BOM RETIRO, LUGAR DO DEVIR Edson Viggiani Jr. Resumo ...· BOM RETIRO, LUGAR DO DEVIR Edson Viggiani

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of BOM RETIRO, LUGAR DO DEVIR Edson Viggiani Jr. Resumo ...· BOM RETIRO, LUGAR DO DEVIR Edson Viggiani

BOM RETIRO, LUGAR DO DEVIR

Edson Viggiani Jr.1

Resumo: Este projeto de Mestrado tem por objeto identificar e compreender as difusas fronteiras entre

as distintas etnias e nacionalidades presentes no bairro do Bom Retiro, zona central de So

Paulo. Trata-se de uma abordagem multidisciplinar conjuntamente com a fotografia enquanto

mtodo de pesquisa e meio de informao e expresso. O bairro uma porta de entrada das

mais diferentes origens e o mais cosmopolita de So Paulo.

Palavras-chave: Fotografia. Imigrao. Fronteira. Cultura. Etnia.

Introduo

O bairro do Bom Retiro, em So Paulo, do final do sculo XIX e ao longo do sculo XX

foi composto por imigrantes italianos, portugueses e espanhis, depois vieram judeus de

diferentes lugares, gregos e em seguida coreanos e sul-americanos; especialmente os

bolivianos, paraguaios e peruanos, alm de cipriotas, armnios e migrantes nordestinos, entre

outras origens e nacionalidades. O Bom Retiro do sculo XXI tornou- se um bairro com

intensa atividade econmica, comrcio de roupas, pequenas fbricas e servios, espao de

moradia, trabalho, e continua sendo uma porta de entrada do Brasil para as mais diferentes

etnias e nacionalidades.

O bairro localizado na zona central de So Paulo abriga diferentes etnias convivendo num

pequeno espao da regio central da cidade. A composio histrica e social do bairro o torna

singular no Brasil. Mesmo em So Paulo, difcil encontrarmos um bairro com tanta

diversidade tnica, e todas interagindo e, ao mesmo tempo tentando reiterar suas diferenas.

Por outro lado no encontramos uma pequena Itlia, ou cidade dos coreanos, nem

1 Mestrando do Programa de Ps-graduao em Cincia da Comunicao na ECA-USP.

10 Interprogramas de Mestrado em Comunicao da Faculdade Csper Lbero http://www.casperlibero.edu.br | interprogramas@casperlibero.edu.br

tampouco uma fechada rea de judeus tradicionais. Todos esto prximos geograficamente.

As fronteiras so mais fludas e difusas, para apont-las necessrio olhar mais de perto.

O Bom Retiro um bairro com pouco mais de 60 ruas, limitado pelos rios Tiet e

Tamanduate e a linha do trem. A origem do nome de uma antiga chcara beira do rio de

uma famlia rica no sculo XIX. At ento, o lugar pertencia a poucas famlias abastadas da

cidade. A proximidade com o centro facilitou a instalao de pequenas indstrias de olaria e

posteriormente cervejaria e indstria txtil substituindo as chcaras. O Bom Retiro se tornou

um bairro com intensa atividade econmica e moradia da classe trabalhadora. O comrcio

tambm foi desenvolvido principalmente por judeus de diferentes origens, alm de srios,

libaneses e gregos, colaborando para a concentrao de um nmero grande de diferentes

etnias e nacionalidades. Imigrantes, trabalhadores, comerciantes e pequenos empreendedores

cruzaram suas histrias de vida nas ruas desse bairro ao mesmo tempo fabril, operrio,

comercial e residencial. Cada grupo ou etnia busca manter seus laos afetivos e memria das

origens produzindo um discurso e narrativa particular. Novos cdigos, verbais e no verbais,

so estabelecidos a partir destas circunstncias histricas especficas.

Desde o sculo XIX o bairro porta de entrada dos mais diferentes imigrantes, migrantes,

trabalhadores em geral e pequenos capitalistas e empreendedores. O movimento global foi

decisivo na formao do bairro e ainda segue esta tendncia. A histria do Bom Retiro se

desenvolve pelo movimento de fora para dentro e de dentro para fora, em transformao

constante. A ressonncia de acontecimentos internacionais, como a Primeira e Segunda

Guerra, a guerra da Coreia, a guerra civil na Grcia, o xodo dos sul-americanos e, ainda, as

migraes nordestinas, so sentidas nas ruas do bairro. O Bom Retiro um bairro que

reiteradamente cosmopolita.

No incio do sculo XX, era comum no bairro ouvir uma conversa falada num italiano

abrasileirado, ou a circulao de um impresso em italiano ou espanhol. No sculo XXI

ouvimos coreano, guarani, aimar, espanhol, portugus e idiche, entre outras lnguas. Os

letreiros das lojas e at mesmo placas indicativas de eventos so escritos em diversas grafias.

10 Interprogramas de Mestrado em Comunicao da Faculdade Csper Lbero http://www.casperlibero.edu.br | interprogramas@casperlibero.edu.br

A televiso de um estabelecimento comercial pode estar ligada num programa da Coreia e o

culto religioso ser celebrado em grego. Nem sempre o cardpio do restaurante, a fachada da

creche, a academia de ginstica tm alguma referncia em portugus.

Esta a principal proposta da pesquisa; tentar identificar porque o lugar se renova

continuamente como um bairro agregador de etnias e classes sociais distintas e como as

relaes se definem na dinmica desta complexa trama social urbana. A pesquisa pretende

analisar as condies especficas de como por mais de um sculo o Bom Retiro continua

sendo uma importante porta de entrada no Brasil e atentar para a criao dos novos cdigos

entre os diferentes grupos. interessante notar para a pesquisa como cada grupo v o bairro e

se v no bairro em relao aos outros. Tentar perceber no desenvolvimento da pesquisa as

identidades e alteridades, os distintos pedaos e as fronteiras veladas.

A observao mais prxima dos clubes exclusivos, escolas voltadas para determinado

grupo e cerimnias festivas e religiosas pode revelar comportamentos sociais de busca de

integrao ou, ao contrrio, afirmao da cultura original. A fotografia etnogrfica um

caminho interessante para se aprofundar numa realidade to complexa como a vida no

bairro do Bom Retiro. O ensaio intenciona refletir esta nova identidade da diversidade que se

realiza no Bom Retiro neste atual momento histrico. Um denominador comum entre os

grupos o trabalho, como observa o historiador Roney Cytrynowicz. E este denominador

comum agrega as mais diferentes classes sociais possveis num universo urbano capitalista

desenvolvido. Inmeros atores sociais e instituies disputam espao. Do novo empresrio ao

catador de papel. A harmonia aparente.

10 Interprogramas de Mestrado em Comunicao da Faculdade Csper Lbero http://www.casperlibero.edu.br | interprogramas@casperlibero.edu.br

Estdio fotogrfico na Rua dos Italianos

O espao

rea comercial na Rua Jos Paulino

10 Interprogramas de Mestrado em Comunicao da Faculdade Csper Lbero http://www.casperlibero.edu.br | interprogramas@casperlibero.edu.br

Nasci no bairro do Bom Retiro, na Rua Adorao, em 1958 e l passei a primeira

infncia. A minha famlia se instalou no bairro em 1888, vinda do sul da Itlia. O olhar de

criana era a ocupao da rua e a lembrana de amigos de diferentes origens; a vizinhana

propiciava o convvio com a diferena. As casas coladas e as inmeras ruas sem sada

facilitavam a diplomacia infantil atravs dos rituais das brincadeiras. As crianas expressavam

a inquietude das tenses e contradies, mas tambm a chance de um convvio ldico e de

mltiplas relaes. O legado da experincia da infncia se cristalizou no olhar do autor adulto

em busca do retrato contemporneo da diversidade. Olhar o outro pressuposto do trabalho

etnogrfico e deve ser tambm do fotgrafo. Olhar uma troca.

O Bom Retiro, zona central de So Paulo, o bairro da utopia, do devir, da busca de

um mundo melhor por gente das mais diferentes origens e nacionalidades. Lugar de realizao

e de fbula e em ressonncia com o movimento global. Olhar para uma realidade complexa

como a do bairro do Bom Retiro saber que estar criando apenas uma viso das mltiplas

possveis. A fotografia uma representao da realidade e na definio de Boris Kossoy em,

Realidades e fices na trama fotogrfica, (2002, p. 22) a fotografia uma segunda

realidade; produz uma realidade fragmentria, um novo documento tecido pelo filtro cultural

e sensibilidade por quem faz; o autor deve ter isso claro, ele apresenta um olhar e este ser

trocado, relacionado, consumido e entrar em confluncia com outros olhares. Nasci no bairro

e o meu olhar, provavelmente, costurado pela minha memria afetiva da primeira infncia.

O olhar produz documentos histricos e depois pode ser objeto de inmeras leituras da

imagem realizada.

O Colgio Polilogos, na Rua Solon, Bom Retiro, a nica escola no Brasil a receber

um certificado do Ministrio da Educao da Coreia pelo currculo escolar estar de acordo

com as normas pedaggicas coreanas. Chi-Hyung Lee o Diretor-administrador da escola.

Coreano, 51 anos, est no Brasil desde 1989 e ele reinventou o portugus para se adaptar s

necessidades sociais. Numa conversa mediada por Jung Yun Chi, mestranda da FAU / USP,

ele mostrou o seu lbum de famlia depois de ter visto a minha cmera analgica e algumas

10 Interprogramas de Mestrado em Comunicao da Faculdade Csper Lbero http://www.casperlibero.edu.br | interprogramas@casperlibero.edu.br

fotografias em preto e branco. O arquivo de Lee tem histria, o pai dele foi fotgrafo amador.

So imagens, provavelmente, desde a dcada de 1920. Imagens a partir de negativo de vidro

at as fotos coloridas da dcada de 1970, 1980 e 1990. Depois desse perodo, com a fotografia

digital, no h mais nenhuma f