Prof. Gustavo Moreira Calixto Bacharelado em Ciência da Computação 6º Semestre

  • Published on
    17-Apr-2015

  • View
    104

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Prof. Gustavo Moreira Calixto Bacharelado em Cincia da Computao 6 Semestre </li> <li> Slide 2 </li> <li> Segundo a ISO (International Organization for Standardization), a definio para Computao Grfica : Um conjunto de ferramentas e tcnicas para converter dados para ou de um dispositivo grfico atravs do computador. </li> <li> Slide 3 </li> <li> * Sntese de Imagens: criao de imagens a partir de representaes geomtricas ou matriciais, ou tambm chamada de Visualizao Cientfica. * Processamento de Imagens: processamento da imagens para obter transformaes, tal como o realce ou a modificao. * Anlise de Imagens: processa uma imagem e a partir desta obter informaes analticas (nmeros, modelos matemticos e afins) </li> <li> Slide 4 </li> <li> Dados para processar Visualizao Processamento Sntese de Imagens </li> <li> Slide 5 </li> <li> ResultadoFigura Inicial Processamento Processamento de Imagens </li> <li> Slide 6 </li> <li> Dados para analisar Figura Processamento Anlise de Imagens </li> <li> Slide 7 </li> <li> * 1955 SAGE (Semi-Automatic Ground Environment) * Converso de imagens capturadas por um radar em imagem * Primeiro sistema de computao com recursos grficos </li> <li> Slide 8 </li> <li> * 1965 CAD (Computer Aided Design) * Softwares que auxiliam na representao grfica pelo computador * Desenvolvido inicialmente pela General Motors </li> <li> Slide 9 </li> <li> * 1965 CAD (Computer Aided Design) * Softwares que auxiliam na representao grfica pelo computador * Desenvolvido inicialmente pela General Motors </li> <li> Slide 10 </li> <li> * 1990-2000 Avano no fotorrealismo * Desenvolvimento de filmes a partir da computao grfica. * Computao grfica avana nas tcnicas de processamento. </li> <li> Slide 11 </li> <li> * Entender a forma como compreendemos a profundidade em imagens bidimensionais * Estmuos visuais: * Informaes Monoculares * Informaes culo-Motoras * Informaes Esteroscpias </li> <li> Slide 12 </li> <li> * Informaes obtidas atravs da imagem formada na retina a partir de uma nico dispositivo ocular. </li> <li> Slide 13 </li> <li> * Perspectiva: Resultado da aparente diminuio do tamanho dos objetos quando o observador se distancia do mesmo. </li> <li> Slide 14 </li> <li> * Ocluso: Responsvel pela posio relativa dos objetos, chamado tambm de interposio. Noo de profundidade na obstruo de objetos. </li> <li> Slide 15 </li> <li> * Conhecimento prvio do objeto: Imagens conhecidas pelo observador no mundo real, onde o mesmo traz referncias de profundidade. </li> <li> Slide 16 </li> <li> * Densidade das Texturas: A determinao do movimento de objetos atravs da variao da densidade de textura. Uma densidade homognea entre os objetos pode resultar em uma camuflagem. Camuflagem Objeto distante, menor percepo da textura </li> <li> Slide 17 </li> <li> * Variao da Reflexo da Luz: a variao da intensidade de luz refletida por um objeto traz informaes sobre sua curvatura. </li> <li> Slide 18 </li> <li> * Sombras: determinao de um objeto em relao a um piso abaixo deste. </li> <li> Slide 19 </li> <li> * Informaes fornecidas pelo movimento dos olhos atravs dos msculos do globo ocular. * Acomodao: alterao do foco dos objetos projetados na retina atravs da mudana do formato do cristalino (observar um objeto muito prximo ou muito distante). * Convergncia: grau de rotao dos olhos ao longo do eixo de viso para focar um objeto. Por exemplo, a observao do prprio nariz. </li> <li> Slide 20 </li> <li> * Viso de uma imagem diferente por cada olho, chamado de disparidade ocular. O crebro pode processar as duas imagens e obter a noo de tamanho e profundidade. Este o princpio de percepo tridimensional. </li> <li> Slide 21 </li> <li> * Representao atravs de vetores, os quais so segmentos de reta orientados, partindo da origem do sistema de coordenadas a um ponto determinado, tendo direo, sentido e comprimento </li> <li> Slide 22 </li> <li> * Representao da imagem atravs de matrizes, onde cada clula representa um pixel (picture element) de um sistema de cores. Representao matricial com o sistemas de cores binrio. Imagem na telaMemria da imagem </li> <li> Slide 23 </li> <li> * Conjunto de dispositivos que possibilitam a entrada e sada de informaes grficas. * Classificao: * Dispositivos grficos de entrada * Dispositivos grficos de sada </li> <li> Slide 24 </li> <li> TecladoMouseJoystick Tablet Mesa Digitalizadora </li> <li> Slide 25 </li> <li> ImpressoraPlotter Monitor CRT Monitor LCD/LED </li> <li> Slide 26 </li> <li> AZEVEDO, E.; CONCI, A.; Computao Grfica: Teoria e Prtica, Captulo 1, Editora Campus. </li> </ul>