Tipos de Cortes. Corte Manual. Corte a Laser. Corte a Jato D'água. Corte por Cisalhamento. Corte Oxicortes. Corte Plasma.

  • Published on
    18-Apr-2015

  • View
    109

  • Download
    3

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • Tipos de Cortes. Corte Manual. Corte a Laser. Corte a Jato D'gua. Corte por Cisalhamento. Corte Oxicortes. Corte Plasma
  • Slide 2
  • Cortes Manuais Serra manual ( arco de serra) Serra de fita Policorte Serras eltricas manuais Guilhotina Tesoura
  • Slide 3
  • Cortes Manuais Serra manual ( arco de serra) Serra de fita Policorte Serras eltricas manuais Guilhotina Tesoura
  • Slide 4
  • Cortes Manuais Serra Manual Serra Eltrica Manual Policorte Serra Automtica Vertical
  • Slide 5
  • Cortes Manuais Guilhotina Hidrulica Automtica Guilhotina Manual Serra Automtica Horizontal
  • Slide 6
  • Cortes Manuais Tesoura Manual Tesoura Hidrulica
  • Slide 7
  • Corte a Laser
  • Slide 8
  • Laser (cuja sigla em ingls significa Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation, ou seja, Amplificao da Luz por Emisso Estimulada de Radiao) um dispositivo que produz radiao eletromagntica com caractersticas muito especiais: ela monocromtica (possui comprimento de onda muito bem definido), coerente (todas as ondas dos ftons que compe o feixe esto em fase) e colimada (propaga-se como um feixe de ondas praticamente paralelas)Laser (cuja sigla em ingls significa Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation, ou seja, Amplificao da Luz por Emisso Estimulada de Radiao) um dispositivo que produz radiao eletromagntica com caractersticas muito especiais: ela monocromtica (possui comprimento de onda muito bem definido), coerente (todas as ondas dos ftons que compe o feixe esto em fase) e colimada (propaga-se como um feixe de ondas praticamente paralelas) inglsAmplificaoLuzEmissoRadiaoradiaoeletromagnticacomprimento de ondacolimadainglsAmplificaoLuzEmissoRadiaoradiaoeletromagnticacomprimento de ondacolimada Inicialmente, ocorre a estimulao radioativa da luz, que amplificada, produzindo um potente feixe de luz. Ao ser aplicado, esse feixe (que energia luminosa concentrada em um raio nico) ir alterar a composio molecular de uma superfcie estvel (ou seja, do material a ser trabalhado), possibilitando, ento, o corte perfeito dessa superfcie (seguido da etapa de esfriamento).Inicialmente, ocorre a estimulao radioativa da luz, que amplificada, produzindo um potente feixe de luz. Ao ser aplicado, esse feixe (que energia luminosa concentrada em um raio nico) ir alterar a composio molecular de uma superfcie estvel (ou seja, do material a ser trabalhado), possibilitando, ento, o corte perfeito dessa superfcie (seguido da etapa de esfriamento). Geralmente, em um processo de corte a laser tpico, so focados de 1000 a 2000 watts de energia potncia suficiente para efetuar o corte nos materiais mais usuais (o processo trabalha uma variedade grande de materiais). A profundidade de corte atingida fica em torno dos 20mm.Geralmente, em um processo de corte a laser tpico, so focados de 1000 a 2000 watts de energia potncia suficiente para efetuar o corte nos materiais mais usuais (o processo trabalha uma variedade grande de materiais). A profundidade de corte atingida fica em torno dos 20mm.
  • Slide 9
  • A mquina de corte a laser um equipamento que utiliza alta tecnologia. Ela funciona integrada a um sistema CAD/CAM. Nesse sistema, desenvolve-se um minucioso projeto; depois, tomado como guia um arquivo do desenho do projeto, que ser executado no material trabalhado. O processo rpido e eficiente, no demandando o desenvolvimento de matrizes.A mquina de corte a laser um equipamento que utiliza alta tecnologia. Ela funciona integrada a um sistema CAD/CAM. Nesse sistema, desenvolve-se um minucioso projeto; depois, tomado como guia um arquivo do desenho do projeto, que ser executado no material trabalhado. O processo rpido e eficiente, no demandando o desenvolvimento de matrizes. Para que o corte seja executado, um forte gerador produz um raio que encaminhado para a cabea de corte, que direciona o feixe de laser por um caminho tico (definido atravs de espelhos ajustveis). O raio, que at ento apresentava baixa densidade de energia, atravessa uma lente de foco que ajusta a intensidade e o tamanho do feixe.Para que o corte seja executado, um forte gerador produz um raio que encaminhado para a cabea de corte, que direciona o feixe de laser por um caminho tico (definido atravs de espelhos ajustveis). O raio, que at ento apresentava baixa densidade de energia, atravessa uma lente de foco que ajusta a intensidade e o tamanho do feixe. Na sequncia, adicionada uma substncia gasosa (dependendo do tipo de laser), e o feixe focado passa a apresentar uma alta densidade de energia. Finalmente, o feixe convergido sobre o material a ser trabalhado, quando, ento, efetuado o corte (a densidade energtica do feixe derrete o material na linha de corte). Gases assistentes auxiliam a mquina de corte a laser na secagem da pea trabalhada.Na sequncia, adicionada uma substncia gasosa (dependendo do tipo de laser), e o feixe focado passa a apresentar uma alta densidade de energia. Finalmente, o feixe convergido sobre o material a ser trabalhado, quando, ento, efetuado o corte (a densidade energtica do feixe derrete o material na linha de corte). Gases assistentes auxiliam a mquina de corte a laser na secagem da pea trabalhada.
  • Slide 10
  • Cantos com qualidade No causa distoro nas peas Mnima camada de influncia trmica Reduo nos custo da pea Menos sucata Ciclo rpido de produo de amostras Processa uma grande variedade de espessuras Flexibilidade e versatilidade Trabalho sem danos na superfcie das peas Sistema permite operar com peas j puncionadas
  • Slide 11
  • Slide 12
  • Slide 13
  • Slide 14
  • Slide 15
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Slide 18
  • O corte jato de gua uma ferramenta capaz de corte em metal ou outros materiais, usando um jato de gua em alta velocidade e presso, ou uma mistura de gua e uma substncia abrasiva utilizado para fabricao de peas. o mtodo preferido quando o material a ser cortado sensvel s altas temperaturas geradas por outros meios. Foi desenvolvido em 1971. A presso varia entre 30.000 a 50.000 psi Corte Jato dgua
  • Slide 19
  • Aplicao (Jato dgua) Ela tem encontrado aplicaes em um nmero diverso de indstrias desde minerao at aeroespacial, onde utilizado para operaes como corte, modelagem e escultura.
  • Slide 20
  • O cortador comumente ligado a uma alta presso da bomba de gua onde a gua ento ejetada do bocal, cortando o material por asperso com o jato de alta velocidade da gua. Aditivos na forma de gros ou outros produtos abrasivos suspensos, tais como, granada e xido de alumnio, podem ajudar neste processo. Operao (Jato dgua)
  • Slide 21
  • Um benefcio importante do cortador de jato de gua a capacidade de cortar o material, sem interferir com a estrutura material inerente j que no h zona afetada pelo calor. Cortadores de jato de gua tambm so capazes de produzir cortes mais complicados. Com softwares e maquinrio especializados podem-se produzir formas 3D complexas. Benefcios (Jato dgua) )
  • Slide 22
  • Os jatos d'gua podem cortar: Mrmore Granito Pedra Metal Plstico Borracha Madeira Ao inox E outros. Aplicaes (Jato dgua)
  • Slide 23
  • Slide 24
  • O corte por cisalhamento executado colocando-se a chapa e/ou o material a ser cortado entre duas facas de corte de ao especial. A faca inferior fixa e a superior dotada de movimento ascendente/descendente. O esforo cortante produzido pelo movimento descendente da faca superior que, ao penetrar no material a ser cortado, cria: Uma zona de deformao; O corte por cisalhamento; Uma regio fraturada com ruptura por trao; Uma rebarba. Corte por cisalhamento
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Tipos de guilhotinas Mecnica : Executa corte em chapas de ao sobre um traado ou com uso de limitador mecnico(stop) chamado de encosto, incorporado mquina. Sua capacidade de corte para chapas com espessuras inferiores a 13mm e comprimento de at 3000mm. Hidrulica : Apresentam cursos mais longos que as guilhotinas mecnicas. So acionadas por um conjunto moto-bomba que fora o leo para dentro do cilindro empurrando o pisto. Sua capacidade de corte para chapas com espessuras at 25mm e comprimentos de at 4000mm. Pneumtica : Usadas exclusivamente para chapas finas de 1,2mm de espessura por 1500mm de comprimento.
  • Slide 27
  • Tipos de tesouras Manual : Ferramenta manual que executa os mesmos movimentos de uma tesoura de costura. Largamente empregada em caldeirarias e serralherias, na execuo de corte em chapas finas(inferior a 1,2mm) e de pequenas dimenses(at 300mm). No deve ser utilizada em corte de barras e tubos. Vibratria manual : Ferramenta eltrica ou pneumtica manual que executa os mesmos movimentos de uma tesoura de costura. adequada a cortes de chapas finas(inferior a 1,2mm) de pequenas dimenses(at 300mm). Vibratria universal : Mquina tipo pescoo de cisne para cortes em chapas finas(inferior a 3,0mm). Corta de maneira semelhante tesoura de uso domstico, com movimentos alternativos automticos de vai e vem da faca superior. Executa cortes pequenos ou grandes, circulares ou retilneos em qualquer ponto da chapa.
  • Slide 28
  • Cortes por Serra Os aos inoxidveis podem ser cortados por todos os tipos de serras, manuais e mecanizadas. Recomenda-se o uso de lminas de corte de ao rpido para qualquer tipo de equipamento. O corte efetuado em movimentos de vai e vem com amplitude e velocidade adequadas, com o retorno em vazio para evitar um rpido endurecimento da superfcie a ser cortada.
  • Slide 29
  • Tipos de Serras Serra manual : Utilizada para corte de peas finas e servios no repetitivos. Recomenda-se lminas de 32 dentes por polegada para peas com at 1,60mm de espessura e de 24 dentes por polegada para material com espessura compreendida entre 1,60 e 6,35mm de espessura. Serra mecnica : Utilizada para cortes de sees relativamente grossas em trabalhos repetitivos ou no. O emprego de equipamento motorizado permite cortes mais profundos por amplitude de curso e requer o emprego de lminas com dentes mais longos, usualmente de 8 a 12 dentes por polegada. Serra de fita : Largamente utilizada para corte de aos inoxidveis austenticos. Executa cortes retos ou com contorno irregular tanto em chapas quanto em barras e tubos. O emprego de lminas de aos rpidos possibilita maior durabilidade e a utilizao de velocidades de corte maiores.
  • Slide 30
  • Oxicorte (Corte Oxiacetilnico) Processo Simples/Fcil Locomoo/Vrias Espessuras Cortes Retos ou Curvos Gs Combustvel Principal : Acetileno Maior Potncia e Velocidade de Inflamao
  • Slide 31
  • Oxicorte (Corte Oxiacetilnico) Equipamentos Cilindro de Oxignio com Regulador Cilindro de Acetileno com Regulador Vlvula Corta Chamas Vlvula Contra Fluxo Maarico de Corte EPIs
  • Slide 32
  • Oxicorte (Corte Oxiacetilnico)
  • Slide 33
  • Acessrios para Corte Manual
  • Slide 34
  • Oxicorte (Corte Oxiacetilnico) Sistema Automatizado Fotoeltrica ou Microprocessadores
  • Slide 35
  • Corte Plasma O SURGIMENTO DO PROCESSO DE CORTE A ARCO PLASMA Em 1950, o processo TIG (gs inerte de tungstnio) de soldagem estava implantado como um mtodo de alta qualidade para soldar metais nobres. Durante seu desenvolvimento descobriram que se reduzissem o dimetro do bocal por onde saia a tocha de gs para soldagem, o arco era comprimido, aumentando a velocidade e a temperatura do gs. O gs, ionizado, ao sair pelo bocal, em vez de soldar, cortava metais.
  • Slide 36
  • O gs de corte flui pelo centro que contm o eletrodo negativo, um toque da tocha no metal produz um arco eltrico que ioniza o gs, formando o plasma. Desde que ele condutor, a corrente eltrica e o fluxo do gs mantm o processo. Um gs protetor injetado em torno da rea de corte para prevenir oxidao e tambm proporcionar uma certa regulagem da largura do corte. A alta temperatura do plasma funde o metal, produzindo o corte. O gs pode ser argnio hidrognio nitrognio.argnio hidrognionitrognio Corte Plasma
  • Slide 37
  • O plasma foi utilizado para o corte de materiais que no podiam ser cortados pelo processo oxicorte, como ao inoxidvel, alumnio e cobre. Corte Plasma
  • Slide 38
  • Caractersticas do arco plasma: As caractersticas do arco plasma variam de acordo com: O tipo de gs de corte; ( Hidrognio, argnio, nitrognio, Hlio e Oxignio) A quantidade de vazo; O dimetro do bocal (bico de corte) A tenso do arco eltrico.
  • Slide 39
  • Corte Plasma Vantagens do Corte plasma: - A grande vantagem: velocidade de corte ao cortar chapas metlicas finas, quando comparado com o oxicorte. Esta caracterstica e o fato dos equipamentos de corte plasma estarem atualmente muito mais baratos, levou o processo plasma a ser tambm economicamente vivel para o corte dos aos carbono e baixa liga. Vantagens do Corte plasma: - A grande vantagem: velocidade de corte ao cortar chapas metlicas finas, quando comparado com o oxicorte. Esta caracterstica e o fato dos equipamentos de corte plasma estarem atualmente muito mais baratos, levou o processo plasma a ser tambm economicamente vivel para o corte dos aos carbono e baixa liga.
  • Slide 40
  • Corte Plasma Vantagens do Corte plasma: - Economia de gs oxicombustvel e oxignio; - Maior velocidade de corte; - Corte mais limpo sem rebarbas, resultando num melhor acabamento; - Utilizao em lato, alumnio, ao inox, ferro carbono, etc; - Facilidade operacional porque o corte plasma de fcil aprendizagem.
  • Slide 41
  • Corte Plasma Equipamento Manual Maquinas manuais, utilizadas em cortes especficos, serralherias e manutenes mecnicas
  • Slide 42
  • Corte Plasma Equipamento Tipo Rob
  • Slide 43
  • Corte Plasma Equipamento Tipo CNC Especialmente fabricada para associar tecnologias de corte plasma, permitindo a instalao de at duas fontes plasma Onde se exige reas de corte a partir de 2.500 mm de largura til at 5.000 mm, e com comprimentos til de 6.000 mm, 12.000 mm, 18.000 mm ou conforme necessidade do cliente
  • Slide 44
  • TRABALHO SOBRE CORTES Autoria de Anderson Sales, Eduardo Smanioto. Joo Pelegrino, Lucas Serdan, Thales Benegas, Vagner Varandas FIM OBRIGADO

Recommended

View more >