Click here to load reader

TNSJ - Fnac

  • View
    472

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho de Catarina Lourenço, Lídia Rodrigues e Pedro Rodrigues. Análise comparativa das marcas TNSJ e Fnac.

Text of TNSJ - Fnac

INTRODUO

As marcas A necessidade (ou no) de mudana Histria e identificao Principais concorrentes

FNAC

TNSJ

Histria e identificao Principais concorrentes Comparao das marcas aqui estudadas Opinies formadas

CONCLUSO

NDICE

Frana, 1954 , Max Thret e Andr Essel so dois

amigos que tm uma viso diferente do que deveria ser o consumo de cultura e decididem abrir um negcio. Nascia a Fnac, da ideia que a cultura se deveria dirigir ao maior nmero de pessoas e no somente s elites. Entretanto a Fnac passou das mos dos seus fundadores originais para as de grandes grupos empresariais. Em 1977 o maior accionista da Fnac passou a ser a Societ General des cooperatives de Consommation (SGCC). Chegou a Portugal a 28 de fevereiro de 1998, j pela mo do grupo PPR - Grupo Pinault Printemps - que comeou a investir na Fnac em 94 e se tornou seu accionista maioritrio em 1998. Portugal um dos pases onde as lojas Fnac so mais rentveis. O grupo empresarial ao qual a Fnac pertence possui dois tipos de empresas distintas: um sector de retalho com lojas mais econmicas (Fnac, Conforama) e um sector de luxo (lojas do grupo Gucci - Alexander McQueen, Stella McCartney, YvesSaint Laurent). Nesta perspectiva, conseguem os ideiais da marca - influenciados por pensamentos de esquerda, de abertura da cultura populao - sobreviver no que a Fnac actualmente?

Poder-se-ia dizer que sim, uma vez que sendo o maior vendedor de produtos de lazer em mais quatro pases para alm do nosso, se esfora por manter activo o princpio de defesa do consumidor (veja-se o exemplo da facilidade e celeridade do processo de reclamao/troca/arranjo de produtos defeituosos), fundamentado na liberdade e responsabilidade dos vendedores. Criar um espao com grandes variedades de produtos, como tambm obter conselhos de especialistas, encontrar as ltimas novidades e assistir a eventos culturais, so as grandes vantagens propostas pela Fnac. Esta assenta tanto sobre espaos fsicos como virtuais, sempre lugares projectados para a descoberta, encontro e cultura. Entre os seus servios contam-se: caf-concerto, clnica e laboratrio de fotografia. Promovem ainda os novos talentos fnac - msica e fotografia exclusivamente portuguesas, defendendo uma atitude de proteco do que nacional - e neste ponto poderamos referir mais uma vez ainda a influncia de ideais de esquerda. Para alm destes, apresentam o carto fnac, que contm a opo de servio de crdito e que serve para fidelizar os seus clientes, atravs de um sistema de pontos e descontos. Recentemente foi lanado o carto Fnac Kids, que mostra o desenvolvimento de uma sub-marca destinada a crianas. Se se tiver este carto est-se ainda isento de pagar 1 por bilhete de comisso na bilheteira, outro dos servios Fnac. Na Frana, o seu pas de origem, h uma sub-marca da Fnac que funciona como agncia de viagens, a Fnac Voyage. Por ltimo, existe ainda uma mascote, que serve muitas vezes de tema a ilustraes para papel de embrulho, flyers promocionais e outras aplicaes.

Apesar da existncia desta mascote que anima um pouco o cenrio dos produtos Fnac e das enormes quantidades de material publicitrio produzido todos os anos, a imagem da Fnac mantm-se bastante rgida, assentando sobre uma vertente tipogrfica que no muda - 3 diferentes tipografia da marca, que raramente so substitudas ou conjugadas com outras (veja-se a excepo do triflio do carto Fnac Kid) e as cores - o amarelo e o negro da amrca - que se repetem em todas as aplicaes, mais ou menos presentes. Tambm os formatos de muito do material permanece imutvel: as agendas., triflios e flyers com formato idntico, ano aps ano.Do cho das lojas at ao saco e aos embrulhos que vo para esse aco, a fnac controla a sua imagem a nvel nacional e internacional. No existem excepes locais, tudo controlado e uniformizado. O cho cinzento com bolinhas amarelas, as pontas e arestas arredondadas e suavizadas nas imagens, as chvenas de caf Fnac., tudo se repete. A imagem grfica da Fnac limpa, com bastante espao negativo em volta das formas e do texto, com cores suaves, prezando os fundos brancos e uma composio tipogrfica no agressiva, sem mudanas de escala bruscas. Quando utilizam imagem fotogrfica esta muitas vezes recortada e inserida sobre um fundo branco ou limpo e neutro; quando no o , significa que essa imagem j contm algum grau de depurao, sem cores demasiado berrantes que se adequem a todo o esprito Fnac.

A Fnac vende toys, livros, dvds, cds, vinis, merchandising de bandas e jogos, jogos de tabuleiro de estratgia, artigos de papelaria como agendas e cadernos de esboos, representando marcas como a Moleskine; comercia tambm packs de experincias e artigos tecnolgicos. Tendo uma forte aposta na msica portuguesa apoia concertos grtis, sesses de autgrafos e lanamentos de livros. A Fnac funciona como um espao acolhedor e confortvel, com casas de banho e sofs. Pelo seu espao encontramos centros de pesquisa, balces de atendimento por zona, centro de apoio ao cliente, zonas para experimentao de videojogos, dvds a passar (as fnacs tendem a estar coordenadas entre si no que respeita ao material que est a passar), zonas de crianas (onde o cho s cores, existe espao para brincar e passam dvds infantis). Para manter os seus clientes atentos e interessados, enviam mails, marcam produtos com preos verdes e realizam a semana do aderente.

As marcas concorrentes que identificamos em relao Fnac foram a Bertrand Livreiros, a Mundo Fantasma (a um nvel mais local e focado em BD), a Media Markt (o maior) e a Leitura/ Bulhosa. BERTRAND A Bertrand foca-se mais na literatura. Apesar de ter produtos em comum com a Fnac, a sua gama diferencia-se em alguns aspectos. Tambm tem zonas infantis/juvenis, zonas de leitura. As subcategorias de livros temticos(direito, artes, etc) so no entanto mais gerais e no to especializadas como na Fnac. Tambm analogamente, existe o Caf da Bertrand. O material promocional desta marca especificamente direccionados para o consumo de livros, tendo uma imagem mais delicada e clssica em relao da Fnac, com tipografia serifada. Em termos de estratgia de marketing, perde em relao a esta, sendo mais plida aos olhos dos consumidores e no to insistente.

MEDIA MARKT A Media Markt encontra-se direccionado para uma vertente mais comercial, com menos nfase na cultura. Para alm dos produtos que se podem encontrar na fnac (embora no to especializados nem com tanta variedade), possuem tambm uma zona mais dedicada s utilidades electrodomsticas do lar e instrumentos musicais. Possuem tambm um laboratrio de fotografia, com quase todas as funcionalidades do laboratrio da Fnac. A aposta em jogos muito maior do que nesta, bem como zonas de experimentao muito mais avanados. Em termos de estratgia de propaganda, consegue perceber-se esta vertente mais comercial da prpria marca - tipografia em grandes escalas e uso de cores mais berrantes, mais chamativas e populares. Os slogans apelam ao sentido econmico da marca, visando atingir um pblico mais vasto. Em termos de funcionrios, procuram demonstrar ao cliente o ambiente de camaradagem feliz existente entre o seu staff - na entrada, uma parede coberta de fotografias felizes dos empregados, junto a um mapa da expanso da Media Markt no mundo. O espao est muito bem organizado, todos os locais esto assinalados, com o extra de que, na zona dos jogos, um cdigo de cores foi criado. O espao muito maior, mas mais frio, menos acolhedor do que na Fnac - um mero local de passagem, ao contrrio da Fnac que se assume enquanto um local onde as pessoas podem passar algum do seu tempo livre.

Em relao decorao do espao da loja, v-se o lado mais comercial no seu esplendor quando encontramos juntoao rodap do tecto uma fileira dos logos das marcas que vendem, bem como de algumas bandas, sries e filmes. Quanto ao material grfico produzido, se compararmos por exemplo os catlogos de produtos, vemos que as diferenas so enormes, comeando pela escala do suporte - na Media Markt variam, mas normalmente so sempre grandes folhas com folhas de tamanho quase A2, com grandes fundos vermelhos e enormes dgitos a preto e branco, a anunciar os preos. O espao negativo da composio quase inexistente. Finalmente, mesmo o espao de pagamento e sada da loja assemelha-se a uma fileira de caixas de supermercado, e no aos balces habituais de uma loja de produtos culturais.

MUNDO FANTASMA A Mundo Fantasma uma loja muito mais pequena, sem sub-marcas e nica. Tem uma galeria para exposio de banda desenhada e trabalhos de ilustrao. Est mais focada no universo dos comics, toys e jogos de cartas e estratgia. Organizam-se l torneios de trading cards entre outros e os funcionrios so sempre os mesmos. Como um local mais familiar, sobrevive de uma forma mais passa-a-palavra do que propriamente por publicidade, embora se anuncie de forma mais subversiva, atravs de pequenas publicaes de ilustrao e postais.

Portugal, 1789

Em 1789 foi construdo o Real Teatro de S Joo, inaugurado a 18 de Maio., o 1 edifcio construdo de raz no porto destinado exclusivamente apresentao de espectculos. At altura da sua destruo por um incndio, na noite de 11 para 12 Abril de 1908 apresentava essencialmente pera italiana. Em 1920 reenaugurado. Em 1932, devido decadncia da actividade teatral na cidade, passou a S. Joo Cine, dedicandose maioritariamente exibio cinematogrfica. At 1992, foi sendo progressivamente esquecido e o edifcio foi-se degradando. Nesse ano foi adquirido pelo estado, e tomou a sua designao oficial de Teatro Nacional de S. Joo. Entre 93 e 95 recuperou a actividade artstica regular. Primeiro director: Eduardo Paz Barroso. Foi sucedido por Ricardo Pais. Durante 2003, assume a responsabilidade do TECA, agora restaurado. Este espao (TECA) um local de apresentao de trabalhos originais portugueses. Em 2007 o TNSJ tornado uma entidade pblica empresarial, e foi nessa altura que foi atribuda a sua gesto ao Mosteiro S. Bento d

Search related