Trabalho de Ciencias Eletricidade

  • View
    448

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Trabalho de Ciencias Eletricidade

Clique para editar o estilo do subttulo mestre

Trabalho de

(eletrecidade)

Cincias

A eletricidade

RISCOS DA

ELETRICIDADE

vital na vida moderna desnecessrio ressaltar sua importncia, quer propiciando conforto aos nossos lares, que atua como insumo nos diversos segmentos da economia. Por outro lado o uso da eletricidade exige do consumidor a aplicao de algumas precaues em virtude do risco que a eletricidade representa, muitos no sabem, desconhecem ou desconsideram este risco. Os acidentes ocorridos com

Riscos da eletricidade Parte II

No

dia a dia, seja no lar ou na indstria a maior preocupao sem dvida com o choque eltrico,

Eltrostatica

estudo cientfico da eletrosttica dividido em trs partes: atrito, contato e induo. O fenmeno eletrosttico mais antigo conhecido o que ocorre com o mbar amarelo no momento em que recebe o

Eltrostatica Parte II Otto von Guericke inventou o primeiro dispositivo gerador de eletricidade esttica, este era constitudo de uma esfera giratria composta de enxofre com o qual foi conseguida a primeira centelha eltrica atravs de mquinas. Gray, em 1727, notou que os condutores eltricos poderiam ser eletrizados desde que estivessem isolados. Du Fay descobriu que existiam dois tipos de eletricidade, a vtrea, e a resinosa, a primeira positiva e a segunda negativa. Petrus Van Musschenbroek em 1745

Usa-se nas formulas Q:

quantidade de cargas (C) n: prtons em excesso n: eltrons em excesso e: carga elementar t: tempo (s) I: intensidade da corrente eltrica (A) Carga eltrica elementar (e): Proton: + e Eltron: e

Eltrons

O eltron ou electro (do grego , lektron, "mbar"), geralmente representado como e-, uma partcula subatmica que circunda o ncleo atmico, identificada em 1897 pelo ingls John Joseph Thomson. Subatmica e de carga negativa, o responsvel pela criao de campos magnticos e eltricos.

Eltrons parte II

Estimativas tericas da densidade do eltron para orbitais do tomo do hidrognio

Eltrodinmica

A eletrodinmica a parte da eletricidade que estuda, analisa e observa o comportamento das cargas eltricas em movimento. movimentao das cargas eltricas d-se o nome de corrente eltrica, cujos exemplos existem em grande nmero, inclusive em nosso organismo, como as minsculas correntes eltricas nervosas que propiciam a nossa atividade muscular. Corrente eltrica Consideremos o fio metlico da figura. Sendo um elemento condutor, esse fio apresenta uma grande quantidade de eltrons livres, que se

Prtons Em

1886, o fsico alemo Eugen Goldstein criou um tubo e observou que, quando ocorriam descargas eltricas atravs do tubo contendo um gs rarefeito, surgiam raios que apresentavam massa e cargas eltricas positivas. Esses raios foram denominados de raios canais. Posteriormente, o ingls Ernest Rutherford verificou que os raios

Charles Augustin de Coulomb (Angoulme,

14 de junho de 1736 Paris, 23 de agosto de 1806) foi um fsico francs. Em sua homenagem, deu-se seu nome unidade de carga eltrica, o coulomb. Engenheiro de formao, ele foi principalmente fsico. Publicou 7 tratados sobre a Eletricidade e o Magnetismo, e outros sobre os fenmenos de toro, o atrito entre slidos, etc. Experimentador genial e rigoroso, realizou uma experincia

Para-raio

Um Para-raio (AO 1990: Para-raio) uma haste de metal, comumente de cobre ou alumnio, destinado a dar proteo as edificaes atraindo as descargas eltricas atmosfricas, raios , para as suas pontas e

Condutores de energia Osborne

Reynolds (1842 - 1912) Em alguns tipos de tomos, especialmente os que compem os metais - ferro, ouro, platina, cobre, prata e outros -, a ltima rbita eletrnica perde um eltron com grande facilidade. Por isso seus eltrons recebem o nome de eltrons livres. Estes eltrons livres se desgarram das ltimas rbitas eletrnicas e ficam vagando de tomo para tomo, sem direo definida. Mas os tomos que

Condutores de energia II Devido

facilidade de fornecer eltrons livres, os metais so usados para fabricar os fios de cabos e aparelhos eltricos: eles so bons condutores do fluxo de eltrons livres. J outras substncias - como o vidro, a cermica, o plstico ou a borracha - no permitem a passagem do fluxo de eltrons ou deixam passar apenas um pequeno nmero deles. Seus tomos tm grande dificuldade em ceder ou receber os eltrons livres das ltimas

CONDUTORES E ISOLANTES

O que determina se um material ser bom ou mau condutor trmico so as ligaes em sua estrutura atmica ou molecular. Assim, os metais so excelentes condutores de calor devido ao fato de possurem os eltrons mais externos "fracamente" ligados, tornando-se livres para transportar energia por meio de colises atravs do metal. Por outro lado temos que materiais

Abaixo apresentamos alguns valores de condutibilidade trmica de alguns materiais:

Material

Cobre

Alumnio

gua

gelo

ar(seco)

Condutibilidad e (J/s.m.K)

428

235

6,3

2,3

0,026

AlunosAnderson Iago Beatriz