PLANILHA ORÇAMENTÁRIA - fieb.org.br em função dos fluxos das atividades e ... especialmente, na

  • View
    218

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of PLANILHA ORÇAMENTÁRIA - fieb.org.br em função dos fluxos das atividades e ... especialmente, na

  • 1

    8. MODELOS

    8.1 MODELO DE PLANILHA ORAMENTRIA

    PLANILHA ORAMENTRIA

    VALOR TOTAL DA OBRA UNIDADE: BASE: OBRA LEI SOCIAL:

    - LOCAL BDI: ITEM CODIGO DISCRIMINAO UND QUANT $ UNIT SUB TOTAL

    1.0 SERVIOS INICIAIS

    SUB TOTAL

    2.0 DESPESAS ADMINISTRATIVAS SUB TOTAL

    TOTAL DO CUSTO DA OBRA BDI

    1.0 FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS C/ BDI DIFERENCIADO

    SUB TOTAL

    TOTAL DO CUSTO DOS EQUIPAMENTOS BDI

    TOTAL GERAL DA OBRA

  • 2

    8.2 - MODELO DE CRONOGRAMA FSICO SINTTICO

    BDI:OBRA

    LOCAL

    Item Descrio Valor Total (com BDI )

    % 1 Ms 2 Ms 3 Ms 4 Ms 5 Ms 6 Ms 7 Ms 8 Ms VALOR DO ITEM % de cada item

    Total

    Total por etapaPercentual por etapaAcumuladoPercentual Acumulado

    K

    K

    J

    I

    H

    G

    F

    E

    D

    C

    B

    A

    CRONOGRAMA FISICO FINANCEIRO

    CRONOGRAMA FSICO-FINANCEIRO

  • 3

    8.3 MODELO DE CRONOGRAMA DETALHADO EM PROJECT

    MODELO DE CRONOGRAMA DETALHADO (MS PROJECT)

    OBS: OBS: PARA O CRONOGRAMA DETALHADO, O CONTRATADO DEVERCONTEMPLAR TODOS OS ITENS CONSTANTES DA PLANILHA ORAMENTRIA E ESTABELECER TODAS AS PREDECESSORAS, PLANO DE COMPRAS, BEM COMO O CAMINHO CRTICO DA OBRA.

  • 4

    8.4 MODELO DE COMPOSIO DE PREOS UNITRIOS

    2.4.1 CONCRETO - fck 20 MPa

    CD. DESCRIO COEFICIENTE PREO TOTAL

    MO-DE-OBRA

    4750 OFICIAL

    6115 SERVENTE

    TOTAL MO DE OBRA :

    SERVIOS / EQUIPAMENTO

    370 AREIA MDIA

    643 BETONEIRA 320L DIESEL 5,5HP

    1379 CIMENTO PORTLAND CP-320

    4718 PEDRA BRITADA N. 2 OU 25 MM

    10485 VIBRADOR DE IMERSAO C/ MOTOR ELETRICO 2HP

    TOTAL SERVIOS / EQUIPAMENTO

    SUBTOTAL : R$

    ENCARGOS ( XX % ) : R$

    TOTAL : R$

  • 5

    8.5 MODELO DE LISTA DE EQUIPAMENTOS PARA APLICAO DE REGIME DIFERNCIADO DE BDI

    UNIDADE: RESUMO BASE: abril/2012OBRA RESUMO GERAL LEI SOCIAL: 124,28%LOCAL Av. Luis Tarquinio Pontes, n 938, Aracu, Lauro de Freitas, Bahia DBI: 5,00%

    ITEM CODIGO DISCRIMINAO UND QUANT $ UNIT $UNIT C/ BDI

    C N/C FORNECIMENTO DE ELEVADOR SEM CASA DE MQUINAS CAP 6 PASSAGEIROS, VEL=1,5 M/S, ABERTURA CENTRAL UND 1,00

    105.000,00 110.250,00

    TOTAL DO CUSTO DA OBRA 105.000,00DBI 5,00% 5.250,00

    TOTAL GERAL 110.250,00

    PLANILHA DE EQUIPAMENTOS

    XAMPLIAO E REFORMA DA UNIDADE LAURO DE FREITAS

    VALOR TOTAL DA OBRA

    110.250,00

    110.250,00

  • 6

    8.6 MODELO DE MEMORIAL DESCRITIVO/CADERNO DE ENCARGOS MEMORIAL - PROJETO ARQUITETNICO SUMRIO I. CONCEPO

    Imagem do Edifcio

    02 Ordenamento dos Fluxos e Interligao dos Blocos

    03 Espaos Internos Setorizao

    03

    Conforto Ambiental, Trmico e Acstico

    04 Concepo Estrutural e Modulao

    04

    Tcnicas de Produo Mais Limpa

    04 Instalaes Complementares

    II. PROGRAMA E PR-DIMENSIONAMENTO

    05 III. ESPECIFICAES DETALHADAS PRDIO 3

    06 IV. ESPECIFICAES DETALHADAS PRDIO 4

    28 V. RELAO DE PRANCHAS E ARQUIVOS

    42 VI. RELAO DE PENAS PARA PLOTAGEM

    44

  • 7

    MEMORIAL - PROJETO ARQUITETNICO 1. CONCEPO O PRDIO. Foram implantados de acordo com os condicionantes do terreno e das relaes de proximidade em funo dos fluxos das atividades e integrao dos ambientes. PRDIO 3 agrega, essencialmente, espaos de convenes, convivncia e eventos, nova Biblioteca, espaos gerenciais, de coordenao acadmica e de ensino distncia. PRDIO 4 amplia espaos agregando novas competncias e amplia instalaes de competncias j instaladas.

    Imagem do Edifcio

    Os edifcios foram concebidos com elementos da linguagem arquitetnica do PRDIO 1 e 2, buscando, com novas aplicaes destes elementos, valorizar a PRDIO dos edifcios que, no conjunto, conformam o EMPREENDIMENTO do . A preocupao com a identidade, que fortalece a imagem da instituio, constitui-se em diretriz para as opes adotadas, acentuando a comunicao com o pblico externo, fortalecendo a imagem desse Centro de Tecnologia como instituio de ponta. O edifcio PRDIO 1 mantm-se como o maior referencial para a identidade do EMPREENDIMENTO, visto que, os edifcios implantados, a posteriori, embora sendo de maior porte, no comprometem este edifcio que confere para o conjunto forte diferencial esttico, associado ao atual estgio de desenvolvimento, transferindo para todo o EMPREENDIMENTO estes atributos, assegurado pela preservao da situao de destaque mantida para o edifcio inicial. Os novos edifcios se agregam reforando o porte do empreendimento - EMPREENDIMENTO da -PRDIO -, ampliando e reforando a imagem do conjunto. Foram mantidas as premissas que nortearam a concepo do PRDIO 2 quanto utilizao estratgica dos elementos construtivos:: Preservar a predominncia de revestimentos especiais: esquadrias de alumnio, alumnio

    composto em marcaes horizontais, no edifcio construdo, associando este tratamento aos ambientes hierarquicamente mais importantes da estrutura organizacional.

    Utilizar empenas de alvenaria com contornos curvos e cobertura em telha metlica branca para as demais reas do conjunto, especialmente, na fachada Leste, sobre a qual se rebate a construo inicial, vinculando este novo edifcio ao PRDIO 1, como sua rea complementar.

    A importncia de estabelecer estes vnculos entre as edificaes garante, nesta etapa, de construo de uma PRDIO harmnica com as anteriores, sem que deixem de refletir as peculiaridades funcionais e a contemporaneidade do momento de sua realizao.

    Ordenamento dos Fluxos e Interligao dos Blocos

    Devido s reas de Convenes e eventos agregadas, o fluxo de pessoas, inclusive a presena de pblico externo, fortemente intensificado. Foi preservado o grande eixo de circulao entre os edifcios que culmina numa grande Praa que tem a funo de convivncia tanto para o pblico interno quanto para o pblico participante dos eventos. Ligaes entre a nova Biblioteca e a Praa do PRDIO 2, atravs de passarela de fluxo exclusivo, integram a praa como espao

  • 8

    privativo da Biblioteca qualificando-a exponencialmente, e, a ligao entre o PRDIO 2 e 3 e PRDIO 3 e 4, no mesmo nvel, e atravs da Praa de Alimentao, permite a integrao de todos os Blocos, tambm no nvel do piso do primeiro pavimento. Dado a quantidade de pblico que afluir para o PRDIO 3, est previsto acesso independente para este ediffio. Elementos de sinalizao reforaro a atratividade para a convergncia dos diferentes pblicos ao acesso adequado.

    Espaos Internos Setorizao Foram condicionantes para distribuio dos ambientes: localizar no Pavimento Trreo os ambientes de maior a concentrao de pblico(PRDIO 3)

    e equipamentos de maior peso (PRDIO 4) para evitar sobrecargas na estrutura, atividades que demandam facilidade no suprimento de combustveis e insumos, e outras peculiaridades das instalaes.

    articulao da Biblioteca com a Praa do PRDIO 2. articulao dos espaos de convivncia para utilizao confortvel pelo pblico de ambos os

    edifcios. acesso de veculos e a complementao e situao da via de servio visibilidade de espaos de maior interesse. assegurar flexibilidade para futuras adaptaes / expanses. Iniciativa de empreendimento EMPREENDIMENTO- para ampliao do estacionamento dos

    edifcios, em conjunto. No PRDIO 3 foram reunidos: no pavimento trreo, o Auditrio, o Espao de Eventos que se interligam com a Praa de Convivncia; no 1 pavimento, encontra-se a Biblioteca, a Praa de Alimentao com Restaurantes, Espaos de apoio, alm do Studio; no 2 pavimento, o Ncleo de Educao Distncia, a Cave, a Secretaria de Cursos e a Direo Acadmica; no 3 pavimento, sero, oportunamente, projetadas as reas gerenciais do EMPREENDIMENTO. No PRDIO 4, no pavimento Trreo, encontra-se o Lab. de Armazenagem, Lab. De Conformao, Lab.Fundio e outras dependncias de apoio e servios. No pavimento Mezanino situa-se a Sala dos Tcnicos e o Lab. de Logstica. Neste edifcio, foi prevista a possibilidade de ampliao vertical, futura, para ampliao de Salas de Aula.

    Conforto Ambiental, Trmico e Acstico

    O projeto arquitetnico incorpora solues para otimizao do conforto trmico-acstico do edifcio. Solues diferenciadas para as diversas orientaes de fachada foram adotadas, alem de trabalho criterioso para definio dos elementos construtivos, enfocando a minimizao do consumo de energia. O estudo elaborado pelo LACAM (Laboratrio de Conforto Ambiental da FaUFBA) em 2000, foi resgatado para aplicao neste projeto, observadas as orientaes correspondentes de fachadas. Foram adotadas solues que potencializam a utilizao da iluminao e ventilao naturais. Por necessidade de assegurar um padro de conforto para as atividades sero refrigerados os ambientes fechados de concentrao de pblico: Auditrio e Biblioteca, e dependncias de atividades tcnicas e didticas. Ainda, baseado no estudo de Conforto Ambiental foi definida a orientao dos sheds, das reas do PRDIO 4 que tero tratamento apenas com os recursos de exausto natural e mecanizada. As reas de circulao, Praas de Eventos e Alimentao no tero condicionamento de ar, dadas s condies de troca possibilitadas pelo projeto arquitetnico, que cria um grande canal de captao e exausto para a ventilao natural.

  • 9

    As condies acsticas foram tratadas, desde a fase de concepo de projeto tendo sido adotadas opes construtivas em funo deste critrio: paredes acsticas