Relacao Familia & Escola

  • Published on
    30-Jul-2015

  • View
    49

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<p>8</p> <p>CLUDIA DE SOUZA ROCHA CLUDIA REGINA MACDO</p> <p>RELAO FAMLIA &amp; ESCOLA</p> <p>BELM PAR 2002</p> <p>9</p> <p>CLUDIA DE SOUZA ROCHA CLUDIA REGINA MACDO</p> <p>RELAO FAMLIA &amp; ESCOLATrabalho de Concluso do Curso apresentado ao Curso de Pedagogia do centro de Cincias Humanas e educao da Universidade da Amaznia, como requisito para obteno do grau de Licenciatura Plena em Pedagogia Educao Infantil, orientado pela Prof. Ms. Rosa Helena N. Ferreira.</p> <p>BELM PAR 2002</p> <p>10</p> <p>CLUDIA DE SOUZA ROCHA CLUDIA REGINA MACDO</p> <p>RELAO FAMLIA &amp; ESCOLA</p> <p>Avaliado por: ______________________________________ Prof Ms. Rosa Helena N. Ferreira (UNAMA)</p> <p>Data: 29/11/2002</p> <p>BELM PAR 2002</p> <p>11</p> <p>SUMRIO</p> <p>RESUMO.............................................................................................................................06 MEMORIAL I.....................................................................................................................08 MEMORIAL II ................................................................................................................09 CAPTULO I A TRAJETRIA DA PESQUISA.........................................................10 1.1JUSTIFICATIVA.........................................................................................................10</p> <p>1.2PROBLEMA.................................................................................................................11</p> <p>1.3 OBJETIVOS..................................................................................................................12 1.3.1 GERAL................................................................................................................12 1.3.2ESPECFICOS..................................................................................................13</p> <p>1.4 METODOLOGIA DA PESQUISA.............................................................................13 CAPTULO II REFERENCIAL TERICO.................................................................15 2.1 A PARTICIPAO DOS PAIS NA EDUCAO ESCOLAR ..............................15 2.2 CONTEXTUALIZANDO HISTORICAMENTE......................................................24 CAPTULO III A PESQUISA........................................................................................29 3.1 OS DADOS....................................................................................................................29 3.2 ANLISE DOS DADOS...............................................................................................35</p> <p>12</p> <p>CAPTULO IV CONSIDERAES FINAIS...............................................................38 REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS..............................................................................40 ANEXOS ............................................................................................................................42</p> <p>13</p> <p>Este trabalho dedicado a todos aqueles que acreditam na Educao como premissa para um mundo infinitamente melhor.</p> <p>14</p> <p>Agradecemos a Deus. O Mestre dos Mestres. Aos nossos pais, maridos e filhos, pessoas que nos incentivaram, acreditaram em nosso potencial e, sobretudo, de quem furtamos horas de carinho e ateno para que pudssemos conquistar esta vitria.</p> <p>15</p> <p>Eduquem-se as crianas e no ser preciso repreender os homens.(Autor desconhecido)</p> <p>RESUMO Apresentamos o tema: Relao Famlia &amp; Escola, cuja pesquisa tem o objetivo de contribuir para o processo ensino-aprendizagem de crianas na faixa etria de sete a dez anos do Ensino Fundamental, justificando-se pela necessidade de interao entre esses agentes. Atravs dessa pesquisa se observou que paradigmas de interpretao e de gesto das realidades sociais, defendem modelos sistmicos numa perspectiva de integrao funcional, em que a flexibilidade, a mudana e o conflito so elementos coexistentes. Neste sentido, alm das estruturas e das funes da famlia e da escola, havemos de considerar tambm as transformaes que esto ocorrendo na sociedade moderna, nas suas instituies e no que diz respeito aos quadros sociais instveis que exigem uma compreenso dinmicas e respostas mais condizentes. Assim, a pesquisa tem como resultado ratificar a relao famlia-escola, que de extrema importncia na construo da identidade e autonomia do aluno, a partir do momento em que o acompanhamento desta, durante o processo educacional, leva a aquisio de segurana por parte dos filhos que se sentem duplamente amparados, ora pelo professor, ora pelos pais, o que ir incorrer do processo ensino-aprendizagem. Palavras-Chaves: FAMLIA, ESCOLA, CRIANA, ENSINO E D</p> <p>16</p> <p>MEMORIAL I Nasci em Recife-PE, e aos seis anos aprendi as primeiras letras, em uma escola bem pequena, na casa da professora, a qual tinha o mesmo nome que o meu, acredito que por esse motivo, nunca a esqueci. Depois passei a estudar em escolas estaduais, nas quais fiz todo o ensino fundamental. Quando fui para 6 srie comecei a estudar em um colgio de padres da rede particular de ensino, onde s sa para a Universidade Federal de Pernambuco, na qual fui aprovada no curso de Nutrio. Infelizmente por motivos de mudana de estado, tranquei o curso e acabei no concluindo, pois os caminhos comearam a mudar o rumo da minha vida. Comecei a trabalhar como professora substituta em uma escola de freiras e paralelamente fiz o curso de Magistrio. Apaixonei-me pela profisso, principalmente porque me dava oportunidade de conhecer sobre o desenvolvimento infantil e o processo de ensino-aprendizagem. Ao chegar em Belm, procurei fazer vestibular e graas a Deus fui logo aprovada em 2 lugar no Curso de Pedagogia da Universidade da Amaznia. Quando estava cursando o 2 ano comecei a trabalhar em um Colgio religioso, onde permaneo at o momento, realizando um trabalho muito gratificante, com crianas de 1 srie do Ensino Fundamental I, baseado na filosofia crist e na teoria construtivista. Tenho como pretenses futuras continuar me aperfeioando e fazer especializao em informtica educacional, pois me identifico muito com essa rea e, tambm, por acreditar na importncia da tecnologia como recurso capaz de tornar mais atrativo o aprendizado. Cludia Macdo</p> <p>17</p> <p>MEMORIAL II</p> <p>Eu me chamo Cludia de Souza Rocha, nasci em Fortaleza-CE, cidade na qual passei a maior parte de minha vida. Sempre estudei em escolas particulares e religiosas, e na ltima delas onde cursei o 2 grau, fiz paralelamente o magistrio. Logo que terminei o curso recebi uma proposta para trabalhar em uma creche com a turma de maternal. No ano de 86 passei no vestibular para o curso de Pedagogia na Universidade de Fortaleza UNIFOR. Durante o perodo de faculdade vrios motivos particulares impediram-me de terminar o curso. Passei a trabalhar no Colgio Christus com turmas de Educao Infantil e s sa deste quando vim morar em Belm, por motivo de transferncia de meu marido. J aqui em Belm, trabalhei no CESEP Maguari e aps no Colgio Santa Catarina de Sena onde continuo at o presente momento. Em 1999 ingressei na UNAMA no curso de Pedagogia Educao Infantil, pois sempre desejei formar-me e adquirir novos conhecimentos. Sinto-me muito bem atuando nesta rea, pois acredito na educao como o nico meio de formar verdadeiros cidados. Cludia Rocha</p> <p>18</p> <p>CAPTULO I A TRAJETRIA DA PESQUISA 1.1 JUSTIFICATIVA Historicamente, a escola e a famlia, tal qual as conhecemos hoje, so instituies que surgem, com o advento da modernidade, ambas destinadas ao cuidado e educao das crianas e jovens. Na verdade, escola coube a funo de educar a juventude na medida em que o tempo e a competncia da famlia eram consideradas escassos para o cumprimento de tal tarefa. Os saberes diversos e especializados, necessrios, formao das novas geraes, demandavam cada vez mais famlia. No Brasil, a escola, como instituio distinta da famlia, construiu-se aos poucos, s custas das presses cientficas e dos costumes caractersticos de uma vida mais urbana. Aproximadamente dois sculos, sinalizaram para a necessidade de uma organizao voltada formao fsica, moral e mental dos indivduos; misso essa impossvel para o mbito domstico. Esse modelo esteve a servio, sobretudo durante o sculo XIX, da moldagem das elites intelectuais nacionais. A escola era profundamente diferente da famlia e, oferecia formao das crianas e dos jovens a uma educao da qual nenhuma outra instituio poderia se ocupar. Os primrdios da Repblica, na onda dos movimentos sociais, polticos e culturais que marcaram a poca, impuseram a necessidade de modernizar a sociedade e colocar a Nao nos trilhos do crescimento, exigindo ento um outro modelo e uma maior abrangncia da ao educacional. Assim, como podemos observar, a discusso sobre a participao da famlia na vida escolar de seus filhos no recente. H dcadas que se vem refletindo sobre como envolver a famlia, promover a co-responsabilidade e torn-la parte do processo educativo. Sem dvida, tal ao longo do tempo, um espao prprio dedicado ao trabalho de apresentao e sistematizao de conhecimentos dessa natureza, diferente portanto, daquele organizado pela</p> <p>19</p> <p>aproximao trata-se de uma difcil tarefa, isto, em funo das inseguranas, incertezas e da falta de esclarecimento sobre o processo educacional, suas limitaes, bem como sua abrangncia. Compor uma parceria entre escola e famlia pressupe de ambas as partes, a compreenso de que a relao famlia-escola deve se manifestar de forma que os pais no responsabilizem somente escola a educao de seus filhos e, por outro lado, a escola no pode eximir-se de ser co-responsvel no processo formativo do aluno. A presente pesquisa justifica-se pela necessidade de contribuir no processo ensinoaprendizagem da criana de sete a dez anos do Ensino Fundamental, e por entendermos que a parceria entre a famlia e a escola de suma importncia para o sucesso no desenvolvimento intelectual, moral e na formao do indivduo nessa faixa etria. Os paradigmas de interpretao e de gesto das realidades sociais defendem modelos sistmicos numa perspectiva de integrao funcional em que a flexibilidade, a mudana e o conflito so elementos que devem ser coagidos. Neste sentido, alm do estudo das estruturas e das funes da famlia e da escola, havemos de considerar, tambm, as transformaes que esto ocorrendo na sociedade moderna, nas suas instituies e conforme os quadros sociais que esto instveis, da decorrentes que exigem uma compreenso dinmica e respostas mais articuladas. 1.2 PROBLEMA O problema estabelecido pelo presente trabalho consiste no seguinte questionamento: - Qual a importncia da relao famlia-escola no processo educacional? As polticas pblicas pouco tm conseguido fazer pela formao de educadores reflexivos, sendo impedidas por seus prprios mecanismos burocrticos, fazendo, s vezes, o jogo inverso dessa prtica educativa. A famlia acompanha e reage a todo este movimento, estando porm, pouco consciente: vai escola participar, opinar e reclamem somente quando a crise da poltica educacional preocupa seus interesses. No se d conta, no entanto, da sua parcela na produo dos problemas dos quais se queixa, nem de suas dimenses. Seria necessrio ento, clarear as</p> <p>20</p> <p>responsabilidades, sem esquecer que o trabalho com os jovens na maioria dos aspectos uma parceria. funo da escola fazer um trabalho com os pais, que propicie a discusso dos interesses coincidentes, bem como dos conflitantes. Na famlia, pai e me saem ao trabalho confiando que a escola e outros especialistas, alm da televiso e do computador dem conta da educao de seus filhos. Assim, tanto a famlia quanto escola, esperam que uma d conta do papel da outra. A criana sente-se abandonada e poucas vezes adquire o equilbrio necessrio para receber a formao adequada e necessria para tornar-se um indivduo consciente de sua cidadania. A famlia e a escola vivem, hoje, uma crise em que os valores materiais pautam as relaes. Assim, a boa escola vista como a que mais oferece servios e incrementos, que vo desde a informtica, bal e ingls at cmeras instaladas nas salas de aula. Este comportamento pode ser justificado por uma expectativa dos pais de que a escola resolva todos os seus problemas. Existe um relativo consenso de que a temtica: Famlia e Escola tratem de uma relao complexa e, por vezes, assimtrica, no que diz respeito aos valores e objetivos entre as instituies. E esta , realmente, uma relao sujeita a conflitos de diferentes ordens. Nos dias atuais podemos ver este conflito observando a tnue distncia formada entre o adulto e a criana. Assim, tanto a escola como a famlia, podero verificar seu papel no enfrentamento da crise que envolve a todos, ampliando as preocupaes e princpios, que possam unir em alguns pontos, duas instituies to complexas. Este trabalho tem como questes norteadoras responder, de que forma a relao famliaescola pode contribuir para a construo da identidade, da autonomia e cidadania do aluno? A relao famlia-escola interfere no processo ensino-aprendizagem? Como? 1.3 OBJETIVOS</p> <p>1.3.1 GERAL:</p> <p>21</p> <p>Contribuir para o processo ensino-aprendizagem do Ensino Fundamental, partindo da investigao e da conscientizao sobre a importncia da relao Famlia-Escola no processo educacional.</p> <p>1.3.2 ESPECFICOS:</p> <p>Investigar estratgias que viabilizem ao aluno, a construo de sua identidade, autonomia com responsabilidade, conhecimento e exerccio de sua cidadania, a partir da estrutura da famlia moderna e de suas relaes com a instituio escolar;</p> <p>Colaborar para a conscientizao da importncia da relao Famlia-Escola no processo ensino-aprendizagem, especificamente voltado s crianas na faixa etria de sete a dez anos do Ensino Fundamental.</p> <p>1.4</p> <p>METODOLOGIA DA PESQUISA</p> <p>Local: Escola Pblica e Escola Privada Sujeitos: professores, corpo tcnico da escola, pais de alunos do nvel fundamental. Instrumento/ tcnica: sero realizadas entrevistas com questionrios semi-fechados, tanto com os professores e corpo tcnico da escola, quanto com os pais de alunos. Procedimento: 1 Passo: Verificar-se- possibilidade de nos concederem o direito de realizar a entrevista na escola; 2 Passo: Entrar-se- em contato com tcnicos, os pais e professores das escolas para pedir autorizao escrita para a realizao da pesquisa; 3 Passo: Realizar-se- entrevista com professores, tcnicos e com os pais, separadamente; 4 Passo: A partir da realizao das entrevistas, sero iniciadas as transcries das mesmas e, posteriormente, analisar-se- se a percepo de cada um dos entrevistados gerando assim um relatrio e anlise final.</p> <p>22</p> <p>A metodologia pela qual optamos trabalhar trata-se de uma pesquisa qualitativa-descritiva, portanto no deve permanecer em hipteses, pois, a problemtica quando escolhida necessita passar por uma verificao do contexto scio-histrico em que se encontra inserida, para que s a partir dessa anlise se possa emitir valores a respeito da mesma. Faz-se necessrio tambm estabelecer a delimitao dessa problemtica, atravs de observaes prvias do campo de pesquisa. Pois primeiramente percebe-se o relacionamento da criana com a famlia, a interao da famlia com a escola e de que maneira essa cria...</p>