ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORÇAMENTO DE CAPITAL 1 TOMADA DE DECISÕES NO PROCESSO DE ORÇAMENTO DE CAPITAL FLUXOS DE CAIXA RELEVANTES

  • View
    106

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORÇAMENTO DE CAPITAL 1 TOMADA DE DECISÕES NO...

  • Slide 1
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 1 TOMADA DE DECISES NO PROCESSO DE ORAMENTO DE CAPITAL FLUXOS DE CAIXA RELEVANTES DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL DETERMINAO DAS ENTRADAS DE CAIXA OPERACIONAIS DETERMINAO DO FLUXO DE CAIXA TERMINAL SNTESE DOS FLUXOS DE CAIXA RELEVANTES
  • Slide 2
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 2 TOMADA DE DECISES NO PROCESSO DE ORAMENTO DE CAPITAL ORAMENTO DE CAPITAL Processo que consiste em avaliar e selecionar investimentos a longo prazo, que sejam coerentes com o objetivo da empresa de maximizar a riqueza do acionista. DISPNDIO DE CAPITAL (Investimento de Capital): desembolsos de fundos realizados pela empresa, com a expectativa de gerar benefcios superiores a um ano DISPNDIO CORRENTE (Investimento Operacional): desembolsos de fundos feito realizados pela empresa que resulta em benefcios obtidos em prazo inferior a um ano.
  • Slide 3
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 3 PRINCIPAIS MOTIVOS PARA FAZER DISPNDIOS DE CAPITAL Processo de expanso (industrial e administrativo); Substituio ou renovar ativos obsoletos ou gastos; Modernizao (reconstruo, recondicionamento, adaptao); Investimentos em pesquisas e desenvolvimento; Sistema de controle de poluio, segurana, tratamento de afluentes, recomposio do solo, propaganda etc.
  • Slide 4
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 4 ETAPAS DO PROCESSO DE ORAMENTO DE CAPITAL 1.Gerao de Propostas (internas ou externas); 2.Reviso e Anlise Assegurar que so apropriadas aos objetivos e planos globais; Verificao da validade econmica (custos e benefcios cash flow); Avaliao do risco do projeto. 3.Tomada de Deciso (Processo Up-Down); 4.Implementao (o que foi proposto seja adquirido); 5.Acompanhamento (realizado x projetado).
  • Slide 5
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 5 TERMINOLOGIA BSICA PROJETOS INDEPENDENTES: So projetos cujos fluxos de caixa no esto relacionados ou so independentes entre si; a aceitao de um deles no exclui a considerao posterior dos demais; PROJETOS MUTUAMENTE EXCLUDENTES: So projetos que possuem a mesma funo e, conseqentemente, competem entre si. A aceitao de um projeto desse tipo elimina a considerao posterior de todos os outros projetos do grupo; FUNDOS ILIMITADOS: Situao financeira na qual a empresa capaz de aceitar todos os projetos independentes que propiciam um retorno aceitvel; RACIONAMENTO DE CAPITAL: Situao financeira na qual a empresa tem somente um valor monetrio fixo para alocar entre alternativas de investimentos que competem entre si.
  • Slide 6
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 6 TERMINOLOGIA BSICA ACEITAO REJEIO: a forma de se avaliar propostas de dispndios de capital em confronto com o critrio mnimo de aceitao estabelecido pela empresa. Caracteriza-se como um processo qualitativo; CLASSIFICAO: a classificao dos projetos de dispndios de capital com base em algum indicador predeterminado, como a taxa interna de retorno, valor presente lquido e o payback.
  • Slide 7
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 7 FLUXOS DE CAIXA RELEVANTES FLUXO DE CAIXA CONVENCIONAL Representado por um investimento inicial seguido por uma srie de retornos peridicos perptuos. FLUXO DE CAIXA NO CONVENCIONAL Representado por um investimento inicial, porm no seguido de uma srie de retornos perptuos. Poder haver necessidade de novos investimentos ou sadas de caixa para reparos etc.
  • Slide 8
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 8 Principais Componentes do Fluxo de Caixa INVESTIMENTO INICIAL a sada de caixa relevante no instante zero para o projeto proposto. ENTRADAS DE CAIXA OPERACIONAL So as entradas de caixa incrementais aps os impostos, resultantes da implantao de um projeto e durante sua vigncia. FLUXO DE CAIXA TERMINAL o fluxo de caixa no operacional aps o imposto de renda e ocorre no ltimo ano do projeto, em geral em decorrncia da liquidao do projeto.
  • Slide 9
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 9 Decises de Expanso e de Substituio Deciso de Expanso O fluxo de caixa relevante (incremental) igual proposta de investimento de capital, isto , os fluxos de caixa do ativo antigo so nulos; Deciso de Substituio O fluxo de caixa relevante (incremental) resulta da troca proposta, isto , os fluxos de caixa do ativo antigo NO so nulos.
  • Slide 10
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 10 Custos Irrecuperveis e Custos de Oportunidade Quatro problemas especiais na determinao dos fluxos de caixa incrementais: Custos j incorridos no so incrementais; Custos de Oportunidade: fluxo de caixa de ativos no utilizados; Custos de Embarque e Instalao.
  • Slide 11
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 11 FLUXOS DE CAIXA RELEVANTES PARA INVESTIMENTOS NO EXTERIOR As entradas e sadas de caixa ocorrem em uma moeda estrangeira; Os investimentos no exterior enfrentam potencialmente um significativo risco poltico; Legislaes Internacionais em relao a transferncia de capital, recursos gerenciais e tcnicos a um pas estrangeiro; Cultura Nacional x Cultura Organizacional.
  • Slide 12
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 12 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL a sada relevante de caixa que deve ser considerada ao se avaliar um possvel dispndio de capital.
  • Slide 13
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 13 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL Custo do Novo Ativo Instalado: Soma do custo do novo ativo com os respectivos custos de instalao. Custo do Novo Ativo: Sada lquida de caixa que sua aquisio exige; Custos de Instalao: Quaisquer custos adicionais necessrios par se colocar o novo ativo em funcionamento. So considerados parte do dispndio de capital da empresa.
  • Slide 14
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 14 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL Resultado Lquido na Venda dos Ativos Velhos: o resultado obtido na venda do ativo velho, deduzido do IR incidente; Resultado Obtido na Venda dos Ativos Velhos: So as entradas de caixa, lquidas de quaisquer custos de venda ou remoo incorridos no processo de retirada do ativo; Imposto de Renda Incidente sobre a Venda de um Ativo Velho: Valor do IR que decorre da relao entre o preo de venda do ativo e o seu valor contbil; Valor Contbil: Valor do ativo, dado pelo seu custo de compra, menos a depreciao acumulada.
  • Slide 15
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 15 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL DEPRECIAO A Legislao Fiscal Brasileira aceita apenas o mtodo das quotas constantes. A depreciao por este mtodo calculada dividindo- se o valor a ser depreciado pelo tempo de vida til do bem; O fisco admite que a empresa adote taxas diferentes de depreciao, quando suportadas por laudo pericial do Instituto Nacional de Tecnologia ou de outra entidade oficial de pesquisa cientfica ou tecnolgica; Para o fisco no haver problemas se a empresa adotar taxas menores de depreciao que as admitidas.
  • Slide 16
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 16
  • Slide 17
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 17 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL TRATAMENTO TRIBUTRIO NA VENDA DE ATIVOS NO BRASIL
  • Slide 18
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 18 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL VARIAES NO CAPITAL CIRCULANTE LQUIDO CCL: montante pelo qual os ativos circulantes excedem os passivos circulantes; Devido s decises de dispndios de capital, freqentemente ocorrem mudanas no CCL (caixa, contas a receber, estoques, duplicatas a pagar e outras contas a pagar); Se houve uma expanso, modernizao ou substituio que impactou em aumento de produo certamente a empresa necessitar de maiores fontes para financiar suas aplicaes de capital; CCL = Diferena entre as variaes nos ativos circulantes e passivos circulantes.
  • Slide 19
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 19 DETERMINAO DO INVESTIMENTO INICIAL EXERCCIO A Comercial Angelical est tentando determinar o investimento inicial necessrio para substituir uma mquina antiga por um modelo novo e muito mais sofisticado, conforme as premissas abaixo: O preo de compra da nova mquina R$380 mil, e R$20 mil adicionais sero exigidos para instal-la. Seu tempo de vida til contbil 05 anos; A mquina atual (velha) foi comprada h 03 anos por R$240 mil e seu tempo de vida til contbil 05 anos. A empresa encontrou um comprador disposto a pagar R$180 mil pela mquina atual e a arcar com os custos de sua remoo; A empresa espera que haja um aumento de R$35 mil nos ativos circulantes e de R$18 mil nos passivos circulantes, em conseqncia da substituio.
  • Slide 20
  • ADMINISTRAO FINANCEIRA FLUXOS DE CAIXA PARA ORAMENTO DE CAPITAL 20 DETERMINAO DAS ENTRADAS DE CAIXA OPERACIONAIS So as entradas de caixa incrementais, aps o imposto de renda, resultantes de um investimento a longo prazo, ao longo de sua vida; Como voc estimaria as entradas de caixa operacionais no caso de uma deciso de substituio? Todos os benefcios esperados de um projeto proposto devem ser medidos na forma de fluxo de caixa; Para encontrarmos a entrada de caixa operacional, aps o imposto de renda, basta excluir da demonstrao de resultados todos