Trabalho de Higiene e Profilaxia

Embed Size (px)

Text of Trabalho de Higiene e Profilaxia

A HIGIENE NOS LOCAIS DE TRABALHO DA ENFERMAGEM

HIGIENE E PROFILAXIAA PARTE DA MEDICINA QUE ESTUDA OS MEIOS PRPRIOS PARA CONSERVAR A SADE, PERMITINDO O FUNCIONAMENTO NORMAL DO ORGANISMO E A HARMONIZAO DAS RELAES ENTRE O HOMEM E O MEIO NO QUAL VIVE.

S para relembrar...

HIGIENE SIGNIFICA LIMPEZA, ASSEIO, INTERRELAO ENTRE O HOMEM E O MEIO AMBIENTE, NO SENTIDO DA PRESERVAO DA SADE.

PROFILAXIA A APLICAO DE MEIOS QUE TENDEM EVITAR DOENAS OU CONTGIOS. AS MEDIDAS PROFILTICAS INTERROMPEM A INTERAO ENTRE O AGENTE CAUSADOR DA DOENA E O ORGANISMO.

ALGUNS EXEMPLOS DE DOENAS SUJEITAS A PROFILAXIA SO PESTE BUBNICA, HEPATITE, VERMINOSES, DSTS, INFECES HOSPITALARES.

HIGIENE E PROFILAXIA ESTO INTIMAMENTE LIGADAS, POIS A HIGIENIZAO, EM TODAS AS SUAS FORMAS, EVITA A TRANSMISSO E/OU CONTGIO POR AGENTES INFECTOCONTAGIOSOS, LOGO UMA MEDIDA PROFILTICA.

UM POUCO DA PROFISSO...

TCNICO EM ENFERMAGEMOS TCNICOS EM ENFERMAGEM INTEGRAM UMA EQUIPE QUE DESENVOLVE, SOB A SUPERVISO DO ENFERMEIRO, AES DE PROMOO, PREVENO, RECUPERAO E REABILITAO REFERENCIADAS NAS NECESSIDADES DE SADE INDIVIDUAIS E COLETIVAS, DETERMINADAS PELO PROCESSO GERADOR DE SADE E DOENA.

TCNICO EM ENFERMAGEMSUAS ATIVIDADES PROFISSIONAIS SO DESEMPENHADAS EM INSTITUIES DE SADE BEM COMO EM DOMICLIOS, SINDICATOS, EMPRESAS, ASSOCIAES, ESCOLAS, LAR DE IDOSOS E OUTROS.

HIGIENE CORPORAL

A PELE TEM MILHES DE GLNDULAS ESPECIAIS QUE PRODUZEM SUOR, E OUTRAS QUE PRODUZEM UMA SUBSTNCIA PARECIDA COM O SEBO. A FALTA DE BANHO PROVOCA O ACMULO GRADATIVO DESSAS SUBSTNCIAS, QUE SE SOMAM S SUJEIRAS EXTERIORES (POEIRAS, TERRA, AREIA, ETC.).

CORTAR AS UNHAS E MANT-LAS MANTSEMPRE LIMPAS SO MEDIDAS IMPORTANTES PARA PREVENIR CERTAS DOENAS. QUANDO A PESSOA COLOCA A MO NA BOCA, A SUJEIRA ARMAZENADA DEBAIXO DAS UNHAS PODE DAR ORIGEM A VERMINOSE E OUTRAS DOENAS INTESTINAIS.

ALM DISSO, VALORIZAR OS ASPECTOS ESTTICOS RELACIONADOS BELEZA DAS UNHAS. E PROCURAR ELIMINAR O HBITO DE ROER UNHAS.

VESTURIOO CORPO HUMANO REGULA, AUTOMATICAMENTE, SUA TEMPERATURA QUANDO EXPOSTO AO FRIO OU CALOR. ENTRETANTO, QUANDO H EXPOSIO AOS EXCESSOS DE TEMPERATURA, PODEM SURGIR ALTERAES NO ORGANISMO. MOSTRE QUE O VESTURIO IMPORTANTE NA MANUTENO DA TEMPERATURA CORPORAL.

EXISTE UMA NTIMA RELAO ENTRE DENTES BEM CUIDADOS E BOA SADE. PORTANTO, A LIMPEZA CORRETA DOS DENTES IMPEDE A FORMAO DAS CRIES.

CABELOSDEVEM SER CORTADOS HABITUALMENTE. E LAVADOS COM SHAMPOO OU SABO DIARIAMENTE, OU ENTO, TRS VEZES POR SEMANA. DESTACAR OS FATORES ESTTICOS RELACIONADOS COM CABELOS LIMPOS, CHEIROSOS E BEM CORTADOS.

LAVAGEM DAS MOS

LAVAGEM DAS MOSAS MOS SO O PRINCIPAL VECULO DE TRANSMISSO DOS MICRORGANISMOS DE UM INDIVDUO PARA OUTRO. A LAVAGEM DAS MOS UMA ROTINA SIMPLES, EFICAZ, E DE MAIOR IMPORTNCIA NA PREVENO E CONTROLE DA DISSEMINAO DE INFECES.

LAVAGEM DAS MOSA LAVAGEM DAS MOS DEVE SER FEITA SEMPRE ANTES DE PRESTAR CUIDADOS A DOENTES CUJAS BARREIRAS NATURAIS CONTRA A INFECO ESTEJAM COMPROMETIDAS, ANTES DE PRESTAR CUIDADOS A DOENTES PARTICULARMENTE DEBILITADOS,

ANTES DE MANIPULAR MEDICAMENTOS OU MATERIAL ESTERILIZADO, APS OCORRER CONTAMINAO DAS MOS COM FLUIDOS ORGNICOS, MANIPULAR ROUPA SUJA OU MATERIAIS CONTAMINADOS, UTILIZAR OS SANITRIOS OU REMOVER AS LUVAS.

QUANDO LAVAR AS MOS

A) ANTES DE: INICIAR O TRABALHO; - MANUSEAR ALIMENTOS E MEDICAMENTOS. CONTATO DIRETO COM O PACIENTE. DE ALIMENTAR-SE. ALIMENTAR DE UTILIZAR O BANHEIRO.

QUANDO LAVAR AS MOSB) APS: CONTATO DIRETO COM SECREES E MATRIA ORGNICA; CONTATO COM SUPERFCIES E ARTIGOS CONTAMINADOS; PROCEDIMENTOS DE HIGIENE PESSOAL; CONTATO DIRETO COM O PACIENTE; MANUSEAR LIXO; TRMINO DE CADA TAREFA; SAIR DO BANHEIRO; TRMINO DA JORNADA DE TRABALHO.

FORMA CORRETA DE LAVAGEM DAS MOS

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOA HIGIENIZAO DO LOCAL DE TRABALHO DEVE SER COMPLETA E CONSTANTE PARA IMPEDIR A CONTAMINAO, LEVANDO A PROLIFERAO E/OU AGRAVO DE DOENAS TRANSMISSVEIS; RETIRANDO ALM DE CAROS E POEIRAS, OS MICROORGANISMOS PRESENTES NO AMBIENTE DE TRABALHO; E EVITANDO, AINDA, RATOS, BARATAS E ARANHAS.

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOMANTER O AMBIENTE AREJADO E COM ILUMINAO SOLAR SO AES QUE NO POSSUEM CUSTO E AUXILIAM NA HIGIENIZAO DO ESPAO FSICO.

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOy LIMPEZA REGULAR DE TODAS AS

SUPERFCIES EXISTENTES, MANTENDO O AMBIENTE COM UM ELEVADO NVEL DE HIGIENE, UTILIZANDO PARA ISSO DESINFETANTES ADEQUADOS A CADA SUPERFCIE.

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOy DESENVOLVER POLTICAS PARA

UTILIZAO DAS TCNICAS DE LIMPEZAS ADEQUADAS A CADA CLIENTE, FREQUNCIA E PRODUTOS NECESSRIOS A UTILIZAR PARA CADA TIPO DE SALA DESDE A CONTAMINADA MAIS LIMPA.

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOy ASSEGURAR QUE OS

DISTRIBUIDORES DE SABO LQUIDO E OS TOALHETES SO ENCHIDOS COM A FREQUNCIA NECESSRIA.

HIGIENE NO LOCAL DE TRABALHOy FAZER A MUDANAS DOS

SACOS DOS CAIXOTES, COLOCANDO CADA SACO COM A RESPECTIVA COR NO LOCAL PRPRIO.

CONCEITOS DE LIMPEZAA LIMPEZA UM PROCESSO DE LOCALIZAR, IDENTIFICAR, CONTER, REMOVER E DESFAZER - SE DE FORMA ADEQUADA, DE SUBSTNCIAS INDESEJVEIS, OU SEJA, POLUENTES, DE UMA SUPERFCIE OU AMBIENTE.

QUANDO NOS REFERIMOS HIGIENE, FALAMOS NO APENAS DA INDIVIDUAL, NO DIA-A-DIA, COMO TOMAR BANHO E DIAESCOVAR OS DENTES. ALM DESSAS AES, VOLTADAS PARA O CUIDADO E PRESERVAO DO CORPO, TODAS AQUELAS DIRECIONADAS MANUTENO DA SADE MENTAL TAMBM INTEGRAM O QUE DENOMINAMOS HIGIENE PESSOAL.

NESSA PERSPECTIVA, O HOMEM DEVE SER ORIENTADO A BUSCAR UMA VIDA EQUILIBRADA, RECONHECENDO, PORM, QUE A SADE FSICA E MENTAL DEPENDEM DE AES TANTO INDIVIDUAIS COMO COLETIVAS.

CONSEQENTEMENTE, O CONCEITO DE HIGIENE DEVE INCORPORAR A DIMENSO SOCIAL, QUE ABRANGE OS FATORES ECONMICOS E POLTICOS, REDUNDANDO A RESPONSABILIDADE GOVERNAMENTAL.

OBJETIVOS y RETIRAR FOCOS DE CONTAMINAO; y EVITAR RISCOS DE CONTAMINAO; y EVITAR ACIDENTE DE TRABALHO; y MANTER APARNCIA AGRADVEL DO AMBIENTE PARA O CLIENTE E FUNCIONRIOS.

HIGIENE E PREVENO NO LOCAL DE TRABALHO DESTES PROFISSIONAIS

NORMAS PARA HIGIENE HOSPITALAR/ CONSULTRIOSAPRESENTAO PESSOAL y DIARIAMENTE DEVERO APRESENTARAPRESENTAR-SE AO TRABALHO COM CABELOS LIMPOS E PRESOS. y USAR UNIFORME, MANTENDO-O MANTENDOLIMPO E PASSADO. y MANTER AS UNHAS CURTAS, LIMPAS E SEM ESMALTE.

NORMAS PARA HIGIENE HOSPITALAR/ CONSULTRIO ODONTOLGICOy NO FUMAR OU COMER NAS

INSTALAES INTERNAS, SOMENTE NO REFEITRIO. y HIGIENE PESSOAL DIRIA (BANHO E UTILIZAR DESODORANTE). y UTILIZAR MATERIAL DE PROTEO EPI: LUVAS DE BORRACHA QUANDO ESTIVER EXPOSTOS A ATIVIDADE DE RISCO, AVENTAL, BOTAS E CULOS DE PROTEO. y UTILIZAR O CRACH DE IDENTIFICAO.

DESCONTAMINAO E DESINFECO DE SUPERFCIE A DESCONTAMINAO DE SUPERFCIE EST INDICADA QUANDO EM PRESENA DE MATRIA ORGNICA, ANTECEDENDO A LIMPEZA DAS SUPERFCIES.

SOLUES PARA DESINFECO DE SUPERFCIE

y LCOOL ETLICO 70% y HIPOCLORITO DE SDIO 1%

SOLUES PARA DESINFECO DE SUPERFCIE VRIOS ESTUDOS MOSTRARAM QUE SOLUES CONTENDO 70% DE LCOOL SO DESINFETANTES CUTNEOS EFICAZES. ESTAS SOLUES SO MAIS EFICAZES QUE OS SABES ANTIMICROBIANOS E SO CAPAZES DE REDUZIR EM 100.000 VEZES A CARGA BACTERIANA NAS MOS.

FREQUENCIA DE DESINFECOA) FEITA SEMPRE NA PRESENA DE MATRIA ORGNICA (SANGUE, SECREES, FEZES, ETC.); B) APS REMOO DO PACIENTE POR: ALTA, BITO, TRANSFERNCIA OU SUPRESSO DE MEDIDAS DE ISOLAMENTO; C) EM REAS CRTICAS AO INICIAR A JORNADA DE TRABALHO (2 VEZES POR DIA) E QUANDO HOUVER NECESSIDADE; NAS SEMI-CRTICAS 1 VEZ AO DIA, APS A SEMILIMPEZA DIRIA, E SEMPRE QUE HOUVER NECESSIDADE.

AS MOS DEVEM SER LAVADAS COM SABO GERMICIDA ANTES E IMEDIATAMENTE APS O USO DAS LUVAS.

O SIMPLES EMPREGO DE LUVAS NO ELIMINA A NECESSIDADE DE LAVAR AS MOS, UMA VEZ QUE A PRPRIAS LUVAS PODEM SER CONTAMINADAS DURANTE ACIDENTES PERFURANTES OU DURANTE SUA COLOCAO E REMOO.

CONTATO COM PRODUTOS QUMICOSMAIS ACENTUADO NO AMBIENTE DE SADE, SEJA DURANTE O MANUSEIO DE MEDICAMENTOS - QUE ACABAM SENDO INALADOS QUANDO DE SEU PREPARO -, SEJA PELO CONTATO COM PRODUTOS UTILIZADOS EM DESINFECO, ESSE FATO IGUALMENTE NO RECEBE A DEVIDA ATENO.

CONTATO COM SECREES E ELIMINAESA PROBABILIDADE DE ADQUIRIR UMA DOENA INFECTO-CONTAGIOSA INFECTOREPRESENTA SRIO PROBLEMA ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SADE. PARA SUA MINIMIZAO, AS INSTITUIES DEVEM DAR ESPECIAL ATENO AOS PROGRAMAS DE EDUCAO CONTINUADA, VACINAO, MONITORAMENTO PERIDICO DA INCORPORAO DE NOVOS HBITOS E FISCALIZAO DA UTILIZAO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEO INDIVIDUAL.

ESTRESSEO PERMANENTE CONVVIO COM SITUAESSITUAES-LIMITE FAZ COM QUE O PROFISSIONAL DE SADE TENHA MAIOR SUSCEPTIBILIDADE AO ESTRESSE, SEJA DEVIDO AO CONTATO COM A MISRIA E O SOFRIMENTO HUMANOS, SEJA PELA IMPOTNCIA DIANTE DA DIMENSO DOS PROBLEMAS, DIFICULDADES E COMPLEXIDADE DO TRABALHO EM EQUIPE.

CUIDADOS ESPECIAIS

DESCARTE DEMATERIAL PRFURO-CORTANTE PRFURO-

DIARIAMENTE E SEMPRE QUE NECESSRIO (AO ATINGIR O LIMITE DELIMITADO PELA LINHA PONTILHADA), A SERVENTE LACRAR A CAIXA DE PRFUROPRFUROCORTANTE, SUBSTITUINDO-A SUBSTITUINDOPOR OUTRA.

DESCARTE DEMATERIAL PRFURO-CORTANTE PRFURO-

DESCARTAR A SERINGA COM A AGULHA FIXADA (NO TENTAR DESCONECTAR A AGULHA DA SERINGA).

COMPARAES ENTRE AMBIENTES

HOSPITAL LIMPO

HOSPITAL SUJO

CONSEQUENCIAS DA FALTA DE HIGIENE EM HOSPITAIS

BICHO GEOGRFICO

SARNA

INFECO HOSPITALAR CAUSADA POR BACTRIA

LCERA DE PRESSO

LCERA DE PRESSO

LCERA DE PRESSO

ULCERA DE PRESSO COM MARGOTS (VERMES)

Locais onde se desenvolvem as lceras de Presso