tese 18 corrigida

  • View
    221

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of tese 18 corrigida

  • FERNANDA ARAUJO CABRAL

    Investigao do potencial de desenvolvimento do preconceito em crianas pequenas

    (verso corrigida)

    Tese apresentada ao Instituto de Psicologia da Universidade de So Paulo, como parte dos requisitos para obteno do grau de Doutor em Psicologia.

    rea de concentrao: Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano. Orientador: Prof. Livre-docente Jos Leon Crochk.

    So Paulo 2016

  • 2

    AUTORIZO A REPRODUO E DIVULGAO TOTAL OU PARCIAL DESTE TRABALHO, POR QUALQUER MEIO CONVENCIONAL OU ELETRNICO, PARA FINS DE ESTUDO E PESQUISA, DESDE QUE CITADA A FONTE.

    CatalogaonapublicaoBibliotecaDanteMoreiraLeite

    InstitutodePsicologiadaUniversidadedeSoPaulo

    Cabral,FernandaAraujo.

    Investigaodopotencial dedesenvolvimentodopreconceitoemcrianaspequenas/FernandaAraujoCabral; orientador JosLeonCrochk.--SoPaulo,2016.

    139f.Tese(DoutoradoProgramadePs-GraduaoemPsicologia.

    rea de Concentrao: Psicologia da Aprendizagem, doDesenvolvimentoedaPersonalidade)InstitutodePsicologiadaUniversidadedeSoPaulo.

    1. Preconceito 2. Desenvolvimento humano 3. Escala F 4. Teoria crtica da sociedade I. Ttulo.

    HT1521

  • 3

    Nome: Cabral, Fernanda Araujo

    Ttulo: Investigao do potencial de desenvolvimento do preconceito em crianas

    pequenas.

    Tese apresentada ao Instituto de Psicologia da Universidade de So

    Paulo para obteno do ttulo de Doutor em Psicologia.

    Aprovado em:

    Banca Examinadora

    Prof. Dr. ______________________________________________________ Instituio: ______________________ Assinatura:_____________________

    Prof. Dr. ______________________________________________________ Instituio: ______________________ Assinatura:_____________________

    Prof. Dr. ______________________________________________________ Instituio: ______________________ Assinatura:_____________________

    Prof. Dr. ______________________________________________________ Instituio: ______________________ Assinatura:_____________________

    Prof. Dr. ______________________________________________________ Instituio: ______________________ Assinatura:_____________________

  • 4

    Para Caio, meu parceiro na busca de um mundo onde nosso

    Leozinho possa entender que:

    O mundo s vai prestar

    para nele se viver

    no dia em que a gente ver

    um gato malts casar

    com uma alegre andorinha

    saindo os dois a voar

    o noivo e sua noivinha

    dom gato e dona andorinha

    (Trova de Estevo da Escuna em O Gato Malhado e a

    Andorinha Sinh )

  • 5

    AGRADECIMENTOS

    Ao meu orientador Prof. Jos Leon Crochk, pelos ensinamentos e direcionamento

    nessa pesquisa e nos caminhos do conhecimento da Teoria Crtica da Sociedade.

    Aos professores Dr. Jos Geraldo Silveira Bueno e Dr. Lineu Nori Kohatsu, pelas

    preciosas contribuies na banca de qualificao.

    A todos os professores que fizeram parte desta jornada de conhecimento, em

    especial ao prof. Dr. Odair Sass que me apresentou a Teoria Crtica da Sociedade e

    aos professores Dr. Carlos Antonio Giovinazzo Junior, Dr. Luis Guilherme Galeo-

    Silva e Dr. Pedro Fernando da Silva, que me auxiliaram na compreenso e

    aprofundamento desta teoria.

    escola que me acolheu para a realizao da pesquisa, aos pais que consentiram a

    participao de seus filhos e s crianas que deram todo sentido a esse estudo.

    A minha tia Vanilde, pela confeco dos bonecos utilizados na pesquisa.

    Ao Caio, Doug, Duda e Lupita pelo companheirismo e incentivo na escrita.

    Ao meu irmo Andr por sempre acreditar e incentivar, e por ter tornado minha

    jornada acadmica possvel de ser realizada at aqui.

    minha irm Cristina pelo exemplo e aos meus pais por nos trazerem at aqui.

    Ao meu sobrinho Lucas pela sua preciosa ajuda na compreenso dos dados

    estatsticos e minha sobrinha Luiza por seu apoio nesses momentos.

    Aos amigos e incentivadores de sempre, especialmente Fernanda Borsatto e

    Amlia Zampronha, Samantha Mesojedovas e Jaim Car.

  • 6

    RESUMO

    Cabral, F.A. (2016). Investigao do potencial de desenvolvimento do preconceito

    em crianas pequenas. Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de

    So Paulo, So Paulo.

    Esta pesquisa foi realizada com o objetivo de investigar como crianas com idade

    entre trs e quatro anos reagem a situaes cotidianas, durante o brincar,

    apresentando manifestaes potencialmente preconceituosas. Para tanto se props

    adaptar a escala do fascismo (escala F) para situaes que representam o cotidiano

    de forma ldica, o que permitiu identificar elementos que denotam o preconceito j

    em crianas. A pesquisa foi realizada em uma escola da rede privada de ensino do

    municpio de So Paulo, com crianas de idades entre trs e quatro anos, com as

    quais o pesquisador realizou um momento de observao ldica no qual as crianas

    interagiram livremente com bonecos que representavam diferenas entre cor de pele

    e de presena ou ausncia de deficincia, e um momento de aplicao de situaes

    problema representadas de forma ldica e que tiveram a inteno de avaliar os

    aspectos investigados na escala F. Os sujeitos da pesquisa tambm estiveram

    divididos em agrupamentos de crianas que estudavam com crianas com

    deficincia em sala de aula e agrupamentos que no estudavam, com o objetivo de

    identificar possveis diferenas no padro de respostas dada a relao com a

    incluso da criana com deficincia no ambiente escolar. Os resultados avaliados a

    partir do referencial da Teoria Crtica da Sociedade apontaram para a uma baixa

    pontuao numa escala de manifestao de atitudes que denotam o preconceito em

    crianas com idade entre trs e quatro anos e pode-se concluir que essa idade um

    momento propicio para se aplicar intervenes com vistas a minimizar os efeitos do

    preconceito, embora indique a continuidade de pesquisas sobre a formao do

    preconceito que incluam o elemento ldico em crianas desta faixa etria.

    Palavras chave: preconceito desenvolvimento humano escala F Teoria Crtica

    da Sociedade.

  • 7

    ABSTRACT

    Cabral, F.A. (2016). Investigation on the potential development of prejudice on small

    children. Thesis, Instituto de Psicologia, Universidade de So Paulo, So Paulo.

    This research aims at investigating how three- and four-year-old children react to

    everyday situations, during play time, showing potentially prejudiced behavior. We

    propose adapting the fascist scale (F-scale) to everyday situations represented in a

    ludic way, which allowed us to identify prejudiced elements in children. This research

    was developed in a private school in So Paulo, with three- and four-year-old

    children. During the study, the researcher observed the children as they played with

    dolls (which could have different skin tones, presence or absence of malformation)

    and as they were presented with problematic situations in order to be analyzed

    based on the F-scale. The subjects of the research were also divided into two groups

    those who had classmates with special needs and those who did not. Our objective

    was to identify possible differences in the response pattern regarding the inclusion of

    children with special needs in the classroom environment. The results were analyzed

    based on the Critical Social Theory, pointed to a low score on a manifestation scale

    of attitudes that denotes prejudice in three- to four-year-old children. We might

    conclude that, at this age, it is a favorable moment to intervene aiming at lessening

    prejudice effects. Moreover, it also indicates that research on prejudice formation

    along with ludic elements should continue to be done with children of that age.

    Key words: prejudice, human development, F-scale, Critical Social Theory.

  • 8

    LISTA DE QUADROS

    Quadro I forma de proposio da representao ldica para os sujeitos da

    pesquisa.....................................................................................................................74

    Quadro II relao entre itens medidos pela escala F e elaborao de situaes

    problema da representao ldica............................................................................ 77

    Quadro III- tabulao da avaliao dos juzes sobre as situaes problema

    propostas na representao ldica e o ndice que correspondem na escala F........ 79

    Quadro IV relao final entre itens medidos pela escala F e elaborao de

    situaes problema da representao ldica............................................................ 80

    Quadro V: resultados obtidos no pr-teste. ..............................................................81

    Quadro VI: escala de pontuao para respostas a situaes problema propostas na

    representao ldica................................................................................................ 83

    Quadro VII: escala de pontuao para respostas a situaes problema propostas na

    representao ldica................................................................................................. 86

    Quadro VIII: escala final de pontuao para respostas a situaes problema

    propostas na representao ldica........................................................................... 91

    LISTA DE TABELAS

    Tabela I: resultados medianas, Kruskall-Wallys e U de Mann-Withney calculados

    para a pontuao total obtida por

    criana..................................................