Adm Cientifica

  • Published on
    26-Jul-2015

  • View
    97

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

<p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCRONOLOGIA DAS ORIGENS DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVOANO 1776 AUTOR Adam SmithEconomista</p> <p>CONTRIBUIO Aplicao do princpio de especializao aos operrios; diviso trabalho; controle; remunerao.</p> <p>1800</p> <p>Padronizao de procedimentos operativos. Mathew Boulton Especificaes. Mtodos de trabalho. Planejamento. Incentivos de remunerao.*Tempo Standard. Festa e Engenheiro/ Bonificao Natalina. Seguro de vida em grupo para Comerciante Engenheiro operrios. Uso da auditoria. Robert Owen Necessidade de prticas de Administrao de Pessoal. Treinamento de operrios grupos de casas operrias higienicamente construdas. Anlise dos movimentos humanos.</p> <p>James Watt</p> <p>1810 1820 James MillEconomista</p> <p>*tempoStandard (tstd) de uma operao definido como sendo a quantidade de tempo 8/16/12 de mo de obra necessria para realiz-la.Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>11</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCRONOLOGIA DAS ORIGENS DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVOANO 1832 AUTOR Charles BabbageEconomista</p> <p>CONTRIBUIO Especializao. Diviso de trabalho. Estudo de tempos e movimentos. Contabilidade de custos. O efeito das cores sobre fadiga e eficincia do operrio. Reconhecimento e discusso da importncia das funes administrativas Amplitude de controle. Unidade de comando. Controle de mo-de-obra e dos materiais. Especializao e diviso do trabalho. Incentivos salariais. Princpios de organizao, informao aplicados s ferrovias. comunicao e</p> <p>1835 1850</p> <p>Marshall, Laughlin e</p> <p>outros</p> <p>Mill e outros</p> <p>1855</p> <p>Henry Poor Eng. Ferrovirio</p> <p>James Watt: No possvel falar da mquina a vapor sem mencion-lo. Embora no tenha sido o inventor da mquina a vapor, pertencendo esta honra a Thomas Newcomen (a quem raramente atribudo este crdito), foi Watt quem produziu os avanos que seriam cruciais a esta nova tecnologia.</p> <p>8/16/12</p> <p>Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCRONOLOGIA DAS ORIGENS DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVOANO 1856 AUTOR Daniel McCallum CONTRIBUIO Uso do organograma para mostrar a estrutura administrativa. Eliminao da duplicidade de esforos. Aproveitamento de funcionrios durante intervalos de suas tarefas na ferrovia de Erie. Estudo de movimentos e diferentes ferramentas usadas pelo operrio. Estabeleceu os primeiros cursos em colegial para o estudo da Administrao. Plano de prmios no pagamento de salrios. Administrao Cientfica nvel</p> <p>1871 1881 1891 1900</p> <p>Willian S. Jevons Joseph Wharton Frederick HalseyFrederick W. Taylor</p> <p>Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>8/16/12 33</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCONCEITOS: # Teorias so explicaes ou proposies sobre algo, no caso, a administrao e as organizaes;</p> <p># Enfoque ou pensamento ou abordagem, um aspecto particular das organizaes, ou uma forma de estud-las;</p> <p>8/16/12TEORIA GERAL DA ADMINISTRACAO, Vol2 IDALBERTO CHIAVENATO- 2002</p> <p>44</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCONCEITOS:</p> <p># Escola uma linha de pensamento ou conjunto de autores que usaram o mesmo enfoque;</p> <p># Modelo de gesto um conjunto de doutrinas e tcnicas do processo administrativo; 8/16/12TEORIA GERAL DA ADMINISTRACAO, Vol2 IDALBERTO CHIAVENATO- 2002</p> <p>55</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCONCEITOS: # Modelo de organizao conjunto de caractersticas que definem organizaes e a forma como so dirigidas;</p> <p># Tcnicas</p> <p>so</p> <p>solues</p> <p>para</p> <p>problemas.</p> <p>organogramas, sistemas de controle e estudo do tempo, so exemplos de tcnicas. 8/16/12TEORIA GERAL DA ADMINISTRACAO, Vol2 IDALBERTO CHIAVENATO- 2002</p> <p>66</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASCONCEITOS:</p> <p># Doutrina um princpio de conduta que contm valores, implcitos ou explcitos. As doutrinas recomendam como agir , orientando julgamentos e decises;</p> <p>8/16/12TEORIA GERAL DA ADMINISTRACAO, Vol2 IDALBERTO CHIAVENATO- 2002</p> <p>77</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASSegundo Chiavenato, "cada teoria administrativa surgiu como resposta a problemas empresariais relevantes de sua poca e todas foram bem-sucedidas nas solues especficas para tais problemas. Todas as teorias administrativas podem ser aplicveis s situaes atuais e o administrador precisa conhec-las para ter sua disposio um naipe de alternativas para cada situao".</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>88</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASADMINISTRAO CIENTFICAFrederick W. Taylor, Henry Gantt, H. Emerson, Henry Ford, Frank Gilbreth e Lillian Gilbreth</p> <p>Surgiu como um corpo independente de conhecimentos; e, para tanto, alguns grandes estudiosos da poca se destacaram, sendo os responsveis pela formao no intencional do movimento da Administrao Cientfica, tambm conhecida, posteriormente, como Escola Clssica da Administrao.</p> <p>8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>99</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>O foco do seu trabalho no era a empresa como um todo, mas um aspecto bem particular: a linha de produo e meios e modos de supervision-la. O estudo de Taylor visava determinar um tempopadro para cada operao e determinar requisitos fsicos para um operrio-padro.</p> <p>8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>1010</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>Era preciso decompor as tarefas necessrias a execuo de uma atividade e definir a melhor maneira de execut-la (the one best way), no tempo padro e movimentos predeterminados a serem seguidos por todos. Tambm criou um sistema de incentivo (R$) produo por pea, posteriormente aperfeioado por Gilbreth.</p> <p>8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>1111</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) Na prtica os princpios da teoria de tempos e movimentos de Taylor aumentavam a produtividade significativamente, tornando processos mais eficientes e rpidos. Temendo demisses, como consequncia da maior produtividade, trabalhadores e sindicatos comearam um movimento de oposio que se arrastaria por longo tempo.</p> <p>8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>1212</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) Para Taylor o antagonismo entre operrios e patres ocorria em funo de trs fatores:1) a falcia de que a eficincia no trabalho iria reduzir o nmero de empregos, 2) o comportamento no racional dos gerentes visando proteger seus interesses, e 3) os mtodos antiquados de trabalho.</p> <p>Buscando superar esses obstculos, elaborou quatro 8/16/12 grandes princpios, a saber: Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1313</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>1) Desenvolvimento de uma cincia de trabalho: Uma investigao cientfica poder dizer qual a capacidade total de um dia tpico de trabalho e o melhor mtodo de realizar uma tarefa, de modo que:a) os chefes no possam se queixar da incapacidade de seus operrios; b) estes saibam exatamente o que se espera que eles faam.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1414</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) 2) Seleo e desenvolvimento cientficos do empregado: Para atingir o nvel de remunerao previsto, o estudo de tempo determina que o operrio first-class-man precisa preencher certos requisitos pela seleo, de modo que, posteriormente, cada um deles fique responsvel pela tarefa para a qual fosse mais bem habilitado;</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1515</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>3) Combinao da cincia de trabalho com seleo de pessoal: Taylor observou que os operrios esto dispostos a aprender a fazer um bom trabalho, mas que os velhos hbitos da administrao resistem inovao de mtodos.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1616</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>4) Cooperao entre administrao e empregados: Somente uma constante e ntima cooperao possibilitar a observao e medida sistemtica do trabalho, que permitir a fixao de nveis de produo e incentivos financeiros.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1717</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p> fundamental no pensamento de Taylor o conceito de especializao e de eliminao de todos os elementos estranhos a fim de que a ateno esteja concentrada na tarefa essencial. Com seus estudos Taylor delimitou o chamou de organizao racional do trabalho (ORT), com as seguintes caractersticas:</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1818</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) Caractersticas da organizao racional do trabalho1.</p> <p>Anlise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos; Estudo da fadiga humana; Diviso do trabalho e especializao do operrio; Desenho de cargos e de tarefas; Incentivos salariais e prmios de produo; Conceito de homo economicus; Condies ambientais de trabalho; Padronizao de mtodos e mquinas; Superviso funcional (por especialidade).</p> <p>2.</p> <p>3.</p> <p>4.</p> <p>5.</p> <p>6.</p> <p>7.</p> <p>8.</p> <p>9.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>1919</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>Formulou o princpio de exceo , pelo qual os dados de controle operacional deveriam apenas salientar as excees sobre os tempos standards e no o desempenho mdio.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2020</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) Para Taylor uma boa teoria da Administrao deve supor que o trabalhador age de acordo com o interesse pelo ganho material, o qual o leva a produzir individualmente o mais possvel. Esse conceito de homo economicus no tem em conta outros fatores de motivao e simplifica extremamente a personalidade humana.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2121</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) Se ainda hoje o Estudo de Tempos til, o mesmo no ocorreu com os princpios de Taylor. Sobre a proposio de que a eficincia administrativa aumenta com a especializao, Herbert Simon em Comportamento Administrativo observou que tal fato no implica necessariamente em aumento de eficincia.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2222</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>Segundo Simon a especializao em si no diz nada e o princpio no nos ajuda a decidir entre uma especializao funcional, geogrfica, por processo ou produto.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2323</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915)</p> <p>O problema em sua proposta residiu no fato de considerar as pessoas da organizao como simples peas de uma</p> <p>mquina, gerando insatisfao e conflitos entre empregados e patres.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2424</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFREDERICK W. TAYLOR (1856/1915) O conceito do homo economicus, ignorando qualquer outro estmulo motivacional que no o financeiro. O isolamento social do operrio que deveria ficar totalmente centrado em sua tarefa sem qualquer distrao e, finalmente, o ambiente desprovido de conforto, voltado, como tudo, apenas para a produo, comprovam tal afirmao.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2525</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Henry Gantt no concordava com o sistema de incentivos criado por Taylor (remunerao por pea) que tinha caractersticas punitivas e criava tenso no relacionamento interpessoal. Excluiu o sistema de comisses diferenciadas, por considerar muito pequeno o impacto na motivao dos trabalhadores. Criou um sistema de comissionamento do grupo, sendo progressivo e relacionado ao alcance de metas. 8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>2626</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Seu esquema ganhou crdito por ser simples e aplicvel em geral, remunerando tarefas especficas e cientificamente</p> <p>determinadas. O sistema tarefa-bonificao de Gantt induzia os empregados a zelar pelo maquinrio evitando paradas de manuteno e poupando tempo dos Administradores por pressionar os empregados a trabalharem. Finalmente incentivava o treinamento do operrio. 8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2727</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Num estgio posterior Gantt imaginou um sistema de bonificao para recompensar chefes que conseguissem desenvolver empregados atrasados e ineficientes. Onde fosse aplicado o sistema aumentava a produo reduzia os acidentes e melhorava o ambiente moral e fsico das oficinas.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2828</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Em um segundo momento Gantt concentrou seus esforos em humanizar as tcnicas de produo e combater o controle autocrtico exercido pela maioria dos administradores de seu tempo.A mais verdadeira definio de democracia a igualdade de oportunidades. A verdadeira democracia consiste na organizao dos negcios humanos em harmonia com as leis naturais, de modo que cada indivduo tenha igual oportunidade de funcionar em sua mais alta capacidade possvel.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>2929</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Em alguns pontos de seus estudos esteve perto do que mais tarde Mary Parker Follett, chamaria de identidade de interesses e a necessidade de compreender as atividades humanas.A democracia, diriam ambos, obtida no pela fora, mas pelo respeito dos fatos que, mais do que a prpria hierarquia, determinaro a lei da situao.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>3030</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919) Acrescentou outras duas ferramentas no seu sistema, onde ele avaliava publicamente cada operrio, atravs de um grfico de desempenho dirio. Tambm desenvolveu um sistema de grficos para a programao da produo. Hoje seus grficos ainda so utilizados e conhecidos como Grficos de Gantt.</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>3131</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASHENRY L. GANTT (1861/1919)GRFICOS DE GANTT</p> <p>8/16/12Histria da AdministraoJoo Bosco Lodi</p> <p>3232</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFRANK B. GILBRETH (1868/1924) E LILLIAN M. GILBRETH (1878/1972)</p> <p>Seu interesse foi direcionado para a reduo de custo de mo-de-obra e para o estudo dos movimentos na construo civil.</p> <p>Do ponto de vista cientfico foi o mais detalhista e dedicado, organizando diversos estudos e arquivos.</p> <p>8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>3333</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFRANK B. GILBRETH (1868/1924) E LILLIAN M. GILBRETH (1878/1972) Sua finalidade expressa era aumentar a eficincia do trabalhador, empregando mtodos de anlise do trabalho, reduo de custos e planejamento. Trabalharam no estudo do desgaste fsico causado por movimentos repetitivos e que influenciavam a produtividade, ou seja, provocavam a fadiga humana. 8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>3434</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFRANK B. GILBRETH (1868/1924) E LILLIAN M. GILBRETH (1878/1972) Buscou-se reduzir tarefas aos movimentos elementares, chamados (therbligs), adequando o uso do corpo, posicionando material de trabalho no melhor local possvel. o</p> <p>Lillian Gilbreth abordou tambm o trabalho como meio de promoo do bem-estar individual de cada operrio. 8/16/12TGA Luis de Arajo e Adriana Garcia</p> <p>3535</p> <p>TEORIAS ADMINISTRATIVASFRANK B. GILBRETH (1868/1924) E LILLIAN M. GILBRETH (1878/1972) Discordava de...</p>