Sete dias sem fim trecho

  • Published on
    15-Nov-2014

  • View
    123

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Sete Dias Sem Fim - Trecho Autor: Jonathan Tropper Editora Arqueiro Relanamento setembro

Transcript

<ul><li> 1. O ArqueiroGeraldo Jordo Pereira (1938-2008) comeou sua carreira aos 17 anos, quan-dofoi trabalhar com seu pai, o clebre editor Jos Olympio, publicando obras marcantes como Omenino do dedo verde, de Maurice Druon, e Minha vida, de Charles Chaplin.Em 1976, fundou a Editora Salamandra com o propsito de formar uma nova gerao deleitores e acabou criando um dos catlogos infantis mais premiados do Brasil. Em 1992, fu-gindode sua linha editorial, lanou Muitas vidas, muitos mestres, de Brian Weiss, livro que deuorigem Editora Sextante.F de histrias de suspense, Geraldo descobriu O Cdigo Da Vinci antes mesmo de ele serlanado nos Estados Unidos. A aposta em fico, que no era o foco da Sextante, foi certeira: ottulo se transformou em um dos maiores fenmenos editoriais de todos os tempos.Mas no foi s aos livros que se dedicou. Com seu desejo de ajudar o prximo, Geraldo desen-volveudiversos projetos sociais que se tornaram sua grande paixo.Com a misso de publicar histrias empolgantes, tornar os livros cada vez mais acessveise despertar o amor pela leitura, a Editora Arqueiro uma homenagem a esta figuraextraordinria, capaz de enxergar mais alm, mirar nas coisas verdadeiramente importantes eno perder o idealismo e a esperana diante dos desafios e contratempos da vida.</li></ul><p> 2. 5Captulo 1 Papai morreu diz Wendy sem a menor cerimnia, como se isso j ti-vesseacontecido antes, como se acontecesse todo dia. s vezes d nos nervosesse jeito dela de nunca se abalar, mesmo diante da pior tragdia. Faz duashoras. Como est mame? Ah, daquele jeito dela, n? Queria saber quanto dar de gorjeta ao legista.Sou obrigado a sorrir, embora eu sempre me irrite com a evidente in-capacidadeda nossa famlia de expressar emoo em momentos dram-ticos.No existe ocasio solene ou tensa que os Foxmans no consigamminimizar com a maior rapidez usando suas capacidades geneticamentedesenvolvidas de ironia e fuga. Seja aniversrio, festa, casamento ou doen-a,seguimos inabalveis em nossas provocaes, brincadeiras sarcsticase ofensas. Agora papai morreu e Wendy est bancando a engraadinha. Oque muito bem feito, j que ele foi uma espcie de pioneiro na vanguardada represso emocional. E a coisa s melhora acrescenta Wendy. Melhora? Meu Deus, Wendy, voc ouviu o que disse? Tudo bem, eu me expressei mal. Jura? Ele pediu que cumprssemos a shiv. Quem pediu? De quem estamos falando? Papai! Ele queria que a gente cumprisse ashiv. Papai morreu.Wendy solta um suspiro, sugerindo que definitivamente muito cansativodesbravar a densa floresta da minha estupidez. Exatamente. Pelo visto esta a ocasio ideal para isso. Mas papai ateu. Papai era ateu. 3. Est me dizendo que ele aceitou Deus antes de morrer? No, estou dizendo que ele morreu e que voc deveria conjugar o verbono tempo correto.Se parecemos dois babacas insensveis porque fomos criados assim.Para ser justo, porm, preciso dizer que j estvamos vivenciando esseluto fazia algum tempo, com maior ou menor intensidade, desde que elerecebera o diagnstico, um ano e meio antes. Papai vinha sentindo doresde estmago e esquivara-se dos apelos de mame para que consultasse ummdico. Em vez disso, preferira aumentar a quantidade dos mesmos anti-cidos6que tomava havia anos. Consumia-os como se fossem balas, largandopedacinhos de papel laminado por onde quer que passasse, o que deixa-vaos carpetes brilhando feito asfalto molhado. At que suas fezes saramvermelhas. Seu pai no est se sentindo bem disse minha me ao telefone, fazendouso de um eufemismo notvel. Estou cagando sangue resmungou ele ao fundo.Nos quinze anos que se passaram desde que sa de casa, papai nunca faloucomigo ao telefone. Sua voz s soava ao fundo, contribuindo com algumcomentrio ocasional quando lhe convinha. E pessoalmente era a mesmacoisa. Mame sempre assumia o papel principal. Casar com ela foi, para ele,como se tornar um figurante.Na tomografia computadorizada, os tumores brotavam como flores noduodeno de meu pai. Ao seu lendrio estoicismo agora somava-se o fatode ele ter passado um ano tratando cncer metasttico de estmago compastilhas para azia. Vieram ento as cirurgias, como era de se esperar, depoisa radioterapia, e finalmente as sesses de qumio, j no tudo ou nada, quesupostamente deveriam reduzir os tumores, mas acabaram encolhendo meupai. Seus ombros, antes largos, se transformaram em um mero cabide esque-ltico,mal visvel sob a pela flcida. Seguiu-se o definhamento dos msculose das foras do corpo, e depois o controle da dor extrema, que culminou nocoma, do qual sempre soubemos que ele no sairia. E de que adiantaria sair?Por que acordar para a dolorosa e execrvel realidade de um cncer terminalde estmago?Ele levou quatro meses para morrer, trs a mais do que os oncologistastinham previsto. Seu pai um guerreiro, diziam os mdicos quando o visi-tvamos,o que era uma besteira, pois ele j fora completamente derrotado.Se estivesse consciente, papai com certeza ficaria de saco cheio por demorar 4. tanto para fazer uma coisa to simples como morrer. Ele no acreditava emDeus, mas sempre fora um devotado membro da Congregao do ou Trepaou Sai de Cima.Portanto, sua morte propriamente dita foi mais um derradeiro detalhetriste que um acontecimento em si. O enterro amanh de manh informa Wendy. Vou pegar um voocom as crianas hoje noite. Barry est em So Francisco para uma reunio.Vai pegar o corujo.O marido de Wendy, Barry, gerente de um grande fundo de investimen-tos.Pelo que sei, ele pago para viajar pelo mundo em avies particulares eperder partidas de golfe para homens mais ricos do que ele que talvez preci-semdo dinheiro de seu fundo. H alguns anos, a empresa o transferiu paraLos Angeles, o que no faz sentido, j que ele viaja o tempo todo e Wendycertamente preferiria morar na Costa Leste, onde os tornozelos inchadose as gordurinhas ps-gravidez so menos condenados. Por outro lado, po-rm,minha irm est sendo muito bem recompensada pelo incmodo damudana. Vai levar as crianas? Eu acharia melhor no, pode acreditar, mas uma semana tempo de-maispara deix-las sozinhas com a bab.As crianas so Ryan e Cole, de 6 e 3 anos meninos obedientes, de an-gelicaisbochechas rosadas, que jamais encontraram um aposento que noconseguissem destruir em dois minutos , e Serena, a bebezinha de 7 meses. Uma semana? o tempo da shiv. A gente no vai mesmo fazer isso, vai? Foi o ltimo desejo dele diz Wendy, e nesse instante penso ouvir a dornua e crua l no fundo de sua garganta. Paul concordou com isso? Foi ele mesmo que me contou. O que ele disse? Que papai queria que a gente cumprisse a shiv.Paul meu irmo, um ano e quatro meses mais velho que eu. Mame sem-preinsistiu em dizer que eu no fui um acidente, que a inteno dela foraexatamente essa, engravidar novamente apenas sete meses depois de ter tidoPaul. S que eu nunca engoli isso, principalmente depois de ouvir meu pai, alngua destravada pelos schnapps de pssego do jantar de sexta-feira, admitir7 5. melancolicamente que naquela poca eles acreditavam que a mulher noengravidava durante o perodo de amamentao. Quanto a mim e a Paul,nos damos bem desde que estejamos longe um do outro. Algum falou com Phillip? pergunto. Deixei recado em todos os nmeros de telefone dele que tenho. Se, poralguma chance remota, ele ouvir alguma das mensagens e no estiver preso,drogado ou morto numa sarjeta, existe uma pequena possibilidade de eleaparecer.Phillip nosso irmo caula, nove anos mais novo que eu. difcil enten-der8a lgica procriadora dos meus pais. Wendy, Paul e eu, todos nascidos nointervalo de quatro anos, e ento Phillip, quase uma dcada depois, incor-porado prole como um apndice meio esquisito. Ele o Paul McCartneyda famlia: mais bonito que ns, sempre olhando para o outro lado nas fotose de vez em quando dado como morto. Quando beb, era ora mimado, oraignorado, o que talvez tenha contribudo significativamente para ele ter setornado um adulto to problemtico. No momento mora em Manhattan,onde seria preciso procurar com muito afinco caso algum quisesse encon-traruma droga que ele no tenha usado ou uma modelo com quem notenha transado. Phillip fica sumido por meses, at surgir do nada na sua casapara jantar, quando ento menciona, ou no, que esteve na cadeia, ou noTibete, ou que acabou de se separar de uma atriz quase famosa. No o vejoh mais de um ano. Tomara que aparea comento. Ele ficaria arrasado se perdesse oenterro. Falando em irmozinhos problemticos, como vai a sua tragdia grega?s vezes essa falta de tato mordaz de Wendy divertida, quase charmosa,mas, se existe uma linha que separe grosseria e crueldade, ela nunca reparou.Em geral eu a suporto, mas os ltimos meses me deixaram um caco e minhasdefesas se esgotaram. Tenho que desligar digo, tentando ao mximo no dar a impresso deque estou prestes a desmoronar. Nossa, Judd. S estava mostrando que me preocupo com voc. Na sua cabea pareceu isso, com certeza. Ah, no se faa de vtima. J chega o que eu engulo do Barry. Vejo voc l em casa. -h, at l diz ela, aborrecida. Tchau.Fico esperando. 6. Ainda est a? pergunta Wendy finalmente. No.Desligo e a imagino batendo o telefone enquanto solta um palavro atrsdo outro como uma metralhadora.9 7. Quarta-feira 8. 12Captulo 2Estou arrumando a bagagem no carro para a viagem de duas horas atElmsbrook quando Jen aparece em seu utilitrio branco e estaciona. Ela des-cerpido, antes que eu possa escapar. No a vejo faz algum tempo, no re-tornosuas ligaes nem paro de pensar nela. E aqui est, imaculada comosempre em sua roupa de ginstica colada ao corpo, o cabelo tingido de umtom louro-mel, os cantos da boca ligeiramente erguidos para dar a sugestode um sorriso de menininha. Conheo todos os sorrisos de Jen, o que signi-ficame aonde levam.O problema que toda vez que a vejo me lembro instantaneamente daprimeira vez que a vi, cruzando o campus naquela bicicleta vermelha des-conjuntada,as pernas compridas pedalando, cabelos ao vento, o rosto cora-dode animao todas as coisas em que ningum quer pensar quando en-contraa futura ex-esposa. Postulante a ex-esposa. Ex-esposa eleita. Os livrose os sites de autoajuda ainda no formularam um ttulo adequado para oscnjuges que vo parar no purgatrio dos divrcios, aquele destinado a ser-virde sala de espera at que o tribunal ratifique oficialmente a sua tragdiapessoal. Como sempre acontece ao ver Jen, fico imediatamente mortificado,no porque ela com certeza descobriu que estou morando numa porcariade poro alugado, mas porque desde que sa de casa basta v-la para que eusinta que fui flagrado em um constrangedor momento pessoal assistindo aum vdeo porn com a mo dentro da cala ou cantando Air Supply enquan-totiro meleca no sinal fechado. E a? diz ela.Jogo a bagagem dentro do porta-malas. E a? respondo.Fomos casados durante nove anos. Agora nos cumprimentamos com ea? e evitamos nos encarar. Deixei alguns recados na sua secretria eletrnica. Andei ocupado. 9. Claro.Seu tom irnico detona em mim o familiar impulso de beij-la com ardore ao mesmo tempo apertar seu pescoo at deix-la roxa. Nenhuma das duascoisas uma opo a esta altura, por isso me contento em fechar o porta--malas com mais fora que o necessrio. Precisamos conversar, Judd. Agora no uma boa hora.Ela se apressa e se encosta na porta do motorista, me lanando seu sorrisomais sedutor, o mesmo que sempre afirmei me deixar apaixonado como daprimeira vez. S que hoje ela calculou mal, porque no momento esse sorrisos consegue me fazer recordar tudo o que perdi. No h motivo para essa separao no ser amigvel diz ela. Voc est transando com o meu chefe. Esse um timo motivo.Jen fecha os olhos, invocando a gigantesca reserva de pacincia neces-sriapara lidar comigo. Eu costumava beijar essas plpebras enquanto elapegava no sono, sentir entre meus lbios os clios macios se agitando comoasas de borboleta, sua respirao suave me fazendo ccegas no queixo e nopescoo. Voc tem razo concorda ela, esforando-se para no parecer ente-diada. Sou uma pessoa imperfeita. Eu estava infeliz e fiz uma coisa imperdovel.Ainda assim, por mais que voc possa me odiar por arruinar suavida, fazer papel de vtima no est adiantando muito para voc. Ei, eu estou timo. Ah, . Voc est timo.Jen contempla ostensivamente o lugar caindo aos pedaos onde estoumorando no subsolo. Parece a tpica casinha que as crianas desenham:um tringulo sobre um quadrado, com fileiras de tijolos desleixadamenteencaixados, uma nica janela francesa e uma porta. Os imveis vizinhos, deambos os lados, so igualmente decrpitos, em nada semelhantes pequenae bela construo colonial que compramos com as economias de Jen e ondeela ainda mora, sem precisar pagar aluguel e dormindo com outro homemna cama que era minha.Os proprietrios so os Lees, um inescrutvel casal chins de meia-idadeque vive em um estado de mudez perptua. Jamais ouvi a voz de nenhumdos dois. Ele pratica acupuntura na sala; ela varre a calada trs vezes ao diacom uma vassoura de palha feita mo que mais parece um objeto cenogr-fico.Acordo e durmo embalado pelo sussurro de suas frenticas varridas no13 10. cimento. Fora isso, os dois parecem no existir, e muitas vezes me perguntopor que se deram o trabalho de emigrar. Sem dvida no faltam nervos aserem espetados e poeira a ser varrida na China. Voc no compareceu audincia de conciliao diz Jen. No gosto do mediador. Ele no imparcial. Claro que . No diante dos seus peitos. Ah, pelo amor de Deus, isso ridculo. Bom, gosto no se discute.Eu poderia relatar o restante da conversa, mas seria apenas mais do mes-mo:duas pessoas cujo amor se tornou txico atirando granadas de ressenti-mentouma na outra. No d para conversar quando voc est assim conclui Jen, e se afastado carro bufando. Eu sou sempre assim. Este sou eu.Meu pai morreu!, o que quero gritar para ela, mas no o fao, porqueseno Jen vai comear a chorar e, se ela chorar, eu provavelmente vou chorartambm, e a ela vai encontrar uma abertura e no pretendo permitir que amuralha que eu ergui seja invadida por um cavalo de Troia de compaixo.Vou para casa enterrar meu pai e enfrentar minha famlia. Ela deveria ircomigo, mas no mais minha esposa. A gente se casa para ter um aliadocontra a prpria famlia, e agora l vou eu para o front sozinho.Jen balana a cabea com tristeza e posso ver seu lbio inferior tremer,uma lgrima comeando a brotar no canto do olho. No posso toc-la, beij--la, am-la ou, pelo que estou vendo, nem mesmo ter uma conversa queem menos de trs minutos no descambe para recriminaes furiosas. Masainda consigo deix-la triste e por enquanto tenho que me contentar comisso. Seria mais fcil, muito mais fcil, se ela no insistisse em ser to irritan-temente14bonita, to sarada, loura, meiga e vulnervel. Porque mesmo agora,depois de tudo o que ela me fez, ainda existe algo em seus olhos que me fazquerer proteg-la a qualquer custo, embora eu saiba que na verdade quemprecisa de proteo sou eu. Seria muito mais fcil se ela no fosse Jen. Masela , e onde antes havia o amor mais puro existem agora um covil de fria eressentimento e um novo amor, sombrio e distorcido, que di mais que todoo resto junto. Judd. Tenho qu...</p>