SOCIOLOGIA MÍDIA E POLÍTICA. O LUGAR DA: SOCIOLOGIA, POLÍTICA, MÍDIA E EDUCAÇÃO NA MODERNIDADE

  • View
    220

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of SOCIOLOGIA MÍDIA E POLÍTICA. O LUGAR DA: SOCIOLOGIA, POLÍTICA, MÍDIA E EDUCAÇÃO NA MODERNIDADE

  • SOCIOLOGIAMDIA E POLTICA

  • O LUGAR DA: SOCIOLOGIA, POLTICA, MDIA E EDUCAO NA MODERNIDADE

  • A SOCIEDADE MODERNAILUMINISMOHUMANIZAOMODERNIZAO

  • MODERNIDADELIBERDADEIGUALDADERAZO

  • RAZO COMO ESSNCIA DO HOMEMRAZO COMO CHAVE EXPLICATIVA SOBRE QUEM SOMOS DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS

  • FUNDAMENTO MODERNO DO PODERCONSENTIMENTO.

  • PODER POLTICO UM CONCEITO AMBGUO:SOCIEDADE SE QUER AMBIENTE DE NO PODER DE NO VIOLCIA. NESTE CASO PODER SERIA EXERCCIO DA SOBERANIA CONSENTIDA POR TODOS, MERO EXERCCIO DA AUTORIDADE QUE FAZ CUMPRIR AS REGRAS ELABORADAS POR TODOS.

  • O QUE LIBERDADE?Fazer o que quiser? NO = BARBRIE

    Obedecer s regras dadas? NO = AUTORITARISMO

    Participar da construo das regras de convivncia coletiva? SIM.

  • TENSES DA MODERNIDADEXLIBERDADEINDIVDUOMERCADOPRIVADOIGUALDADESOCIALESTADOPBLICO

  • LIBERALISMONFASE NO INDIVDUOEQUILBRIO E DESENVOLVIMENTO =INDIVDUOS ESTABELECENDO CONTRATOS NO MERCADO EM BUSCA DE SUAS NECESSIDADES. ESTADO DEVE PROTEGER ESTA RELAO. (LIDERDADE INDIVIDUAL) DIREITOS INDIVIDUAIS COMO PROTEO CONTRA O ESTADO

  • SOCIALISMO ...NFASE NO SOCIAL.ESTADO DEVE PROTEGER O SOCIAL CONTRA O INDIVDUO E O MERCADO.SOCIAL DEVE ESTAR ORGANIZADO E ANIMADO POR INDIVDUOS INTEGRADOS (ALTRUSTAS)MAIORIA NO NECESSARIAMENTE FORMA VONTADE COLETIVA PBLICO.ESTADO DEVE REFLETIR INTERESSES DO PBLICO.

  • OS MODERNOS ABREM MO DE FUNDAR O PODER NUMA CONCEPO DE BEM [MORAL GERAL / ESSNCIA].SEPARAM O PBLICO DO PRIVADO CONCEPO DE BEM E MAL PASSA A SER DA ESFERA PRIVADAVALORIZAM OS MEIOS, OS PROCEDIMENTOS DEMOCRTICOS. PREOCUPAO COM A ESTABILIDADE POLTICA/SOCIAL.

  • PBLICO DIFERENTE DE ESTATAL E DE PRIVADOPBLICO SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA LUGAR DA OPINIO PBLICA

  • Esfera Pblica a dimenso de organizao e manifestao de um pblico (informado, interessado, voltado para o coletivo) que se faz construtor/enunciador de uma Opinio Pblica

  • SETOR PRIVADOESFERA DO PODER PBLICO

    Mercado(setor da troca de mercadorias e de trabalho social)esfera pblica polticaEstado(setor da poltica pblica)esfera pblica literria clubes mdia partidosPartidosespao ntimo da pequena famlia (intelectualidade burguesa)(mercado de bens e disputas culturais)

  • PROJETO MODERNOPROPORCIONAR O ENCONTRO DECIDADOS LIVRES NO ESPAOPBLICO (TRANSPARENTE) EMIGUALDADE DE CONDIES PARACONSTRUO DOS INTERESSESCOLETIVOS A PARTIR DO CONFLITOARGUMENTATIVO (RACIONAL).

  • PROJETO MODERNOTENSESIGUALDADE X DIFERENAIDENTIDADE UNIVERSAL X IDENTIDADE DE GRUPOAUTONOMIA (LIBERDADE) X NORMALIZAO.[OU] AUTONOMIA X INTEGRAO.

  • MODERNIDADE PROJETOSIGNIFICA QUE: HOMEM RACIONAL, LIVRE E IGUALHOMEM NO RACIONAL, LIVRE E IGUAL EM ESSNCIA, MAS NO NA REALIDADEDESAFIO FAZER A REALIDADE ENCONTRAR A ESSNCIA

  • DESAFIO QUE REQUER EDUCAO POLITIZADORAPAPEL FUNDAMENTAL DA EDUCAO, SEGUNDO O PROJETO MODERNO, SERIA CONTRIBUIR PARA FORMAO DO SUJEITO AUTNOMO, CAPAZ DE PARTICIPAR DA CONSTRUO DOS INTERESSES COLETIVOS NO ESPAO PBLICO.

  • EDUCAO uma atividade intersubjetiva que deve contribuir para a construo de um sujeito autnomo que, a partir de uma identidade (individual/coletiva), seja capaz de participar no espao pblico (mltiplo e comum) verbalizando seus interesses. O efeito da educao (deve ser), no a mera reproduo da vida, mas, sua reinveno a partir da experincia da prpria vida.

  • SOCIOLOGIA:Papel fundamental atravs do que Mills nomeou de imaginao sociolgica vincular as biografias (trajetrias pessoais) aos movimentos e foras estruturais da sociedade.Desnaturalizar = Historicizar.Enfatizar conflitos, identidades, estratgias pessoais e coletivas diante dos jogos de poder.

  • POR QU MODERNIDADE NO VINGOU?A RAZO CONTRADITRIA. A RAZO INSTRUMENTAL (TCNO-CIENTFICA), AO CONTRRIO DE PRODUZIR AS CONDIES DE IGUALDADE, REFORA AS DIFERENAS E HIERARQUIAS.

  • COMO?A RAZO INSTRUMENTAL CRIA MODELOS UNIVERSAIS DO QUE SER IGUAL (MODELO DE CIDADO, MULHER, ALUNO, TRALHADOR ETC). O MODELO SERVE, NO PARA BUSCA DA IGUALDADE, MAS, PARA DEMARCAR AS DIFERENAS [A DISTNCIA DE CADA UM EM RELAO A ELE] E TOM-LAS COMO INFERIORIDADES.

  • SUBALTERNIZAO DO OUTROATRAVS DO MODELO O OUTRO DEFINIDO PELAS SUAS SUPOSTAS CARNCIAS , LIMITAES E DEFICINCIAS [CONFORME OS VALORES DOMINANTES]. OU SEJA, DEFINIDO COMO AQUELE QUE NO EST EM CONDIES DE SER SUJEITO.

  • PRTICAS DE PODERA ELE SER RESERVADO UM PAPEL SOCIAL SUBALTERNO (BOM ALUNO, BOM CIDADO, BOA MULHER, BOM NEGRO ETC). O MODELO VIABILIZA AINDA O FUNCIONAMENTO DE UM CONJUNTO DE PRTICAS INSTITUICIONAIS: TUTELA, CUIDADO, FORMAO ... (PRTICAS DE PODER,DISCIPLINA, NORMA)

  • OUTRO COMO CULPADOEM NOME DA CONSTRUO DA IGUALDADE AS PRTICAS DE TUTELA SERVEM PARA SUJEITAR O OUTRO (REPONSABILIZ-LO INDIVIDUALMENTE PELA SUA CONDIO E POSIO SOCIAL).

  • SADA DESTA ENGRENAGEM INSTITUCIONAL? SUBSTITUIR PAPIS POR IDENTIDADES AUTNOMAS.

  • IDENTIDADE (S) - SUBJETIVIDADESINDIVIDUALCOLETIVAPARCIALUNIVERSAL

  • DESAFIO COMBINAR IDENTIDADES PARCIAIS E IDENTIDADE UNIVERSAL

  • CULTURA POLTICA BRASILEIRAFUNDADA NA DDIVA = AVESSO DA CIDADANIA.SOLIDARIEDADE TRADICIONAL: PRIVADA, AFETIVA, ENTRE DIFERENTES, MANTM HIERARQUIA.SOLIDARIEDADE POLTICA: PBLICA, RACIONAL ESTRATGICA, DIREITO, ENTRE IGUAIS, CONTRA HIERARQUIA.