de comercializao do

    mesmo. Os crditos do contedo aqui contido so dados aos seus respectivos autores

    descritos nas Referncias Bibliogrficas.

  • 20 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    MDULO II

    3 ERITROPOESE

    Como vimos anteriormente, toda hematopoese origina-se da Stem Cell pluri

    ou totipotente. Segundo SILVA (1999), para que a eritropoese se desenvolva

    necessrio que ocorra a proliferao e diferenciao das clulas Stem Cell. A

    primeira com o sentido de que se forme a massa eritrocitria do corpo humano

    (eritron), e a segunda com o sentido de maturao, a formao de uma clula

    repleta de hemoglobina e capaz de fazer a oxigenao dos tecidos.

    FIGURA 10 Hematopoese.

    FONTE: SILVA, 1999.

    Este conjunto de clulas eritrocitrias eritron deve ser mantido em

    nmero constante no organismo, atravs do equilbrio entre a produo e destruio

    eritrocitria.

  • 21 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    O principal fator de crescimento para a linhagem eritrocitria a

    Eritropoetina (EPO), um hormnio polipeptdico produzido pelo rim (90%) e fgado

    (10%), cuja produo regulada pela presso de oxignio nos tecidos. Sua

    produo aumenta com a hipxia tecidual e diminui com a hiperventilao. Alm da

    EPO, para uma eritropoese eficaz e completa so necessrios fatores exgenos que

    participam da sntese de DNA e proliferao celular, como o cido flico e a vitamina

    B12, e que participam da maturao e hemoglobinizao da clula, como o Ferro e a

    vitamina B6.

    FIGURA 11 Eritropoiese.

    3.1 MORFOLOGIA DA LINHAGEM ERITROIDE

    BFU-E Unidade formadora de colnias burst (exploso), est prxima

    Stem Cell e considerada a precursora da CFU-E.

    CFU-E Estas clulas esto muito prximas aos eritroblastos. A CFU-E

    pode originar, em 5 a 8 dias, colnias de eritroblastos com 8 a 50 clulas.

    Pr-eritroblasto uma clula grande (14 a 19 m de dimetro), redondo

    ou oval, com ncleo grande ocupando 80% da clula, com nuclolos e cromatina

    frouxa, e um citoplasma intensamente basfilo. Neste estgio de maturao,

    pequenas quantidades de hemoglobina esto presentes, porm no evidenciveis

    pela colorao normal. uma clula que se prepara para um perodo de intensa

  • 22 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    sntese de hemoglobina e, portanto, exibe grande quantidade de organelas e

    molculas com esta finalidade.

    FIGURA 12 Pr-eritroblasto.

    Eritroblasto basfilo Similar, porm menor que o pr-eritroblasto ( 12 a 17

    m de dimetro ), e os nuclolos nem sempre visveis. Comea a condensao da

    cromatina nuclear.

    FIGURA 13 Eritroblasto basfilo.

  • 23 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Eritroblasto policromtico A relao ncleo/citoplasma diminui e

    aparecem as primeiras zonas de hemoglobinizao na regio perinuclear de cor

    acinzentada resultante da acidofilia da hemoglobina.

    FIGURA 14 Eritroblasto policromtico.

    Eritroblasto ortocromtico caracteriza-se pelo ncleo picntico,

    geralmente excntrico onde a cromatina atinge o mximo de condensao antes de

    ser expulso. O citoplasma quase que completamente hemoglobinizado.

    FIGURA 15 Eritroblasto ortocromtico.

  • 24 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Reticulcito A clula assume esta denominao aps a expulso do

    ncleo, mas mantm no citoplasma vestgios de RNA que precipitam nas coloraes

    supravitais na forma de retculos ou grumos. Permanecem por 24 a 48 horas no

    sangue perifrico at se transformarem em eritrcito.

    FIGURA 16 Reticulcito.

    Eritrcito a clula mais madura da linhagem eritroide. Apresenta forma

    de disco bicncavo de colorao alaranjada, com dimetro entre 7 a 8 m, no

    possui ncleo e incapaz de sintetizar hemoglobina. Seu citoplasma constitudo

    de uma soluo de protenas, eletrlitos, glicose e gua, sendo que mais de 95% da

    protena representada pela hemoglobina. Sua membrana composta por

    protenas, lipdios e carboidratos.

    FIGURA 17 Eritrcito.

  • 25 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    FIGURA 18 Eritrcito bidimensional.

    A vida mdia do eritrcito de 120 dias. Nesta jornada a obteno de

    energia se d principalmente pela gliclise anaerbica, j que no possui ncleo,

    ribossomos ou mitocndrias. Aps este perodo, so retirados da circulao pelo

    sistema mononuclear fagocitrio (especialmente o bao). Alteraes no contedo

    proteico, seja estrutural ou quantitativa, podem acelerar a hemlise do eritrcito.

    3.1.1 Alteraes morfolgicas dos eritrcitos

    Numa avaliao microscpica do esfregao sanguneo podemos observar

    alteraes de tamanho, forma, colorao e de estrutura (incluses) nos eritrcitos.

    Alteraes de tamanho: Os eritrcitos de tamanho normal (entre 81 e 97 fentolitros) so chamados

    de normcitos. Abaixo de 81 fentolitros so chamados de micrcitos e podem ser

    observadas em crianas, nas talassemias, nas anemias ferroprivas instaladas, nas

    anemias sideroblsticas e anemias de doenas crnicas. Acima de 97 fentolitros so

    chamados de macrocticos e podem ser observadas no alcoolismo, doenas

  • 26 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    hepticas, anemias hemolticas crnicas com aumento do nmero de reticulticos ou

    na crise hemoltica.

    No hemograma, o ndice que mede o tamanho mdio dos eritrcitos e o

    VCM (volume corpuscular mdio). A variao de tamanho das diversas populaes

    de eritrcitos dada pelo RDW (amplitude da dimenso de hemcias). Quando h

    uma grande variao no tamanho dos eritrcitos chamamos de anisocitose e o RDW

    estar aumentado.

    Alteraes de forma:

    Quando observamos a alterao da forma discoide do eritrcito chamamos

    de poiquilocitose.

    Esfercitos So clulas redondas, no apresentam o halo central e so

    menores que o eritrcito normal. Aparecem na esferocitose hereditria, anemias

    hemolticas adquiridas e transfuses.

    FIGURA 19 Esfercito.

  • 27 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Eliptcitos e ovalcitos So hemcias de formato elptico ou oval.

    Aparecem em grande quantidade na eliptocitose hereditria, e podem aparecer na

    anemia ferropriva e anemia megaloblstica.

    FIGURA 20 Eliptcitos e ovalcitos.

    Equincito ou hemcias crenadas Apresentam pequenos espculos ao

    redor da hemcia. Aparece na cirrose heptica ps-alcoolismo, estado de m

    absoro e deficincia de vitamina E, e nas anemias hemolticas.

    FIGURA 21 Equincito ou hemcias crenadas.

  • 28 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Codcitos ou clulas em alvo apresentam um halo central em forma de

    alvo e podem ser vistos em casos de talassemias, hemoglobinopatias.

    FIGURA 22 Codcitos ou clulas em alvo.

    Esquizcitos So clulas pequenas e fragmentadas que podem ser vistas

    na anemia hemoltica microangioptica, nas hemlises traumticas e queimaduras.

    FIGURA 23 Esquizcitos.

  • 29 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Drepancitos So clulas em forma de foice ou de meia-lua, decorrente

    da cristalizao de hemoglobinas anormais, caracterstica da anemia falciforme.

    FIGURA 24 Drepancitos.

    Dacricitos So clulas em forma de gota ou de lgrima, encontradas na

    mielofibrose e em talassemias.

    FIGURA 25 Dacricitos.

  • 30 Este material deve ser utilizado apenas como parmetro de estudo deste Programa. Os crditos deste contedo so dados aos seus respectivos autores.

    Alterao de colorao:

    A intensidade da colorao da hemcia est relacionada quantidade de

    hemoglobina nela contida. A hipocromia caracteriza-se por um halo central maior e

    mais claro na hemcia com pouco contedo de hemoglobina. No hemograma, a

    hipocromia est correlacionada ao ndice HCM. A policromasia ou policromatofia

    refere-se aos eritrcitos de colorao azul acinzentada devido presena de RNA e

    correspondem aos reticulcitos (identificados pela colorao supravital azul cresil

    brilhante).

    FIGURA 26 Hipocromia e Policromasia.

    Alterao de estrutura:

    Ocorre quando se observa a presena de incluses citoplasmticas.

    Ponteado basfilo So pequenas incluses dispersas no citoplasma que

    correspondem a agregados de cromossomos e precipitados de mitocndrias. Esto

    presentes nas talassemias, anemia me