of 4 /4
PUBLICA˙ˆO DA DIVISˆO DE JORNALISMO DA COORDENADORIA DE COMUNICA˙ˆO SOCIAL Visite nosso site: www.ufv.br Ano 35 Viosa (MG), 28 de setembro de 2007 Nœmero 1.409 U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E V I ˙ O S A 36570-000 - VI˙OSA - MINAS GERAIS - BRASIL DEVOLUÇÃO GARANTIDA CORREIOS 9912165948/DR/MG Impresso Especial 9912165948/DR/MG UFV CORREIOS 28 de setembro de 2007 JORNAL DA UFV 8 O Espao Multiuso da UFV, na noite de hoje, serÆ palco de mœsicas de diferentes estilos e localidades do Pas, com o incio do 10” Festival da Canªo de Viosa. Apresentando o maior nœmero de inscritos desde o primeiro festival, em 1997, o Fecavi reœne MPB, rock, roda de viola, samba e sam- ba-rock. Os compositores selecionados concorrem a atØ R$ 4 mil em prŒmios. Na Categoria UniversitÆ- ria, seis canıes serªo apre- sentadas hoje por seus com- positores: CadŒ a infncia (Suzana Dias) De coraªo (Ivan Rodrigues) Tem incio hoje o 10” Festival da Canªo de Viosa na UFV Fresta (Jesus Ansio Neto) Lampiªo (Paulo Victor Queiroz) Mais (Gabriel Costa) O mundo gira (Felipe Elia de A. Magalhªes) O todo Ø tªo pouco (Bruno Lima) Sonata do aœcar amargo (Ronaldo Medeiros e Renato Luiz) Amanhª, o pœblico pode- rÆ prestigiar as canıes da Categoria Geral: Akoma-e (DÆrio Marques) Calango desassombrado (Diorgem Ramos) Casulo na moldura (Carlos Gomes) ruim de pegar com a mªo (ZØ Alexandre) Indiferena (Rafael Aguiar) Espera-se que o 10” Fecavi tenha o mesmo sucesso das ediıes anteriores Junho de todos os santos (Zebeto CorrŒa) Legado de um negro (Mari- nho San) Milagreiro (Eduardo San- tana) Samba mistura (Paulo Mo- narco) A cantora Aline Calixto e o compositor carioca Nelson Sargento, importante nome do samba brasileiro, se apre- sentam hoje no evento, que comea a partir das 20 ho- ras. Amanhª, o festival terÆ incio no mesmo horÆrio e vai contar com a participaªo da banda de rock mineira Tia- nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe- cavi Ø trocado por um quilo de alimento nªo perecvel, a ser doado a entidades sociais. HÆ pontos de troca nas Quatro Pi- lastras (entrada da UFV), no Supermercado-Escola e nas lojas credenciadas da Oi. O Festival da Canªo de Viosa Ø promovido pela Fun- daªo Artstica e Cultural de Viosa (Facev), Fundaªo RÆdio e Televisªo Educativa e Cultural de Viosa (Fratev) e Divisªo de Assuntos Cultu- rais (DAC) da Pr-Reitoria de Extensªo e Cultura da Uni- versidade Federal de Viosa. Com reportagem de: Felipe Luchete O evento sempre recebeu um grande pœblico Arquivo Arquivo UFV se destaca na produªo de novos cultivares no Brasil A Universidade Federal de Viosa foi ho- menageada, pelo Mi- nistØrio da Agricul- tura, PecuÆria e Abastecimento (Mapa), por figurar entre as instituiıes brasileiras com o mai- or nœmero de cultiva- res protegidos. A ce- rimnia foi realizada, no dia 25 deste mŒs, em Braslia, ocasiªo em que foram come- morados os 10 anos de proteªo de culti- vares no Brasil. Veja matØria na pÆgina 3. Plo de ExcelŒncia em Florestas na UFV Comemor aªo do 81” aniversÆrio da UFV A Universidade Federal de Viosa comemorou, no dia 28 de agosto, o 81” aniversÆrio de sua fundaªo, em cerimnia realizada no Espao AcadŒ- mico-Cultural Fernando Sabino (foto). Na oportunidade, foram prestadas homenagens a diversos membros da comunidade acadŒmica, agraciados com as Medalhas Bello Lisboa, JosØ Va- lentino da Cruz e Peter Henry Rolfs do MØrito em Ensino, Pesquisa e Extensªo. Leia matØria completa na pÆgina 5. F oi realizada, no dia 14 de agosto, na UFV, a Reu- niªo TØcnica Preparat- ria para a instalaªo do Plo de ExcelŒncia em Florestas na Universidade, com amplas perspectivas para o desen- volvimento do setor na re- giªo e em Minas. O evento foi realizado no Salªo Nobre do Edifcio Ar- thur da Silva Bernardes, con- tando com a presena de au- toridades acadŒmicas, re- presentantes de organiza- ıes participantes do plo e especialistas na Ærea. PÆg. 6 JosØ Paulo Martins Arte: MÆrcio Jacob

Jornal da UFV - Julho de 2007contar com a participaçªo da banda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe-cavi Ø trocado por um

  • Upload
    others

  • View
    4

  • Download
    0

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: Jornal da UFV - Julho de 2007contar com a participaçªo da banda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe-cavi Ø trocado por um

PUBLICAÇÃO DA DIVISÃO DE JORNALISMO DA COORDENADORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Visite nosso site: www.ufv.brAno 35 Viçosa (MG), 28 de setembro de 2007 Número 1.409

U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E V I Ç O S A36570-000 - VIÇOSA - MINAS GERAIS - BRASIL

DEVOLUÇÃOGARANTIDA

CORREIOS

9912165948/DR/MG

ImpressoEspecial

9912165948/DR/MGUFV

CORREIOS

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

8

O Espaço Multiuso da UFV,na noite de hoje, será palcode músicas de diferentesestilos e localidades do País,com o início do 10º Festivalda Canção de Viçosa.

Apresentando o maiornúmero de inscritos desde oprimeiro festival, em 1997,o Fecavi reúne MPB, rock,roda de viola, samba e sam-ba-rock. Os compositoresselecionados concorrem aaté R$ 4 mil em prêmios.

Na Categoria Universitá-ria, seis canções serão apre-sentadas hoje por seus com-positores:

Cadê a infância (SuzanaDias)De coração (Ivan Rodrigues)

Tem início hoje o 10º Festival da Canção de Viçosa na UFVFresta (Jesus Anísio Neto)Lampião (Paulo Victor Queiroz)Mais (Gabriel Costa)O mundo gira (Felipe Elia deA. Magalhães)O todo é tão pouco (BrunoLima)Sonata do açúcar amargo(Ronaldo Medeiros e RenatoLuiz)

Amanhã, o público pode-rá prestigiar as canções daCategoria Geral:

Akoma-e (Dário Marques)Calango desassombrado(Diorgem Ramos)Casulo na moldura (CarlosGomes)É ruim de pegar com a mão(Zé Alexandre)Indiferença (Rafael Aguiar)

Espera-se que o 10º Fecavi tenha o mesmo sucesso das edições anteriores

Junho de todos os santos(Zebeto Corrêa)Legado de um negro (Mari-nho San)Milagreiro (Eduardo San-tana)Samba mistura (Paulo Mo-narco)

A cantora Aline Calixto eo compositor carioca NelsonSargento, importante nomedo samba brasileiro, se apre-sentam hoje no evento, que

começa a partir das 20 ho-ras. Amanhã, o festival teráinício no mesmo horário e vaicontar com a participação dabanda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10anos de carreira.

O ingresso para o 10º Fe-cavi é trocado por um quilo dealimento não perecível, a serdoado a entidades sociais. Hápontos de troca nas Quatro Pi-lastras (entrada da UFV), noSupermercado-Escola e nas

lojas credenciadas da Oi.O Festival da Canção de

Viçosa é promovido pela Fun-dação Artística e Cultural deViçosa (Facev), FundaçãoRádio e Televisão Educativae Cultural de Viçosa (Fratev)e Divisão de Assuntos Cultu-rais (DAC) da Pró-Reitoria deExtensão e Cultura da Uni-versidade Federal de Viçosa.

Com reportagem de:

Felipe LucheteO evento sempre recebeu um grande público

Arq

uivo

Arq

uivo

UFV se destaca na produçãode novos cultivares no BrasilA Universidade

Federal deViçosa foi ho-

menageada, pelo Mi-nistério da Agricul-tura, Pecuária eA b a s t e c i m e n t o(Mapa), por figurarentre as instituiçõesbrasileiras com o mai-or número de cultiva-res protegidos. A ce-rimônia foi realizada,no dia 25 deste mês,em Brasília, ocasiãoem que foram come-morados os 10 anosde proteção de culti-vares no Brasil.

Veja matéria na

página 3.

Pólo de Excelênciaem Florestas na UFVComemoração do 81º aniversário da UFV

AUniversidade Federal de Viçosacomemorou, no dia 28 de agosto,o 81º aniversário de sua fundação,

em cerimônia realizada no Espaço Acadê-mico-Cultural �Fernando Sabino� (foto).

Na oportunidade, foram prestadashomenagens a diversos membros dacomunidade acadêmica, agraciadoscom as Medalhas Bello Lisboa, José Va-lentino da Cruz e Peter Henry Rolfs doMérito em Ensino, Pesquisa e Extensão.

Leia matéria completa na página 5.

Foi realizada, no dia 14 deagosto, na UFV, a Reu-nião Técnica Preparató-

ria para a instalação do Pólode Excelência em Florestasna Universidade, com amplasperspectivas para o desen-volvimento do setor na re-gião e em Minas.

O evento foi realizado noSalão Nobre do Edifício Ar-thur da Silva Bernardes, con-tando com a presença de au-toridades acadêmicas, re-presentantes de organiza-ções participantes do pólo eespecialistas na área. Pág. 6

José

Pau

lo M

arti

ns

Art

e: M

árci

o J

acob

Page 2: Jornal da UFV - Julho de 2007contar com a participaçªo da banda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe-cavi Ø trocado por um

ADMINISTRAÇÃO

Ed. Arthur da Silva Bernardes- Campus Universitário -

CEP 36570-000 - Viçosa - MGTelefax (31) 3899-2245

PUBLICAÇÃO DA UNIVERSIDADEFEDERAL DE VIÇOSA

Registro no Cartório de Títulos eDocumentos da Comarca deViçosa sob o nº 04, livro B,

nº 1, fls. 3/3v

JORNAL DA UFV

REITORCarlos Sigueyuki Sediyama

VICE-REITORCláudio Furtado Soares

COORDENADOR DECOMUNICAÇÃO SOCIAL

Cláudio Mafra

JORNALISTA RESPONSÁVELAntônio Fernando de

Souza Faria

Reg. MG 02608 JP

DIVISÃO DE JORNALISMOAntônio Fernando de

Souza Faria

DIVISÃO DE RÁDIO E TVRicardo Nogueira Reis

DIVISÃO DE RELAÇÕESPÚBLICAS

Yara Vaz de Melo Freppel

DIVISÃO DE GRÁFICAUNIVERSITÁRIA

José Paulo de Freitas

EQUIPE DE REDAÇÃOAntônio Fernando de Souza

Faria, João Batista Mota,

José Paulo Martins e

Léa Medeiros

DESIGNER GRÁFICOMárcio Jacob

ESTAGIÁRIOSFelipe Luchete de Oliveira,

Gabriel Gomes Miranda,

José Agnaldo Montesso

Júnior, Renata Aparecida

de Almeida Loures e

Rodrigo de Castro Resende

REVISÃOMaria do Carmo da Costa

Val Gomide

IMPRESSÃODivisão de Gráfica Universitária (DGU)

Governo Federal

Participe do JORNAL DA UFVDê a sua opinião, sugestões e faça críticas!

Veja na página da UFV (www.ufv.br) a opção para o envio de notíciasU M P A Í S D E T O D O S

Participe do JORNAL DA UFVDê a sua opinião, sugestões e faça críticas!

Veja na página da UFV (www.ufv.br) a opção para o envio de notícias

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

2

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

7

O Projeto Reciclar inicioudurante o mês de setembro acampanha de mobilização dosmoradores dos alojamentosNovo e Novíssimo, convidan-do-os a realizar a coleta sele-tiva de materiais nos aparta-mentos. Cada morador pode-rá contribuir separando osmateriais em recicláveis e or-gânicos, depositando-os emtambores apropriados, paraposterior triagem no Galpãodo Projeto Reciclar/Asben.

O objetivo da campanhaé aumentar a quantidade demateriais recicláveis coleta-dos no Campus da UFV, dan-

Projeto Reciclar inicia campanhade coleta seletiva nos alojamentos

Faixa do projeto no alojamento Novíssimo

do-lhes destino correto, pois,atualmente, 12% dos resídu-os passam pela coleta seleti-va. Posteriormente, a cam-panha será estendida aosdemais alojamentos e prédi-os do Campus, a fim de quetoda a comunidade universi-tária tenha a oportunidade deaderir à campanha.

Em 2006, foram recolhi-das aproximadamente 100toneladas de materiais reci-cláveis com a renda sendorevertida para a comunida-de universitária, através debenefícios sociais, como ainstalação da Farmácia As-

ben/Divisão de Saúde na Pra-ça de Vivência, a aquisiçãode equipamentos para a Di-visão de Saúde e assistên-cia a estudantes carentes eservidores da UFV por meioda Asben.

Coleta Seletiva na UFV

A coleta seletiva de resí-duos na UFV é realizada des-de 1995 e baseia-se na parti-cipação voluntária de profes-sores, estudantes e, princi-palmente, de funcionários,que coordenam o recolhimen-to dos materiais nos prédios.

Nos últimos dez anos, fo-ram recolhidos, além dos tra-dicionais papel e papelão,todos os tipos de plásticos,vidros e sucata em geral.Estima-se que mais de 50%dos materiais potencialmen-te recicláveis ainda são des-cartados no lixo da coletaconvencional. Dessa forma,o Projeto Reciclar visa àconscientização da comuni-dade universitária para a im-portância da coleta seletivado material reciclável gera-do no Campus.

Com reportagem de:Agnaldo Montesso

Abaixo, gráficos que demonstram a evolução da coleta

seletiva de lixo e o percentual da coleta seletiva em

relação à convencional. Na fotografia, a faixa anuncia

o projeto, no Alojamento Novo.

Teve início, na tarde dodia 18 deste mês, no Es-paço Acadêmico-Cultural�Fernando Sabino�, o 4ºSimpósio de Meio Ambien-te. A cerimônia de abertu-ra contou com a presençado professor Roberto daSilva Ramalho, presidente

UFV promove o 4º Simpósio de Meio Ambiente

honorário do Centro Brasilei-ro para a Conservação da Na-tureza (CBCN), além de repre-sentantes do Ministério doMeio Ambiente (MMA), Ibama,IEF, UFV, Prefeitura e CâmaraMunicipal de Viçosa, Câmarados Deputados e ex-presiden-tes do CBCN.

Logo após a abertura, o re-presentante do MMA, Bernar-do Pires, proferiu a conferên-cia �O Governo Federal e oMeio Ambiente�. Mais tarde,às 16h20, foi a vez do dirigen-te do IEF, Geraldo Fausto, pro-ferir a palestra �O GovernoEstadual e o Meio Ambiente�.Em seguida, às 17h10, o pro-fessor Luiz Cláudio Costa(DEA-UFV) presidiu o seminá-rio �Mudanças Climáticas Glo-bais e seus Efeitos no MeioAmbiente�. Por fim, às 18 ho-ras, ocorreu o coquetel come-morativo dos 40 anos doCMCN/CBCN.

Promovido pelo Departa-mento de Engenharia Flores-tal (DEF) da UFV, pelo CBCN epelo Núcleo de Pesquisa emAmbiência e Arquitetura deSistemas Agroindustriais (Am-biagro), o Simpósio teve iní-cio no dia 17, com minicursos

referentes à preservação domeio ambiente. O evento foicoordenado pelo professor Se-bastião Renato Valverde (DEF-UFV) e teve como público-alvoestudantes, profissionais epesquisadores da área.

O encerramento do 4º Sim-pósio de Meio Ambiente ocor-reu no dia 19, com diversos

Mesa que presidiu a abertura do Simpósio

Parte do público que prestigiou o evento

cursos e palestras, contan-do com sessões sobre�Energia�, �Saúde e MeioAmbiente, Agricultura e Sil-vicultura�, �Mineração eÁgua� e �Meio Ambientecomo Investimento�.

Com reportagem de:

Gabriel Miranda

A administração da UFV, por meio daPró-Reitoria de Ensino, promoveu, emagosto deste ano, uma série de encon-tros com a comunidade universitária paradebater a possível adesão da Universida-de ao Reuni, o Programa de Apoio à Ex-pansão e a Reestruturação das Universi-dades Federais proposto pelo governofederal. Se aderir, a UFV deverá criar cer-ca de três mil novas vagas nos cursos degraduação nos próximos cinco anos.

Em reunião, no dia 23 de agosto, oConselho Universitário (Consu) autorizoua Administração da UFV a elaborar a pro-posta de adesão ao Programa, que temcomo meta global a elevação gradual dataxa de conclusão média dos cursos degraduação para 90% e da relação de alu-nos de graduação em cursos presenci-ais por professor para 18, ao final de cin-co anos. Com isso, o governo pretendecriar mais 300 mil vagas na educação su-perior pública no Brasil.

UFV deverá ampliar vagas para aderir ao ReuniAs universidades podem ou não ade-

rir ao plano. As que aderirem terão acrés-cimos de até 20% no orçamento em cin-co anos. A autorização do Consu aindanão significa a adesão da UFV, mas já éum primeiro passo. Para que o projetode expansão seja aprovado já no anoque vem, a UFV terá que elaborar a pro-posta detalhada até o final do mês deoutubro.

Segundo o pró-reitor de Ensino, LuizAurélio Raggi, a Universidade não terámuitas dificuldades em se adequar àsmetas do governo. De acordo com oscálculos do MEC, a UFV precisa criar pelomenos 2.927 novas matrículas na gradu-ação nos próximos cinco anos. Tambémserá necessário reduzir as taxas de eva-são com políticas mais efetivas de ocu-pação de vagas ociosas e de permanên-cia dos estudantes.

O governo exige que a taxa de con-clusão (relação entre diplomados e in-

gressantes) seja de, no mínimo, 90%. Atu-almente esta média é de 69,81%. O Reunitambém estabelece que as Universidadestenham uma média de 18 alunos por pro-fessor, na UFV a relação é 16,61. Se asmetas forem atingidas, em cinco anos aUFV deverá incorporar cerca de 38 mi-lhões de reais ao seu orçamento anual.

Para o pró-reitor de Ensino, os pro-jetos pedagógicos da graduação na UFVjá contemplam, razoavelmente, a mobi-lidade que o governo deseja e fornecemflexibilidade aos estudantes que queiramcursar disciplinas em outras instituições.Ele também avalia que a política de as-sistência estudantil da UFV é mais favo-rável ao aluno que na maioria das uni-versidades federais e ainda pode sermelhorada com os recursos prometidospelo Reuni. Entretanto, será precisobuscar formas para reduzir a evasão ediminuir a ociosidade de vagas sem pre-juízos à qualidade do ensino.

O 1º Congresso Estudantil da UFV, como tema �Transformações da UniversidadePública: quais caminhos?�, foi realizadoentre os dias 19 e 22 de setembro noauditório do Departamento de Engenha-ria Florestal e em outros espaços do cam-pus, como o CEE e o Barzinho do DCE. Oevento, organizado pelo Diretório Centraldos Estudantes, teve a presença, na aber-tura, do professor Alberto Jones (DER) edos estudantes Antônio David (USP) e Bru-no Elias (UNE), que discutiram o temacentral do evento. Houve outros painéiscomo �Acesso à Universidade Pública� e�Universidade Popular e Democrática xMercantilização do Ensino�. Anna Caroli-na de Oliveira Azevedo, uma das organiza-doras, afirma que o congresso é uma for-ma de discutir assuntos importantes navida acadêmica, pois, muitas vezes, os es-tudantes estão alheios às transformaçõesque vêm ocorrendo na Universidade.

Durante os quatro dias do congres-so, oficinas, minicursos, grupos de traba-lhos e apresentações culturais envolve-ram dezenas de estudantes para refletir

DCE realiza 1º Congresso Estudantil da UFV

foram definidas as diretrizes do movimen-to estudantil da UFV para os próximosdois anos, além da aprovação de novoestatuto para DCE, pois o que estava vi-gente foi elaborado na década de 70.

Com reportagem de:Agnaldo Montesso

Representantes da UNE, UFV e USP

Agn

aldo

Mon

tess

oG

abri

el M

iran

da

Gab

riel

Mir

anda

sobre o tema. As oficinas contaram comvariados temas como o �Programa Teia:articulando projetos de extensão naUFV�, �Cultura solta na Casa Universitá-ria de Cultura e Arte�, dentre outros.Por meio dos GTs (pesquisa, universidadee sociedade, extensão, acesso e perma-nência, cultura e movimento estudantil),

A 10a edição do Projeto�Café com Papo� iniciou a co-memoração dos 136 anos dacidade de Viçosa, que serãocelebrados amanhã, com pro-gramação organizada pela Se-cretaria Municipal de Cultura.O �Café� foi realizado no sába-do, dia 22, na Praça SilvianoBrandão. O evento apresentoucontadores de causos que re-lembraram histórias marcadasna cidade e a Pequena Orques-tra Ararita, que tocou músicabrasileira de percussão.

Café com papo inicia comemorações dos 136 anos de Viçosa

Os contadores de causos de Viçosa na10ª edição do Café com Papo

Em fevereiro deste ano, o Café comPapo recebeu Menção Honrosa no 4o Sim-pósio de Extensão Universitária da Univer-sidade Federal de Viçosa. A premiação foino dia 26 de setembro, no auditório daBiblioteca Central da UFV. O projeto éuma iniciativa do curso de ComunicaçãoSocial da Universidade Federal de Viço-sa, idealizado pelos alunos Kamila Bebber,Priscila Martins e Rafael Munduruca, coma orientação dos professores JoaquimLannes, Juliano Pires e Kátia Fraga.

Com reportagem de:Renata Loures

Pris

cila

Mar

tins

Agn

aldo

Mot

esso

Page 3: Jornal da UFV - Julho de 2007contar com a participaçªo da banda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe-cavi Ø trocado por um

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

6

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

3

Realizou-se, no dia 14 deagosto, na Universidade Fe-deral de Viçosa, a ReuniãoTécnica Preparatória para aInstalação do Pólo de Exce-lência em Florestas na UFV,com amplas perspectivaspara o desenvolvimento dosetor na região e em Minas.

Reunião técnica discute a instalação do Pólo de Excelência em Florestas na UFV

O reitor Carlos Sediyama entrega ao secretário Alberto Portugalexemplar da edição número 7 da revista UFV & Parcerias, com a

temática �Inovações Tecnológicas para o Agronegócio�, editadapela Assessoria Internacional e de Parcerias da UFV

O evento reuniu autoridades, re-presentantes de organizaçõesparticipantes do pólo e especia-listas na área.

A abertura da reunião foi fei-ta pelo reitor, professor CarlosSigueyuki Sediyama, que fez umrelato da atuação da UFV, seucrescimento e envolvimento com

o desenvolvimento socioeconômi-co e cultural, destacando o gran-de significado da cadeia relacio-nada com a produção florestal.Logo após, o secretário de esta-do de Ciência, Tecnologia e Ensi-no Superior, Alberto Duque Portu-gal, fez palestra abordando aspropostas e ações do governomineiro em todos os setores, en-fatizando os pólos de excelênciae o desenvolvimento regional doEstado. Após a palestra, realiza-ram-se discussões técnicas paraa viabilização do pólo em Viçosa.

Terminadas as discussões, osecretário e parte de sua comiti-va, acompanhados pelo reitorCarlos Sediyama e pelo vice-rei-tor Cláudio Furtado Soares, visi-taram o Laboratório de Celulosee Papel, onde foram recebidospelo professor José Lívio Gomide,e o Laboratório de PropriedadesFísicas e Mecânicas da Madeira,onde estiveram com o professorJosé de Castro Silva. Essas duasunidades são consideradas deponta e terão papel importanteno estabelecimento do Pólo de Ex-celência em Florestas na UFV

A comitiva esteve também no

Parque Tecnológico de Viçosa(PTV), para conhecer o local e oestágio das obras do empreendi-mento. Aí conheceu o local ondeserá construída a futura EstaçãoQuarentenária. Os visitantes es-tiveram com o diretor-executivodo Centro Tecnológico de Desen-volvimento Regional de Viçosa(Centev), Paulo Tadeu Leite Aran-tes, que destacou a importânciado apoio que o PTV vem receben-do do governo estadual. Na opor-tunidade, Alberto Portugal reafir-mou o compromisso do governocom o estabelecimento de trêsparques em Minas: Viçosa, Itaju-bá e Belo Horizonte.

Dentre outras personalida-des, participaram da reunião téc-nica o superintendente de Desen-volvimento Rural Sustentável deMinas, Fernando Antônio Cardo-so, representando o secretáriode Agricultura, Pecuária e Abas-tecimento, Gilman Viana Rodri-gues; o pró-reitor Antônio Doni-zette de Oliveira, representan-do a Universidade Federal de La-vras; os professores da UFV Mau-rílio Alves Moreira, pró-reitor dePesquisa e Pós-Graduação; Luiz

Aurélio Raggi, pró-reitor deEnsino; José Cola Zanúncio,pró-reitor de Planejamento eOrçamento; João Marcos deAraújo, pró-reitor em exer-cício de Extensão e Cultura;Sérgio Hermínio Brommons-chenkel, diretor do Centro deCiências Agrárias; e WalmerFaroni, diretor do Centro deCiências Humanas, Letras eArtes; Mauro Mansur Furta-do, assessor Internacional ede Parcerias; e DemetriusDavid da Silva, presidente daFundação Arthur Bernardes,bem como a coordenadora doPrograma de Uso Múltiplo deFlorestas Renováveis, AnaPaula de Souza Silva; os diri-gentes da Sociedade de In-vestigações Florestais pro-fessores Eduardo Euclydes deLima e Borges (diretor-admi-nistrativo) e Ismael EleotérioPires (diretor-científico); asuperintendente de Desen-volvimento Científico e Tec-nológico de Minas, Déa Fon-seca; e a gerente executivado Intersind (Ubá), HelianeMartins de Souza Hilário.

Foi inaugurada, no dia 19 des-te mês, a nova Sala de Informáti-ca do Alojamento Pós. O eventocontou com a presença do reitorCarlos Sigueyuki Sediyama, do pró-reitor de Assuntos Comunitários,Luciano Esteves Pelúzio, e do che-fe da Divisão de Assistência Estu-dantil , Sebastião Carlos da Fonse-ca, além de representantes doCPD e estudantes da UFV.

A Sala de Informática foi prepa-rada e equipada por bolsistas da UFV, com o auxílio da Central de Proces-samento de Dados (CPD). Durante acerimônia de inauguração, fizeramuso da palavra os estudantes LuizFernando de Souza Couto, do cursode Engenharia Ambiental, e JúlioCezar Bueno Cota, do curso de Ci-ência da Computação. Ambos des-tacaram o papel inclusivo da novaSala, apontando para sua importân-cia no uso acadêmico, proporcio-nando aos moradores do alojamen-to e a outros estudantes da Univer-sidade o acesso aos diversos siste-

Inaugurada Sala de Informáticano Alojamento Pós

mas informatizados da UFV, como oSapiens e o PVAnet. O reitor CarlosSediyama agradeceu a colaboraçãodos acadêmicos na construção des-se novo espaço e enfatizou o ladosocial dos computadores, que pro-porcionarão aos estudantes maiscontatos com seus familiares e ami-gos, através da internet.

Antiga reivindicação estudan-til, a instalação da Sala de Infor-mática no alojamento Pós entrouem pauta na atual Administração,juntamente com outros avançosna área da informática, como a ins-talação da internet sem fio em al-guns pontos da Universidade.A nova instalação conta com 13computadores e ficará disponívelentre 8 e 18 horas. Além do acessoà internet, a sala poderá ser utili-zada para cursos destinados aospróprios estudantes e aos servi-dores da UFV.

Com reportagem de:

Rodrigo Resende

Flagrante da inauguração da sala no alojamento Pós

Com o objetivo de fortalecera representatividade do setorda construção nacional, respon-sável por 5,4% do Produto Inter-no Bruto (PIB) da economia e pelageração de 5,6 milhões de em-pregos no País, a Câmara Brasi-leira da Indústria da Construção(CBIC) iniciou uma série de visi-tas às cidades mineiras que pos-suem sindicatos empresariais dacategoria.

A primeira delas ocorreu nodia 10 deste mês, quando o pre-sidente da entidade, Paulo Safa-dy Simão, esteve em Viçosa paraum encontro com empresários elideranças empresariais e políti-cas das cidades de Ponte Nova,Ouro Preto, Mariana e Viçosa,além de estudantes de gradua-ção e pós-graduação dos cursosde Engenharia Civil e Economiada UFV, que ocorreu no Centrode Ciências Exatas e Tecnológi-cas do Departamento de Enge-nharia Civil da UFV.

Durante o evento, organiza-do pelo Sindicato da Indústria daConstrução Civil no Vale do Piran-ga (Sinduscon-VP) e pelo Depar-tamento de Engenharia Civil daUFV, o presidente Paulo Simão pro-feriu a palestra �Construção Ci-vil: Panorama Atual e Perspecti-vas� para um público de cerca de90 pessoas.

Após a apresentação, foi re-alizado amplo debate entre ospresentes sobre temas atuaiscomo as oportunidades de mer-cado e de trabalho que estão sur-gindo decorrentes do Programa

Presidente nacional da Câmara Brasileira daIndústria da Construção profere palestra na UFV

de Aceleração do Crescimento(PAC), o aperfeiçoamento da Leide Licitações (Lei 8.666/93), adiscussão do Projeto de Lei Com-plementar 3.057/2000, que tratada regularização fundiária e o par-celamento do solo, a inclusão dasempresas de construção civil naLei Geral das Micro e PequenasEmpresas, a ampliação do créditoimobiliário e os avanços do mer-cado imobiliário, o marco regula-tório do saneamento, a necessi-dade de capacitação e qualifica-ção de mão-de-obra para enfren-tar o crescimento do setor, as di-ficuldades com a Caixa EconômicaFederal, dentre outros.

Na ocasião, o presidente daCBIC falou também sobre a atua-ção da entidade em Brasília e es-clareceu sobre o papel de repre-

sentação política que ela desem-penha em prol das indústrias daconstrução civil, pesada e domercado imobiliário nacional.

Dados de Minas Gerais

- Minas Gerais é a terceiraeconomia do País, com participa-ção de 9,4% no PIB nacional(IBGE);

- A construção mineira é asegunda maior do País, partici-pando com 13,3% do PIB total dosetor (IBGE);

- Em 2006, Minas Gerais teveum crescimento de 3,7% (a cons-trução 6,94%);

- Segundo os últimos dados daPesquisa Nacional por Amostra deDomicílios (PNAD), em 2005, o se-tor ocupou 659.705 pessoas.

O presidente nacional da CBIC em reunião na UFV

Rodr

igo

Rese

nde

A UniversidadeFederal de Viçosafoi homenageada,pelo Ministério daAgricultura, Pecuá-ria e Abastecimen-to (Mapa), por figu-rar entre as institui-ções brasileiras como maior número decultivares protegi-dos. A cerimônia foirealizada, no dia 25deste mês, em Bra-sília, ocasião emque foram comemo-rados os 10 anos deproteção de culti-vares no Brasil.

Receberam homenagens aUFV, como instituição de en-sino, pesquisa e extensão; aEmbrapa, como empresa pú-blica de pesquisa; a Monsan-to, como empresa privada; oInstituto Agronômico do Pa-raná (Iapar), como órgão es-tadual de pesquisa; e a Coo-perativa Central de PesquisaAgrícola (Coodetec), comoorganização cooperativista.

Como informa a presiden-te da Comissão Permanentede Propriedade Intelectual(CPPI) da UFV, professoraElza Fernandes de Araújo, aUniversidade é uma das pio-neiras no desenvolvimentodos cultivares brasileiras,principalmente de soja, ten-do, ainda, importância os decafé, cana-de-açúcar, milho,feijão e trigo. Elza Fernan-des salienta que, a partir daLei nº 9.456/97, que garan-tiu a proteção dos cultivares,a UFV vem sistematicamen-te protegendo as culturas de-senvolvidas.

Atualmente, diz a pro-fessora, existem na Univer-sidade vários cultivares pro-tegidos, destacando-se 13de soja, denominados�UFVS� e �UFVTN�; duas decana-de-açúcar �RB� e trêsde milho, �UFVM�, um cul-tivar de trigo e cinco decafé, em parceria com aEpamig, e um cultivar defeijão, em parceria com a

UFV é a universidade que maisproduziu novos cultivares no Brasil

Embrapa, a Epamig e a UFLA.Os cultivares protegidos

pela UFV encontram-se re-lacionados com a Agroener-gia (cultivares de cana) ecom o setor alimentício (mi-lho, soja, café, trigo e fei-jão). São cultivares de ní-vel superior, voltados parao agronegócio e para o pe-queno produtor.

A CPPI foi criada em 1999e instalada na Pró-Reitoria dePesquisa e Pós-Graduação.Sua missão é organizar, sis-tematizar, divulgar, orientar,acompanhar e executar ostrâmites previstos na legis-lação sobre a propriedadeintelectual, o que envolvedepósitos e registros dos di-reitos relativos à proprieda-de intelectual, contratos detransferência de tecnologia elicenciamentos, bem comosubsidiar o estabelecimentode políticas institucionais depropriedade intelectual etransferência de tecnologiano âmbito da UFV.

A seguir, os programas daUFV envolvidos na pesquisade novos cultivares:

Programa Milho

O Programa Milho®, doDepartamento de Fitotecniada UFV, incentiva a criação edesenvolvimento de empre-sas tecnológicas por meio dadisponibilização de três cul-tivares de milho, com maio-res vantagens comparativascom produtos similares dis-poníveis no mercado. O mer-cado exige a diferenciaçãode produtos.

As variedades e híbridosde milho do Programa MilhoUFV são selecionados emambientes ótimos e sob es-tresses e submetidos àspressões de incidência dasprincipais doenças, incluindoas viróticas, possuem res-postas às melhorias de am-

bientes e garantem a produ-ção em condições de estres-ses ambientais. Além disso,os cultivares de milho da UFVtambém estão sob os princí-pios da agricultura sustentá-vel, pois são eficientes noaproveitamento de nutrien-tes, são mais resistentes àsdoenças, maximizam o usoda água do solo e possuemelevada estabilidade de pro-dutividade.

Por isso, a comercializa-ção dos cultivares de milhoda UFV apresenta maioresvantagens comparativas,como: a marca UFV, asses-soria técnica científica daUFV, produto diferenciado,excelente qualidade produti-va, selecionado e adaptadoao sistema produtivo da re-gião, conhecido e sem simi-lar na região, menor custo naprodução de sementes, po-dendo ganhar mercado rapi-damente, menor valor nomi-nal no comércio, mercado po-tencial de 100.000 hectaresna região com valor potenci-al de três milhões de reais.

Atualmente, estão dispo-níveis para a produção desementes dois cultivares demilho, a UFVM 100, voltadapara a produção de grãos,silagem e milho-verde, e aUFVM 2, para pipoca.

Programa Cana-de-Açúcar

A Universidade Federalde Viçosa faz parte da RedeInteruniversitária para De-senvolvimento do Setor Su-croalcooleiro (Ridesa), for-mada por outras seis univer-sidades federais. No Brasil,mais de 50% da área planta-da de cana-de-açúcar utili-zam os cultivares desenvol-vidos pela Ridesa.

A crescente demanda porenergia renovável aumenta,significativamente, a impor-tância das ações do setor. A

RB867515 e RB928064 sãocultivares desenvolvidospelo Departamento de Fito-tecnia da UFV e protegidospelo SNPC. Cultivares dedestaque em produtividadede açúcar e tolerante àsprincipais doenças de impor-tância em nosso país. ARB867515 foi o cultivar maisplantado no Brasil nas últi-mas duas safras, com plan-tio estimado de 10% do to-tal. Esse cultivar tem sido amelhor opção para manejoem solos de baixa fertilida-de natural e de textura are-nosa no cerrado brasileiro.

O Programa de Melhora-mento Genético da Cana-de-Açúcar (PMGCA) da UFVtem como ponto forte a par-ceria com as empresas pro-dutoras de açúcar, álcool eenergia. As usinas e as des-tilarias têm participado dodesenvolvimento de cultiva-res desde as etapas inici-ais do programa.

Assim, a adoção e o ma-nejo dos novos cultivaresocorrem de maneira facili-tada, pelo fato de o produ-tor ter participado ativa-mente do desenvolvimentoda tecnologia. Em MinasGerais, a área cultivada comcana-de-açúcar para produ-ção de açúcar, álcool e ener-gia ocupa 368 mil hectares,abrangendo 78 municípios,com a geração de 60 milempregos diretos.

Programa Soja

O Programa de Melhora-mento Genético de Soja, doDepartamento de Fitotecniada UFV, tem o objetivo deaperfeiçoar as propriedadesda soja e de seus derivados.O primeiro passo foi buscarnovas variedades do grão. OPrograma contribui aindapara formação de recursoshumanos em iniciação cien-tífica, aperfeiçoamento,

mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Os cultivares de soja de-senvolvidos pela UFV, sob anominação UFVS, contribu-em para o aumento da pro-dutividade, trazem maior es-tabilidade à produção, cola-boram na expansão da re-gião de cultivo e ampliaçãoda época de semeadura,além de ocasionarem maioradaptação em diferentes ti-pos de solos.

Os cultivares UFVS apre-sentam ainda maior resistên-cia às principais doenças,como cancro-da-haste, man-cha-olho-de-rã, mancha alvo,oídio e nematóide-de-cisto,além de possuírem melhorqualidade fisiológica de se-mentes e melhor sabor.

Atualmente, a UFV contacom 13 cultivares de sojaprotegidos perante o SNPC,tendo sido objeto de inten-sas e pioneiras pesquisas de-senvolvidas com o empenhoe colaboração dos professo-res/melhoristas, funcionári-os e estudantes.

Programa deMelhoramento da

Qualidade da Soja (PMQS)

O PMQS, desenvolvido noInstituto de BiotecnologiaAplicada ao Agronegócio daUFV (Bioagro), tem comometa o melhoramento desoja, visando ao desenvol-vimento de cultivares commelhores caracteres de qua-lidade agroindustrial e agro-nômicos.

Para esse fim, são utili-zados marcadores molecula-res no mapeamento de ge-nes, no monitoramento dofluxo gênico, na seleção as-sistida e na caracterizaçãodos cultivares. Testes bioquí-mico-moleculares são utiliza-dos no monitoramento daqualidade e na prospecção degenes para o programa demelhoramento. Esse progra-ma inclui, ainda, o isolamen-to e caracterização de genesde interesse agronômico e atransformação de plantas.Vários desses projetos sãoconduzidos em parceria comempresas do setor privado,por meio de convênios.

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

Page 4: Jornal da UFV - Julho de 2007contar com a participaçªo da banda de rock mineira Tia-nastacia, que comemora 10 anos de carreira. O ingresso para o 10” Fe-cavi Ø trocado por um

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

4

28 desetembrode 2007

JORNALDA UFV

5

O 80º aniversário da fun-dação do Departamento deZootecnia foi comemorado,com grande participação dacomunidade universitária,nos dias 17 e 18 deste mês,com eventos diversos nocampus da UFV.

As comemorações tive-ram início na manhã do dia17, nas dependências do DZO,com a celebração de Missa emAção de Graças, presididapelo vigário da Paróquia deSão João Batista, em Viçosa,padre Walter Jorge Pinto, en-genheiro-agrônomo, ex-alunoda UFV. Participaram da ceri-mônia os ministros da Euca-ristia Carmélia Fontes Pimen-tel e Pedro Lopes Filho, co-mentada pelo professor JoséAntônio Obeid. Em seguidaapresentou-se o Coral �Nos-sa Voz�, regido pelo maestroRogério Moreira Campos,aplaudido de pé pelos presen-tes. Após a confraternização

Comunidade universitária comemora o 80º aniversário do Departamento de Zootecniados presentes em um cafécolonial, foi feita a inaugura-ção da Galeria de Fotos dosEx-Chefes do DZO.

Ainda no dia 17, realizou-se, no anfiteatro do EdifícioReinaldo de Jesus Araújo,sessão solene comemorativa,com ênfase na longa e ex-pressiva caminhada de suces-so, conquistas e excelentesserviços prestados às comu-nidades acadêmica e cientí-fica pelo DZO.

Durante a cerimônia, pre-sidida pelo reitor da UFV, pro-fessor Carlos Sigueyuki Se-diyama, foram feitos pronun-ciamentos pela chefe do DZO,professora Maria Ignez Leão;pelo representante da empre-sa Bunge, ex-aluno Fernandode Paula Leonel; pelo repre-sentante da empresa Perdi-gão, ex-aluno Uislei AntônioDias Orlando; pelo ex-profes-sor e ex-chefe do DZO JoséBrandão Fonseca; pelo dire-

tor do Centro de CiênciasAgrárias, professor SérgioHermínio Brommonschenkel;pelo presidente da CâmaraMunicipal de Viçosa, ex-fun-cionário José Antônio Gou-veia; e pelo deputado fede-ral e ex-aluno Paulo Piau No-gueira. Todos enalteceram aimportante trajetória do DZOna história da Universidadee o grande significado desuas realizações para a pro-dução animal no Brasil.

O ato solene foi marcadotambém pelo lançamento dolivro �80 Anos de História doDepartamento de Zootecniada Universidade Federal deViçosa�, de autoria de JoséEnir Jango Júnior, Maria Ig-nez Leão, Ângelo AdrianoFaria de Assis e José Antô-nio Obeid. Também foramprestadas homenagens aoDZO, com quadros comemo-rativos, pela Câmara Muni-cipal, entregue pela verea-

dora e ex-aluna Cristina Fon-tes; e pela Reitoria da UFV,entregue pelo reitor CarlosSediyama.

Destacou-se, na ocasião,a presença de personalidadescomo o vice-reitor, professorCláudio Furtado Soares; opró-reitor de Ensino, profes-sor Luiz Aurélio Raggi; o pró-

reitor de Pesquisa e Pós-Gra-duação, professor MaurílioAlves Moreira; e o pró-reitorde Extensão e Cultura emexercício, professor JoãoMarcos Araújo.

No sábado, dia 18, as co-memorações prosseguiram,com a realização do Baile deGala, no Clube Campestre.

As atividades letivas dasprimeiras turmas dos cursosde Agronomia e Administra-ção do Campus da UFV em RioParanaíba (CRP) foram inici-adas no dia 10 de setembro,em evento realizado nas ins-talações da Unidade.

Na ocasião, os calourosreceberam as boas-vindas dovice-reitor da Universidade,

Iniciadas as atividades letivasdo Campus de Rio Paranaíba

professor Cláudio FurtadoSoares, e do diretor do CRP,professor Liovando Marcianoda Costa, que, além de cum-primentá-los pela conquistae aprovação no vestibular,fez a apresentação do corpodocente, ressaltando a im-portância de um relaciona-mento respeitoso entre pro-fessores e alunos.

Calouros do CRP, durante a cerimônia de início das aulas

Parte do corpo docente e servidores técnico-administrativos do CRP

A Universidade Federal deViçosa comemorou, no dia 28de agosto, o 81º aniversáriode sua fundação, em cerimô-nia realizada no Espaço Aca-dêmico-Cultural �FernandoSabino�. Na ocasião, foramprestadas homenagens amembros da comunidadeacadêmica, agraciados comas Medalhas Bello Lisboa,José Valentino da Cruz e Pe-ter Henry Rolfs do Mérito emEnsino, em Pesquisa e emExtensão, destacados porsua dedicação, em tempointegral, às atividades aca-dêmicas e administrativas.

A cerimônia, presididapelo reitor da UFV, professorCarlos Sigueyuki Sediyama,foi aberta com a apresenta-ção do Coral da UFV, forma-do por estudantes da Univer-sidade, sob a regência domaestro Rogério MoreiraCampos. Ao saudar os pre-sentes, o reitor traçou umpanorama histórico da Uni-versidade e salientou as di-versas conquistas obtidaspela Instituição, destacando-se como uma das mais im-portantes no País, em avali-ações recentes. Para ele, es-sas conquistas resultam doempenho e da capacidadedos servidores e professores,de acordo com os ideais dosvisionários fundadores e pi-oneiros da UFV, como Arthurda Silva Bernardes, PeterHenry Rolfs e João CarlosBello Lisboa, contribuindo

UFV comemora seu 81º aniversário

para a manutenção desse sta-tus, a exemplo de José Va-lentino Cruz, o Candinho.

Receberam a Medalha Pe-ter Henry Rolfs os professo-res Gilberto Paixão Rosado(Mérito em Ensino), CosmeDamião Cruz (Mérito em Pes-quisa) e Dejair Message (Mé-rito em Extensão). Em segui-da, foram entregues as Meda-lhas José Valentino da Cruz(Candinho) aos servidores e àsservidoras que completaram 30e 25 anos ininterruptos de tra-balho na Instituição, respecti-vamente. A Medalha Bello Lis-boa foi entregue a docentesque completaram 25 anos demagistério na UFV. Falaram, naocasião, os agraciados com aMedalha Peter Henry Rolfs, omaestro Rogério Moreira Cam-pos, em nome dos servidorestécnico-administrativos, e oprofessor Antônio Cléber Gon-çalves Tibiriçá.

O evento recebeu grandenúmero de participantes, des-

tacando-se a presença de fa-miliares dos homenageados.Compuseram a mesa de hon-ra da cerimônia o vice-reitorCláudio Furtado Soares; osecretário de Órgãos Colegi-ados, Paulo Shikazu Toma; opró-reitor de Ensino, LuizAurélio Raggi; o pró-reitor dePesquisa e Pós-Graduação,Maurílio Alves Moreira; o pró-reitor de Extensão e Cultura,Geraldo Antônio de AndradeAraújo; o pró-reitor de Admi-nistração, Fernando da Cos-ta Baêta; o pró-reitor de As-suntos Comunitários, Lucia-no Esteves Pelúzio; o diretordo Centro de Ciências Agrá-rias, Sérgio Hermínio Brom-monschenkel; o diretor doCentro de Ciências Biológicase da Saúde, Ricardo Junquei-ra Del Carlo; o diretor do Cen-tro de Ciências Exatas e Tec-nológicas, Antônio SimõesSilva; e o diretor do Centrode Ciências Humanas, Letrase Artes, Walmer Faroni.

Cerimônia comemorativa, no Espaço Fernando Sabino

A Fundação Banco do Bra-sil anunciou a relação de tec-nologias sociais certificadaspara concorrer à quarta edi-ção do Prêmio de TecnologiaSocial 2007. Ao todo, no País,120 práticas inscritas foramcertificadas. A maior partedas inscrições certificadas foienviada da Região Sudeste(42), seguida do Nordeste(36), Sul (22), Centro-Oeste(12) e Norte (8). A UFV con-correrá com dois projetos:�Fabricação de Tintas à Basede Terra� e �Tratamento dosResíduos Orgânicos Rurais�.

A premiação é concedida,a cada dois anos, para identi-

Fundação Banco do Brasil divulga tecnologias sociaiscertificadas em 2007, contemplando dois projetos da UFV

ficar, certificar, premiar e di-fundir tecnologias sociai, con-ceito que compreende produ-tos, técnicas ou metodologiasreaplicáveis, desenvolvidas nainteração com a comunidade,que representem soluções efe-tivas de transformação social.

O total de 782 inscritos, namaior premiação do terceirosetor, foi recorde em relaçãoaos anos anteriores. Em 2005,foram feitas 636 inscrições e,em 2003, 634. O número re-gistrado em 2001 foi de 523.O crescimento de 2007 em re-lação a 2001 foi de 49,5%.

O tema educação gerou omaior grau de interesse, com

358 propostas submetidas. Emseguida, vieram renda (131),meio ambiente (114) e saúde(93). Aqueles que receberammenor número de inscritosforam: alimentação (33), água(30), habitação (15) e energia(8). Desse total, 32 tecnologi-as sociais foram certificadasna área de educação, 27 naárea de renda, 22 na área demeio ambiente e 15 na áreade saúde. A área de alimenta-ção gerou 14 certificações, deágua cinco e de habitação qua-tro. O tema de energia teveapenas uma certificação.

A próxima etapa do prê-mio é a escolha das finalis-

tas, que serão analisadas se-gundo critérios de mérito,efetividade e resultado alcan-çado. Todas as 24 tecnologi-as sociais selecionadas nes-sa fase receberão o troféu de�Finalista do Prêmio Funda-ção Banco do Brasil de Tecno-logia Social � edição 2007�.

A fase seguinte é a de jul-gamento, quando as tecnolo-gias finalistas selecionadasserão analisadas segundo cri-térios de inovação, exempla-ridade, transformação sociale potencial de reaplicabilida-de. Haverá pontuações paracada critério e a tecnologiacom maior pontuação média,

em cada categoria, será de-clarada vencedora.

O resultado final será co-nhecido em novembro e cadauma das oito instituições ven-cedoras receberá R$ 50 mil.Os recursos devem ser desti-nados a atividades de expan-são, aperfeiçoamento ou re-aplicação da tecnologia soci-al premiada. A quarta ediçãodo Prêmio Fundação Banco doBrasil de Tecnologia Social érealizada em parceria com aPetrobrás, com apoio da Or-ganização das Nações Unidaspara a Educação, a Ciência ea Cultura (Unesco), e a KPMGAuditores Independentes.

Concorrida cerimônia rea-lizada no dia 1º deste mês, nasede da Associação dos Ex-Alu-nos, marcou o encerramentodo 18º Torneio Leiteiro, do 13ºConcurso de ProdutividadeLeiteira e do 3º Concurso deProdutividade e Qualidade deMilho e Sorgo para Silagem daRegião de Viçosa, promovidospelo Programa de Desenvolvi-mento da Pecuária Leiteira daRegião de Viçosa (PDPL-RV).Dentre os vencedores, desta-caram-se Paulo Martiniano Cu-pertino, José Afonso Frederi-co, Sérgio Henrique VianaMaciel e Cláudio Teixeira, domunicípio de Coimbra; RondonRicardo Cordeiro, de São Ge-raldo; Ozanan Luiz Moreira, deUbá; e Antônio Maria da SilvaAraújo, de Cajuri.

Participaram dos certames23 pecuaristas dos municípi-os de Araponga, Cajuri, Coim-bra, Divinésia, Ervália, PaulaCândido, Piranga, Ponte Nova,Porto Firme, São Geraldo, SãoMiguel do Anta, Senador Fir-mino, Teixeiras, Ubá, Viçosae Visconde do Rio Branco. A

Torneio Leiteiro e concursos de produtividadeincentivam pecuaristas da região

pesagem do leite produzidopelos concorrentes do torneiofoi realizada no período de 30de julho a 9 de agosto, porestagiários do Programa. Apromoção tem o objetivo deincentivar o aumento da pro-dução leiteira e a melhoria daqualidade do leite.

Nos pronunciamentos fei-tos durante a cerimônia depremiação, ficou evidente aimportância do PDPL-RV, paraa produção leiteira na região,que experimentou, nos últi-mos anos, importante cresci-mento na produção, na produ-tividade e na qualidade do lei-te. Também foram feitas re-ferências à conjuntura favo-rável por que passa o setor,com a valorização do produ-to, tanto no Brasil quanto noexterior. O primeiro orador foio professor Sebastião CésarCardoso Brandão, coordena-dor-geral do convênio firma-do entre a Nestlé/Dairy Part-ners Américas (DPA), e a UFV,representada pela FundaçãoArthur Bernardes (Funarbe),que mantém o PDPL-RV. Tam-

bém usaram a palavra o coor-denador técnico do convênio,professor Sebastião TeixeiraGomes; o vice-reitor da UFV,professor Cláudio Furtado So-ares; o diretor do Centro deCiências Agrárias, professorSérgio Hermínio Brommons-chenkel; a diretora-científicada Funarbe, professora Eliza-beth Pacheco Batista Fontes;e o engenheiro-agrônomo Ker-ley Mesquita, ex-estagiário doPDPL. Além dos oradores, par-ticiparam da mesa de honrada cerimônia o presidente daCâmara Municipal de Viçosa,José Antônio Gouveia; o se-cretário municipal interino deAgricultura e Meio Ambiente,Marcos Roberto Fialho; a che-fe do Departamento de Zoo-tecnia, professora Maria IgnezLeão; o médico-veterinárioNeylor Faber Sepúlveda, ex-técnico do PDPL-RV; e a eco-nomista doméstica CynthiaMaria Raposo Andrade, ex-téc-nica do PDPL-RV.

O PDPL-RV iniciou suasatividades em 1988 e, desdeentão, tem proporcionado sig-nificativos ganhos em efici-ência e qualidade à pecuárialeiteira da região, atualmen-te uma das mais evoluídas doEstado. Além do incrementodas atividades produtivas, oPrograma oferece aos acadê-micos da UFV e de outras ins-tituições oportunidades deconvivência com situaçõesreais de trabalho profissional,com treinamento integradoem diversos níveis tecnológi-cos e operacionais, enquantoocorre uma transferência sis-temática de tecnologia aosprodutores de leite da região.Cerimônia de premiação

O Conselho Federal da Or-dem dos Advogados do Brasilacaba de conferir ao curso deDireito da UFV o �CertificadoOAB Recomenda�. O docu-mento, considerado verdadei-ro selo de qualidade, consti-tui, nas palavras do presiden-te da OAB-MG, Sérgio SetteCâmara, importante indica-dor de referência que a Or-dem dos Advogados do Bra-sil, após criteriosa análise,outorga apenas aos cursosjurídicos que vêm apresen-tando elevado índice de qua-lidade nos últimos anos.

Ao finalizar sua comunica-

Curso de Direitorecebe certificado derecomendação da OAB

ção, Sette Câmara cumpri-mentou a Instituição pelo�belo trabalho que vem sen-do desenvolvido, pugnandopelo constante aperfeiçoa-mento na formação qualifica-da de bacharéis em Direito�.

A chefe do Departamentode Direito, professora PatríciaAurélia Del Nero, asseguraque, de sua parte, �esse dis-tinto Certificado deve nosmotivar, cada dia mais, paraenvidar todos os esforços paraque o trabalho desenvolvidoseja sempre reconhecido comopadrão de excelência e, sobre-tudo, de trabalho�.

O professor João Carlos Pe-reira da Silva, do Departamentode Veterinária da UFV, partici-pou, no período de 9 a 14 desetembro, de processo de ava-liação das universidades argen-

Professor da UFVparticipa de avaliação deuniversidades argentinas

tinas Nacional de Rosário eNacional do Litoral, localizadasna Província de Santa Fé.

O professor da UFV foi in-dicado pela Comissão Nacio-nal de Avaliação de EducaçãoSuperior do MEC para atuarcomo observador brasileiro,no âmbito do Acordo de Coo-peração, recentemente fir-mado entre os países inte-grantes do Mercosul. O acor-do prevê inicialmente coope-ração técnica nas áreas deavaliação institucional exter-na, avaliação de cursos degraduação, avaliação de de-sempenho de estudantes ecapacitação de avaliadores.

Professor João Carlos Pereira da Silva

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

José

Pau

lo M

arti

ns

O reitor Carlos Sediyama entrega a homenagem a professoraMaria Ignez Leão, do DZO