of 21 /21
MOVIMENTOS SOCIAIS e Redes Sociais

Movimentos Sociais e Redes Sociais

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um pequeno resumo das ideias de Gene Sharp e a ideia do Macrowikinomics. Arquivo atualizado em 06/11/2014.

Citation preview

Page 1: Movimentos Sociais e Redes Sociais

MOVIMENTOS SOCIAIS

e Redes Sociais

Page 2: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Curso de Direito Turno Noturno

Alunos: Beatriz Rizzo Volpi Eduardo Marques Cruz Estefany Jaqueline Mota Gabriel Toledo Otilia Afonso Yan Borges

Ciências Sociais

Page 3: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Proposta do trabalho

Nossa proposta é apresentar a obra de Gene Sharp e como ela se comunica com o a ideia do Macrowikinomics, de Don Tapscott e Anthony D. Williams, para o contexto social, e como estas ações pacificas e colaborativas podem utilizar das ferramentas das Redes Sociais, e assim ajudar na melhoria das questões sociais.

Duas ideias principais me chamam atenção em especial. Aqui podemos fazer o bem sem saber a quem, e a forma como podemos transformar e levar novas ideias a todos.

Obrigada ao grupo que comprou esta ideia e ajudou a elabora este trabalho.

Otília

Page 4: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Gene Sharp escreveu sobre a luta social não violenta, ele relata que as pessoas não precisam ser agressivas para conseguir seus direitos. Uma sociedade pode ser pacífica.

Gene Sharp criou uma organização sem fins lucrativos que é aplicada aos estudos, dvulga como ter uma ação pacífica com os conflitos do mundo.

Da Ditadura à Democracia

Page 5: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Sua organização chamada Bolsa da Sharp, está estimulando as organizações ao redor do mundo. " Mais recentemente, um movimento de protesto que derrubou o presidente Mubarak do Egito chamou atenção, extensivamente sobre suas idéias, bem como o movimento da juventude na Tunísia, e os anteriores na Europa Oriental, chamadas de “revoluções coloridas” que anteriormente tinha sido inspirados pelo trabalho de Sharp."

O livro de Gene Sharp, que usado como um manual "Da Ditadura à Democracia", teve a utilidade para as campanhas de Otpor da Sérvia, Pora da Ucrânia e etc.

A organização Albert Einstein Institution, foi criada para divulgar os métodos de resistência em conflitos e explorar seu potencial político e comunicar estes resultados através da imprensa e outros meios de comunicação, traduções, conferências , consultas e oficinas.

Page 6: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Protesto na Praça da Paz Celestial - 1989

O Protesto na Praça da Paz Celestial (Tian'anmen) em 1989, mais conhecido como Massacre da Praça da Paz Celestial, ou ainda Massacre de 4 de Junho consistiu em uma série de manifestações lideradas por estudantes na República Popular da China, que ocorreram entre os dias 15 de abril e 4 de junho de 1989.

Page 7: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Primavera Árabe - 2010

Recentemente na Primavera Árabe, que pode querer chegar ao Brasil sob a bandeira de combate à Corrupção. Este protestos envolve campanhas sustentas por mídias sociais, como Facebook, Twitter e Youtube, para organizar, comunicar e sensibilizar a população.

Termo Primavera Árabe, existe um alusão de Primavera de Praga ocorrida em 05 de abril de 1968. A Primavera Árabe c0omeçou com os primeiros protestos que ocorreram na Tunísia em 18 de Dezembro de 2010.

Foram causados por fatores demográficos estruturais, condições de vida duras promovidas pelo desemprego.

Essas manifestções são exercidas por meio de caráter pacifista, em nome da paz.

Page 8: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Métodos de Ação Não Violentos

Gene Sharp sugere em sua obra 198 métodos de ação não violentos.

Algumas ações: -Silêncio, -Ocupação sentada, -Invasão não violenta.

Page 9: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Don Tapscott e Anthony Williams trazem em sua obra o conceito de colaboração nos negócios, na sociedade, na economia, em um novo formato de intercomunicação de pensadores globais, utilizando do poder da web compartilhar ideias e assim transformar a sociedade em busca de melhorias.

Segundo Mark Pakker, CEO Nike diz, “Um livro definitivo de nosso tempo. MacroWikinomics mostra-nos um futuro pronto para ser moldado por uma rede global de pensadores. A tecnologia encurtou o mundo para que possamos crescer novamente. E as ferramentas estão todas aqui’.

MacroWikinomics – Reiniciando os Negócios e o Mundo

Page 10: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Analisar a sociedade à partir de uma analogia, é simplificar aquilo que podemos passar anos tentando decifrar. Nossa sociedade apresenta e vive uma rotina diária fatigante e complexa. Acorda, vai trabalhar, estuda, cuida da casa e da educação dos filhos, e por muitas vezes deixamos de nos proteger do predador diário chamado Sistema. 

Com referência no vídeo Macrowikinomics, é apresentada a rotina dos pássaros Estorninhos, que dia após dia se juntam como forma de proteção contra o seu predador direto, e esta união gera uma força inimaginável. Esta união, eles chamam de Murmuration, devido ao som das asas batendo, e além do espetáculo extraordinário que apresentam no céu, eles conseguem afastar suas ameaças.

Cada participante da rede é um centro e todos eles são fundamentais para o conhecimento dos outros integrantes, uma vez que a aprendizagem em rede baseia-se na interação.  Essa essência de organização passa ao telespectador a nítida idéia da união de todos,  porém com a influência daquele que lidera o seu bando, e isso acontece em nossa sociedade. Nos unimos contra as ameaças impostas pela vida, algumas vezes com o auxilio daquele que saiba organizar um pouco mais.

MacroWikinomics - Analogia de uma sociedade interligada.

Page 11: Movimentos Sociais e Redes Sociais

5 passos para Inteligência em rede

Colaboração Abertura Compartilhamento Integridade Interdependência

Page 12: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Resolvendo Problemas Globais Além do Estado Nacional

Muitos dos problemas sociais estão sobre o ônus do Estado, esse mesmo que seja sua função não atende totalmente todos os problemas da sociedade.Hoje, é bem difícil para microempreendedores conseguir um capital inicial para dar impulso e concretizar as suas ideias, ou até mesmo para modernizar suas empresas com novos equipamentos - falando de uma perspectiva global.

O kiva.org é um site mediador que busca solucionar esse tipo de problema, ele partiu da ideia do casal Matt Flanery e Jessica Jackley que foram à África para trabalhar para o Village Enterprise Fund. (VEF) organização sem fins lucrativos que ajuda microeempreendores rurais em toda a África constituir pequenas empresas. Observando o negócio promissor e depois de investirem em um negócio os dois decidiram criar o kiva.org onde pessoas de todo mundo podem emprestar dinheiro para microempreendedores, essa ideia deu tão certo que todos os empréstimos concedidos foram pagos.

O que podemos observar é que o kiva.org não é um programa que faz parte de algum governo ou Organização Internacional, mas sim uma iniciativa civil que proporcional a mitigação da pobreza em países onde microempreendedores não tem subsídios de seus Governos

Page 13: Movimentos Sociais e Redes Sociais

O Projeto de Reformular o Mundo

A tentativa das Cooperações e Instituições Internacionais fracassaram ao tentar estender o desenvolvimento econômico e social às regiões menos desenvolvidas do mundo, os chamados países subdesenvolvidos ou de 3º mundo. Uma das propostas de um dos trabalhos elaborado pelo Fórum Econômico Mundial de 2010 descreve a situação mundial da seguinte maneira: O mundo está quebrado, enfrentado um paradoxo. Esse, se tornando cada vez mais interdependente e, por outro lado, os governos e as organizações cada vez menos capazes de administrar as questões globais na medida em que grandes segmentos das populações ainda não estão prontos para aceitar as consequências das politicas publicas a serem perseguidas além do interesse comum global.

As Instituições Internacionais, criadas ao longo dos últimos 50 anos, refletem em grande parte o dinamismo do poder mundial. Embora apenas 12% da população mundial esta centralizada na Europa Ocidental e América do Norte, essas regiões exercem forte influencia devido à conquista e participação no mercado econômico, social e politico. Logo, essas regiões não admiram países em ascensão como Brasil, China e Índia possam compartilhar ou participar do processo decisório internacional de maneira proporcional a sua participação no cenário mundial.

Page 14: Movimentos Sociais e Redes Sociais

De Novo, A Grande Reformulação Goblal

Vale mencionar que, em 1648, com o tratado de Vestefália, que pôs fim a quase meio século de guerras brutais e sangrentas. E, em 1919, na sequencia da 1ª Guerra Mundial, Woodrow Wilson, presidente dos Estados Unidos, proclamou que outra guerra mundial eclodira se os países do mundo não chegarem a um acordo que a evite. Esse acordo nunca ocorreu e a guerra estourou. Isto se deu, porque os países se atentaram apenas nos seus regimentos internos e não na preocupação dos problemas internacionais existentes.

Em 1944, um grupo de lideres mundial se reuniu numa comunidade em Bretton Woods, New Hampshire, durante 22 dias onde elaboraram uma nova arquitetura internacional que presidiu os próximos 65 anos de desenvolvimento global. Em seguida, nos próximos anos, nasce às Nações Unidas, do GATT (General Agreement on Tariffs and Trade), das Convenções de Genebra, do FMI, do Banco Mundial e da Declaração dos Direitos Humanos, dentre outros.

Atualmente, o EUA ainda pode continuar sendo a maior potencia militar do mundo, mas a ascensão recente de alguns países da Ásia, América Latina e da Europa estão sacudindo o equilíbrio econômico, pois estes estão emergindo como potencias econômicas. Frente a essas mudanças se faz necessário exigir uma reconstrução, reformulação do sistema internacional e de todas as Instituições.

Page 15: Movimentos Sociais e Redes Sociais

A Parceria na Agenda Global Mostra o Caminho

A grande evolução aqui se consagrou com o suíço, o professor Sr. Klaus Schwab, que se considerava imbuído da missão de encontrar novas maneiras de “melhorar a situação do mundo” e para tal fundou a nova Instituição como ponto de encontro, partida com o objetivo de promover a cúpula anual de lideres mundiais em Davos, estação de esqui na Suiça. Em observância, Schwab e sua equipe diante da desconexão entre a escala de problemas com que o mundo se depara e a notória incapacidade das Instituições existentes para resolvê-los adicionada da crise financeira pertinente foi o momento adequado que o projeto, apesar de pouco conhecido mas extraordinário, por reunir milhares de lideres da academia, dos governos, da sociedade civil e das empresas de todo o mundo, afim de repensar os problemas globais. Com isso foi lançado em 2009, a Iniciativa de Agenda Global, que envolve hoje cerca de 1.200 lideres de várias áreas da sociedade, recrutados por 90 Conselhos de Agenda Global. Os Conselhos não se reúnem apenas em Davos como no inicio, mas também em sessões por meio de plataformas na Web que oferece espaço informal para a troca de ideias e debates. A principal meta é alavancar 100 propostas inovadoras e, alternativas quando necessário, sobre como a comunidade global poderia se reorganizar em seus próprios fundamentos para uma gestão de sucesso frente aos desafios, oportunidades e riscos desse mundo cada vez mais interdependente, complexo e dinâmico. Em outras palavras, um brainstorming mundial sobre o futuro reunindo as maiores e respeitadas sumidades em estudos relevantes oferecendo um portal sobre reflexões ao longo prazo utilizando das dificuldades do presente. Esse modelo, a Iniciativa de Agenda Global, talvez seja capaz de fornecer ao mundo os meios necessários para monitorar, controlar em tempo real e informar aos lideres mundiais os problemas e suas consequências, isto é, o que já está ocorrendo e o que poderia acontecer em seguida.

Page 16: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Cidadãos Globais: Novos Modelos de Cooperação de Baixo para Cima

O cidadão tornou-se cada dia mais internacional a partir dos acordos internacionais em que as nações aproximam seus interesses, de acordos comerciais, jurídicos, sociais, e hoje com a comunicação na Web e o ímpeto de compartilhar expertise, proporcionam a este cidadão uma visão mais crítica, rápida e também mais colaborativa com todo o mundo. Como já vimos acima pelo o efeito do “Murmuration”, que despertou aos cidadãos esta possibilidade de voz e uma maior liberdade de expressão e proliferação das ideias.

As ONGs Organizações Não Governamentais, movimentam aproximadamente em todo o mundo U$ 1 trilhão, por ano. Estas instituições surgiram após a Segunda Grande Guerra Mundial, à exemplo podemos citar a Bretton Woods como pioneira em nova ordem de instituições Não governamentais, que tinham interesses em acordos Internacionais. Neste momento podemos perceber a mudança de forças de Governo, novos meios de negociações e movimentações dos cidadãos. Hoje às ONGs empregam cerca de 19 milhões de trabalhadores, gastam cerca de U$ 15 bilhões, por ano, valor equivalente à movimentação do Banco Mundial.

Page 17: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Segundo Colker; “ passamos 9 bilhões de horas jogando paciência”. Jacob Colker e Bem Rigby sugerem que o cidadão podem utilizar do seu tempo disponível para ações sociais, Ainda Colker e Riggby diz que ; “ os americanos, por exemplo, gastam 4,6 horas por semana por semana brincando com videogames, 51 minutos por dia em transportes públicos, no percurso casa-trabalho-casa, 18 minutos nas filas de controle de segurança, em aeroportos e, em média, meia hora nas filas de agências de correios”.

O Cidadão hoje pode utilizar de ferramentas de redes sociais, como Facebook, Twitter, Cartase e outras redes, para divulgar suas ideias e também pode através delas realizar ações de compartilhamento e até conseguir arrecadar quantias para seus projetos sociais.

Tudo isso é possível segundos estudos, estamos invertendo assim, a nova ordem de cooperação, tirando as referências institucionais como motivadores do povo e passando ao cidadão esta possibilidade de interferir de modo diferenciado nas questões sociais.

Page 18: Movimentos Sociais e Redes Sociais

O nosso "MURMURATION" assustou, e se não assustou, alertou as autoridades que a tecnologia, internet, entre outras, estão aliadas à população, e que delas vão advir seus frutos e necessidades.  E como estorninhos percebe-se que o voo espetacular proporcionado pelo conjunto nos protege, nos acalenta, nos traz sentimento de grupo, nos permite atuar na nossa área de competência, alcançando novos territórios, aprendendo com as competências complementares, juntos e em rede.

Movimentos Sociais em São Paulo

Page 19: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Manifestações em São Paulo – Junho 2013.

A cidade de São Paulo neste ano de 2013, presenciou uma das maiores manifestações. Jovens insatisfeitos foram as ruas para reivindicar por melhorias. Os R$ 0,20 gerou o estopim disso tudo, transformando em um verdadeiro desabafo de lutas por direitos e um governo mais eficiente, mas esse foi apenas o “ empurram” que a população espera para “acordar”, outros motivos também foram protestados como: a política, corrupção, saúde, contra a PEC 37 e a educação.

Page 20: Movimentos Sociais e Redes Sociais

Bibliografia

Livro: Da Ditadura à Democracia http://www.slideshare.net/hsluziania/da-ditaduraademocraciageneshar

p2

Documentário de Gene Sharp – conta excluida pelo Youtube http://www.youtube.com/watch?v=91kVIU3hKcU

Novo link Gene Sharp Atualizado em 06/11/2014 https://www.youtube.com/watch?v=jqtTc_CMlJg Macrowikinomics. Reiniciando os Negócios e o Mundo, Don Tapscot e Anthony D. Willians http://www.youtube.com/watch?v=o4QRouhIKwo& list

=PL3467A62C06B3B060&index=10

Page 21: Movimentos Sociais e Redes Sociais

“ Para protestar e realizar colaboração e envolvimento global não precisamos mais de instituições e representações é somente a atitude individual que pode mudar tudo!” Otília

Obrigado!