of 42/42
Violência Doméstica

Violência Doméstica - ubibliorum.ubi.pt§ão... · Depois da explosão da violência, ocorre um período de descompressão, e o ... conjugal no passado e no momento actual. Gráfico

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Violência Doméstica - ubibliorum.ubi.pt§ão... · Depois da explosão da violência, ocorre um...

  • Violncia Domstica

  • Mito ou Realidade

    Violncia domstica ocorre somente com pessoas pobres,

    de baixo nvel educacional, famlias pequenas e

    disfuncionais

  • Agressores so loucos

    Mito ou Realidade

  • O agressor pode sofrer consequncias do seu

    comportamento

    Mito ou Realidade

  • Uma bofetada uma forma de

    mau trato

    Mito ou Realidade

  • O problema no realmente o abuso contra a mulher, mas o

    abuso de um companheiro com o outro.

    Mulheres so to violentas quanto os homens

    Mito ou Realidade

  • As crianas que assistem ou sofrem de violncia domstica

    tm mais distrbios comportamentais e menor capacidade de socializao

    Mito ou Realidade

  • Os homens que agridem fazem-no porque no podem controlar-se ou porque tm

    "baixo controle dos impulsos"

    Mito ou Realidade

  • Drogas e lcool causam o abuso

    Mito ou Realidade

  • Os agressores so quase sempre bons pais, e devem

    partilhar da custdia de seus filhos

    Mito ou Realidade

  • Se uma mulher espancada quiser sair de

    casa, deve chamar a polcia

    Mito ou Realidade

  • Se o agressor promete que vai parar, a vtima

    est a salvo

    Mito ou Realidade

  • VIOLNCIA DOMSTICA

    Fonte: Google Imagens

  • VIOLNCIA DOMSTICA

    Conjunto de condutas de carcterabusivo perpetuado de formaintencionalizada sobre o cnjuge,podendo envolver aces violentas eno-violentas (e.g., actos,verbalizaes, omisses);

    Assumem o propsito de dominar avtima, de lhe infligirdeliberadamente dano, induzir medo,faz-la sentir-se subordinada,desvalorizada e incompetente(Matos, 2005).

  • Violncia Conjugal

    Violncia de Gnero

    Violncia contra Idosos

    Violncia contra Crianas

    VIOLNCIA DOMSTICA

  • VIOLNCIA DOMSTICA

    A famlia o foco de violncia mais destacado da sociedade;

    Aps o surgimento do primeiro episdio de maltrato, e apesar do agressor se mostrar arrependido, a probabilidade de novos episdios, e por motivos cada vez mais insignificantes, muito maior;

    Aps a quebra das inibies relacionadas com o respeito pela outra pessoa, a utilizao da violncia como estratgia de controlo do comportamento torna-se cada vez mais frequente;

    Fonte:Google Imagens

  • VIOLNCIA DOMSTICA

    A violncia domstica pode funcionar como uma conduta agressiva que aprendida de forma vicariante pelas crianas, e que se transmite culturalmente s geraes posteriores;

    A cronicidade uma das caractersticas particulares da violncia domstica;

    A busca tardia de ajuda teraputica explica-se por razes econmicas, sociais, familiares, e psicolgicas, assim como o medo perante o futuro.

    Fonte:Google Imagens

    putos.flv

  • VIOLNCIA DOMSTICA

    Os esteretipos sociais desempenham um papel importante na ocultao da violncia domstica

    O mito social da mulher enquanto vtima e do homem enquanto agressor

    Coabitao dos sujeitos envolvidos na violncia

    Padres disfuncionais de seleco de parceiros

    Fonte:Google Imagens

    apav.flvkaira.flv

  • Consequncias da violncia domstica

    Vtimas:

    Consequncias fsicas;

    Ansiedade;

    Depresso (taxas de suicdio mais elevado);

    Problemas psicossomticos;

    Constante estado de stress e medo;

    Etc.Fonte:Google Imagens

  • Tipos de violncia

    Agresso fsica

    Agresso sexual

    Agresso econmica

    Agresso emocional

    Agresso liberdade

  • Agresso fsica

    - quando envolve agresso directa

    Fonte:Google Imagens

  • Agresso sexual

    - quando envolve o uso da fora para obter ganhos sexuais

    Fon

    te:G

    oo

    gle

    Imag

    ens

  • Agresso econmica

    - quando envolve o controle dos recursos econmicos da vtima

    Fonte:Google Imagens

  • Agresso emocional

    - quando envolve agresso verbal, ameaas, gestos e posturas agressivas

    Fon

    te:G

    oo

    gle

    Imag

    ens

  • Agresso liberdade

    - quando envolve o controle da vida social da vtima

    Fon

    te:G

    oo

    gle

    Imag

    ens

  • 2 fase

    Exploso da

    violncia

    3 fase

    Lua de mel

    1 fase

    Aumento da tenso

    Fonte: APAV

    Ciclo da Violncia

  • 1 fase- Aumento da tensoO agressor enfrente algumas dificuldades e problemas no seu dia-a-dia que lhe provocam tenses que ele no sabe gerir sem recorrer violncia. Dia aps dia vo aumentando, at que as descarrega sobre a vtima, sem esta ter qualquer responsabilidade, culpando-a, recorrendo a motivos pouco consistentes e insignificantes para provocar discusses e assim depois perpetrar a violncia, seja ela de que tipo for.

    2 fase- Exploso da violnciaO agressor passa a aco, exercendo abuso Fsico, Psicolgico e Sexual. Estes actos podem atingir uma elevada intensidade podendo colocar em risco a prpria morte da vtima.

    3 fase- Lua de melDepois da exploso da violncia, ocorre um perodo de descompresso, e o agressor altera as suas atitudes e comportamentos para com a vtima, manifestando arrependimento e prometendo que no vai voltar a ser violento, demonstrando ateno, cuidado e afecto para com a vtima, para que esta o desculpe e no abandone a relao.

  • A vtima vai vivendo este ciclo numa contradio de sentimentos, desde o medo e desespero e a confiana e amor, oscilao que corresponde aos comportamentos do agressor e a fase do ciclo em que est a relao. Esta oscilao provoca uma certa confuso na vtima e gera incertezas e dvidas quanto possibilidade do agressor vir realmente a mudar o seu comportamento, facto que aumenta ainda mais os seus sentimentos de culpabilidade, o que dificulta o processo de tomada de deciso quanto eventual sada da relao (APAV).

    Este ciclo de violncia funciona como uma espiral, pois a violncia aumenta em frequncia e severidade ao longo do tempo (McClennen, 2005).

    No Denuncia

  • Para alm do referido, existem outros factores que dificultam a sada da vtima da relao, tais como: Minimizao da violncia sofrida, associada a atitudes de passividade e culpabilidade; Crena na mudana do comportamento do agressor; Dependncia emocional da vtima em relao ao agressor, reforada pelo medo do desconhecido e da solido; Dependncia econmica da vtima; falta de apoio familiar; Medo de represlias ou retaliaes; Isolamento social; Falta de confiana na eficcia das instituies; Falta de conhecimento sobre ou apoios e recursos disponveis na comunidade; e Nvel emocional da vtima (APAV).

    As consequncias pessoais para a sade fsica e psicolgica das vtimas de violncia conjugal so vrias: como consequncias fsicaspodemos enunciar Traumatismos resultantes das agresses; Dores crnicas; Cansao crnico; Suicdio, homicdio; e como consequncias psicolgicas a Baixa auto-estima; Vergonha, culpa; Ansiedade, angstia, raiva; Fobias, ataques de pnico; Depresso; Confuso mental, dificuldade de concentrao; Perturbao de sono e/ou alimentar; e Pensamentos suicidas (APAV).

  • Universidade da Beira InteriorDepartamento de Psicologia e Educao

    Investigao2ano/2ciclo

    2009/2010

    Orientador: Prof. Dr. Henrique Pereira

    Estagiria: Catarina Pombo

  • Objectivo do estudo: Verificar a prevalncia da Violncia Conjugal em mulheres covilhanenses e avaliar as suas crenas e atitudes face temtica.

    Populao: Mulheres, residentes no concelho da Covilh, de vrias idades, estados civis, estatutos scio-econmicos e escolaridade.

    Amostra: N=400 (para assegurar a representatividade da populao).

    Instrumento: Questionrio scio-demogrfico (construdo somente para o estudo) e Escala de Crenas sobre Violncia Conjugal (ECVC) de Carla Machado, Miguel Gonalves e Marlene Matos (Universidade do Minho).

    Resultados preliminares

  • Grfico 1: Frequncia de idades

    0

    5

    10

    15

    20

    25

    30

    12 15 17 19 21 23 25 27 29 31 33 35 37 39 41 43 45 47 49 51 53 55 57 59 61 63 66 69 74 77

    Frequncia - Idades

    Idades

  • Grfico 2: Limite mnimo, mximo e mdia de idades

  • Grfico 3: Frequncia do Estado Civil

  • Grfico 4: Frequncia da Escolaridade

  • Grfico 5: Percentagem do Local de Residncia

    49%51%

    Residncia

    dentro da cidade fora da cidade

  • Grfico 6: Frequncia do Estatuto Socio-Econmico

    121

    288

    78

    13

    Alto Mdio-Alto Mdio Mdio-Baixo Baixo

    Frequncia - Estatuto Socio-Econmico

    Frequncia - Estatuto Socio-Econmico

  • Grfico 7: Prevalncia de Vtimas de violncia conjugal no momento actual

    10

    391

    Sim No

    Violncia Conjugal Actual

  • Grfico 8: Prevalncia de Vtimas de violncia conjugal no passado

  • Grfico 9: Comparao entre vtimas de violncia conjugal no passado e no momento actual

  • Grfico 10: A quem denunciar um caso de violncia

    38%

    36%

    25%

    1%

    Denunciar

    Foras Policiais Familia/Amigos APAV No Denunciar