As Glórias Dos Locais Sagrados

  • View
    26

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

As Glórias Dos Locais Sagrados

Text of As Glórias Dos Locais Sagrados

AS GLRIAS DOS LOCAIS SAGRADOS

As Glrias Dos Locais Sagrados

INTRODUO

Os devotos devem visitar os locais sagrados de peregrinao. Esta a recomendao de todos os cryas vaiavas. rla Bhaktivinoda hkura diz que a visita aos locais sagrados a me da devoo (aranagati). rla Prabhupda se empenhou muito para construir templos em Vndvana, Mayapur e outros lugares da ndia, onde os devotos ocidentais pudessem se acomodar ao visitar os locais sagrados. Todos esto bem lembrados das visitas de Prabhupda a Prayga, Puri, Tirupati, e inmeros outros locais sagrados em companhia de seus discpulos. O Senhor Caitanya peregrinou por toda a ndia, dando Seu exemplo pessoal de como peregrinar, sempre cantando os santos nomes, da importncia da peregrinao e da associao com pessoas santas nos locais sagrados.Este pequeno trabalho est baseado no Uttara Kaha do Padma Pura (199-222), onde se glorifica o local sagrado de Indraprastha como local de peregrinao, como foi estabelecido, histrias que aconteceram neste local, sua importncia, mrito em visit-lo e inmeras outras informaes que este Pura d aos devotos. Os esforos de traduo para o portugus e publicao destes trabalhos so exclusivos de Srla Iswara Prabhu, o meu amado Gurudeva, que procura seguir os passos de rla Prabhupda publicando e distribuindo livros. Esta obra inteiramente dedicada a todos os devotos do Senhor e pedimos desculpas por nossas falhas ao apresent-las.Os comentrios devocionais esto baseados no Bhakti-tattva-viveka de rla Bhaktivinoda hkura e no Madhurya Kadambhini de rla Visvantha Cakravart hkura.

CAPTULO I

A Glria do Yamun

Na floresta de Naimisaranya, onde se reuniam grandes almas para ouvirem os diversos Puras, os sbios perguntaram a Sta, o venervel narrador destas histrias muito antigas e sagradas:- Sta fale-nos em detalhes sobre as glrias do Yamun. Quem foi que falou sobre elas? Conte-nos a histria toda.Sta ento comeou a narrativa:- Uma vez o filho de Pu, que desejava ouvir sobre o conhecimento auspicioso, foi at o eremitrio do sbio Saubhari, e depois de saud-lo, perguntou a ele:Yudhihira disse:- brmane, diga-me qual o melhor dos locais sagrados que ficam beira do Yamun e qual deles superior at mesmo terra onde nasceu Viu?Saubhari respondeu:- Uma vez, dois sbios eminentes, Nrada e Parvata, se deslocavam pelo cu, e ao contemplarem este mundo, viram a maravilhosa floresta de Khava. Eles desceram do cu e sentaram-se ali nas auspiciosas margens do Yamun. Depois de descansarem um pouco, entraram no rio para se banharem. O rei ibi, filho de Unara, que estava caando naquela floresta, viu os dois sbios e esperou que eles sassem do banho, sentado na margem do rio. Depois de se banharem e de se vestirem, eles foram cumprimentados pelo rei com as devidas reverncias e sentam-se. Ao ver que l estavam milhares de potes sacrificiais de ouro, ibi, humildemente, perguntou a Nrada e Parvata:- sbios eminentes, digam-me, o que so estes potes sacrificiais? Quem realizou um sacrifcio aqui, foram os semideuses ou os homens? Que homens fariam um sacrifcio aqui, em vez de faz-lo num local sagrado como K? Por acaso este local tem alguma particularidade que o torna mais sagrado do que os outros locais sagrados?Nrada disse:- Outrora o demnio Hirayakaipu, depois de conquistar Indra e os demais semideuses, assegurou o reinado dos trs mundos e vivia muito orgulhoso desta faanha. O filho dele era Prahlda, um grande devoto de Nryaa. Aquele demnio patife sentia muita animosidade pelo filho devoto, e o tratava muito mal. Devido a estes maltratos, Viu assumiu a forma de Nsiha, matou instantaneamente o demnio Hirayakaipu e devolveu o reino celestial para Indra, o rei do cu. Depois de recuperar o seu posto, o rei dos semideuses, lembrando-se das virtudes de Viu, e reverenciando os ps de seu guru, Bhaspati, disse a ele:- mestre! Viu, o suporte do mundo, assumindo a forma de Nsiha, me concedeu o reino dos semideuses. Eu desejo ador-lO com sacrifcios. querido Guru, fale-me sobre um local puro para este propsito e tambm sobre que brmanes devo contratar. Por favor, no demore muito para me dar esta informao, quero resolver logo este assunto.Bhaspati respondeu:- Para este seu propsito existe a encantadora e extremamente sagrada floresta de Khava, que rica em rvores como ketak, aoka, bakula e onde as abelhas vivem intoxicadas pelo mel. L est o auspicioso Yamun, muito sagrado e que purifica os trs mundos. S por se lembrar deste rio se alcana o cu e depois da morte a posio de Brahm. rei dos semideuses, se voc deseja a continuidade do bem estar dos seus parentes, adore Viu com inmeros sacrifcios s margens do Yamun.Nrada continuou:- Depois de ouvir as palavras de Bhaspati, Indra embarcou rapidamente em seu veculo. Logo chegou a esta floresta que causa a felicidade, acompanhado por Bhaspati e todo o material para o sacrifcio. Ao ver esta floresta ele ficou muito feliz. Assessorado pelo Guru, Indra, depois de escolher os sete sbios, os filhos de Brahm e os brmanes, adorou ao Senhor do mundo com sacrifcios. O Senhor ficou satisfeito com ele e ali chegou, acompanhado por Brahm e iva. Aquele sacrifcio de Indra foi um grande festival. Aquele Indra, que era muito malicioso, ao ver a trade de governantes universais, levantou-se do seu assento, e os reverenciou, juntamente com todos os sbios ali presentes. Assim que desceram dos seus veculos, os senhores universais sentara-se perto de Indra, e brilhavam como fogos num altar. Ao lado de iva e de Brahm, que tinham corpos branco e vermelho, respectivamente, o Senhor Viu Se destacava pela Sua compleio escura, vestes amarelas, e resplandecia como uma nuvem carregada sobre as montanhas. Indra ento lavou-lhes os ps e despejou a gua sobre a sua cabea. Muito contente, disse estas doces palavras:- deuses, este sacrifcio que acabo de realizar deu fruto instantaneamente, uma vez que vocs, que so difceis de serem vistos at pelos grandes santos em suas meditaes, apareceram aqui. Viu, na verdade Voc foi quem assumiu estas trs formas. Contudo, como num cristal, a aparncia da Sua multiplicidade, no que diz respeito s Suas qualidades, falsa. O fogo escondido num pedao de madeira no se manifesta antes da frico, da mesma maneira, Voc permanece oculto no corao de Seus devotos e se manifesta com o servio devocional. S a devoo por Voc que beneficia todas as entidades vivas. A devoo manifestada por Prahlda foi causa de grande felicidade para os semideuses. Deus, estamos sempre com o corao velado por Sua my e vivemos nos dedicando aos prazeres dos sentidos. Ns, os Seus servos, no conhecemos a Sua natureza corretamente. Brahm, iva, uma vez que vocs so os preceptores do mundo, devido sua grandeza vocs no so diferentes dEle. Tudo o que est ao alcance da mente e o que dito pelas palavras somente a Sua my e estamos muito distantes de Sua grandeza. Quem v este mundo inteiro como irreal no deve pensar nos prazeres dos sentidos. iva, aqueles que se refugiam nos ps de Viu atravessam a gua que voc possui sobre a sua cabea. Brahm, permita que eu tenha, existncia aps existncia, grande apego pelos ps de ltus de Viu. O mundo inteiro surge devido ao olhar de My. No h ningum to bondoso como o Senhor Viu, que concede a felicidade at para os Seus inimigos. Nhari, a Sua bondade remove as misrias de todas as pessoas e estas misrias so provocadas pela ignorncia.Nrada prosseguiu:- Depois de fazer todos estes louvores a Viu, Indra permaneceu ajoelhado diante dEle. Ele havia se concentrado muito para fazer este discurso todo, e claro, desejava alguma grande bno.Os sbios, depois de ouvirem os louvores que Indra fez ao Senhor de Ram, disseram:- Indra, at mesmo os que praticaram severas penitncia por centenas de anos, no possuem tanta devoo a Viu como esta voc est exibindo. O caminho da yoga, pelo qual se atinge a glria, no fcil. O refgio de um homem a renncia com a mente equilibrada e a devoo a Viu. A felicidade alcanada quando dedicamos os frutos de nossas atividades a Viu. Quem adora ao Senhor Viu no deve ofender os outros semideuses e tambm no deve ignorar o que est escrito nos Vedas. Um devoto assim muito querido por aqueles que todos os dias ouvem s virtudes de Viu, que cantam Suas glrias, se lembram dEle, se refugiam nEle, O adoram, O reverenciam numa atitude de servio, fazem amizade com Ele, Lhe oferecem todas as posses e que no desejam sequer a liberao. Indra, voc acabou de satisfazer o Senhor do mundo. No deseje nada dEle! Ento voc ser abenoado.Nrada disse:- Quando Indra foi assim aconselhado pelos sbios, O Senhor Viu, depois de ouvir sobre a devoo que todos tinham por Ele, desejou conceder alguma bno que favorece a todos, que os ajudassem a superar a existncia nestes trs mundos. E naquela assemblia, disse estas doces palavras a Indra:- rei dos semideuses, no de se surpreender que estes grandes sbios honrem o Meu servio devocional, que conduz Minha morada; pois aqueles que ensinam o conhecimento aos habitantes destes trs mundos, sempre propagam o caminho vdico, que anda meio obstruido. Voc, apesar de viver muito apegado aos prazeres celestiais, se aproximou de Mim com devoo. Isso no supreendente, pois Bhaspati o seu preceptor. Meu caro Indra, adore-Me com sacrifcios e muitos presentes, sem nenhum desejo. Muito em breve voc tambm alcanar a Minha morada. Em cada um destes sacrifcios, d de presente muitas prasthas (uma medida de peso) de jias. Este local ento ser chamado Indraprastha. Brahm, traga o Ganges e o Sarasvat, que purificam o mundo inteiro, e faa neste local o melhor dos lugares sagrados, que se chamar Prayga. iva, aqui voc deve estabelecer Ka, ivakc e Gokara. Viva sempre aqui com Gaur. Os filhos de Brahm, que so muito proficientes no conhecimento metafsico e mundano, devem edificar aqui sete locais sagrados atravs do poder de meditao abstrata que possuem. Bhaspati, voc deve estabelecer o local sagrado chamado Nigamodbodhaka. Este local conceder o conhecimento vdico sem mesmo a necessidade de estudar os Vedas e nele as almas e