Click here to load reader

sabatina fotográfica

  • View
    220

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apostila de fotografia com dicas.

Text of sabatina fotográfica

  • 1

    Sabatina fotogrfica

    Textos organizados e fotos de

    Adrovando Claro

  • 2

    SABATINA FOTOGRFICA Retratos As fotografias de pessoas conseguem frequentemente uma resposta maior do espectador do que qualquer outro tema. Uma boa fotografia de retrato no mostra apenas a aparncia do motivo. Dever ser tambm uma biografia visual, que capte o carter de quem posa e revele a sua personalidade. Fotografar pessoas um retrato pode ser uma fotografia tirada sem o conhecimento do fotografado ou pode ser um caso mais formal em que o fotgrafo foi incumbido de realizar um trabalho especfico. No sub-estime a importncia do plano de fundo e do cenrio nos seus retratos. A fotografia de pessoas em exteriores ou no seu prprio ambiente pode dar uma dimenso que se perderia numa fotografia em estdio. Tente pr o modelo vontade, preparando todo o equipamento antes da sesso de fotografias. A conversa pode ajudar o fotografado a descontrair-se e per-mitir-lhe- obter o resultado desejado um retrato revelador, de grande naturalidade. Variar os ngulos da mquina Alternando o ponto de vista da mquina, pode produzir uma grande varieda-de de efeitos interessantes e suts. Uma posio alta da mquina, por exemplo, a fotografar o rosto do modelo de um plano mais elevado, tem tendncia para realar a testa e a parte superior das maas do rosto. No extremo oposto e tirando uma fotografia do rosto a partir do plano inferior, chama a ateno para o queixo e a linha do maxilar. Esta abordagem resulta frequentemente num formato de rosto um pouco quadrado. O ngulo da m-quina pode tambm implicar algo relativamente personalidade: fotografar de cima sugere vulnerabilidade; enquanto um modelo fotografado de baixo poder Ter um aspecto longnquo. Uma vista do rosto a trs quartos resulta frequentemente num aspecto mais fino e menos cheio do que um ngulo frontal.

    Encher o enquadramento Pode conseguir um plano de aproxima-o deslocando simplesmente a posio da mquina para mais perto do seu motivo, a fim de concentrar a ateno nas feies e na expres-so. Potencial de iluminao Em termos de iluminao dever estar preparado para praticamente todas as situaes desde luz solar dire-ta a jorrar de uma grande janela, at nveis to fracos que at mesmo a pelcula rpida ir necessitar de uma grande abertura e mesmo as-sim resultar numa velocidade de obturao muito lenta. aconselh-vel visitar previamente o local para ver se ir precisar de flash ou de equipamento adicional. Poder ento decidir qual o tipo de mquina a usar e a hora do dia com luz mais adequada. Retratos de grupos Qualquer que seja o tipo de fotografia de gru-po que esteja a fazer, precisar de mostrar que todas as pessoas en-volvidas esto de alguma forma ligadas entre s. Nos retratos de gru-pos, tire sempre muitas fotografias de cada variao de pose de forma a Ter, pelo menos, uma fotografia em que cada um dos elementos seja visto segundo seu melhor angulo.

  • 3

    Retratos informais Para um bom retrato informal imprescindvel que o fotgrafo trabalhe discretamente. As boas fotografias depen-dem do poder de observao, bem como estar no momento certo com sua mquina com a exposio correta pr-selecionada. Trabalhar com um modelo As boas fotografias dependem de uma boa relao entre o modelo e o fotgrafo. Quanto mais envolver o modelo no processo de criao da fotografia, maiores sero as proba-bilidades de obter bons resultados. Como aprimorar a imagem Boas oportunidades de fazer fotogra-fias com um toque dramtico surgem graas a um rpido jogo de luz , a uma combinao casual de luz e sombra, por exemplo, ou a uma colorao de luz vinda de superfcies refletoras que existam por per-to. Cada uma, e h muitas outras mais, pode ser aproveitada vantajo-samente se voce estiver atento a elas. Tudo isso est baseado em sua capacidade de manipular a qualidade de luz altamente contrastada, fotometrando ora apenas as sombras, ora apenas as altas luzes. Se estiver com uma cmera manual, aproxime-se da rea que possui a intensidade de luz que voc deseja que a foto possua at cobrir todo o visor, ajustando ento a abertura e a velocidade; em seguida, recom-ponha a foto. No caso de uma cmera automtica, trave a leitura na

    memria antes de recompor o quadro. O retrato a aplicao mais preciosa e, ao mesmo tempo, a mais delicada da fotografia.

    O fotgrafo social pode obter maior qualidade em seu trabalho seguindo algumas regras prticas.

    Seguem abaixo algumas dicas do fotgrafo Luiz Almeida tiradas da apostila usada nos cursos que ele ministra

    1 parte. Apresentao do fotografo. a) Aparncia. O fotgrafo profissional deve se enguadrar ao seu ambiente de trabalho. Geralmente se usa terno preto, mas evite usar com camisa branca para no combinar com os garons. b) Atitudes. Procure ser discreto em suas atitudes, no seu modo de falar, nos gestos e at mesmo no modo em que conduz seu equipamento. c) Procure ir de barba feita, bem aparada, cabelo cortado, unhas, dentes escovados, em fim com uma boa aparn-cia. 2 parte. Tipos de equipamentos. Maquina manual de filme. Levar para uma emergncia. b) Maquina Digital autofocos. Levar. c) Maquina de mdio formato. Talvez. Depende do cliente se quiser algum mais caro. 3 parte. Acessrios. a) Flashs dedicados. Deve-se ter cuidado quanto a sua utilizao de acordo com o ambiente de trabalho. Pois conforme o tipo de iluminao do ambiente e sua altura em relao ao objeto poder causar tons verdes nas fotos. Macetes na apostila. b) Flashs manuais. Na sua maioria se utiliza o flash frata 140 ou 100, no qual eu no recomendo. Pois na maioria das vezes as fotos sairo com o fundo escuro, mesmo que para resolver este problema se utilize fotoclulas, o caso que a primeira exposio fica super exposta. c) Flashs manuais com regulagem de densidade de luz. Eu utilizo um flash da marca Vivitar 285 HV, pois apesar de us-lo numa m-quina autofocos, ele me d a densidade de luz que desejo lanar sob o objeto a ser fotografado. 4 parte. Filtros e efeitos. Talvez alguns profissionais discordem da minha prtica, mas eu utilizo filtros criativos para causar efeito que no passado se utilizava bastante. A prtica d mais trabalho para fazer as fotos, mas tenho conquistado o mer-

  • 4

    cado utilizando estes efeitos. Hoje j existe a era digital com os seus efeitos criativos os quais tambm so validos. a) Cross scren. Eu uso bastante, mas conforme a sua utilizao pode causar danos nas fotos. b) Center sopt. D uma certa diferena nas fotos. c) A1 . Eu utilizo bastante para dar um tom de pele bron-zeada. d) B1. Para ambientes de iluminao de lmpadas de filamentos. Outras dicas: 1 sempre faca um contrato com o cliente detalhando o trabalho e a forma de pagamente e a entrega das fotos, prazos, etc. 2 Veja quais os tipos de casamentos: Catli-co, Ortodoxo, Evanglico, Judaico. Pois cada um tem um ritual diferente e o fotgrafo pre-

    cisa saber o momento certo de registrar a cena 3 tipos de fotos para casamento: tradicional, jornalstico, top model. Aqui o cliente escolhe o estilo.

    Bibliografia: O novo livro da fotografia John Hedgecoe Livros e livros 1994 Guia completo de fotografia John Hedgeoce Martins Fontes 1998 Como fazer fotografia Pedro Vasquez Vozes 1986 * Luiz Almeida fotografo social h 10 anos atuando na rea de E-ventos Sociais, com passagem em vrios estados do Brasil ministran-do curso de Foto Social e Iluminao. Atualmente ministra curso na Abaf do Rio de Janeiro. Tem um ateli de noivas

    Apostila Gratutavenda proibida www.lulu.com/adrovando