KATIA MARIA KUCZYNSKI FÍSICA - pgedf.ufpr.br Maria Kuczy · katia maria kuczynski cas efeitos do treinamento

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of KATIA MARIA KUCZYNSKI FÍSICA - pgedf.ufpr.br Maria Kuczy · katia maria kuczynski cas efeitos do...

  • KATIA MARIA KUCZYNSKI

    EFEITOS DO TREINAMENTO PSICONEUROFISIOLGICO

    NOS INDICADORES DE ESTRESSE EM ATLETAS DE

    VOLEIBOL

    CURITIBA

    2016

    UN

    IVE

    RS

    IDA

    DE

    FE

    DE

    RA

    L D

    O P

    AR

    AN

    SE

    TO

    R D

    E C

    IN

    CIA

    S B

    IOL

    GIC

    AS

    PR

    OG

    RA

    MA

    DE

    P

    S-G

    RA

    DU

    A

    O

    EM

    ED

    UC

    A

    O

    FS

    ICA

  • KATIA MARIA KUCZYNSKI

    EFEITOS DO TREINAMENTO PSICONEUROFISIOLGICO

    NOS INDICADORES DE ESTRESSE EM ATLETAS DE

    VOLEIBOL

    Tese apresentada como requisito parcial para a obteno do Ttulo de Doutora em Educao Fsica do Programa de Ps-Graduao em Educao Fsica, do Setor de Cincias Biolgicas da Universidade Federal do Paran.

    Orientadora: Profa. Dra. JOICE MARA FACCO STEFANELLO

  • Universidade Federal do Paran Sistema de Bibliotecas

    Kuczynski, Katia Maria

    Efeitos do treinamento psiconeurofisiolgico nos indicadores de estresse

    em atletas de voleibol. / Katia Maria Kuczynski. Curitiba, 2016. 134 f.: il. ; 30cm.

    Orientadora: Joice Mara Facco Stefanello

    Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paran, Setor de Cincias

    Biolgicas. Programa de Ps-Graduao em Educao Fsica.

    1. Voleibol. 2. Atletas. 3. Estresse psicolgico. I. Ttulo II. Stefanello, Joice

    Mara Facco. III Universidade Federal do Paran. Setor de Cincias

    Biolgicas. Programa de Ps-Graduao em Educao Fsica.

    CDD (20. ed.) 613.711

  • Talvez no tenha conseguido fazer o

    melhor, mas lutei para que o melhor

    fosse feito. No sou o que deveria ser,

    mas Graas a Deus, no sou o que era

    antes. (Marthin Luther King)

  • AGRADECIMENTOS

    A Deus por tomar meus problemas em suas mos quando estive em

    situao difcil, sem ter a menor ideia de como resolver e de repente a soluo

    aparecer, sem que percebesse como. Pelas vezes que me senti to cansada a

    ponto de querer desistir, e logo sentir que tinha foras suficientes para

    continuar, obrigada Deus por carregar-me nos braos e me dar descanso.

    minha me, Paulina, pelo incentivo, compreenso, pacincia e pelos

    empurres nos momentos difceis.

    Aos meus irmos, Lauro, Igor, Bogodar e Ana Paula, pelas suas presenas seguras em minha vida.

    toda minha famlia e parentes, em especial, meus afilhados, Juliano e

    Vivian, alegrias de minha vida.

    minha orientadora, Profa. Dra. Joice Mara Facco Stefanello, agradeo-

    lhe por sua competncia, profissionalismo, pacincia, pela transmisso de seus

    conhecimentos que ficaro sempre guardados. Minha admirao, respeito,

    carinho e gratido.

    Aos professores, membros da banca, Andr F. Rodacki, Paulo B. Bento,

    Fernando M. Louzada, Juarez V. do Nascimento, Raul Osiecki e Rosana N. de

    Morais.

    Ao Rodrigo, pessoa muito especial, exemplo de profissionalismo.

    Sempre nos confortando nos momentos mais tensos de nossa jornada.

    Aos amigos queridos do LAPPES, que de uma forma ou de outra,

    contriburam com sua fora, seu estmulo e apoio para que eu conseguisse

    completar este percurso. O meu muito obrigada ao Eugnio, Thas, Ana

    Cludia, Sabrina, Pmela, Evaldo, Ivete, Suelen, Ana Paula.

    Tambm aos que estiveram comigo durante toda a pesquisa de campo:

    Eugnio, Murilo, Wallace e Patrick.

  • Ana Osiecki, com sua boa vontade, foi presena fundamental no

    momento de coletas.

    Mayara, amiga especial, um anjo presente nos momentos mais

    difceis.

    Aos meus queridos alunos, compreensivos e pacientes, minha gratido.

    Ao Dnis, pessoa inteligente, com quem compartilhei muitas conversas e

    que tambm me auxiliou quando precisei.

    Ao Calu, supercompetente, uma pessoa de prontido, de confiana e que me auxiliou muito.

    Ao Diego e Gian, com sua prontido, boa vontade, sempre solcitos, verdadeiros anjos no meu caminho.

    Profa. Dra. Rosana Morais e seus alunos, pelas dosagens do cortisol.

    Aos professores do Colegiado, pela convivncia e aprendizagem.

    Profa. Dra. Neiva, pela convivncia e aprendizagem e conversas

    agradveis no NQV nesses quatro anos de doutorado, meu carinho e gratido.

    amizade de todos os companheiros do NQV e do CECOM.

    s psiclogas, Viviane W. Tulio e Gislaine Azzolin Castagini, pela

    confiana depositada em mim, por todos ensinamentos, dedicao e esforos

    para que esta pesquisa fosse realizada.

    Aos gerentes de esportes e coordenadores do Crculo Militar do Paran,

    Sociedade Thalia e Paran Clube, por cederam as instalaes e aceitarem a

    realizao da pesquisa com seus atletas.

    Federao Paranaense de Voleibol, por todas as informaes cedidas.

    s atletas de vlei voluntrias da pesquisa, sempre prontas para as

    sesses de treinamento com responsabilidade.

    Aos treinadores, Gilson, Gabrielly e China, que colaboraram com muita

    pacincia ao cederem as atletas para a pesquisa.

  • s minhas amigas do vlei e ao meu treinador, Marcelo Ribaski, pelas

    conversas, pacincia e compreenso. Ao Prof. Dr. Ricardo W. Coelho, pelos

    conhecimentos transmitidos, pelo seu incentivo e por sua competncia, meu

    reconhecimento.

    A todos os professores, funcionrios e alunos do Departamento de

    Educao Fsica que contriburam de alguma forma nesse perodo de estudos.

    Especialmente ao Enas, presena querida nessa etapa de minha vida.

    Fundao Araucria, junto Universidade Federal do Paran, pela

    concesso da bolsa de estudos para que eu pudesse estudar com

    tranquilidade.

  • RESUMO

    No contexto esportivo, o atleta est constantemente exposto presso

    excessiva gerando situaes estressoras que podem prejudicar seu

    desempenho. Neste estudo, objetivou-se verificar possveis efeitos do

    treinamento psiconeurofisiolgico, combinando tcnicas de neurofeedback

    (hemoencefalografia) e biofeedback (cardiovascular) nos indicadores de

    estresse em 22 atletas de voleibol feminino, entre 15 e 17 anos (GE =11,

    GC=11), nas situaes de treino e competio. Foram avaliados, pr e ps-

    interveno, o estresse psicolgico (sintomas de estresse pr-competitivo, pela

    LSSPCI; estados de estresse e recuperao, pelo RESTQ-76 Sport) e o

    estresse fisiolgico (concentraes de cortisol salivar). Atletas de ambos os

    grupos (experimental e controle) apresentaram nveis moderados de sintomas

    de estresse pr-competitivo, no havendo diferenas significativas, nas

    condies intragrupo e intergrupos. Os estados de estresse e recuperao,

    para GE e GC, na situao de treino, antes e aps a interveno, foram

    moderados. Considerando as 19 escalas do RESTQ-76 Sport, na situao de

    treino, o GE obteve maior escore de Recuperao Social (p=0,00) e, na

    situao de competio, maior escore para Estar em Forma (p=0,05) e

    Autorregulao (0,04). Em comparao ao GC, o GE apresentou menor

    Estresse Geral (0,04) e maior Autorregulao (0,04) na situao de treino, e

    menores ndices de Estresse Geral (0,04), Conflitos/Presso (0,03) e Fadiga

    (0,03), na situao de competio. Quando as Escalas do REST-76 Sport

    foram agrupadas, constatou-se que, na condio intergrupos, o GE demonstrou

    menores ndices de Estresse Geral, Estresse Especfico e Estresse Global do

    que o GC, na situao de treino. Na situao de competio, o GE teve

    menores ndices de Estresse Especfico e Estresse Global e maiores ndices

    nas reas de Recuperao e Recuperao Global, quando comparado ao GC.

    Os resultados do estresse fisiolgico demonstraram que, na situao de

    competio, no houve diferenas significativas das concentraes de cortisol

    salivar ps-interveno, nas condies intragrupo e intergrupos. O cortisol

    basal foi mais elevado para o GC no pr-teste, tanto na situao de treino

    quanto na situao de competio. Para o GE, as concentraes de cortisol

    salivar foram mais elevadas depois da interveno somente na situao de

    treino. Com base nos resultados encontrados no presente estudo, a

    interveno psiconeurofisiolgica, combinando as tcnicas de neuro e

    biofeedback, pareceu ser mais efetiva sobre a percepo dos estados de

    estresse e recuperao das atletas do que sobre os sintomas de estresse pr-

    competitivo e suas respostas fisiolgicas (concentraes de cortisol salivar),

    tanto na situao de treino, como na situao de competio.

    Palavras chave: estresse psiconeurofisiolgico, atletas de voleibol,

    neurofeedback hemoencefalografia, biofeedback cardiovascular.

  • ABSTRACT

    In the sporting context, the athlete is constantly exposed to excessive pressure

    generating stress situations which could affect their performance. This study

    aimed to investigate the effects of psychoneurophysiological training, combining

    neurofeedback techniques (hemoencephalography) and