Resumo de Anatomia

  • Published on
    09-Dec-2015

  • View
    30

  • Download
    17

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Resumo de Anatomia

Transcript

<ul><li><p>RESUMO DE </p><p>ANATOMIA </p><p>INTRODUO ANATOMIA </p><p>Posio Anatmica </p><p>Descrio: cabea, olhar e dedos voltados anteriormente. Braos ao lado do corpo com as palmas voltadas </p><p>anteriormente. Os membros inferiores juntos, com os ps paralelos e os dedos voltados anteriormente </p></li><li><p> Importncia: adotada globalmente, dessa forma o uso dessa posio e da terminologia adequada capaz </p><p>de relacionar com preciso qualquer parte do corpo a qualquer outra parte. Ha ento uma uniformizao do </p><p>estudo da anatomia, evitando-se assim, erros na sua descrio. </p><p>Termos de relao e posio </p><p>Superficial: mais prximo da superfcie </p><p>Intermedirio: entre uma estrutura superficial e uma profunda </p><p>Profundo: mais distante da superfcie </p><p>Medial: mais prximo do plano mediano </p><p>Lateral: mais distante do plano mediano </p><p>Superior (cranial): mais prximo da cabea </p><p>Inferior (caudal): mais prximo dos ps </p><p>Anterior (ventral): mais prximo da frente </p><p>Posterior (dorsal): mais prximo do dorso </p><p>Proximal: mais prximo do tronco ou do ponto de origem </p><p>Distal: mais distante do tronco ou ponto de origem </p><p> Bilateral: estruturas pares </p><p>Unilateral: estruturas impares </p><p>Ipsilateral: algo situado do mesmo lado do corpo que a outra estrutura </p><p>Contralateral: situado no lado oposto do corpo em relao a outra estrutura </p><p>Everso: virar a planta do p lateralmente </p><p>Inverso: virar a planta do p medialmente </p><p>Flexo, extenso, aduo, abduo, circundaro, provao, superao, elevao e depresso. </p><p>Planos Imaginrios que dividem o corpo humano </p></li><li><p>Plano sagital: plano vertical que dividem em direita e esquerda </p><p>Plano mediano: igual ao sagital s que corta exatamente no meio </p><p>Plano frontal ou coronal: plano vertical que divide em parte da frente e parte de trs </p><p>Plano transverso ou axial: plano horizontal que divide em parte superior e parte inferior </p><p>INTRODUO OSTEOLOGIA </p><p>Classificao ssea, com exemplos </p><p>Ossos longos: tubulares (ex: mero) C &gt; L = E </p><p>Ossos curtos: cuboides (ex: ossos do tarso e do carpo) C = L = E </p><p>Ossos planos: geralmente tem funo protetora (ex: ossos do crnio) C = L &gt; E </p><p>Ossos irregulares: tem vrios formatos (ex: ossos da face, vrtebras) C L E </p><p>Ossos sesamides: se desenvolvem em alguns tendes e so encontrados nos lugares onde os tendes cruzam as </p><p>extremidades dos ossos longos nos membros (ex: patela) (osso existente em articulaes que aumentam a </p><p>amplificao de movimento das mesmas) </p><p>Obs: Ossos acessrios se desenvolvem quando surgem centros adicionais de ossificao e formam ossos adicionais </p><p>(comuns no p) </p><p>Ossos heterotpicos: ossos que se formam nos tecidos moles, onde no esto normalmente presentes (comum em </p><p>jogadores de jquei que desenvolvem os ossos heterotpicos nas coxas) </p><p>Ossos Longos, Osso Esponjoso e Osso Compacto </p><p>Os ossos longos apresentam caractersticas prprias. So essas as regies denominadas: </p><p> Epfises: extremidade do osso, que apresenta a funo de unir a um segundo osso por meio de uma </p><p>articulao. composta principalmente por osso esponjoso </p><p> Difise: haste longa do osso, constituda por osso compacto </p><p> Metfises: parte mais dilatada da difise; onde se encontram os discos de crescimento </p><p>Todos os ossos possuem uma camada fina superficial de osso compacto ao redor de uma massa central de osso </p><p>medular esponjoso, exceto onde este ultimo substitudo por uma cavidade medular. Nessa cavidade medular dos </p><p>ossos de adultos e entre as espculas (trabculas) do ossos esponjoso so formadas clulas sanguneas e as </p><p>plaquetas. Nos ossos longos, como o fmur, a difise consiste em osso compacto formando um cilindro oco com </p><p>espao medular central, chamado de cavidade medular. As extremidades dos ossos longos, chamadas de epfises, </p><p>consistem em osso esponjoso revestido por uma fina camada de osso compacto. Durante o crescimento do </p><p> indivduo, as epfises so separadas da difise por uma placa epifisria cartilaginosa, conectada difise por osso </p><p>esponjoso. Uma delgada regio de transio, chamada de metfise, conecta a epfise e a difise. A placa epifisria e </p><p>o osso esponjoso adjacente representam a zona de crescimento, responsvel pelo aumento do crescimento do </p><p>osso em comprimento. </p><p>As superfcies articulares, nas extremidades dos ossos longos, so revestidas por cartilagem hialina, a cartilagem </p><p>articular. Exceto nas superfcies articulares e nos locais de insero dos tendes e ligamentos, a maioria dos ossos </p><p>revestida pelo peristeo, uma camada de tecido conjuntivo especializado com potencial osteognico. A cavidade </p></li><li><p>medular da difise e os espaos no interior do osso esponjoso so revestidos pelo endsteo, tambm com potencial </p><p>osteognico. </p><p>Obs: Nos ossos esponjosos as traves sseas decompe a forca aplicada sobre esse osso, deixando muito mais </p><p>resistente e forte. Na osteoporose ocorre uma quebra dessas traves osseas, levando a uma fragilidade do osso. </p><p>Obs 2: o osso do peito, esterno, um local frequentemente usado para coleta de medula ssea. </p><p>Funes do Esqueleto </p><p>O esqueleto humano apresenta uma serie de funes dentre elas esto a </p><p> Locomoo </p><p> Proteo de rgos vitais tais como cerebro, pulmao e coracao </p><p> Metablica como reserva de calcio e potassio </p><p> Hematopoitica com a formao de clulas sanguneas </p><p> Sustentao servindo de apoio para o corpo </p><p>Divises do esqueleto </p><p> Axial: formado pelos ossos da cabea (crnio), pescoo (osso hioide e vrtebras cervicais) e tronco (costelas, </p><p>esterno, vrtebras e sacro) </p><p> Apendicular: formado pelos ossos dos membros superiores e inferiores </p><p> Cinturas: escapular (escapula e clavcula) e plvica (ossos do quadril) </p><p>* as cinturas fazem a unio dos esqueletos* </p><p>Peristeo </p><p>O peristeo consiste numa membrana de tecido conjuntivo denso no modelado que envolve o osso. no periosteo </p><p>que ficam os nervos de um osso. </p><p>A funo do peristeo a nutrio das faces externas do tecido esqueltico. So capazes de depositar mais osso e </p><p>proporcionam a interface para fixao de tendes e ligamentos. </p></li><li><p>Durante o crescimento embrionrio e ps-natal, o peristeo consiste em uma camada interna de clulas formadoras de osso (osteoblastos) em contato direto com o osso. A camada interna a camada osteognica. No adulto, o peristeo contm clulas inativas do tecido conjuntivo que retm o seu potencial osteognico no caso de leso ssea ou reparo sseo. </p><p>A camada externa rica em vasos sanguneos; alguns deles entram nos canais de Volkmann e em espessas fibras Colgenas de ancoragem, chamadas de fibras de Sharpey, que penetram profundamente nas lamelas circunferenciais externas do osso. </p><p>O endsteo consiste em clulas pavimentosas e em fibras do tecido conjuntivo que revestem as paredes esponjosas que abrigam a medula ssea e se estendem para todas as cavidades do osso, incluindo os canais haversianos. </p><p>Obs: a membrana que circunda a cartilagem o pericndrio. </p><p>INTRODUO ARTROLOGIA </p><p>Classificaes das articulaes, com exemplos. </p><p>Fibrosas: Os ossos so unidos por tecido fibroso. So articulaes imveis, e incluem todas as articulaes onde as superfcies dos ossos esto quase em contato direto, como nas articulaes entre os ossos do crnio (exceto a ATM). H trs tipos principais de articulaes fibrosas: </p><p> Suturas: Nas suturas as extremidades dos ossos tm interdigitaes ou sulcos, que os mantm ntima e firmemente unidos. Consequentemente, as fibras de conexo so muito curtas preenchendo uma pequena fenda entre os ossos. Este tipo de articulao encontrado somente entre os ossos planos do crnio. Na maturidade, as fibras da sutura comeam a ser substitudas completamente, os de ambos os lados da sutura tornam-se firmemente unidos/fundidos. Esta condio chamada de sinostose. </p><p> Sindesmoses: Nestas suturas o tecido interposto tambm o conjuntivo fibroso, mas no ocorre nos ossos do crnio. Na verdade, a Nomenclatura Anatmica s registra dois exemplos: sindesmose tbio-fibular e sindesmose radio-ulnar. </p></li><li><p> Gonfoses: Tambm chamada de articulao em cavilha, uma articulao fibrosa especializada fixao dos dentes nas cavidades alveolares na mandbula e maxilas. O colgeno do periodonto une o cemento dentrio com o osso alveolar. (essa no foi dada) </p><p>Cartilaginosas: Nas articulaes cartilaginosas, os ossos so unidos por cartilagem hialina ou fibrocartilagem pelo fato de pequenos movimentos serem possveis nestas articulaes, elas tambm so chamadas de anfiartroses. Existem dois tipos de articulaes cartilagneas: </p><p> Sincondroses ou primrias: Os ossos de uma articulao do tipo sincondrose esto unidos por uma cartilagem hialina. Muitas sincondroses so articulaes temporrias, com a cartilagem sendo substituda por osso com o passar do tempo (isso ocorre em ossos longos e entre alguns ossos do crnio). As articulaes entre as dez primeiras costelas e as cartilagens costais so sincondroses permanentes. </p><p> Snfises ou secundrias: As superfcies articulares dos ossos unidos por snfises esto cobertas por uma camada de cartilagem fibrosa. Entre os ossos da articulao, h um disco fibrocartilaginoso, sendo essa a caracterstica distintiva da snfise. Esses discos por serem compressveis permitem que a snfise absorva impactos. A articulao entre os ossos pbicos e a articulao entre os corpos vertebrais so exemplos de snfises. Durante o desenvolvimento as duas metades da mandbula esto unidas por uma snfise mediana, mas essa articulao torna-se completamente ossificada na idade adulta. </p><p>Sinoviais: As articulaes sinoviais incluem a maioria das articulaes do corpo. As superfcies sseas so recobertas </p><p>por cartilagem articular e unidas por ligamentos revestidos por membrana sinovial. A articulao pode ser dividida </p><p>completamente ou incompletamente por um disco ou menisco articular cuja periferia se continua com a cpsula </p><p>fibrosa, enquanto que suas faces livres so recobertas por membrana sinovial. </p><p> Planas: permitem movimentos de deslizamento no plano das superfcies articulares. As superfcies opostas </p><p>dos ossos so planas ou quase planas, com movimento limitado por suas capsulas articulares firmes. As </p><p>articulaes planas so numerosas e quase sempre pequenas. Ex: articulao acromioclavicular. </p><p>Membrana inter-ossea </p><p>Placa epifisria </p><p>Disco intervertenbral </p><p>Capsula articular </p></li><li><p> Ginglimos ou dobradia: permitem apenas flexo e extenso. So uniaxiais. A cpsula dessas articulaes </p><p>fina e frouxa anteriormente e posteriormente onde h movimento; entretanto, os ossos so unidos por </p><p>ligamentos colaterais fortes, posicionados lateralmente. Ex: articulao do cotovelo e a interfalangica. </p><p> Selares: permitem aduo, abduo, flexo, extenso e circunduo. So biaxiais. Ex: articulao do </p><p>carpometacarpal na base do polegar. </p><p> Elipsideas: permitem flexo, extenso, abduo, aduo e circunduo restrita. So biaxiais. Ex: articulao </p><p>metacarpofalangicas </p><p> Esferoideas: permitem flexo, extenso, abduo, aduo, rotao medial e lateral e circunduo. So </p><p>multiaxiais. Ex: articulao do quadril e do ombro. </p><p> Trocoideas: permitem rotao ao redor de um eixo central. So uniaxiais. Ex: articulao atlantoaxial </p><p>mediana. </p><p>Obs: os ossos da calvria (calota craniana) de um recem nascido no se tocam completamente. Nesses locais, as </p><p>suturas formam grandes reas de tecido fibroso denominadas fontculos (o fonticulo anterior conhecido como </p><p>moleira do bebe). A saliencia do fonticulo pode indicar aumento da presso intracraniana, entretando durante o </p><p>choro o fonticulo fica saliente. </p><p>Definio de artrite e artrose </p><p>Artrose o desgaste das articulaes, causada pela idade, pela histria de cada um de ns de agresses s articulaes, e por fatores genticos. Este um problema quase inexistente em jovens, salvo excees (p.e. alteraes da anatomia normal por traumas ou infeces, levando a um desgaste acelerado). </p><p>Artrite uma inflamao nas articulaes causada por infeces, pela presena de substncias irritantes (cristais, sangue), por trauma direto, ou pelo prprio sistema imune. Existem diversas condies que levam artrite. Muitas delas acontecem em jovem e crianas. </p><p>Membranas Intersseas </p><p>Tem a funo de unir os ossos, formada por tecido conjuntivo fibroso. Est localizada entre os ossos. </p><p>INTRODUO MIOLOGIA </p><p>Classificao muscular, com exemplos. </p><p>As clulas dos msculos so as fibras musculares, que so longas e estreitas quando relaxadas e so clulas contrateis especializadas. O tecido conjuntivo associado conduz fibras nervosas e capilares para as clulas musculares enquanto as une em fascculos. H trs tipos de msculos: </p><p> Estriado esqueltico: um msculo voluntario que compe o sistema muscular, movendo ou estabilizando os ossos e outras estruturas. Alguns deles so totalmente carnosos mas a maioria tem pores brancas no contrateis (tendes), que proporcionam um meio de insero. (ex: msculos da face, da perna, da coxa, do brao, do antebrao ...). Os msculos esquelticos so classificados de acordo com o seu formato em planos, peniformes, fusiformes, quadrados, circulares ou esfincterianos. </p><p>Obs: as fibras do estriado esqueltico no podem se dividir, mas podem ser substitudas por novas fibras musculares derivadas de clulas satlite de msculo esqueltico. Apresentando assim por meio dessas ultimas uma certa regenerao. </p><p> Estriado cardaco: um msculo involuntrio que forma a maior parte das paredes musculares do corao (miocrdio) e as partes adjacentes dos grandes vasos, como a aorta, veia cava e pulmonar, e bombeia o sangue. As fibras desse tipo muscular dividem-se ou ramificam-se, contraem-se espontaneamente e </p></li><li><p>ritmicamente. A frequncia cardaca controlada por um marca-passo, um sistema condutor de impulsos formado por fibras musculares cardacas especializadas. </p><p>Obs: na hipertrofia compensatria, o miocrdio responde ao aumento das demandas por meio de aumento do tamanho de suas fibras. Quando as fibras desse msculo so lesadas por perda de seu suprimento sanguneo durante um ataque cardaco, h morte do tecido e o tecido cicatricial fibroso que se regenerou no local da morte do tecido muscular forma uma rea de infarto do miocrdio (de necrose do miocrdio). as clulas musculares cardacas no se dividem nem apresentam as clulas satlite </p><p> Liso: um msculo involuntrio que forma parte das paredes da maioria dos vasos sanguneos e rgos ocos (vsceras), deslocando substancias atravs deles por contraes sequenciais coordenadas (pulsaes ou contraes peristlticas). Esse tipo muscular no apresenta estriaes das fibras musculares. </p><p>Obs: as fibras desse tecido sofrem tanto de hiperplasia (mitose) quanto de hipertrofia (aumento do volume celular), dessa forma apresenta alta capacidade de regenerao caso o tecido seja lesionado. Esses dois processos ocorrem no tero durante a gravidez. </p><p>Conceitos bsicos </p><p> Ventre: a parte carnosa, constituda por fibras musculares que se contraem. </p><p> Tendo: a parte no contrtil e est localizado nas extremidades dos msculos. composto de tecido conjuntivo resistente e esbranquiado. (denso modelado) </p><p> Bolsa sinovial: so fendas no tecido conjuntivo entre os msculos, tendes, ligamentos e ossos, constitudas por sacos fechados de revestimento sinovial. Facilitam o deslizamento de msculos ou de tendes sobre proeminncias sseas ou ligamentosas. </p><p> Origem e insero: bla bla bla </p><p> Agonismo: reagem em resposta a um estmulo voluntrio ou involuntrio, e criam o movimento necessrio para concluir a tarefa. </p><p> Antagonismo: agem contra a ao agonista e ajudam a mover a part...</p></li></ul>