of 23 /23
FILOSOFIA II FILOSOFIA II ANTROPOLOGIA e ÉTICA ANTROPOLOGIA e ÉTICA Professor: Douglas Professor: Douglas

Trabalho kant prof douglas

Embed Size (px)

Citation preview

FILOSOFIA II FILOSOFIA II ANTROPOLOGIA e ÉTICAANTROPOLOGIA e ÉTICA

Professor: DouglasProfessor: Douglas

Cleide de Oliveira P. MartinsCleide de Oliveira P. Martins

Elizabeth Alves Soares MonteiroElizabeth Alves Soares Monteiro

Gabriela Helena da SilvaGabriela Helena da Silva

Glauciane Rosa de SouzaGlauciane Rosa de Souza

Junia Mara Ferreira da SilvaJunia Mara Ferreira da Silva

SarahSarah

Tayna Lopes dos SantosTayna Lopes dos Santos

Textos básicos de éticaImmanuel Kant

(1724-1804)

Immanuel Kant

Filósofo alemão. Fundador da filosofia crítica.

Recebeu uma educação pietista. Ele é

considerado um dos pensadores mais influentes

da Europa moderna e do último período do

Iluminismo, situa a razão no centro do mundo.

Fundamentação da Metafísica dos Fundamentação da Metafísica dos Costumes Costumes – – O Imperativo CategóricoO Imperativo Categórico

  Fundamentação da Metafísica dos CostumesFundamentação da Metafísica dos Costumes é  é o primeiro livro de Kant que, de forma o primeiro livro de Kant que, de forma sistemática, volta-se para o problema da sistemática, volta-se para o problema da moralidade humana. Nessa obra Kant procura moralidade humana. Nessa obra Kant procura identificar e postular o que seria o Juízo identificar e postular o que seria o Juízo Sintético Sintético A PrioriA Priori fundamental o supremo  fundamental o supremo princípio da moralidade o qual toda ação princípio da moralidade o qual toda ação humana deve se submeter: o humana deve se submeter: o Imperativo Imperativo CategóricoCategórico..

Princípios que norteiam nossa vontadePrincípios que norteiam nossa vontade

  Imperativos de HabilidadeImperativos de Habilidade são imperativos  são imperativos hipotéticos problemático-práticos que servem hipotéticos problemático-práticos que servem como meios para atingir um fim, e são como meios para atingir um fim, e são considerados bons por sua eficácia e não em si considerados bons por sua eficácia e não em si mesmos. mesmos.

Imperativos de SagacidadeImperativos de Sagacidade  são os   são os imperativos hipotéticos assertórico-práticos imperativos hipotéticos assertórico-práticos preocupados com a melhor maneira de se preocupados com a melhor maneira de se atingir um fim, pois se relaciona com a melhor atingir um fim, pois se relaciona com a melhor escolha dos meios para um fim específico e escolha dos meios para um fim específico e são considerados bons por sua eficiência. são considerados bons por sua eficiência.

   Imperativos da MoralidadeImperativos da Moralidade são imperativos  são imperativos categóricos que são considerados bons em si categóricos que são considerados bons em si mesmos e independem dos resultados obtidos, pois mesmos e independem dos resultados obtidos, pois seu valor está colocado pela razão pura prática de seu valor está colocado pela razão pura prática de forma forma a prioria priori, em conformidade com a Lei Máxima , em conformidade com a Lei Máxima Moral que determina nossa vontade para agir a Moral que determina nossa vontade para agir a partir de sua necessidade e universalidade.partir de sua necessidade e universalidade.

  

Quando um imperativo categórico determina o bom Quando um imperativo categórico determina o bom da ação pela disposição que se nutre da própria da ação pela disposição que se nutre da própria ação independente do que se atinja com ela, ele ação independente do que se atinja com ela, ele pode ser chamado de pode ser chamado de Imperativo da MoralidadeImperativo da Moralidade..

Kant define a palavra esclarecimento (iluminismo) como a saída do homem de sua menoridade intelectual

Kant define essa menoridade como a incapacidade do homem de fazer uso do seu próprio entendimento

A permanência do homem na menoridade se deve ao fato de ele não ousar pensar

Ética e esclarecimento

A covardia, a preguiça e o comodismo são as causas que levam os homens a permanecerem na menoridade

É cômodo que existam pessoas e objetos que pensem e façam tudo e tomem decisões em nosso lugar

É mais fácil que alguém o faça, do que fazer determinado esforço, pois já existem outros que podem fazer por mim

A menoridade é natural, pois se confunde com imaturidade, já que nenhuma pessoa nasce pronta. Kant afirma que é difícil para o homem sozinho livrar-se dessa menoridade intelectual, pois ela se apossou dele como uma segunda natureza

Mas o que não pode acontecer é o indivíduo permanecer na menoridade a vida toda, renunciando esse processo a si e aos outros.

Kant questiona aquelas autoridades Kant questiona aquelas autoridades

principalmente religiosas que, através do principalmente religiosas que, através do

medo ou do constrangimento, mantêm seus medo ou do constrangimento, mantêm seus

sujeitos em menoridade quando já teriam sujeitos em menoridade quando já teriam

condições intelectuais de não sê-lo, e ironiza condições intelectuais de não sê-lo, e ironiza

aqueles sujeitos que vivem uma situação de aqueles sujeitos que vivem uma situação de

menoridade auto imposta.menoridade auto imposta.

Aquele que tentar sozinho terá inúmeros impedimentos, pois seus tutores sempre tentarão impedir que ele experimente tal liberdade. Para Kant, são poucos aqueles que conseguem pelo exercício do próprio espírito libertar-se

Para haver esclarecimento deve se ter liberdade, mas a limitação desta está por toda parte.

Em várias situações se pode questionar, mas não se pode desobedecer.

um grande exemplo disso é o pagamento do imposto: pode-se questionar este pagamento, mas não se deve deixar de pagá-lo, pois acarretaria diversas consequências.

não raciocineis! O oficial diz: não não raciocineis! O oficial diz: não raciocineis, mas exercitai-vos! O financista raciocineis, mas exercitai-vos! O financista diz: não raciocineis, mas pagai! O diz: não raciocineis, mas pagai! O sacerdote proclama: não raciocineis, mas sacerdote proclama: não raciocineis, mas crede. Eis aqui, por toda a parte a crede. Eis aqui, por toda a parte a limitação da liberdade segundo Kantlimitação da liberdade segundo Kant..(Marcondes, 2007,p.96)(Marcondes, 2007,p.96)

Logo ser esclarecido é, antes de tudo, um compromisso moral com o requinte e bem-estar da sociedade, respeitando as hierarquias sociais existentes.

Portanto, por medo, comodismo, oportunismo ou preguiça, poucos se tornam efetivamente esclarecidos, embora tenham condições intelectuais.

Pista para reflexão:

“vivemos numa época esclarecida?”

[...][...]“Não, vivemos em uma época “Não, vivemos em uma época de esclarecimento”. Falta muito para que os de esclarecimento”. Falta muito para que os homens, em geral, nas condições atuais, homens, em geral, nas condições atuais, estejam habilitados para servir-se bem de seu estejam habilitados para servir-se bem de seu próprio entendimento das questões religiosas próprio entendimento das questões religiosas sem o auxilio da compreensão alheia. Porem sem o auxilio da compreensão alheia. Porem temos claros indícios de que agora o campo temos claros indícios de que agora o campo lhes foi aberto para se desenvolverem lhes foi aberto para se desenvolverem livremente e que gradualmente tornam-se livremente e que gradualmente tornam-se menores os obstáculos ao esclarecimento menores os obstáculos ao esclarecimento geral e a saída da sua menoridade auto geral e a saída da sua menoridade auto imposta. Nesta perspectiva esta é a época do imposta. Nesta perspectiva esta é a época do esclarecimento.[...] (Marcondes, 2007, p.99).esclarecimento.[...] (Marcondes, 2007, p.99).

Kant responde a esta interrogação no Kant responde a esta interrogação no século XIX, mas se estivesse neste século século XIX, mas se estivesse neste século com seria sua resposta?com seria sua resposta?

É bem provável que alguns já consigam, mas É bem provável que alguns já consigam, mas ainda é difícil para a grande maioria deixar a ainda é difícil para a grande maioria deixar a menoridade e pensar por si próprio. Como menoridade e pensar por si próprio. Como era o desejo de Kant, que influenciou grande era o desejo de Kant, que influenciou grande número de pessoas no período do número de pessoas no período do “iluminismo”.“iluminismo”.

Atualmente mais do que nunca é Atualmente mais do que nunca é necessário ser esclarecido. necessário ser esclarecido. Principalmente porque os meios de Principalmente porque os meios de comunicação social enchem a mente das comunicação social enchem a mente das pessoas com informações inúteis e pessoas com informações inúteis e alienantes, com ocupações alienantes, com ocupações desnecessárias, sendo quase impossível desnecessárias, sendo quase impossível ser alguém esclarecido, alguém com ser alguém esclarecido, alguém com senso crítico e com pensar próprio. senso crítico e com pensar próprio.