As epístolas de João e de Judas EADE – Programa I – Religião à Luz do Espiritismo Cristianismo e Espiritismo

  • View
    114

  • Download
    5

Embed Size (px)

Text of As epístolas de João e de Judas EADE – Programa I – Religião à Luz do Espiritismo...

  • Slide 1
  • As epstolas de Joo e de Judas EADE Programa I Religio Luz do Espiritismo Cristianismo e Espiritismo
  • Slide 2
  • Epstolas de Joo
  • Slide 3
  • Filho de Zebedeu e irmo de Tiago Maior Filho de Zebedeu e irmo de Tiago Maior Primo de Jesus - alguns eruditos especulam que a me de Joo era Salom, que assistiu a crucificao de Jesus (Mc 15.40), e que conforme sugere o Evangelho de Joo (Jo 19.25) era irm da me de Jesus Primo de Jesus - alguns eruditos especulam que a me de Joo era Salom, que assistiu a crucificao de Jesus (Mc 15.40), e que conforme sugere o Evangelho de Joo (Jo 19.25) era irm da me de Jesus Jovem impulsivo - o Mestre o apelidou, e a Tiago, de "filhos do trovo (Mc 3.17) Jovem impulsivo - o Mestre o apelidou, e a Tiago, de "filhos do trovo (Mc 3.17) Joo foi o nico apstolo que se atreveu a permanecer ao p da cruz (Jo 19.26-27). Jesus entregou sua me aos seus cuidados - diz a tradio que ele cuidou da me de Jesus, na congregao em feso Joo foi o nico apstolo que se atreveu a permanecer ao p da cruz (Jo 19.26-27). Jesus entregou sua me aos seus cuidados - diz a tradio que ele cuidou da me de Jesus, na congregao em feso Preso, foi levado a Roma e exilado na Ilha de Patmos. Acredita- se que ele viveu at avanada idade e seu corpo foi devolvido a feso para sepultamento Preso, foi levado a Roma e exilado na Ilha de Patmos. Acredita- se que ele viveu at avanada idade e seu corpo foi devolvido a feso para sepultamento Escreveu o evangelho, trs epstolas e o livro do apocalipse Escreveu o evangelho, trs epstolas e o livro do apocalipse Sobre Joo
  • Slide 4
  • Epstolas de Joo Relacionadas a conflitos existentes nas comunidades crists de feso e da sia Menor na virada do sculo I para o II certos membros tentavam conciliar idias crists a outras, provenientes do gnotismo, de filosofias gregas e de prticas de magia Intelectualismo Centro de magia e taumaturgia
  • Slide 5
  • Movimento histrico e religioso cristo, surgido nos sculos II e III Movimento histrico e religioso cristo, surgido nos sculos II e III Natureza filosfica e inspirada nas idias do neoplatonismo e dos pitagricos Natureza filosfica e inspirada nas idias do neoplatonismo e dos pitagricos Fundamentado na Gnose (palavra grega que significa conhecimento) Fundamentado na Gnose (palavra grega que significa conhecimento) Significa a crena na salvao pelo conhecimento Significa a crena na salvao pelo conhecimento Gnosticismo
  • Slide 6
  • 1. Qual a principal preocupao do apstolo e evangelista Joo nas suas epstolas? 2. Qual a especificidade da primeira epstola? 3. Qual a especificidade da segunda epstola? 4. Qual a especificidade da terceira epstola? 5. Correlacione o apelo de Joo, sobre a necessidade da legtima prtica do amor, com pelo menos uma orientao esprita? Sntese das Epstolas de Joo
  • Slide 7
  • Se j recebeste alguma luz, desvela-te em no perd-la. Intensifica-a em ti. Lava os teus pensamentos em esforo dirio, nas fontes do Cristo; corrige os teus sentimentos, renova as aspiraes colocando-as na direo de Mais Alto. No te cristalizes. Movimenta-te no trabalho do zelo prprio, pois h micrbios intangveis que podem atacar a alma e paralis-la durante sculos. Emmanuel F.C.Xavier. Caminho, Verdade e Vida. Item 120 Zelo prprio. Reflexo sobre Zelo prprio
  • Slide 8
  • A voz compassiva e fraternal que ilumina o esprito irm das mos que alimentam o corpo....Trata-se da caridade de pensarmos, falarmos e agirmos, segundo os ensinamentos do Divino Mestre, no Evangelho. a caridade de vivermos verdadeiramente nEle para que Ele viva em ns. Sem esta, poderemos levar a efeito grandes servios externos... Mas, dentro de ns mesmos, nos instantes de supremo testemunho na f, estaremos vazios e desolados, na condio de mendigos da luz. Emmanuel F.C.Xavier. Caminho, Vinha de Luz. Item 110 Caridade Essencial. Reflexo sobre Caridade essencial
  • Slide 9
  • Epstola de Judas
  • Slide 10
  • Sobre Judas Judas o irmo de Jesus (Mateus 13:55) que se tornou crente s depois da ressurreio (Joo 7:5; Atos 1:14), e cujo irmo, Tiago, foi o primeiro personagem dirigente da igreja primitiva (Atos 15:13; Glatas 1:19). Isto concorda com a referncia que Judas faz de Tiago como se este fosse amplamente conhecido. Em face disto, poder-se-ia sugerir uma data que oscilaria entre os anos 70 e 80 d.C., para a escritura desta carta.
  • Slide 11
  • Epstola de Judas Destinada a comunidades crists que estariam sofrendo influncias de falsos doutores Breve, mas rica em contedo, alcana um efeito quase potico Perspectiva apocalptica espera a parusia (nova vinda do Cristo)
  • Slide 12
  • Epstola de Judas nome dado epstola do apstolo So Judas Tadeu, escrita provavelmente no ano 65dC. Epstola de Judas nome dado epstola do apstolo So Judas Tadeu, escrita provavelmente no ano 65dC. Quanto ao local onde a epstola teria sido escrita - h suposies de que Judas teria enviado sua carta da Palestina ou do Egito. Quanto ao local onde a epstola teria sido escrita - h suposies de que Judas teria enviado sua carta da Palestina ou do Egito. Destinatrios da epstola poderiam ser judeus convertidos ao cristianismo espalhados pela sia Menor, embora a epstola no d informaes para que pblico especfico Judas teria se dirigido. O seu contedo apenas indica que os destinatrios seriam pessoas conhecedoras do Antigo Testamento e das tradies judaicas, no havendo referncias expressas aos gentios. Destinatrios da epstola poderiam ser judeus convertidos ao cristianismo espalhados pela sia Menor, embora a epstola no d informaes para que pblico especfico Judas teria se dirigido. O seu contedo apenas indica que os destinatrios seriam pessoas conhecedoras do Antigo Testamento e das tradies judaicas, no havendo referncias expressas aos gentios. Epstola de Judas
  • Slide 13
  • A epstola bem pequena A epstola bem pequena Apenas 25 versculos em um nico captulo: Apenas 25 versculos em um nico captulo: inicia-se com uma curta introduo de dois versos inicia-se com uma curta introduo de dois versos fala sobre o perigo da atuao de homens perversos que estavam tentando alterar o propsito da f crist fala sobre o perigo da atuao de homens perversos que estavam tentando alterar o propsito da f crist d exemplos histricos sobre os falsos mestres descrevendo o carter destes d exemplos histricos sobre os falsos mestres descrevendo o carter destes destaca o viver em santidade como o objetivo dos convertidos e destaca o viver em santidade como o objetivo dos convertidos e conclui com sua beno apostlica conclui com sua beno apostlica Epstola de Judas
  • Slide 14
  • Curiosamente, encontra-se nos seus versos 14 e 15 uma breve citao do livro apcrifo de Enoque (antepassado de No). Curiosamente, encontra-se nos seus versos 14 e 15 uma breve citao do livro apcrifo de Enoque (antepassado de No). Outro ponto da epstola que desperta a ateno o seu verso 9 que fala sobre uma disputa entre o Arcanjo Miguel e o diabo pelo corpo de Moiss, incidente este que no est registrado em nenhuma outra parte das Escrituras, cuja narrativa atribuda citao de um livro antigo chamado de Assuno de Moiss, uma vez que o captulo 34 de Deuteronmio nada diz a respeito do fato comentado pelo apstolo. Outro ponto da epstola que desperta a ateno o seu verso 9 que fala sobre uma disputa entre o Arcanjo Miguel e o diabo pelo corpo de Moiss, incidente este que no est registrado em nenhuma outra parte das Escrituras, cuja narrativa atribuda citao de um livro antigo chamado de Assuno de Moiss, uma vez que o captulo 34 de Deuteronmio nada diz a respeito do fato comentado pelo apstolo. Epstola de Judas
  • Slide 15
  • 1. Qual a principal preocupao de Judas na sua epstola? 2. A quem foi endereada? 3. Correlacione as orientaes de Judas com pelo menos uma orientao esprita? Sntese da Epstola de Judas
  • Slide 16
  • Lembre-se cada aprendiz de no foi chamado a repousar, mas peleja rdua, em que a demonstrao do esforo individual imperativo divino....constitui obrigao o combate permanente pela vitria do amor e da verdade, na Terra, atravs de speros testemunhos, por que todos ns, encarnados e desencarnados, oscilantes entre a animalidade e a espiritualidade, entre o vale do homem e a culminncia do Cristo, estamos constrangidos a batalhar at o definitivo triunfo sobre ns mesmos pela posse da Vida Imortal. Emmanuel F.C.Xavier. Vinha de Luz. Item 49 - Cooperemos fielmente. Reflexo sobre Servio Cristo