of 41/41
Colégio de Santa Teresinha Regulamento interno 1

Regulamento Interno

  • View
    1.829

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Regulamento Interno

Colgio de Santa Teresinha

Regulamento interno

1, 2 3 ciclos do Ensino Bsico

1

Colgio de Santa Teresinha

Regulamento Interno

1,2 e 3 ciclos do Ensino Bsico

Rua Pedro Jos de Ornelas, n19

9050-069 Funchal

2

Introduo As Escolas das Irms Vitorianas propem-se educar os alunos a partir de dentro, libertando-os de tudo quanto os impea de viver plenamente como pessoas e proporcionando-lhes uma formao integral, isto , o desenvolvimento harmnico, livre e criativo da personalidade na trplice dimenso pessoal, social e religiosa.(1) Seja a Escola o local onde se processa um acto de pessoa para pessoa, onde o afecto tem muito a ver com a educao. No s o afecto, o prprio amor que funciona como meio de educao. Com a leitura deste regulamento interno o Aluno, o Professor, o Auxiliar de Educao e o Encarregado de Educao ficam esclarecidos dos direitos e deveres que tm para com Comunidade Educativa. O conhecimento e a pratica das regras e normas deste regulamento interno so importantes para toda a comunidade educativa, pois cada Professor, cada Aluno, cada Auxiliar de Educao cada Encarregado de Educao pedra viva da sua construo. A divulgao deste regulamento compete ao Conselho Executivo junto dos Professores, Auxiliares de Educao, Encarregados de Educao e aos Professores junto aos Alunos. O Processo Educativo fruto da aco conjunta de todos os elementos da Comunidade Educativa. Da a obrigatoriedade do cumprir e fazer cumprir este regulamento na sua totalidade. Que a Comunidade Educativa procure educar para os valores da liberdade e responsabilidade, da tolerncia e do respeito, da amizade e do perdo.

A Directora Jesuina Batista dos Santos

-------------------------------1 Iderio, II p. 13

3

Captulo IDisposies Gerais1 - IdentificaoO Colgio de Santa Teresinha, situado Rua Pedro Jos de Ornelas, n 19 Funchal, propriedade da Congregao das Irms Franciscanas de Nossa Senhora das Vitorias, Provncia do Corao de Maria. Destina-se a coeducao em regime de externato. uma Escola Catlica, que exerce funes de acordo com o espirito do iderio que lhe apresentado pela entidade titular, pelo projecto educativo e pelo regulamento interno O Colgio rege-se segundo o estatuto do ensino particular e cooperativo, tendo por base as leis do ensino pblico de acordo com o sistema geral de ensino.

2 Princpios Orientadores

(2)

A educao integral do ser humano, no pode abstrair a dimenso religiosa e moral, constitutiva da pessoa e da sua plena dignidade (3). A Escola Catlica/Vitoriana visa o desenvolvimento do aluno nas principais componentes fsicas, afectivas, intelectuais, espirituais e morais da sua personalidade. Para atingir os seus objectivos a escola propes-se ajudar o aluno a: Ser actor da sua prpria educao; Promover a sua formao integral mediante a assimilao sistemtica e crtica da cultura; Desenvolver a sua capacidade de julgar rectamente; Despertar para os valores espirituais e abrir-se ao transcendente, pela participao nas aulas de educao moral e religiosa catlica, nas festividades e pocas litrgicas celebradas na escola; Acolher livremente a pessoa e a mensagem de Jesus Cristo como proposta de salvao; Desenvolver as capacidades e dons individuais integrados nas exigncias sociais e culturais;

-

Desenvolver a sua aco educativa na linha da abertura a todos os homens, com preferencia pelos mais pobres de f, cultura, esperana, amor ou de bens materiais. ----------------------------------2- Cf. Iderio, I pp. 9,10,11. 3- Cf. Programa do 1 ciclo, p. 151

4

3- Condies de AdmissoA Direco do Colgio d a conhecer as normas de admisso de alunos: As inscries esto abertas a todas as crianas desde que seja aceite o espirito do Projecto Educativo e do Regulamento Interno do Colgio; A primeira matrcula ser efectuada depois de uma entrevista entre a Directora, educando e encarregado de educao; S em casos muito excepcionais se admitem alunos no incio do 2 perodo; Tm prioridade de inscrio os alunos que frequentam o colgio no ano anterior e respectivos irmos; A Direco do Colgio reserva-se o direito de negar a renovao de matrcula aos alunos que por irregularidade de procedimento no se adaptem s exigncias consignadas no regulamento interno; A inscrio s valida quando o encarregado de educao tiver pago a propina e entregue na secretaria a documentao exigida por lei.

-

5

Organigramargos de Administrao e Gesto Escolar

Directora

Direco Executiva

Conselho Administrativo

Conselho Escolar

Direco Executiva

Directora

Adjunta da Directora

Coordenadora Infantil

Coordenadora Pedaggica 1 ciclo

Coordenadora pedaggica 2 ciclo

Coordenadora pedaggica 3 ciclo

Conselho Administrativo

Directora

Adjunta da Directora

Chefe Servios Administrao

Ecnoma Provincial

6

Conselho escolar

Directora

Coordenadora Pedaggica

Corpo Docente

7

Capitulo IIEstrutura de Gesto e de Orientao EducativaNeste estabelecimento de Ensino Particular funciona a Educao Pr-Escolar, o 1, 2, e 3 Ciclos de Ensino Bsico. Assim a organizao e gesto escolar assegurada pelos seguintes rgos internos: A rgos 1 Directora A Directora do Colgio nomeada pela entidade titular (Provncia do Corao de Maria, Congregao das Irms Franciscanas de Nossa Senhora das Vitorias), entidade promotora e normativa da aco educativa do colgio de Santa Teresinha. A esta pertence a propriedade do alvar n. 963 e a personalidade jurdica da escola, atravs da Superiora Provincial. A Directora deste estabelecimento de ensino nomeada por um perodo indeterminado e a respectiva nomeao autorizada pela Secretaria Regional de Educao. 2 O Conselho Executivo constitudo pela Directora do Colgio, adjunta da Directora (pode ou no acumular funes de coordenadora pedaggica de ciclo) e as coordenadoras pedaggicas dos 4 nveis de ensino: Pr-escolar, 1, 2, e 3 Ciclos do Ensino Bsico. Este deve reunir ordinariamente uma vez por ms, em dia a determinar, no incio de cada ano lectivo, extraordinariamente sempre que necessrio.

3 Conselho Administrativo constitudo pela Directora do Colgio, pela adjunta da Directora, pela responsvel dos servios de administrao e pela Ecnoma Provincial. De acordo com o artigo 28 do regime de administrao e gesto da escola, tem competncia deliberativa em matria administrativo-financeira; obrigatoriamente presidido pela Directora e rene ordinariamente uma vez por ms e extraordinariamente sempre que convocado pela Presidente.

8

4 Conselho Escolar (4) constitudo pela Directora, Coordenadora do ciclo e por todos os docentes deste nvel de ensino. - O Conselho Escolar rene obrigatoriamente uma vez por ms no dia fixado pelo prprio Conselho em reunio efectuada antes do incio do ano escolar e aprovado pela maioria dos elementos que a compem. presidido pela Directora ou pela Coordenadora do Ciclo; (5). - A reunio mensal tem a durao mdia de duas horas e o seu trabalho ser contnuo; (6). Na ausncia da Directora no podem ser tomadas decises que sejam da sua competncia. obrigatria a presena de todos os membros s reunies de conselho escolar. A falta a cada uma das reunies equivale a dois tempos lectivos, salvo se o docente se tiver ausentado durante o perodo de actividade obrigatria distribuda para esse dia o que determinar ser considerado um dia de falta. (7)

B Competncias1 Directora Directora do Colgio compete a coordenao e superviso de todos os rgos e servios do Colgio, bem como as demais competncias que lhe foram atribudas por lei (despacho n. 40/75 de 8 de novembro). Representar o Colgio; Superintender planificao das actividades curriculares disciplinares e no disciplinares; Garantir a qualidade do ensino e o cumprimento do regulamento interno; Presidir as reunies dos conselhos executivo, administrativo e escolar; Decidir em todos os assuntos para os quais os conselhos tenham delegado ou em situaes de emergncia em que no seja possvel reunir;

---------------------------------------------------------4- Despacho n. 40/75 de 8 de Novembro 5- Roteiro, 96/97, p.9 6- Cf. Roteiro, 96/97 p.10 7- Roteiro, 96/97, p.11

9

-

Participar nas reunies da associao de pais e prestar a sua colaborao; Exercer o poder hierrquico designadamente em matria disciplinar, em relao aos alunos, pessoal docente e no docente; Atender os Encarregados de Educao; Proceder avaliao do pessoal docente e no docente.

A Directora pode delegar uma parte destas funes s coordenadoras pedaggicas nas situaes que achar conveniente.

2 Conselho ExecutivoDe acordo com o decreto-lei 115-A/98 de 4 de Maio, artigo 17, o Conselho Executivo tem competncias para: Elaborar o regulamento interno; Definir o regime de funcionamento da escola; Coordenar a actividade e animao educativas; Decidir dentro dos limites legais, sobre as questes que interessam a vida escolar; Gerir as instalaes, espaos e equipamentos bem como os outros recursos educativos; Prestar toda a colaborao Directora da Escola; Exercer as demais competncias que lhe forem atribuidas por lei.

2.1 Coordenadora PedaggicaA coordenadora pedaggica nomeada pela entidade titular, por um perodo de tempo indeterminado. Compete-lhe: Participar nas reunies do Conselho Executivo; Colaborar de forma estreita e empenhada com a Directora em todas as suas funes;

10

-

Presidir s reunies peridicas do Conselho Escolar ou outras sempre que seja delegada pela Directora; Dinamizar o trabalho de grupo, fomentando o espirito de equipa entre os demais professores; Transmitir aos rgos competentes os problemas escolares, tendo em vista o aperfeioamento da aco educativa; Cooperar com a Directora na reflexo de projectos, problemas e respectivas solues;

E todas as atribulaes que lhe so referidas por lei (cf. Anexo ao despacho 40/75 de 8 de Novembro).

3 Conselho AdministrativoDe acordo com a lei, so-lhe atribuidas as seguintes competncias (8). Aprovar o projecto de oramento anual da Escola; Elaborar o relatrio de contas de gerncia; Autorizar a realizao de despesas e o respectivo pagamento, fiscalizar a cobrana de receitas e verificar a legalidade da gesto financeira da escola, Zelar pela actualizao do cadastro patrimonial da escola; Exercer as demais competncias que lhe esto legalmente cometidas;

4 Conselho EscolarO Conselho Escolar tem, de acordo com a lei e com a estrutura de gesto e administrao do Colgio, as seguintes atribuies e competncias (9). - Participar activamente na elaborao do Projecto Educativo de escola sempre que solicitado; Elaborar o Projecto Curricular de Escola;

-------------------------------------------8- Cf. Decreto-lei 115-A/98, Art. 28-31 de 4 de Maio. 9- Cf. Despacho n. 40/75 de 8 de novembro.

11

-

Elaborar o plano anual de actividades; Escolher os manuais escolares; Apreciar casos de natureza disciplinar, apresentados pela Directora, Professores, Encarregados de Educao e Pessoal Auxiliar; Estabelecer os critrios gerais e a metodologia a utilizar na avaliao dos alunos; Estabelecer critrios gerais de avaliao sumativa, aos quais os Professores se tm de referenciar; Decidir sobre a necessidade de se proceder a avaliao sumativa extraordinria em relao aos alunos.

Capitulo IIIDireitos e Deveres da Comunidade EscolarTendo em conta a lei vigente, so apresentados os direitos e os deveres da comunidade educativa.

1 Alunos (10)Direitos: O aluno do Colgio de Santa Teresinha tem o direito a: Encontrar condies que o ajude no crescimento humano, espiritual e cultural (11). Ser aceite e respeitado por todos; Dialogar com os elementos da Comunidade Educativa; Participar activamente na vida da Escola; Ser avaliado no seu aproveitamento escolar com objectividade, tendo conhecimento do seu processo e critrios de avaliao; Conhecer o regulamento interno do Colgio,

------------------------------------------------------10- Decreto regional n 15/2001 11- Cf. Iderio p.13

12

-

Gozar dos tempos de recreio previstos na lei; Apresentar crticas e sugestes relativas ao funcionamento do Colgio; Ser pronta e adequadamente assistido em caso de acidente ou doena sbita ocorrido no mbito das actividades escolares; Ser informado sobre todos os assuntos que lhe digam respeito; Ser ouvido em todos os assuntos que lhe digam respeito pelos Professores, Directores de turma e pela Direco da Escola; Participar em visitas de estudo ou outras sadas da Escola com fins pedaggicos; Utilizar as instalaes a si destinadas e outras com a devida autorizao; Ver salvaguardada a sua segurana na frequncia da Escola e respeitada a sua integridade fsica; Ver respeitada a confidencialidade dos elementos constantes do seu processo individual, de natureza pessoal ou relativos famlia; Ser ouvido em todos os assuntos que lhe digam respeito pelos Professores, Directores de turma e rgos de administrao e Gesto da Escola; Organizar e participar em iniciativas que promovam a sua formao e ocupao de tempos livres.

Deveres:A Comunidade Educativa informa o educando que para haver harmonia na escola o aluno deve: Ser delicado e respeitador para com todas as pessoas da Comunidade Educativa; Ser pontual e assduo s aulas, cumprindo rigorosamente o horrio estabelecido; Ser dinmico na elaborao dos trabalhos escolares; Seguir as orientaes das docentes relativas ao seu processo de ensino/aprendizagem; Cumprir o regulamento interno; Participar nas actividades desenvolvidas pela escola;

13

-

Contribuir pela sua educao para as boas relaes interpessoais, promovendo a sua aprendizagem e a dos colegas; Apresentar-se com asseio; Respeitar o uso da farda, (no 1 ciclo); Participar nas actividades fisico-motoras s quando devidamente equipado, Conservar em bom estado as instalaes e mobilirio da escola; Utilizar o material didctico, cuidando da sua conservao e manuteno, Evitar durante o perodo de recreio, todas as situaes que possam, de qualquer modo, por em risco a sua integridade fsica ou a de qualquer colega, assim como respeitar as actividades que estejam a decorrer; Permanecer nas instalaes da Escola durante o seu horrio, salvo autorizao escrita do Encarregado de Educao; Ser diariamente portador do carto de estudante e da caderneta escolar; Conhecer as normas e horrios de funcionamento de todos os servios da Escola; Respeitar a propriedade dos bens de todos os elementos da Comunidade Educativa; Cumprir as regras definidas em conjunto na sala de aula.

-

2 - Pessoal Docente (12)Direitos:Participar na elaborao do Projecto Educativo e acompanhar o respectivo desenvolvimento, nos termos da lei; Ter acesso a toda e qualquer informao que se relacione com a sua vida profissional; Requisitar e utilizar todo o material e instalaes para o servio dos alunos; Participar at ao fim do ano escolar em aces de formao, reciclagem e aperfeioamento sem agravamento de horrio, consoante o despacho normativo n. 185/92 de 18 de setembro;

----------------------------------------12- Cf. Decreto-lei n. 1/98 de 2 de Janeiro

14

-

Usufruir do direito segurana, na actividade profissional; Ser tratado com respeito por qualquer elemento da Comunidade Educativa; Receber um exemplar do Regulamento Interno; Ser ouvido em todos os assuntos que lhe digam respeito individualmente ou atravs dos seus rgos representativos; Ter acesso ao processo individual do aluno.

DeveresCumprir o Regulamento Interno do Colgio; Exercer com competncia, zelo e dedicao as funes que lhe esto confiadas; Respeitar a natureza confidencial da informao relativa sua aco profissional e as reunies do Conselho Escolar; Ser assduo e pontual em toda e qualquer actividade programada pelo Colgio e contida na lei vigente; Acompanhar os seus alunos nas reas disciplinares de Expresso e Educao Fsico/Motora e Musical/Dramtica, nas visitas de estudo, passeios, etc. acompanhados por um Auxiliar de Educao, quando necessrio; Estar disponvel para a aceitao de qualquer cargo que o Conselho Escolar ache por bem atribuir-lhe; Participar nas reunies de caracter pedaggico, administrativo e formativo e/ou promovidas pelo Colgio ou pela Entidade Oficial; Entregar o material utilizado em bom estado e fazer com que os alunos deixem a sala devidamente arrumada; Disponibilizar mensalmente um tempo extra-lectivo para o atendimento aos encarregados de educao (Pr-Escolar e 1 Ciclo.).

-

E todos os deveres que lhes so atribudos por lei, em conformidade com a legislao em vigor, com o estatuto do ensino particular e cooperativo, para os Professores contratados.

15

3- Pessoal no Docente (13)Direitos-lhe concedido o direito a toda e qualquer informao que se relacione directamente com a sua vida profissional no Colgio; Ser ouvido em todos os assuntos que lhe digam respeito individualmente ou atravs dos seus rgos representativos; Ser tratado com respeito por qualquer elemento da Comunidade Educativa; Receber um exemplar do regulamento interno;

DeveresApoiar todas as actividades, no didcticas relacionadas ou no com os alunos, que se desenvolvam no seu sector; Assegurar o asseio dos alunos, quando no esto em aulas; Assistir aos alunos nas refeies, recreios, passeios e visitas de estudo; Participar nas reunies para programar o ano e sempre que a Directora e a Coordenadora de ciclo o achar conveniente; Participar, pelos seus servios, na misso educativa do Colgio. Cada um, a seu modo e no desempenho da sua tarefa d testemunho dos valores propostos no Projecto Educativo; Acatar e cumprir as ordens e instrues dos seus superiores hierrquicos, bem como possuir e aperfeioar os seus conhecimentos tcnicos e mtodos de trabalho de modo a exercer as suas funes com eficincia e correco; Guardar segredo profissional relativamente aos factos que tenha conhecimento em virtude do exerccio das suas funes e que no se destinem a ser do domnio pblico; Tratar com respeito os seus superiores hierrquicos, os prprios colegas e todos os outros elementos da Comunidade Educativa; Ser assduo e pontual ao servio dentro das horas que lhe forem designadas; Desempenhar qualquer servio no mbito da sua actividade profissional, que lhe seja solicitado pelos seus superiores hierrquicos, seja respectivo servio de curta ou longa durao.

-

-

-

------------------------------------------------------------------13-Cf. Decreto-lei n. 223/87 de 30 de Maio

16

Alm destes, so-lhes concedidos os direitos e os deveres consignados no Decreto-lei n. 223/87 de 30 de Maio, em conformidade com o contrato colectivo de trabalho para o Ensino Particular e Cooperativo.

4 - Encarregados de Educao (14)Os Encarregados de Educao que livremente escolheram este Colgio para os seus educandos pertencem por direito Comunidade Educativa e, por isso, contraem os seguintes direitos e deveres: Conhecer o Projecto Educativo e o Regulamento Interno do Colgio e colaborar na realizao pratica dos mesmos; Participar nas reunies promovidas pelo Colgio e pela Associao de Pais; Participar em actividades extracurriculares; Inscrever-se na Associao de Pais, como rgo representativo dos direitos e interesses dos mesmos; Comparecer na escola quando para tal for solicitado; Dar a sua opinio sobre o andamento pedaggico e de todos os servios que visam apoiar e melhorar a aco educativa do Colgio; Informar-se, ser informado e informar a Comunidade Educativa (Professor) sobre todas as matrias relevantes no processo educativo do seu educando; Colaborar com os Professores no ensino/aprendizagem do seu educando; mbito do processo de

Articular a educao da famlia com o trabalho escolar Ter conhecimento e beneficiar do horrio de atendimento dos Professores aos Encarregados de Educao; Responsabilizar-se pelo cumprimento pontualidade do seu educando; do dever de assiduidade e

Apresentar por escrito a justificao das faltas at ao quinto dia til subsequente no comparncia do aluno;

----------------------------------------------------14- Decreto- lei 115-A/98 de 4 de Maio

17

-

Apresentar atestado mdico referente ao seu educando quando este for reincidente na falta aos momentos de avaliao (testes) que cada professor atempadamente predefiniu; Ser informado no final de cada perodo escolar do aproveitamento e do comportamento do seu educando;

-

-

Cooperar com todos os elementos da Comunidade Educativa no desenvolvimento de uma cultura de cidadania, nomeadamente atravs da promoo de regras de convivncia na escola; Direito a optar por uma segunda reteno ou no; Direito ao acesso do processo individual do seu educando.

-

Capitulo IVAtendimento aos Encarregados de EducaoO Professor dever, sempre que necessrio, convocar os Encarregados de Educao para informao ou resoluo de assuntos relacionados com os seus educandos; Semanalmente, cada Director de Turma (2 e 3 Ciclos.) dever dispor de um tempo determinado para o atendimento aos Encarregados de Educao, fora do tempo lectivo, que dever ser marcado em hora e dia consoante a sua disponibilidade; No permitido o atendimento aos Encarregados de Educao durante o horrio lectivo.

-

-

18

Capitulo VServios de apoio scio pedaggicos1 Sala de aula/turmaAo toque da campainha, o aluno dirija-se ordeiramente para a sala de aula; O aluno deve respeitar todo o material da sala de aula; Os estragos feitos pelo aluno sero reparados sua custa; Durante as aulas os alunos no podem ingerir qualquer alimento ou mascar pastilhas elsticas; Durante as aulas os telemveis dos alunos devero permanecer desligados e dentro da mochila, se assim no acontecer, sero retirados ao aluno durante trs dias e entregues ao Director de Turma; Durante o ano lectivo no permitida a transferencia de alunos de uma turma para outra:

-

2 BibliotecaO Colgio de Santa Teresinha possui uma biblioteca, fonte de riqueza cultural, onde o aluno pode: Estudar na biblioteca; Requisitar livros, revistas, jornais... para leitura e trabalhos escolares; Respeitar as normas de funcionamento da Biblioteca.

3- CantinaO aluno pode utilizar a Cantina, mediante carto de inscrio; Antes de se dirigir Canina, o aluno deve lavar as mos;

19

-

O aluno deve respeitar o horrio preestabelecido para a entrada na cantina; Deve aguardar em fila, por ordem de chegada, a sua vez para a recolha do tabuleiro e de tudo o que necessita para a refeio; no deve ser perturbador do normal funcionamento da fila; Deve ser tomada a refeio com correco e respeito pelos outros, evitando falar alto e provocar barulho; Aps a refeio, devem entregar o tabuleiro e respectivos utenslios nos locais indicados e sair ordeiramente.

-

4 Recinto EscolarO acesso e sada do Colgio deve ser feito pelo porto de baixo (a sul); Os alunos dispem de instalaes de recreio e campos de jogos que podero utilizar segundo o regulamento para cada sector; Os alunos durante o tempo de recreio no devem permanecer nas salas e nos corredores; S em caso de reconhecida necessidade permitida aos alunos a utilizao da portaria principal e da escadaria junto ao elevador; O elevador no pode ser utilizado pelos alunos; Qualquer actividade escolar realizada fora da escola, deve ter a devida autorizao da Direco do Colgio e dos Encarregados de Educao;

Estas sadas devem ser apoiadas pelos Auxiliares de Educao. O acesso ao Pavilho s permitido aos alunos quando devidamente equipados.

5- Apoio na Sala de Aula (15)Caso o Professor necessite de apoio a alguma actividade dentro da sala de aula poder recorrer ao Auxiliar de Educao do respectivo sector; No caso de falta do Professor este ser substitudo por outro docente ou os alunos sero divididos pelos outros professores do mesmo ano de escolaridade, desde que no perturbe o funcionamento das aulas.

-------------------------------------------------15- Cf. Roteiro 96/97 p.120

20

6- Nos Recreios (16)Os momentos de recreio constituem para os alunos momentos privilegiados para o desenvolvimento de competncias nos planos de gesto de conflitos, da regulao dos afectos, da criao de sentimentos de pertena ao grupo; Para os Professores, estes momentos favorecem o conhecimento do comportamento dos alunos; O espao de recreio deve ser um momento de lazer, no entanto, deve ser garantida a vigilncia e a segurana dos alunos; A definio das regras de convivncia nos recreios, devem ser elaborados pelos Professores em negociao com os alunos; Os recreios sero assegurados pelos Auxiliares de Educao, segundo o estabelecido no plano anual de actividades.

-

7 - Mediaes da EscolaO aluno no dever danificar ou perturbar a ordem pblica, de forma a pr em risco os valores educacionais que regem este Estabelecimento de Ensino.

---------------------------------------------------16- Cf. Roteiro 96/97 p. 119

21

Capitulo VIMedidas Educativas disciplinares (17)1 NooO comportamento do Aluno, do Professor, do Auxiliar de Educao, que contrarie as normas de conduta e de convivncia e se traduza no incumprimento de dever geral ou especial, revelando-se perturbador do regular funcionamento das actividades do Colgio ou nas relaes na Comunidade Educativa, deve ser objecto de interveno, sendo passvel de aplicao de medida educativa disciplinar.

2 TipificaoPara os alunos, e de acordo com a legislao vigente, consideram-se medidas educativas disciplinares as seguintes: 2.1 2.2 2.3 2.4 2.5 2.6 2.7 2.8 Advertncia verbal e/ou por escrito; Advertncia comunicada por escrito ao Encarregado de Educao; Repreenso escrita; Ordem de sada da sala de aula; Marcao de uma falta; Actividades de integrao na Comunidade Educativa, Suspenso da frequncia do Colgio por 10 dias teis; No renovao da matricula.

3- AplicaoAlunoSero aplicadas as medidas educativas disciplinares ao aluno que: Transgredir o Regulamento Interno do Colgio, Seja indisciplinado e/ou mal-educado; Saia do Colgio sem a prvia autorizao do Encarregado de Educao e do Conselho Executivo; - Falte s aulas, chegue atrasado e se esquea habitualmente do material escolar. Deixe tocar o telemvel nas aulas ( a reteno do mesmo poder durar trs dias teis.) ------------------------------17- Cf. Decreto Regional n. 15 /2001/11 Cf. Estatuto do ensino Particular, Artigo 74

22

-

A Direco do Colgio pode suspender um aluno por um perodo de 5 dias devido a mau comportamento. A Direco do Colgio pode aplicar aos alunos todas as medidas disciplinares acima referidas, excepto a medida n. 2.5; Os Professores tm competncia para aplicar as medidas das alneas n. 2.1,2.2, e 2.4, sendo a medida n 2.4 aplicada s em casos excepcionais.

Pessoal Docente- Nos termos do Estatuto da Carreira dos Educadores de Infncia e dos Professores do Ensino Bsico e Secundrio, os Docentes esto obrigados ao cumprimento dos deveres profissionais decorrentes do referido estatuto (18) e dos deveres estabelecidos para os Funcionrios e Agentes do Estado de acordo com o Artigo 3 do Decreto Lei n 24/84 de 16 de Janeiro. - Os Docentes do Ensino Particular respondem disciplinarmente perante a entidade proprietria da Escola e a Secretaria de Educao pela violao dos seus deveres profissionais (19). - O no cumprimento dos deveres consignados no estatuto da carreira dos Educadores de Infncia e dos Professores do 1 ciclo, no Decreto mencionado e neste Regulamento Interno, esta sujeito a medidas disciplinares referidas no mesmo Decretolei.

Pessoal no Docente- O pessoal no Docente est obrigado ao cumprimento dos deveres gerais dos funcionrios do Estado, previstos no artigo 3 do Decreto Lei n 24/84 de 16 de Janeiro e deste Regulamento Interno. - O no cumprimento dos seus deveres profissionais e deste Regulamento Interno esta sujeito a medidas disciplinares referidas no mesmo Decreto Lei, que aprova o estatuto disciplinar dos Funcionrios e Agentes da Administrao Central, Regional e Local.

-----------------------------------------------18- Decreto lei n 1/98, de 2 de Janeiro, artigo 10 19- Cf. Estatuto do Ensino Particular Artigo 74

23

Capitulo VIIDisposies regulamentares1 De Carcter GeralO ano lectivo comea e termina com as datas marcadas pela S.R.E.; So dias de frias os estabelecidos por lei, para a Regio Autnoma da Madeira; Tendo em conta que o Colgio pertena de uma Instituio Particular, s aderir s tolerncias de ponto oficiais quando a Direco do Colgio o determinar; Dentro do recinto escolar no permitido fumar; No permitido a entrada na sala de aulas, de pessoas estranhas Comunidade Educativa, durante o perodo lectivo; Nos corredores e salas de aula, excepto no horrio de atendimento, no permitida a permanncia dos Encarregados de Educao.

-

2 Relativas ao alunoAo aluno que no tiver satisfeito as mensalidades do perodo anterior, no ser dada avaliao, sem que satisfaa tal obrigao; O aluno que no tiver feito o pagamento das mensalidades do perodo transacto no poder iniciar o seguinte; A mensalidade ser paga todos os meses do dia 1 ao dia 10. A partir do dia 11, por cada dia de atraso, haver uma penalidade de sessenta cntimos; O aluno que for excludo de frequncia ou tiver abandonado o Colgio perde o direito a qualquer reembolso referente ao ms em curso;

24

-

O aluno que der o limite de faltas injustificadas (igual ao dobro de dias do horrio semanal do aluno) pode reflectir-se no seu aproveitamento e avaliao, podendo determinar a sua reteno (20). Ao aluno que exceder 5 faltas de pontualidade por perodo, ser-lhe- atribuda uma falta de presena injustificada. Ao aluno que ficar retido duas vezes no mesmo ano, ser convidado a sair do Colgio.

-

3 Relativas ao Corpo DocenteOs Professores so criadores de iniciativas, coordenadores e orientadores. Mas o Professor , acima de tudo, uma referncia moral, profissional e cultural, que procura dar o seu melhor junto dos alunos. Para que o Aluno no seja prejudicado no processo ensino/aprendizagem, o tempo lectivo deve ser rigorosamente cumprido, no sendo permitido: O atendimento de telefonemas, excepto em situaes de extrema necessidade; O abandono da sala de aula sem motivo que o justifique; O atendimento aos Encarregados de Educao dentro do tempo lectivo; Qualquer actividade dentro da sala de aula durante o tempo lectivo; que no diga respeito sua actividade profissional.

4- Relativas ao Corpo no DocenteO pessoal no docente est obrigado ao cumprimento dos deveres gerais dos funcionrios e agentes do Estado, previsto no Artigo 3 do Decreto lei n 24/84 de 16 de Janeiro que aprova o Estatuto Disciplinar dos Funcionrios e Agentes da administrao Central, Regional e Local, bem como ao cumprimento desde Regulamento Interno.

-----------------------------20- Decreto-lei n 301/93, de 31 de Agosto Desp. N 98-A/92, de 20 de Junho.

25

Capitulo VIIIFuncionamento1 RegimeO Colgio de Santa Teresinha adopta o regime normal de funcionamento que compreende dois perodos do dia: manha e tarde.

2 Horrio LectivoPerodo da manh - 08h 00m 08h 45m - 08h 45m 09h 30m - 09h 40m 10h 25m - 10h 25m 11h 10m - 11h 30m 12h 15m - 12h 15m 13h 00m Perodo da tarde - 13h 20m 14h 05m - 14h 05m 14h 50m - 15h 00m 15h 45m - 15h 45m 16h 30m - 16h 50m 17h 35m - 17h 35m 18h 20m

3 Horrio da Secretaria - 08h at 12h 15m - 13h at 17h 4 - Biblioteca- 09h at 12h - 14h at 17h

26

Concluso A Escola Catlica est consciente de estar comprometida na promoo do homem integral, porque em Cristo, o Homem perfeito; todos os valores humanos encontram a sua realizao plena e portanto a sua humanidade (21). O Regulamento do Colgio de Santa Teresinha para o 1, 2 e 3 ciclos, demonstra a orgnica deste sector educativo. Pretende ser ajuda prtica para quantos decidem formar os seus educandos nesta Escola Catlica. Todo ele est projectado para um bom funcionamento e relacionamento entre todos os elementos da Comunidade Educativa, tendo sempre o essencial a pessoa humana. um Regulamento aberto mudana que o tempo vai operando, para bem servir a sociedade.

-----------------------------------------21- Sagrada Congregao para a E. Crist IV, 1977

27

ndiceIntroduo--------------------------------------------------------------------3 Captulo I Disposies Gerais1- Identificao----------------------------------------------------------------------4 2- Princpios orientadores----------------------------------------------------------4 3- Condies de Admisso---------------------------------------------------------5

Captulo IIOrganigrama-------------------------------------------------------------------------------6

A rgos -------------------------------------------------------------------8 1-Directora-------------------------------------------------------------------------82- Conselho Executivo------------------------------------------------------------8 3- Conselho Administrativo------------------------------------------------------8 4- Conselho Escolar---------------------------------------------------------------9

B Competncias1- Directora------------------------------------------------------------------------9 2- Conselho Executivo------------------------------------------------------------10 2.1- Coordenadora Pedaggica-----------------------------------------------10 3- Conselho Administrativo------------------------------------------------------11 4- Conselho Escolar---------------------------------------------------------------11

Captulo III Direitos e Deveres da Comunidade Escolar1234Alunos---------------------------------------------------------------------------12 Pessoal Docente----------------------------------------------------------------14 Pessoal no Docente-----------------------------------------------------------16 Encarregados de Educao----------------------------------------------------17

Captulo IV Atendimento aos Encarregados de Educao------------------------------18

28

Captulo V Servios Scio Pedaggicos1234567Sala de Aula/Turma------------------------------------------------------------19 Biblioteca------------------------------------------------------------------------19 Cantina---------------------------------------------------------------------------19 Recinto Escolar-----------------------------------------------------------------20 Apoio na Sala de Aula---------------------------------------------------------20 Nos Recreios--------------------------------------------------------------------21 Mediaes da Escola-----------------------------------------------------------21

Captulo VI Medidas Educativas Disciplinares1- Noo---------------------------------------------------------------------------22 2- Tipificao---------------------------------------------------------------------22 3- Aplicao-----------------------------------------------------------------------22

Captulo VII Disposies Regulamentares1234De Caracter Geral-------------------------------------------------------------24 Relativas ao Aluno------------------------------------------------------------24 Relativas ao Corpo Docente--------------------------------------------------25 Relativas ao Corpo no Docente---------------------------------------------25

Captulo VIII Funcionamento1234Regime---------------------------------------------------------------------------26 Horrio Lectivo-----------------------------------------------------------------26 Horrio da Secretaria-----------------------------------------------------------26 Horrio da Biblioteca-----------------------------------------------------------26

Concluso-----------------------------------------------------------------------27

29