Click here to load reader

FOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANÁLISE FOTOGRÁFICA · PDF fileFOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANÁLISE FOTOGRÁFICA DO MARACATU CEARENSE PRODUZIDA PELA EQUIPE DE FOTÓGRAFOS DO JORNAL “O

  • View
    224

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of FOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANÁLISE FOTOGRÁFICA · PDF fileFOTOJORNALISMO NA...

0

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO CEAR

FACULDADE CEARENSE

CURSO DE COMUNICAO SOCIAL COM HABILITAO EM JORNALISMO

JORGE ALVES DE ARAUJO

FOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANLISE FOTOGRFICA DO

MARACATU CEARENSE PRODUZIDA PELA EQUIPE DE

FOTGRAFOS DO JORNAL O POVO

FORTALEZA - CE

2012

1

JORGE ALVES DE ARAUJO

FOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANLISE FOTOGRFICA DO

MARACATU CEARENSE PRODUZIDA PELA EQUIPE DE

FOTGRAFOS DO JORNAL O POVO

Monografia apresentada ao Curso de

Jornalismo do Centro Superior do Cear,

mantenedora da Faculdade Cearense

(FaC), como exigncia parcial para

obteno do grau de Bacharel em

Comunicao Social com habilitao em

Jornalismo.

Orientao: Professor. Ms. Rubens

Venncio

FORTALEZA - CE

2012

2

JORGE ALVES DE ARAUJO

FOTOJORNALISMO NA AVENIDA: ANLISE FOTOGRFICA DO

MARACATU CEARENSE PRODUZIDA PELA EQUIPE DE

FOTGRAFOS DO JORNAL O POVO

Monografia como pr-requisito obteno do titulo de Bacharel em

Jornalismo, outorgado pela Faculdade Cearense FAC, tendo sido aprovada pela

banca examinadora composta pelos professores.

Data da aprovao:___/___/___

BANCA EXAMINADORA

________________________________________

Professor MS Rubens Venncio - UFC

Orientador

_______________________________________

Professor MS Fernando Jorge da Cunha Silva -UNL

Examinador

______________________________________

Professor MS Sidney Claudio Gonalves dos Santos UFC

Examinador

3

Primeiramente, agradeo a Deus, por ser

minha fortaleza, estando sempre ao meu

lado, dando-me foras para vencer os

obstculos e desafios da vida.

4

Aos meus pais, por suas existncias;

presena marcante em minha vida, com

incentivo e sabedoria ao transmitirem

conhecimentos e experincias. Com amor

e carinho dedico este.

5

AGRADECIMENTOS

Primeiramente, agradeo a Deus, por ser minha fortaleza, estando

sempre ao meu lado, dando-me foras para vencer os obstculos e desafios da vida.

Agradeo aos meus pais e irmos, pelo apoio e carinho oferecidos em

todos os momentos da minha vida. Dedico a eles todas as recompensas pelo

esforo que me fezeram chegar onde estou e, principalmente, a minha querida me,

Maria Hilda Ribeiro Alves, por fazer esse sonho acontecer.

Gostaria de agradecer, tambm, a uma pessoa que nos ajudou a

conseguir passar por diversas dificuldades nesta trajetria acadmica, o Dr. Prof.

Francisco Valfrido Barbosa. Dedico-o esta monografia por mostrar-nos o caminho de

um futuro. Com sua vasta experincia acadmica e de vida, ajudou-nos bastante

para que estre trabalho fosse concludo.

A todos os meus amigos, especialmente, a Jos Enrique Gmes, que

para ns no um amigo/irmo que sempre esteve ao nosso lado, em todas as

horas.

Agradeo, tambm, uma pessoa que entrou em minha vida e mudou o

que eu imaginava dela, Jordana Shertany. Sempre em momentos de alegria ela esta

ao meu lado.

A todos os meus professores, aos docentes Rubens Venncio, por ter

aceito ser meu orientador, contribuindo construo deste trabalho. A Fernando

Jorge, Sidney Claudio, Lenha Digenes, Paulo Paiva, Gevan Oliveira, Carlinhos

Perdigo de um modo geral e de maneira especial.

6

Fotografar colocar na mesma linha de

mira, a cabea, o olho e o corao.

(Henri Cartier-Bresson)

7

RESUMO

A presente pesquisa objetiva estudar a tradicionalidade e a cultura afro do Maracatu, na cidade de

Fortaleza, fotograficamente. Trata da composio das imagens com sua tradicionalidade,

manifestaes, desfiles, fantasias e expresses. Para materializar o estudo em questo, trazemos

baila a obra da filsofa paulista Marilena Chaui, O Olhar, quando se reporta: Os olhos amam a

beleza e a variedade das formas, brilhos e amenidade das cores. Encaixa-se no olhar das pessoas

extasiadas com o ritual estonteante dos Maracatus. E, assim, as fotografias produzidas em 2011 do

Maracatu pelos fotgrafos Mauri Melo e Iana Soares, retratam o aspecto documental e histrico. O

autor, minuciosamente, selecionou algumas obras, no que diz respeito fotografia, como bem retrata

o pr-socrtico Parmnides de Elia, com muita sapincia assim se expressa: o ser . O Maracatu

transforma-se, mas a fotografia o faz lembrar os tempos idos. Diante do exposto, o Maracatu

representa a frica na pessoa dos escravos e os ndios nossos primeiros nativos, fazendo parte da

Histria do Brasil.

Palavras chave: Fotografia, Fotojornalismo, Maracatu e Cultura.

8

ABSTRACT

This research aims at studying the traditionalism and african culture of Maracatu in the city of

Fortaleza, photographically. This composition of images with its traditionality, demonstrations,

parades, costumes and expressions. To materialize the study in question, we bring into question the

work of philosopher Marilena Chaui, "The Look" when it reports: "The eyes love the beauty and the

variety of shapes, sparkles and amenity of colors." It fits the look of the people with the sweeping ritual

of Maracatus. And so the photos, taken in 2011 by photographers Mauri Melo and Iana Soares, retract

the historical and documentary aspect. The author meticulously selected some works, and he chose

players from various wings to interview them. With respect to photography, as well it depicts the pre-

Socratic Parmenides of Elea, with very well expressed wisdom: the being is. Maracatu transforms

itself, but the picture reminds the bygone days. Given the above, the Maracatu represents Africa in the

person of former slaves and the Indians, our first natives, part of the history of Brazil.

Keywords: Photojournalism, Photography, Maracatu and Culture.

9

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 Viva de Abraham Lincoln supostamente acompanhada pelo

fantasma do marido........................................................................

24

Figura 2 Entrudo na Rua do Ouvidor Angelo Agostini (1884)................... 35

Figura 3 O Carnaval no dia de quaresma na Europa................................... 36

Figura 4 Em 1948, Dona Dorotia j reunia multides e inclua desfile de

carros alegricos, como a imitao do bonde 37, levada pelo

grupo Dengosas do Marap............................................................

37

Figura 5 Mostra uma pessoa sendo pitada para representar a majestade

negra e duas crianas iniciando sua jornada no maracatu.

Maracatu Nao Ax de Oxossi, 2012...........................................

42

10

LISTA DE FOTOS

Foto 1 Moa construindo um vestido para a Ala das Baianas. 2011,

Mauri Melo......................................................................................

47

Foto 2 O antes e o depois de um personagem do Maracatu. 2011, Iana

Soares.............................................................................................

48

Foto 3 A tradio do negro sendo lembrada no Maracatu. 2011, Mauri

Melo................................................................................................

49

Foto 4 A Rainha do Maracatu desfilando pela avenida. 2011, Mauri

Melo................................................................................................

51

Foto 5 A expresso de um personagem na avenida. 2011, Iana

Soares.............................................................................................

52

Foto 6 O momento maior de um maracatu em sua coroao. 2011,

Mauri Melo......................................................................................

53

Foto 7 A boneca calunga no desfile do maracatu. 2011, Iana Soares....... 54

Foto 8 Os ndios no maracatu de fortaleza. 2011, Mauri Melo.................. 55

Foto 9 A inocncia da criana no Maracatu de Fortaleza. 2011, Mauri

Melo................................................................................................

56

Foto 10 O maracatu cearense considerado diferente, extico, porque

seus participantes............................................................................

57

11

SUMRIO

1 INTRODUO ................................................................................................. ..12

1.1 Tpicos da Histria da Fotografia e da Imagem ................................................. 15

1.2 Desenvolvimento da Fotografia .......................................................................... 19

1.3 Do Analgico ao Digital ....................................................................................... 22

1.4 Fotojornalismo .................................................................................................... 25

1.5 Fotojornalismo no Brasil ...................................................................................... 29

2 A HISTRIA DO CARNAVAL NO BRASIL ....................................................... 34

2.1 Breve Relato da Histria do Carnaval no Brasil .........

Search related