Relat³rio e Contas Anuais Exerc­cio 2011 - Relatorio Contas 2011(1).pdf  fundamentais da actividade

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Relat³rio e Contas Anuais Exerc­cio 2011 - Relatorio Contas 2011(1).pdf  fundamentais...

  • Relatrio e Contas Anuais

    Exerccio 2011

  • RELATRIO DE GESTO

    2011

    ____________________________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________________

    ndice

    1. CONSIDERAES GERAIS ................................................................................2

    2. ACTIVIDADE DA EMPRESA ................................................................................4

    3. SISTEMA INTERMUNICIPAL DE TRATAMENTO E VALORIZAO DE RESDUOS

    SLIDOS..................................................................................................................6

    3.1. Resduos Indiferenciados ...............................................................................6

    3.2. Resduos Reciclveis .....................................................................................9

    3.3. Resduos de Construo e Demolio.......................................................... 11

    4. SITUAO ECONMICA E FINANCEIRA ......................................................... 12

    4.1. Elementos de informao econmica/financeira........................................... 13

    4.2. Enquadramento fiscal/legal das provises.................................................... 14

    5. MODELO DE CLCULO DOS VALORES DE CONTRAPARTIDA DA SPV.... 14

    6. RECURSOS HUMANOS..................................................................................... 16

    7. PROPOSTA DE APLICAO DE RESULTADOS .............................................. 16

    8. MENES FINAIS ............................................................................................. 16

    !"!

    #!

    #$"%

    &'!(#

    Balano Individual em 31 de Dezembro de 2011

    Demonstrao Individual dos Resultados por Naturezas no Perodo Findo em 31 de Dezembro de 2011

    Demonstrao Individual de Fluxos de Caixa no Perodo Findo em 31 de Dezembro de 2011

    Anexo

    Demonstrao Individual das Alteraes do Capital Prprio no Perodo de 2011 e 2010

    Mapa de Execuo Anual do Plano de Investimentos 2011

  • RELATRIO DE GESTO

    2011

    ____________________________________________________________________________________

    _______________________________________________________________________________ 2

    1. CONSIDERAES GERAIS

    A AMBILITAL - Investimentos Ambientais no Alentejo, ElM foi constituda, nos termos da lei n. 58/98, de

    18 do Agosto, Lei das Empresas Municipais, Intermunicipais e Regionais a qual foi entretanto revogada

    pela Lei 53-F/2006, de 29 de Dezembro, que estatui o regime jurdico do sector empresarial local -, com o

    fim de gerir o Sistema integrado de recolha, tratamento e valorizao dos resduos slidos urbanos da

    rea territorial dos Municpios Associados da AMAGRA.

    1. O capital social da AMBILITAL, integralmente realizado por ambos os scios, de trs milhes e

    seiscentos mil euros (3.600.000,00), e corresponde soma de duas quotas, sendo uma com o valor

    nominal de um milho, oitocentos e trinta e seis mil euros (1.836.000,00), pertencente AMAGRA -

    Associao dos Municpios Alentejanos para a Gesto Regional do Ambiente, e a outra com o valor

    nominal de um milho, setecentos e sessenta e quatro mil euros (1.764.000,00), pertencente

    sociedade SUMA - Servios Urbanos e Meio Ambiente, SA.

    2. So scias da AMBILITAL a AMAGRA - Associao de Municpios Alentejanos para a Gesto

    Regional do Ambiente e a SUMA - Servios Urbanos e Meio Ambiente, S.A.;

    3. A AMAGRA, detentora de uma participao de capital de 51%, uma Associao dos Municpios de

    Alccer do Sal, Aljustrel, Ferreira do Alentejo, Grndola, Odemira, Santiago do Cacm e Sines e tem

    por objecto, entre outros, projectar, implementar e gerir o sistema integrado de recolha, tratamento e

    valorizao dos resduos slidos urbanos dos seus Municpios Associados;

    4. Os Municpios da AMAGRA so titulares de um Sistema Intermunicipal de Tratamento de Resduos

    Slidos Urbanos constitudo por um Aterro Sanitrio, Central de Triagem e Sistema de Vidro, quatro

    Estaes de Transferncia/Ecocentros, dois Ecocentros e uma Unidade de Tratamento Mecnico e

    Biolgico por Compostagem devidamente equipados, destinados recepo, transferncia,

    tratamento e valorizao, dos RSU provenientes das recolhas municipais dos Municpios seus

    Associados. Estes municpios so ainda titulares de uma Unidade de Valorizao de Resduos de

    Construo e Demolio;

  • RELATRIO DE GESTO

    2011

    ____________________________________________________________________________________

    5. A SUMA, detentora de uma participao de capital de 49%, uma sociedade comercial que opera na

    rea da gesto de resduos slidos, com experincia comprovada na recolha, valorizao,

    tratamento e deposio final de resduos, dominando, entre outras, as tecnologias ligadas recolha

    selectiva, triagem de materiais, valorizao de resduos por compostagem e ainda deposio final de

    resduos slidos em aterro sanitrio;

    6. A AMBILITAL foi constituda por escritura pblica em 5 do Maro de 2001 e iniciou a sua actividade

    em 13 do Maro de 2001. Os seus estatutos foram publicados no Dirio da Repblica em 5 do Junho

    do 2001 (III Srie DR n. 130);

    7. A empresa tem a sua sede no Monte Novo dos Modernos, freguesia de Ermidas do Sado, concelho

    de Santiago do Cacm.

    _______________________________________________________________________________ 3

  • RELATRIO DE GESTO

    2011

    ____________________________________________________________________________________

    2. ACTIVIDADE DA EMPRESA

    A AMBILITAL a empresa responsvel pelo acompanhamento da concluso do investimento inicial

    efectuado pela CIMAL enquanto AMLA e pela AMAGRA, e pela explorao e gesto das infra-estruturas

    respectivas, bem como pela avaliao e promoo dos investimentos de ajustamento do Sistema

    considerando as condies actuais de produo de RSU.

    Nos termos dos documentos previsionais para o exerccio de 2011 constituram pressupostos

    fundamentais da actividade da empresa para o presente exerccio:

    1. O reforo da estrutura de gesto do Sistema, dotando a empresa das condies necessrias

    centralizao de competncias, afirmando-a como a entidade de referncia para a concepo,

    investimento e gesto em servios pblicos para a recolha e tratamento de RSU;

    2. Manter a capacidade do Sistema e ampliar as actividades da empresa e a sua resposta s

    crescentes exigncias de gesto de um maior fluxo de resduos;

    3. Aprofundar a colaborao com os sistemas municipais de recolha e limpeza urbana.

    Constituram actividades relevantes da empresa em 2011:

    a) Inaugurao em 28 de Fevereiro da Unidade de Tratamento Mecnico e Biolgico por

    Compostagem;

    b) Inaugurao em 28 de Fevereiro da Unidade de Valorizao de Resduos de Construo e

    Demolio;

    c) Inicio dos testes em Maro na Unidade de Tratamento Mecnico, nomeadamente da linha de

    triagem automtica de embalagens, a qual ficou totalmente operacional em Novembro de 2011;

    d) Arranque da recolha de leos Alimentares Usados e respectivo encaminhamento para empresa

    licenciada, na sequncia da delegao da AMAGRA para a gesto do sistema supramunicipal de

    recolha de OAU nos municpios que integram a AMAGRA, cumprindo desde a sua implantao o

    n de contentores por municpio, de acordo com a legislao ;

    e) Arranque em Maro da Unidade de Valorizao de Resduos de Construo e Demolio;

    f) Reparao da via de acesso ao Centro de Gesto de Resduos;

    g) Construo de nova via, e recolocao do sistema de pesagens do Centro de Gesto de

    Resduos;

    h) Remodelao do Edifcio Administrativo no Centro de Gesto de Resduos;

    i) Instalao de um novo PT de 1250 Kva para as novas infra-estruturas;

    j) Realizao de campanha de caracterizao, actividades de monitorizao do Aterro Sanitrio e

    das lixeiras encerradas da AMAGRA e encaminhamento do passivo de lixiviado existente para a

    ETAR da Ribeira de Moinhos;

    _______________________________________________________________________________ 4

  • RELATRIO DE GESTO

    2011

    ____________________________________________________________________________________

    k) Incio da execuo de um projecto para a construo de uma unidade de Combustvel Derivado

    de resduo (CDR), em eventual parceria com a Secil, com vista investigao e produo de

    CDR de Qualidade a partir dos rejeitados da UTM;

    l) Inicio da explorao da valorizao energtica do biogs para alimentao da caldeira da ETAL,

    de forma a reduzir o custo do tratamento do lixiviado por m3;

    m) Aquisio de 150 Ecopontos para substituio na actual rede de deposio;

    n) Aquisio de 200 Rolhes para instalao na actual rede de deposio, de forma a dar incio em

    2012, tambm da recolha selectiva de rolhas de cortia;

    o) Aquisio de 100 Vidres com porta comercial para colocao junto do sector HORECA;

    p) Aquisio de prensas e contentores para grandes produtores;

    q) Aquisio de 1 Viatura de Lavagem de Ecopontos;

    r) Aquisio de 2 Viaturas de Transferncia;

    s) Construo do Ecocentro de Sines;

    t) Colaborao no evento Festival Sudoeste 2011.

    A Ambilital concluiu at 31 de Dezembro, o investimento total previsto nas 5 candidaturas aprovadas pelo

    INAlentejo, nomeadamente:

    - Aumento da Nave e automatizao da linha de triagem

    - Ecocentro de Sines

    - Optimizao das Redes de Recolha Selectiva

    - Sistema de recolha selectiva de leos Alimentares Usados

    - Valorizao energtica do Biogs.