Org£o de comunica§£o do IMT - Instituto de Medicina ... vimento de Fitoterapia Chinesa que, al©m

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Org£o de comunica§£o do IMT - Instituto de Medicina ... vimento de Fitoterapia...

  • O IMT NA CHINASuplemento

    V I S M E D I C A T R I X N A T U R A E Maro - Abril de 2015Distribuio Gratuita

    Orgo de comunicao do IMT - Instituto de Medicina Tradicional

    MEDICINA TRADICIONAL

  • 2

    O IMT na China

    Este suplemento visa apresentar ao leitor o ponto de situao das relaes institucionais do IMT Instituto de Medicina Tradicional com os seus parceiros na China, no mbito da promoo e desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa.

    O IMT desenvolve formao em diversas reas das TNC Teraputicas No Convencionais, entre elas a Medicina Tradicional Chinesa h vrios anos, com ofertas de longa e curta durao, em reas que vo das terapias manuais como Tui-Na, fi toterapia, moxabusto, acupunctura, diettica, chi kung, entre outras.

    Com o decorrer dos anos e fruto do reconhecimento do seu trabalho, tanto em termos nacionais como em termos interna-cionais, o IMT foi contactado por entidades chinesas e macaenses, tanto governamentais como da rea do ensino superior, investigao e desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa, no sentido da celebrao de acordos internacionais que visem o desenvolvimento da mesma em Portugal e demais pases de lngua portuguesa. Neste sentido foram estabelecidos acordos com instituies de relevo no sector da Medicina Tradicional Chinesa pelo que desenvolvemos vrios projectos da maior importncia para o IMT, para os nossos alunos e para a comunidade em geral, que iremos detalhar nas prximas pginas.

    Viso sem Aco, sonho.Aco sem viso, pesadelo.

    Provrbio Chins

  • 3

    O IMT Instituto de Medicina Tradicional assinou, a 20 de Setembro de 2014, por ocasio das I Jornadas de Cultura e Medicina Tradicional Chinesa, um protocolo de cooperao com a Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de Jiang Xi.

    Este protocolo da maior importncia

    para o progresso dos alunos do IMT e para o desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa em Portugal pois, ao abrigo do mesmo, sero desenvolvidas diversas aces conducentes a estes objectivos.

    O mbito deste protocolo passa por promover trocas substanciais na rea do ensino e tratamentos em Medicina

    Tradicional Chinesa, bem como promover a cooperao para o desenvolvimento de competncias entre as duas instituies.

    As grandes linhas de actuao vo desde a troca de docentes entre as duas instituies, at ao ensino ps-graduado e estgios clnicos para alunos, reconhecidos por ambas as partes.

    PROTOCOLO COM A UNIVERSIDADE DE MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DE JIANG XI

  • 4

    Foi fundada em 1959 e tem como misso promover o desenvolvimento da cultura e tradio associadas Medicina Tradicional Chinesa, procurando promover paralelamente o tecido social e econmico que dela depende. Tem como lema Aprendiza-gem e Virtude, Devoo e Excelncia atravs do cultivo pragmtico, criativo, empreendedor e competitivo de recursos humanos capazes de se adaptar s necessidades do progresso social e do desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa.

    O seu campus cobre uma rea de 153 hectares, com 19.000 alunos, onde desenvolve vrias licenciaturas, mes-trados e programas de doutoramento. A Universidade tem dois Centros Nacionais de Investigao e 10 Laboratrios Princi-pais. Apresenta ainda vantagens nicas nas reas de farmcia, Matria Mdica Chinesa, Acupunctura e Moxabusto, Tuina, etc. Nos ltimos anos tem sido

    um grande promotor da modernizao da Matria Mdica Chinesa, nomeada-mente no que diz respeito segurana e qualidade de processos de inovao, desenvolvimento e produo, onde a tcnica, recentemente reconhecida a nvel ofi cial pelo Ministrio da Sade Chins denominada Moxabusto de Calor Sensitivo, tem particular destaque.

    A Universidade foi ainda uma das primeiras Universidades Chinesas autorizadas a estabelecer programas de ensino para estrangeiros, tendo j formado mais de 1600 alunos, vindos de Taiwan, Hong-Kong, Macau e mais de 10 pases.

    Neste momento tem programas de cooperao internacional com mais de 20 regies e pases, sendo o IMT, o nico representante Europeu. Atravs deste Protocolo esto j em marcha diversos projectos, como a primeira edio de um Estgio Clnico

    no Hospital Afi liado da Universidade, com a durao de um ms, j a partir de Agosto de 2015.

    Para este estgio esto elegveis alunos do IMT e outros candidatos interessados, desde que cumpram determinados critrios.

    Esto ainda em desenvolvimento alguns programas de formao avanada, a desenvolver em Lisboa e Porto, em 2015, com a participao de renomados professores da Universidade e ainda a preparao das II Jornadas de Cultura e Medicina Tradicional Chinesa, em Setembro deste ano.

    Website:

    en.jxutcm.edu.cn

    A UNIVERSIDADEDE MEDICINA TRADICIONAL CHINESA DE JIANG XI

  • 5

    HOSPITAL AFILIADO DA UNIVERSIDADE DE MEDICINA

    TRADICIONAL CHINESA DE JIANG XI

    O Hospital afi liado da Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de Jiang Xi foi fundado em 1956 e desde ento obteve um crescimento exponencial. Hoje em dia um Hospital estatal que est no topo da cadeia Chinesa em termos de

    certifi cao de qualidade na sua rea de interveno.

    Associado a este Hospital existe uma unidade de investigao e desenvol-vimento de Fitoterapia Chinesa que, alm de realizar pesquisa, transforma

    matria-prima para utilizao clnica e comercializao para toda a China continental, sendo lder de mercado em vrias reas.

    O estgio inclui visitas de observao a esta unidade.

  • 6

    Decorreram na Universidade de Lisboa, no dia 20 de Setembro de 2014, as I Jornadas de Cultura e Medicina Tradicional Chinesa, organizadas pelo IMT Instituto de Medicina Tradicional em parceria com a Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de JiangXi (China).

    Foi com lotao esgotada que decor-reram mais umas Jornadas do IMT, desta feita submetidas ao tema da Cultura e Medicina Tradicional Chinesa. Estas Jornadas foram particularmente importantes por se terem realizado num

    momento crtico para a afi rmao das Teraputicas No Convencionais, e em especial para a afi rmao da Medicina Tradicional Chinesa, em Portugal.

    Participaram nestas Jornadas vrios especialistas, nacionais e estrangeiros, tanto da rea cientfi ca, clnica e acad-mica da Medicina Tradicional Chinesa, como tambm membros do Governo e demais responsveis pelo processo de regulamentao da Lei 71/2013 que vem regulamentar as denominadas TNC Teraputicas No Convencionais.

    Estas Jornadas serviram para debater vrios temas relacionados com a MTC, nomeadamente o que se tem feito em termos de investigao, ensino, desenvolvimento e naturalmente, regulamentao. Em breve estar disponvel no IMT um relatrio fi nal com os resumos das comunicaes ali apresentadas e com uma listagem de recomendaes que, a serem seguidas, garantiro o bom desenvolvimento da Medicina Tradicional Chinesa em Portugal.

    No entanto, iremos desde j apresentar o essencial deste relatrio nesta edio.

    O parceiro, Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de JiangXi, re-presentada nestas Jornadas por uma comitiva composta pelo seu Presidente, Prof. Liu Hongning, acompanhado pelo Prof. Chen Rixin, Vice-Presidente do Hospital Afi liado desta Universidade e pelo Prof. Zhou Zhigang, Director do Departamento de Cooperao e Relaes Internacionais, acrescentou bastante qualidade ao evento, contribuindo com temas que passaram pela constatao do papel da MTC na promoo da cultura ancestral chinesa e da sua importncia para o Governo Chins, importncia esta sublinhada no discurso de abertura pelo Conselheiro Cultural da Embaixada da China em Portugal, o Dr. Shu Jianping, em representao ofi cial do Sr. Embaixador Huang Songfu.

    Alm deste tema, a Universidade de MTC de JiangXi apresentou o excelente trabalho realizado no Hospital Afi liado da Universidade, a investigao ali realizada, nomeadamente atravs da apresentao em primeira mo num pas ocidental da tcnica de Moxabusto de Calor Sensitivo, tcnica esta desenvolvida pelo Prof. Chen Rixin e amplamente utilizada neste Hospital.

    I JORNADAS DE CULTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

  • 7

    Entre os oradores portugueses, alguns deles ligados ao IMT, destacam-se as apresentaes do Prof. Doutor Pedro Simes acerca dos ltimos desenvolvimentos em matria de investigao clnica em Acupunctura e do Prof. Chunming Yan, coordenador do Curso Geral de Acupunctura, Fitoterapia e Moxabusto Chinesa, que apresentou entre outros temas, a I Ps Graduao em Fitoterapia Clssica Chinesa, a desenvolver em parceria com a Universidade de MTC de JiangXi j em 2015. Alm destes destaques importante ainda sublinhar a participao de outros dois especia-listas internacionais, nomeadamente a Dr. Echo Chan, Administradora da Macau Investimento e Desenvolvimento, Vogal Executiva do IPIM Instituto de Promoo do Comrcio e Investimento de Macau e Presidente do Parque Cientfi co e Industrial de MTC para a cooperao entre Guangdong-Macau, que apresentou audincia aquilo que o Governo de Macau e da China tm feito no sentido de promoo da Medicina Tradicional Chinesa, especifi camente

    atravs de Macau como plataforma para os pases de lngua portuguesa. Por outro lado, o Dr. Rmon Maria Calduch, Vice-Presidente da Fundao Europeia de Medicina Tradicional Chinesa e membro de muitas outras organizaes internacionais do sector, apresentou o estado da arte internacional no que diz respeito aos normativos e regulao da MTC, concluindo-se que o caso portugus de facto um exemplo a seguir internacionalmente. No que diz respeito ao painel reservado ao debate sobre a regulamentao da MTC e da Acupunctura e da sua eventual integrao no Servio Nacional de Sade, destacaramos a posio sublinhada pelo Dr. Pedro Ribeiro da Silva, nomeadamente no que diz respeito necessidade de conjugao de esforos no sentido da aproximao dos diversos actores, esbatendo as diferenas e reforando as concordncias para que o