CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ?· extraordinárias, reembolso de km rodado e pagamento de…

  • Published on
    14-Dec-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

CONTRATO DE PRESTAO DE SERVIOS DE COLOCAO DE

TRABALHADORES TEMPORRIOS

Pelo presente contrato de prestao de servios de colocao de trabalhadores

temporrios, firmam, de um lado, empresa especializada na prestao de servios

temporrios: (razo social; CNPJ/MF; endereo; nmero do registro no Ministrio do

Trabalho e Emprego; qualificao do representante legal), doravante denominada

EMPRESA DE TRABALHO TEMPORRIO ou simplesmente ETT, e de outro

(razo social; CNPJ/MF; endereo; qualificao do representante legal), doravante

designada EMPRESA TOMADORA DE SERVIOS ou simplesmente

TOMADORA, as obrigaes e compromissos recprocos que assumem com base na

Lei n 6.019/74, regulamentada pelo Decreto n 73.841/74, nas condies e clusulas

que seguem:

CLUSULA PRIMEIRA - OBJETO DO CONTRATO

1.1 - Pelo presente contrato, a ETT se compromete a recrutar, selecionar e colocar

disposio da TOMADORA, temporariamente, trabalhadores temporrios para o

desempenho de suas funes, nos termos da Lei 6.019/74, regulamentada pelo Decreto

n 73.841/74.

1.2 - Os trabalhos temporrios a serem prestados pelos trabalhadores colocados

disposio da TOMADORA durante a vigncia deste Contrato tero por finalidade

atender a demanda complementar de servios ou substituio transitria de pessoal

permanente da TOMADORA ... (conforme termo aditivo no caso de se celebrar um

contrato para cada contratao ou quando o contrato de trabalho temporrio passar a

fazer parte do contrato de prestao de servios nos termos da clusula 1.3. Caso a ETT

firme com a TOMADORA um contrato de prestao de servios para cada contratao,

importante descrever expressamente a demanda complementar, quantidade de

trabalhadores temporrios que sero contratados, setor, funo, etc. Nos casos de

substituio transitria de pessoal permanente, importante descrever o trabalhador

substitudo e a razo).

1.3 - Para cada contratao de trabalhadores temporrios, ser celebrado termo aditivo

ao presente contrato o qual poder ser substitudo pelos Contratos de Trabalho

Temporrio firmados com os trabalhadores temporrios colocados disposio da

TOMADORA, passando a fazer parte deste contrato tambm na forma de termo

aditivo.

CLUSULA SEGUNDA - DO PRAZO DO CONTRATO

2.1 - O presente contrato ser firmado pelo prazo de ___ meses e ter vigncia a partir

da data de sua assinatura, podendo ser prorrogado de mediante ajuste entre as partes e

atravs de celebrao de termo aditivo.

2.2 - Conforme determina a Lei n. 6019/74 em seu artigo 10, 1, o contrato entre a

empresa de trabalho temporrio e a empresa tomadora, com relao a um mesmo

trabalhador, no poder exceder de 180 (cento e oitenta) dias, consecutivos ou no,

podendo ser prorrogado por at 90 (noventa dias), consecutivos ou no, quando

comprovada a manuteno das condies que o ensejaram.

CLUSULA TERCEIRA DAS OBRIGAES DA TOMADORA

3 - So obrigaes da TOMADORA:

3.1 - Informar os cargos e remuneraes dos trabalhadores temporrios conforme

disposto no artigo 12, a, da Lei 6.019/74;

3.2 - Assistir todos os trabalhadores temporrios colocados sua disposio, exercendo

sobre eles o poder disciplinar, tcnico e diretivo;

3.3 - No desviar o trabalhador temporrio da funo para a qual foi contratado;

3.4 - Determinar a durao da carga horria de cada trabalhador temporrio, bem como

dos horrios de entrada, sada, intervalos e necessidade de cumprimento de horas extras;

3.5 - Fornecer ETT, at o quinto dia til aps o encerramento de cada semana,

quinzena ou ms, de acordo com o perodo de pagamento, ficha horria devidamente

preenchida e assinada por todos os temporrios;

3.6 - Comunicar imediatamente ETT a ocorrncia de acidente do trabalho cuja vtima

seja trabalhador temporrio colocado disposio por esta, relatando sua extenso,

gravidade e as providncias tomadas, nos termos do art. 12, 2, da Lei n 6.019/74, sob

pena de assumir qualquer nus advindo da omisso;

3.7 - Efetuar, no tempo pactuado, o reembolso ETT dos salrios, encargos sociais,

eventuais benefcios, bem como o pagamento o pagamento da taxa de colocao de

trabalhadores temporrios, sob pena de incidncia de multa de 2% (dois por cento),

correo monetria pelo IGP-M e juros de mora de 1% (um por cento);

3.8 - Recolher, no tempo legal, a reteno de tributos que foram destacados pela ETT;

3.9 - Na hiptese de Reclamao Trabalhista decorrente de equiparao salarial, horas

extraordinrias, reembolso de km rodado e pagamento de despesas para o exerccio da

atividade, os nus dela resultante ser ressarcido integralmente pela TOMADORA,

inclusive a despesas com advogados.

3.10 - Assumir por todos os seus atos e omisses que tenham reflexos na folha de

pagamento do trabalhador temporrio, responsabilizando-se por eventuais multas,

condenaes judiciais e outras imposies legais;

3.11 - Exigir dos trabalhadores temporrios, declarao por escrito atestando o

recebimento dos EPIs necessrios para o desenvolvimento de suas atividades;

3.12 Garantir aos trabalhadores temporrios colocados sua disposio, as condies

de segurana, higiene e salubridade, nos termos do 1, do artigo 9, da Lei n 6.019/74,

e disponibilizar ETT cpia do PPRA, PCMSO e LTCAT dos seus efetivos

equiparados nos termos do 1, do artigo 9, da Lei n 6.019/74;

3.13 - Sempre que tomar cincia, informar por escrito ETT de toda e qualquer

imputao de multas, notificaes e aes trabalhistas advindas dessa contratao, bem

como enviar cpia dos documentos pertinentes para que possam ser tomadas as medidas

cabveis;

3.14 - Apresentar, quando solicitada pelo agente de fiscalizao do trabalho o contrato

firmado com a ETT;

3.15 Comunicar ETT todas as rescises de contrato de trabalho temporrio no prazo

mximo de at 24 horas aps a dispensa, sob pena da TOMADORA arcar com o

pagamento de uma multa no valor equivalente a 1(um) ms de remunerao do

trabalhador temporrio, por infrao ao artigo 477 da CLT.

3.16 A TOMADORA poder ser responsabilizada pelo vnculo empregatcio com o

trabalhador temporrio em caso de irregularidade na locao de mo de obra.

3.17 A TOMADORA estender ao trabalhador temporrio o mesmo atendimento

mdico, ambulatorial e de refeio destinado aos seus empregados, existentes nas

dependncias da TOMADORA, ou local por ela designado, nos termos do 2, do artigo

9, da Lei n 6.019/1974.

CLUSULA QUARTA DAS OBRIGAES DA ETT

4 - So obrigaes da ETT:

4.1 - Recrutar e selecionar o pessoal que prestar trabalho como temporrio;

4.2 - Encaminhar o trabalhador temporrio para a TOMADORA com o fim de iniciar o

cumprimento da prestao de trabalho;

4.3 - Elaborar folha de pagamento especial nos termos do artigo 35 do Decreto n

73.841/74 e artigo 31, 5, da Lei n 8.212/91, respeitando o ms de competncia;

4.4 - Apresentar, sempre que solicitado pela TOMADORA, os comprovantes de

pagamento das obrigaes trabalhistas, previdencirias e com o FGTS;

4.5 - Efetuar as devidas comunicaes, ao Ministrio do Trabalho e Emprego atravs do

SIRETT e ao Ministrio da Previdncia Social atravs da SEFIP, sempre identificando a

tomadora;

4.6 - Providenciar o contrato de trabalho temporrio a ser firmado com o trabalhador

temporrio;

4.7 - Lanar na CTPS, no campo Anotaes Gerais a condio de trabalhador

temporrio da TOMADORA, nos termos da Circular - INPS n 601.005.0, de 11 de

maro de 1980;

4.8 - Assegurar aos trabalhadores temporrios os direitos trabalhistas contidos no artigo

12 da Lei n 6.019/74;

4.9 - Contratar pessoas selecionadas como trabalhadores temporrios, de acordo com a

Lei 6.019/74;

4.10 - Encaminhar para a TOMADORA os cartes de ponto do ms seguinte at o

ltimo dia til do ms corrente;

4.11 - Adiantar aos trabalhadores temporrios os vencimentos e benefcios

convencionados;

4.12 - Recolher as respectivas despesas de Seguro de Acidentes do Trabalho,

contribuies ou encargos devidos Previdncia Social, reteno do Imposto de Renda

na Fonte e seus respectivos recolhimentos aos cofres pblicos, e quaisquer outros

encargos de natureza trabalhista, previdenciria ou tributria, inclusive o nus relativo a

dispensa desses trabalhadores temporrios, solicitando o reembolso TOMADORA.

4.13 - Apresentar, sempre que solicitada pelo Agente da Fiscalizao do Trabalho, o

contrato firmado com o trabalhador temporrio, bem como o comprovante do respectivo

recolhimento das contribuies previdencirias.

CLUSULA QUINTA - DO PREO

5.1 - O preo dos servios de recrutamento, seleo e colocao de trabalhadores

temporrios devidos pela TOMADORA ETT, denominada taxa de colocao de

trabalhadores temporrios, ser calculado base de __% (_____ por cento) sobre a

remunerao mensal acrescida de horas extraordinrias, premiaes, encargos sociais do

trabalhador temporrio colocado disposio da TOMADORA e impostos devidos

pela contratao dos servios. (Cada ETT dever adaptar esta clusula de acordo com o

negociado com a empresa TOMADORA)

5.2 - A remunerao do trabalhador temporrio ser a mesma devida aos trabalhadores

permanentes da TOMADORA, calculada de acordo com o nmero de horas

efetivamente trabalhadas e registradas na folha de frequncia. No caso de horas extras,

noturnas e outras, o clculo ser feito de acordo com a Consolidao das Leis do

Trabalho (CLT) e conveno coletiva da TOMADORA, acrescidas da respectiva taxa

administrativa prevista na clusula 5.1.

5.3 A TOMADORA fica responsvel pelo pagamento de indenizaes decorrentes de

eventual violao ao disposto no artigo 10, II, b Atos das Disposies

Constitucionais Transitrias, e ao artigo 118 da Lei 8.213/91, e outras eventuais

estabilidades ou indenizaes asseguradas por decises judiciais, Lei e/ou

Acordos/Convenes Coletivas de Trabalho.

CLUSULA SEXTA - DO PAGAMENTO

6.1 - Os pagamentos devidos ETT sero cobrados mediante apresentao da Nota

Fiscal TOMADORA, com prazo de pagamento de __ dias, a contar da data de

emisso da nota fiscal.

CLUSULA STIMA - SUBSTITUIO DO TRABALHADOR TEMPORRIO

7.1 - A ETT se obriga a substituir qualquer trabalhador temporrio sempre que a

TOMADORA assim solicitar em virtude da prestao insatisfatria de trabalho ou

comportamento inadequado, cujos critrios de avaliao sero exclusivos da

TOMADORA, devendo esta ltima arcar com as verbas rescisrias devidas ao

trabalhador temporrio.

CLUSULA OITAVA - DAS HIPTESES DE RESCISO

8.1 - O presente contrato poder ser rescindido, a qualquer tempo, por qualquer das

partes, mediante aviso prvio, por escrito, com 30 (trinta) dias de antecedncia,

devidamente assinado pelas partes, sem qualquer nus para qualquer uma delas, sob

pena de assumir uma multa no valor correspondente a 30% do ltimo faturamento.

8.2 - O presente contrato poder ser tambm rescindido por qualquer das partes,

independente de notificao, nos casos de:

a) Inadimplemento de qualquer clusula ou condio do presente contrato;

b) Falncia, recuperao judicial ou extrajudicial de uma das partes homologada ou

decretada;

c) Transferncia do contrato a terceiros sem o pleno e expresso consentimento de uma

das partes;

d) Fora maior ou casos fortuitos que impeam o cumprimento deste contrato por

perodo superior a 15 (quinze) dias teis.

e) Inobservncia, por parte da ETT, quando do desempenho dos servios previstos

neste instrumento e/ou das exigncias legais e administrativas necessrias a sua

execuo.

CLSULA NONA- DISPOSIES GERAIS

9.1 - Sejam quais forem as qualificaes do profissional encaminhado, a ETT no se

responsabiliza pelo prejuzo decorrente do manuseio de valores, assim como por

quaisquer valores pagos aos trabalhadores temporrios, seja a ttulo de emprstimo,

transporte, etc., ficando vedado TOMADORA o fornecimento direto de vales ou

aditamentos a qualquer trabalhador temporrio ao seu servio.

9.2 - Os dias em que os trabalhadores temporrios no prestarem servios a

TOMADORA por mera liberalidade desta, tendo, porm ficado sua disposio, sero

considerados dias efetivamente trabalhados e dever ser remunerado com os acrscimos

legais, se for o caso.

9.3 - A ETT no se responsabiliza pela superviso direta da execuo dos trabalhos dos

trabalhadores temporrios.

9.4 - O presente contrato no estabelece qualquer vnculo empregatcio entre a

TOMADORA e os empregados e prepostos da ETT, responsabilizando-se esta por

todos os tributos e encargos devidos, sejam trabalhistas, sociais ou previdencirios, no

existindo qualquer responsabilidade da TOMADORA quanto aos mesmos, quer

solidria ou subsidiariamente.

9.5 - O no exerccio, por qualquer das partes CONTRATANTES, dos direitos

previstos no presente contrato, em especial no tocante resciso contratual e obteno

da reparao de danos a esta causada, ser considerado ato de mera liberalidade, no

resultando em novao das obrigaes aqui assumidas, podendo as partes exerc-los a

qualquer tempo.

9.6 - As partes se obrigam ao fiel cumprimento deste, por si, seus herdeiros ou

sucessores.

9.7 - Fica vedada a cesso do presente contrato pela ETT sem prvia e expressa

anuncia da TOMADORA, mesmo se de aquisio de estabelecimento comercial ou

incorporao da sociedade.

9.10 - Toda e qualquer reclamao de uma para com a outra dever ser informada por

escrito, acompanhada do respectivo comprovante de recebimento, podendo, conforme a

sua gravidade, caracterizar inadimplemento contratual.

9.11 - O presente contrato no poder ser alterado ou modificado, exceto por Termo

Aditivo devidamente assinado pelos representantes de cada parte, bem como de suas

testemunhas.

9.12 - Fica estabelecido que a nulidade de qualquer das disposies ora acordadas no

acarretar a nulidade das demais. Na medida do possvel, as clusulas ou dispositivos

considerados nulos devero ser reescritos de forma a refletir as pretenses originais das

partes, em conformidade com a legislao aplicvel.

9.13 - Ocorrendo circunstncias que justifiquem a invocao da existncia de caso

fortuito ou de fora maior, a parte impossibilitada de cumprir a sua obrigao dever dar

conhecimento outra, por escrito e imediatamente, da ocorrncia e suas consequncias,

obrigando-se a empenhar os seus melhores esforos para o adimplemento de suas

obrigaes to logo tenha cessado os efeitos do caso fortuito ou de fora maior.

CLUSULA DCIMA DO FORO COMPETENTE

10.1 - As partes signatrias deste Contrato elegem com excluso de qualquer outro, por

mais privilegiado que seja, o Foro da Comarca de _____________________, para

qualquer ao ou medida judicial para a soluo de qualquer pendncia relacionada com

o presente contrato.

E, por estarem justas e contratadas assinam este instrumento particular em 02 (duas)

vias de igual teor e forma, juntamente com duas testemunhas a tudo presente.

_________________, __ de ________ de ____.

________________________________________________

EMPRESA DE TRABALHO TEMPORRIO

________________________________________________

TOMADORA

TESTEMUNHAS:

1) ________________________________________________

Nome:

CPF.:

2) ________________________________________________

Nome:

CPF.: