Drenagem Canais

  • View
    16

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

drenagem em canais com e sem revestimento

Text of Drenagem Canais

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS

    ES-D03 OBRAS DE CANAIS

    DOCUMENTO DE CIRCULAO EXTERNA

    77

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    NDICE

    PG. 1. OBJETO E OBJETIVO....................................................................................... 79 2. REFERNCIAS ................................................................................................. 79 3. LOCAO DA OBRA......................................................................................... 79 4. LIMPEZA DO TERRENO.................................................................................... 80 5. ESCAVAO....................................................................................................... 80 5.1 ESCAVAO COMUM........................................................................................... 82

    5.2 ESCAVAO COM EXPLOSIVOS ............................................................................. 82

    6. CANAIS .............................................................................................................. 83 6.1 CANAIS EM CONCRETO......................................................................................... 84

    6.2 CANAIS EM SOLO.................................................................................................. 85

    6.3 CANAIS EM ENROCAMENTO ................................................................................... 86

    6.4 CANAIS EM GABIO.............................................................................................. 87

    6.5 CANAIS COM REVESTIMENTO SUPERFICIAL DE GRAMA .......................................... 89

    7. CRITRIOS DE MEDIO E PAGAMENTO....................................................... 92 7.1 MEDIO......................................................... ..................................................... 92

    7.2 PAGAMENTO ......................................................................................................... 93

    78

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    1. OBJETO E OBJETIVO

    O objeto deste documento so as Diretrizes Executivas de Servios da PCR, e o seu

    objetivo descrever os procedimentos de implantao de canais.

    2. REFERNCIAS

    Nas presentes Diretrizes Executivas de Servios so citados os seguintes

    documentos:

    ES-T01 Diretrizes Executivas de Servios de Aterros Compactados da PCR; ES-T02 - Diretrizes Executivas de Servios de Escavaes, da PCR; ES-C01 - Diretrizes Executivas de Servios de Aterros Reforados, da PCR; ES-C03 - Diretrizes Executivas de Servios de Estruturas Atirantadas, da PCR; EB-1562 - Arame de Ao de Baixo Teor de Carbono, Zincado para Gabies, da

    ABNT;

    ES-E02 Diretrizes Executivas de Servios de Estruturas-Galerias e Canais da PCR;

    ES-E06 Diretrizes Executivas de Servios de Estrutura Concretos, da PCR

    3. LOCAO DA OBRA

    A locao da obra dever ser executada seguindo as definies do projeto executivo e

    dever estar de acordo com as Diretrizes Executivas de Servios da PCR.

    No caso dos canais, a locao deve ser executada buscando o enquadramento da

    estrutura em eixos auxiliares que delimitem a estrutura no espao. As linhas

    demarcaro o incio e o fim dos taludes e a regio da base do canal, definindo as

    cotas destes elementos ao longo do seu desenvolvimento.

    79

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    4. LIMPEZA DO TERRENO

    Os trabalhos de limpeza do terreno consistiro na remoo de todo o material de

    origem vegetal das reas de implantao do canal, reas de apoio, acessos e outras

    definidas pelo projeto e Fiscalizao.

    A limpeza incluir, onde necessrio, as operaes de desmatamento, destocamento e

    raspagem com profundidade suficiente para a remoo dos detritos de origem vegetal.

    Os limites das reas a serem limpas sero os fixados nos desenhos de projeto.

    Os trabalhos de limpeza sero iniciados somente aps aprovao, pela Fiscalizao,

    do plano de sua execuo apresentado pela Empreiteira.

    5. ESCAVAO

    O plano de escavao dever indicar o equipamento previsto para os trabalhos de

    escavao e transporte, bem como a localizao das reas de estoque e bota-fora

    previstos pela Empreiteira. Dever incluir, sempre que necessrio, o sistema de

    esgotamento e drenagem superficial das reas escavadas durante e aps a realizao

    dos trabalhos, bem como um plano de preservao de reas de emprstimo e bota-

    fora. O nvel do lenol fretico dever ser determinado, pois fator importante na

    escolha dos mtodos de escavao.

    As operaes de escavao devero obedecer os critrios apresentados pelas

    Diretrizes Executivas de Servios de Escavaes, da PCR ES-T02.

    80

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    Nos locais em que a escavao encontrar solo imprprio, dever ser feita escavao

    adicional para troca do material. Uma vez concludos esses trabalhos, dever ser feito

    o revestimento da vala, com brita ou areia compactada manualmente de forma a se

    obter, uma superfcie a mais regular possvel. Esse trabalho dever estar de acordo

    com o projeto, ficando qualquer alterao, devida s condies locais, a julgamento da

    Fiscalizao.

    A Empreiteira dever executar as escavaes nos alinhamentos, declividades e

    taludes mostrados nos desenhos ou definidos pela Fiscalizao, sendo, volumes

    escavados a mais, de responsabilidade da Empreiteira.

    A Empreiteira dever programar os trabalhos de modo que permita a maximizao do

    aproveitamento direto dos materiais escavados para reaterro e regularizao de outras

    partes do projeto. A localizao de estoques intermedirios dever ser aprovada pela

    Fiscalizao. Os materiais a serem encaminhados para bota-fora devero ser

    imediatamente removidos do canteiro de obras.

    Antes do incio de qualquer trabalho, a Empreiteira submeter aprovao da

    Fiscalizao, o plano de escavaes, o qual ser efetuado a partir de levantamentos

    topogrficos, sondagens, dados geolgicos, cronogramas, locais previstos para bota-

    fora e demais observaes, conforme indicado no projeto ou a critrio da

    Fiscalizao.

    As escavaes executadas por convenincia da Empreiteira, como as escavaes

    para implantao de estradas de servio em reas de escavao e outras, sero

    realizadas a suas expensas, mesmo quando j aprovado o plano geral de escavao.

    81

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DRENAGEM Diretrizes Executivas de Servios para Obras de Canais

    DATA 2003

    PREFEITURA DO RECIFE

    A escavao de solos como, por exemplo, aqueles que sero utilizados no

    revestimento final dos taludes, dever ser programada de forma a se evitar a

    necessidade de implantao de estoques. Quando isso no for possvel, a

    Fiscalizao autorizar, mediante comunicao escrita, a formao desses estoques

    em reas preestabelecidas.

    Qualquer escavao para obteno de solos argilosos fora da rea do projeto dever

    ser autorizada pela Fiscalizao aps anlise das vrias alternativas propostas pela

    Empreiteira.

    5.1 ESCAVAO COMUM

    A operao de escavao comum nas reas de canais inclui a remoo de terra, de

    rocha decomposta, de pedras soltas e de qualquer outro material que possa ser

    removido pelo equipamento de escavao sem emprego sistemtico de explosivos.

    5.2 ESCAVAO COM EXPLOSIVOS

    Operaes de escavao com explosivos em reas de implantao dos elementos de

    drenagem devero seguir as orientaes de projeto desenvolvido por firma

    especializada, alm tambm de estarem de acordo com as Diretrizes Executivas de

    Servios ES-T02 Escavaes, j mencionada, e demais normas e regulamentos

    pertinentes.

    As escavaes com explosivos devero ser utilizadas em materiais com grande

    resistncia ao desmonte mecnico.

    82

  • DOCUMENTAO TCNICA SECRETARIA DE SERVIOS PBLICOS

    EMITENTE EMPRESA DE MANUTENO E LIMPEZA URBANA

    REFERNCIA

    VOL.4 / ES-D03 ASSUNTO: DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIOS DE DR