Resumão literatura

  • View
    1.154

  • Download
    9

Embed Size (px)

Text of Resumão literatura

LITERATURA E SUAS FUNES A literatura pode ser definida como: - Um elemento de catarse - Um elemento do conhecimento do mundo, tanto do passado, e do presente, como da mentalidade de uma sociedade ou poca. - Um elemento essencialmente ligado ao homem, ao seu prprio conhecimento.Em si mesmo, a outros, como um espelho de si mesmo, ou como ele sendo um espelho da sociedade em si. - Um elemento de formao e desenvolvimento em todos os campos do saber: intelectual, moral, ideolgico e at esttico.

Funes de linguagem funes = objetivos A linguagem possui varias funes, isto , vrios objetivos. Quando a usamos, temos a inteno de mencionar, convencer, explicar algo, etc. 1. Funo emotiva Emissor expe sua opinio, seus sentimentos. Normalmente o texto est em 1. Pessoa. 2. Funo conativa ou apelativa O objetivo convencer o receptor para que ele mude de opinio, compre algo, vote em algum, va a algum lugar etc. 3. Funo referencial ou informativa Tem como base o contexto, o assunto. O objetivo apenas dar informao. 4. Funo potica A lngua vem apresentada de maneira especial. A conotao e as figuras de linguagem so usadas para passar uma mensagem. 5. Funo ftica a tentativa de se estabelecer contato, iniciar ou continuar uma comunicao. 6. Funo metalingstica - A lngua explica a si mesmo. Essa funo se v clara no dicionrio ou na gramtica, onde o idioma usado parar tirar duvidas, esclarecer fatos sobre ele mesmo. Texto Literrio Uso de metforas especial Linguagem de fico Muitas vezes, a mensagem est nas entrelinhas. O objetivo externar sentimentos, criar situaes.

CARACTERTICAS DO TEXTO LITERARIO: Na denotao aparece: - uma linguagem informativa, objetiva. - A palavra usada no seu real sentido. EX: Ganhei um par de brincos dourados. Na conotao aparece: - Uma linguagem mais afetiva e subjetiva. - A palavra empregada no seu sentido figurado. EX: Os anos que voc esteve ao meu lado foram anos dourados. Texto no-literrio Seres e fatos reais As metforas no so usadas Textos objetivos informao.

GNEROS LITERRIOSObjetivo: Mostram a definio dos gneros pico, lrico e dramtico, suas origens e como foram usadas pelos escritores e tambm suas principais caractersticas. Pr-requisito: Seguir a seqncia das lies. GNEROS LITERRIOS Os textos literrios, por apresentarem certas caractersticas podem ser agrupados de acordo com estas. Por isso os gneros literrios podem ser definidos como conjunto de textos que apresentam uma determinada caracterstica, estabelecida. Embora seja um pouco difcil ter uma classificao precisa, porque um texto pode agrupar vrias caractersticas de mais de um gnero, ou ento um gnero pode evoluir e se transformar. CLASSIFICAO: A partir do sculo XVI deu-se mais nfase ao estudo especifico dos gneros literrios. Embora a origem deles tenha por base a obra repblica, do filsofo grego, Plato (428 a.c 347 a.C.) Foi com Plato e tambm Aristteles que surgiu a classificao dos gneros literrios em pico, lrico e dramtico. Para Plato, toda manifestao artstica tem por base falsas situaes, como se fossem imitaes transitrias.

De Plato ate hoje, j surgiram outras definies dobre o estudo dos gneros literrios. Os gneros literrios podem ser definidos em trs grandes grupos: pico, lrico e dramtico.

GNERO PICO (NARRATIVO) O gnero pico pode ser definido pelo seu aspecto narrativo e pela sua vinculao aos fatos histricos ou pelas realizaes humanas, que so reveladas pelo artista como observados que mostra em sua obra o mundo exterior. uma representao do mundo objetivo e da ao do homem, nas suas relaes com a realidade. Objetivo do pico apresentar a totalidade dos objetos, ou seja, a retratao da realidade, com os aspectos, direes e acontecimentos que ela demonstra. Aparece escrito tanto em prosa como em verso, predominando a forma narrativa. Suas formas principais: epopia e diferentes tipos de romances. Epopia um poema de longo flego, que abrange assuntos grandiosos e geralmente histricos. Sua estrutura dividida em: proposio, invocao, dedicatria, narrao e eplogo. As epopias mais destacadas so: Ilada e Odissia de Homero ( na Grcia ); Eneida, Virgilio (Itlia); e os Lusadas, de Lus de Cames (Portugal). Os elementos encontrados na epopia: - na forma: prosa ou versos; - no gnero: pico (narrativo) - no ponto de vista: objetivo ou objeto-subjetivo. Principais Formas Em Versos: Uma narrativa rimada. Romance: De origem medieval, forma potica que aborda historias tradicionais, narrativas de pocas antigas como novelas de cavalaria, de amor, de narrativas ou historias de guerras ou conquistas martimas e viagem. EX: Os Lusadas, que retrata as aventuras ocorridas na viagem dos portugueses para o novo mundo. Em Prosa: - Romance: Ao ouvir este termo, j se vem a mente, algo romntico, apaixonante. Na realidade romance, do latim romanice, de Roma. Uma lngua vulgar, nascida do latim e falada em alguns pases europeus aps a queda do Imprio Romano. A palavra romance significa um gnero narrativo voltado para a vida coletiva do homem. As caractersticas do romance so a pluralidade: Da ao Do tempo Do espao Dos personagens

Novela: Esta se posiciona entre o conto e o romance. Na verdade uma narrao geralmente certa, com situaes humanas fictcias, mas ordenadas e completos e que apresentam um fundo de verdade. Assim como no romance, a novela apresenta a pluralidade de tempo, espao, ao e personagens. uma histria onde logo no inicio j se pode ter uma compreenso dos fatos. Diferente do romance, onde preciso ter, lido todos os captulos para entender a histria. Conto: uma narrativa com fragmentos da realidade, de episdios breves, e cheios de fico, pois pode apresentar dados exagerados e fatos apenas imaginados. Sua origem vem do folclrico e popular, algo que surgiu de base para a criao coletiva da linguagem. Crnica um texto de pequeno porte e com o enredo relacionado a poltica, teatro e sociedade e a outros aspectos da vida cotidiana. Sua temtica refere-se aos fatos do dia-adia. Sua caracterstica o humor, a leveza e a linguagem coloquial. Em geral, as caractersticas do gnero pico so: - Um ponto de vista objetivo - Texto em prosa ou verso - Narrao objetiva dos fatos de outros personagens. GNERO LRICO O gnero lrico tem como caracterstica e manifestao do eu artista. Onde o artista demonstra de maneira expressiva seus pensamentos e emoes, ou melhor, seu mundo interior. Uma caracterstica marcante do texto lrico a musicalidade, ou seja, a explorao da sonoridade. predominantemente subjetivo, e sua origem que acompanhava os recitais de poesias. Por envolver a musicalidade, a mensagem devia ter uma linguagem precisa, tendo cada palavra seu significado. EX: Meu amor ensinou a ser simples Como um largo de igreja Onde no h nem um sino Nem um lpis Nem uma sensualidade (Oswaldo de Andrade) Este texto em verso, denominado poema. E o autor usou de diversas figuras para dar a idia da simplicidade mostrou o eu do autor. CARACTERSTICAS DO POEMA Um poema possui os seguintes elementos: - Versos: As que compem o poema. Cada linha um verso.

- Estrofe: a reunio dos versos, em blocos - Ritmo: o real contedo da poesia dado pela repetio mais ou menos regular da intensidade poesia - Metro: a diviso das slabas. A medida vazia do sentido reproduzida pelo nmero regular de slabas. - Rima: a regularidade sonora que pode estar tanto no meio como no final do verso, quando no h rima, chama-se verso branco. GNERO DRAMTICO O estudo do gnero dramtico vem desde a antiguidade clssica. O primeiro terico a usar os princpios deste gnero foi Aristteles. At incio do sculo XIX, dominava as teorias de Aristteles, que dividia as peas teatrais em tragdias e comdia. O gnero dramtico procura representar o conflito do homem com seu mundo. De origem de ofcios religiosos, a tragdia mostrava os sentimentos nobres do homem, j a comdia mostrava os baixos e instintivos sentimentos. O drama nasce da concepo de que a vida no s comdia ou s tragdia, mas sim os dois ao mesmo tempo. Na 1 metade do sculo XX, o teatro passa a ser uma manifestao de acontecimento, a redescoberta do crtico e reflexo do mundo. O objetivo dessa nova forma de teatro era fazer o espectador analisar e refletir sobre o mundo que o cerca. O teatro foi visto como um meio de comunicao, onde no s transmite, mas tambm recebe e faz o ouvinte escutar e agir. Caractersticas:

a)Lrico: representa uma viso subjetiva, interior e pessoal com predomnio dossentimentos; expresso do eu; predomnio na poesia, embora tambm presente na prosa (sonetos, liras, madrigais, hinos, haicais, epigramas etc.). b)pico ou narrativo: demostra uma viso mais racional e objetiva da realidade; mais universal; retrata o mundo exterior: fatos, acontecimentos; predomina na prosa, mas h poemas picos (epopia, romance, conto, crnica, novela). c)Dramtico: destinado representao; gnero misto de diversos elementos: cenrio, msica, dana, coreografia etc. (tragdia, comdia, farsa, auto, drama). Principais gneros em prosa Romance: narrativa em prosa, com um nico ncleo narrativo central; nmero maior de personagens; anlise psicolgica das personagens.

Novela: narrativa em prosa com vrios ncleos narrativos interligados e independentes. Conto: narrativa curta tomada perto do clmax; conflito central que deve ser resolvido, poucas personagens. Crnica: episdio da vida real, tema do cotidiano, conflito no precisa ser resolvido.

LITERATURA: CONCEITOS FUNDAMENTAIS MDULO 4 HUMANISMO HUMANISMO Tradicionalmente, o humanismo est associado com a Renascena. Protgoras que disse que o homem a medida de todas as coisas. Este movimento envolveu todos os campos da sociedade, a saber, o intelectual, moral e religioso. O objetivo dos humanistas era conseguir uma humanidade melhor. Seus ideais baseavam-se na paz e sabedoria, que seria conseguida atravs do aperfeioamento das qualidades intelectuais e morais dos homens. O pensamento medieval comea a desaparecer e a idia do Teocentrismo passa a dar lugar ao antropocentrismo (a valorizao do homem). FIGURAS DE LIN