Click here to load reader

Aula 09 hipóteses contemporâneas

  • View
    800

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Aula 09 hipóteses contemporâneas

  • 1. Teorias daComunicaoHipteses ContemporneasProf. Ms. Elizeu N. Silva

2. Sumrio:Hiptese de agenda setting..........................................03Gatekeeping ..................................................................11Newsmaking ..................................................................29Espiral de silncio .........................................................41 2 3. Hiptese de Agenda-settingDefende que em consequncia da ao dos jornais,da televiso e de outros meios de informao, opblico sabe ou ignora, presta ateno ou descura,reala ou negligencia elementos especficos doscenrios pblicos.As pessoas incluem ou excluem de seusconhecimentos aquilo que o mass media inclui ouexclui de sua pauta. 3 4. Hiptese de Agenda-settingAlm disso, o pblico tende a atribuir quilo que essecontedo inclui uma importncia que reflete de perto anfase atribuda pelos mass media aosacontecimentos, aos problemas, s pessoas(Shaw, 1979,96).4 5. Hiptese de Agenda-settingA hiptese do agenda-setting no defende que osmass media pretendam persuadir [...]. Os massmedia, descrevendo e precisando a realidadeexterior, apresentam ao pblico uma lista daquilosobre que necessrio ter uma opinio e discutir.Trata-se de conhecimento por emprstimo, fornecidopelos mass media. 5 6. Hiptese de Agenda-settingA imprensa pode, na maior parte das vezes, noconseguir dizer s pessoas como pensar. No entanto,tem uma capacidade espantosa para dizer aos seusprprios leitores sobre quais temas devem pensaralguma coisa. (COHEN; WOLF)6 7. Hiptese de Agenda-settingO empolamento constante de certos temas, aspectos eproblemas, constitui um quadro interpretativo, um esquemade conhecimentos, um frame, que se aplica mais ou menosconscientemente para dar sentido quilo que observamos.(WOLF)Rio de Janeiro = Violncia / Nordeste = Corrupo, fracasso/ Norte = Atraso / So Paulo = Motor do pas7 8. Hiptese de Agenda-settingOs mass media fornecem algo mais do que um certonmero de notcias. Fornecem igualmente as categorias emque os destinatrios podem, sem dificuldade e de umaforma significativa, colocar essas notcias. (SHAW; WOLF) 8 9. Hiptese de Agenda-settingNas sociedades industriais, virtualmente impossvel para oindivduo ter acesso a todos os temas sobre os quais precisa teralguma opinio. Os mass media se encarregam, portanto, deoferecer pacotes que se caracterizam pela simplificao/reduodos temas, de modo a se tornarem assimilveis em escalaindustrial.9 10. Hiptese de Agenda-settingOs indivduos no vivem diretamente esses pacotes derealidade, mas mesmo assim podem opinar sobre eles.Mediao simblica.Impacto sobre os indivduos em dois nveis:a) Estabelece a ordem do dia sobre temas, problemas e assuntos;b) Estabelece hierarquia entre os diversos temas e assuntos, organizando-os na ordem do dia.10 11. GatekeepingInsere-se nos estudos dos emissores comunicacionais.[O emisssor] ocupa uma posio fundamental no tecidosocial, com a possibilidade de recusar e de selecionar ainformao em consonncia com uma gama de influnciasque se exercem num determinado sistema social(Halloran, 1969, 7). 11 12. GatekeepingEsta perspectiva aborda:a) Sociologia das profisses: os emissores sob o ponto devista das suas caractersticas sociolgicas, culturais, dosstandards de carreira que eles seguem, dos processos desocializao a que esto sujeitos. Portanto, fatoresexternos organizao do trabalho, que influenciam osprocessos produtivos dos comunicadores.12 13. GatekeepingEsta perspectiva aborda:b) A segunda abordagem, pelo contrrio, constitudapelos estudos que analisam a lgica dos processos pelosquais a comunicao de massa produzida e o tipo deorganizao do trabalho dentro da qual se efetua aconstruo das mensagens. Tais determinaes, que sobastantes complexas, parecem decisivas quanto ao produtoacabado. 13 14. GatekeepingO conceito de gatekeeper (selecionador) foi elaborado porKurt Lewin, num estudo de 1947 sobre as dinmicas queagem no interior dos grupos sociais, em especial no que serefere aos problemas ligados modificao dos hbitosalimentares. 14 15. GatekeepingIdentificando os canais por onde flui a sequncia decomportamentos relativos a um determinado tema, Lewinnota que neles existem zonas que podem funcionar comocancela, ou porteiro, que mudam substancialmente ocomportamento aps a passagem por estes. 15 16. GatekeepingWhite (1950) utilizou este conceito para estudar odesenvolvimento do fluxo de notcias dentro dos canaisorganizativos dos rgos de informao e, sobretudo, paraindividualizar os pontos que funcionam como cancelas eque estabelecem que a informao passe ou seja rejeitada.16 17. GatekeepingO estudo de um caso - a observao da forma cornoprocede Mr Gates, um jornalista com 25 anos deexperincia, que trabalha numa cidade de 100 milhabitantes e que tem a funo de selecionar [editor], deentre a grande quantidade de despachos de agncias quechegam todos os dias, as notcias a publicar no jornal -permite compreender como se desenrola o processo deseleo, quer quantitativa, quer qualitativamente. 17 18. GatekeepingCerca de nove despachos de agncias, em dez, soeliminados e s um em 10 aproveitado como notcia, nojornal.Mesmo que os motivos que presidem deciso de nopublicar a maior parte dos despachos possam parecermuito subjetivos, na realidade, se se observar o tipo dehistrias (com propores relativas) fornecidas pelasagncias e as escolhidas por Mr. Gates, elas parecem 18 19. GatekeepingO mrito destes primeiros estudos foi o de individualizaremonde, em que ponto do aparelho, a aco de filtro exercidaexplcita e institucionalmente.As decises do gatekeeper so tomadas, menos a partir deuma avaliao individual da noticiabilidade do que em relaoa um conjunto de valores que incluem critrios, querprofissionais, quer organizativos, tais como a eficincia, aproduo de notcias, a rapidez (Robinson, 1981, 97).19 20. GatekeepingEnquanto este [o pblico] pouco conhecido pelosjornalistas, o contexto profissional-organizativo burocrticocircundante exerce uma influncia decisiva nas escolhas dosgatekeepers.20 21. GatekeepingEstudo de Breed (1955) sobre controle social nas redaes -analisando os mecanismos de manuteno da linha editorial epoltica dos jornais - confirma que essa linha, raramenteexplicitada e discutida, apreendida por osmose e imposta,sobretudo, atravs do processo de seleo dos jornalistas nointerior da redao. A principal fonte de expectativas,orientaes e valores profissionais no o pblico, mas ogrupo de referncia constitudo pelos colegas ou pelossuperiores. 21 22. GatekeepingPe-se em destaque um tipo de deformao dos contedosinformativos no imputvel a violaes da autonomiaprofissional [censura], mas sobretudo ao modo como estorganizada, institucionalizada e desempenhada a profissode jornalista.22 23. Gatekeeping[Passamos] do conceito de manipulao [entendida como] adistoro deliberada das notcias com fins polticos oupessoais, conceito que, regularmente limita a perspectivadaqueles que criticam os mass media, para as distoresvoluntrias e a breve prazo. 23 24. Gatekeeping[Passamos] do conceito de manipulao [entendida como] adistoro deliberada das notcias com fins polticos oupessoais, conceito que, regularmente limita a perspectivadaqueles que criticam os mass media, para as distoresvoluntrias e a breve prazo.O conceito de gatekeepers destina-se a ilustrar como oprofissionalismo, com os seus valores e as suas rotinas, impeimportantes restries informao produzida. 24 25. GatekeepingSegundo este ponto de vista, autonomia profissional edistoro da informao surgem como duas faces da mesmamoeda.No v mais a distoro na notcia apenas como resultado daao de manipulao e/ou imposio externas, mas tambmligada s prticas profissionais, s rotinas produtivasnormais, aos valores partilhados e interiorizados acerca domodo de desempenhar a funo de informar.25 26. GatekeepingDos mass media - que constituem um ncleo central daproduo simblica, na sociedade atual - necessrioconhecer-se no apenas os sistemas de valores, derepresentaes, de imaginrio coletivo que eles propem, mastambm o modo, os processos, as restries e as limitaesem que tudo isso acontece. 26 27. GatekeepingDos mass media - que constituem um ncleo central daproduo simblica, na sociedade atual - necessrioconhecer-se no apenas os sistemas de valores, derepresentaes, de imaginrio coletivo que eles propem, mastambm o modo, os processos, as restries e as limitaesem que tudo isso acontece. 27 28. GatekeepingAs exigncias organizativas e estruturais e as caractersticastcnico-expressivas prprias de cada meio de comunicao demassa so elementos fundamentais para a determinao dareproduo da realidade social fornecida pelos mass media. 28 29. NewsmakingPerguntas que definem o mbito e expem os problemas deque se ocupa a abordagem do newsmaking:a) Que imagem do mundo os noticirios televisivos fornecem?b) Como se associa essa imagem s exigncias quotidianas da produo de notcias, nos organismos radiotelevisivos? (Golding - Elliott, 1979, 1). 29 30. NewsmakingPesquisas desenvolvem-se entre dois limites:a) a cultura profissional dos jornalistas;b) a organizao do trabalho e dos processos produtivos.Objetivo de qualquer rgo de informao fornecer relatosdos acontecimentos significativos e interessantes. Apesar deser um propsito claro, este objetivo aparentemente simples tambm altamente complexo. 30 31. NewsmakingO mundo da vida quotidiana - a fonte das notcias - constitudo por uma superabundncia de acontecimentos[...].So entre esses acontecimentos que o rgo de informaodeve selecionar alguns para noticiar.Identificao da notcia: A seleo implica, pelo menos, oreconhecimento de um acontecimento como tal, e nomeramente uma casual sucesso de coisas cuja forma ecujo tipo se subtraem ao registo.31 32. NewsmakingCada um [dos acontecimentos] tende a exigir ser nico, fruto deuma conjuno especfica de forassociais, econmicas, polticas e psicolgicas, que o transformamnum acontecimento particular.Do ponto de vista do rgo de informao, impossvel atribuiresse status