of 48/48
1 TUTORIAL BÁSICO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE ENGEMAN 1 BARRAS DE FERRAMENTAS E MENUS DE ACESSO A Tela principal do Engeman traz três barras onde são disponibilizadas ferramentas que facilitam as operações mais utilizadas no Engeman. A tela principal é ilustrada na Figura 1. Figura 1: Tela principal do Software Engeman. A barra de menus (Superior) é a barra de acesso a todas as telas do sistema divididas em menus: Com a barra de ferramentas localizada na parte esquerda da tela, o usuário tem a possibilidade de incluir ícones de atalho para as telas encontradas na barra de menu: Para configurar esta barra, basta o usuário clicar com o botão direito na mesma e acessar a opção ‘Configurar barra de ferramentas’. Após isto escolher o ícone desejado e arrastá-lo para a barra.

TUTORIAL BÁSICO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE ENGEMAN

  • View
    2.043

  • Download
    45

Embed Size (px)

Text of TUTORIAL BÁSICO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE ENGEMAN

1

TUTORIAL BSICO PARA OPERAO DO SOFTWARE ENGEMAN1 BARRAS DE FERRAMENTAS E MENUS DE ACESSO A Tela principal do Engeman traz trs barras onde so disponibilizadas ferramentas que facilitam as operaes mais utilizadas no Engeman. A tela principal ilustrada na Figura 1.

Figura 1: Tela principal do Software Engeman. A barra de menus (Superior) a barra de acesso a todas as telas do sistema divididas em menus:

Com a barra de ferramentas localizada na parte esquerda da tela, o usurio tem a possibilidade de incluir cones de atalho para as telas encontradas na barra de menu:

Para configurar esta barra, basta o usurio clicar com o boto direito na mesma e acessar a opo Configurar barra de ferramentas. Aps isto escolher o cone desejado e arrast-lo para a barra.

2

Por ltimo, o Engeman demonstra ao usurio atravs da barra de Status (Inferior), o nome do usurio logado e a empresa acessada:

2

CONES PADRES E TECLAS DE ATALHO

Em cada tela do Engeman se encontra cones de auxlio s operaes mais utilizadas. Para facilitar o uso das telas, os cones padres so idnticos encontrados no Office do Windows. Vejam abaixo alguns destes cones: Refresh = Atualiza a visualizao da tela, aps alteraes realizadas na mesma. Editar = Permiti editar qualquer registro j cadastrado na tela ativa. Novo = Insere um novo registro na tela ativa. Salvar = Salva alteraes realizada na tela ativa. Excluir = Exclui o registro selecionado na tela ativa. Filtrar Campos = Faz pesquisa no sistema por campos de tela. Localizar = Localizao rpida do componente. Configurar Campos = Ferramenta de configurao de campos de consulta Relatrio Rpido = Exibe dados cadastrados referente tela ativa. Outros cones foram criados para atender a necessidade da tela conforme a utilizao da mesma. O Engeman tambm oferece aos usurios teclas que possibilitam pesquisar, cadastrar, executar um comando e personalizar as telas do sistema. So elas: F1 Exibe ajuda sensvel ao contexto CTRL+F1 Exibe ajuda configurada do usurio CTRL+F2 (configurar pesquisa) Permite configurar as colunas que sero exibidas em uma pesquisa de campos relacionados. CTRL+SHIFT+F1 Edita a ajuda configurada do usurio CTRL+I (Texto em Itlico) Adiciona propriedade Itlica ao texto selecionado, em campos de Observaes (Memo.). CTRL+N (Texto em Negrito) Adiciona propriedade Negrita ao texto selecionado, em campos de Observaes (Memo.). CTRL+S (Texto Sublinhado) Adiciona propriedade Sublinhada ao texto selecionado, em campos de Observaes (Memo.).

3 F2 (campos de referncia) F2 (tela de pesquisa) Exibe tela de pesquisa Pesquisa chave digitada, se a busca no for automtica SHIFT + F2 (tela de pesquisa por Pesquisa chave digitada, mostrando uma rvore grupos) de agrupamentos F3 Filtra ou remove filtro da tela de pesquisa F4 (tela de pesquisa) Reordena ou no a tabela pela chave de pesquisa F5 (tela de O.S.) Sugere um novo nmero para a O.S. no intervalo de numerao automtica ALT+F5 (tela de O.S.) Sugere um novo nmero para a O.S. no intervalo de corretivas F11 Avana para prxima janela aberta F12 Volta para janela aberta anterior.

3

PREFERNCIAS DO USURIO

Acesse a tela Preferncias do Usurio atravs do menu arquivo. Nesta tela o administrador do sistema ter a possibilidade de definir para cada usurio alguns critrios especficos. Pesquise qual usurio voc ir definir cada preferncia Nesta rea sero definidos as configuraes dos cones de ajuda rpida ou acesso rpido as telas encontradas na barra de ferramentas. Definio de visualizao das guias Servios e Funcionrios no encerramento da OS. Configurao do aviso de alarme ao fechar uma OS com pendncias de funcionrios ou servios Configurao das telas de pesquisa, visualizao de agrupamentos ao abrir as telas de pesquisa, exibio dos itens da filial corrente e filtragem somente de registros ativos.

Opes de configurao a serem feitas pelo administrador

Opes de exibio de tela

Configuraes a serem definidas para quando o usurio receber solicitaes de servio.

Configuraes a serem definidas para quando o usurio receber novas mensagens de e-mail.

4

4

MATERIAIS ALMOXARIFADO

Antes de definirmos os materiais teremos primeiramente que cadastrar alguns sub-itens. Um destes sub-itens ser o almoxarifado ou almoxarifados que a empresa possui. Este cadastro simples, exigindo apenas o cdigo e a descrio dos almoxarifados. Nesta tela tambm se encontram alguns cones que posteriormente sero utilizados pelo administrador para controle do estoque. Veja abaixo os exemplos de alguns almoxarifados cadastrados e a definio dos cones mencionados:

(Estoque) Ser possvel visualizar todos os materiais que esto alocados dentro do almoxarifado destacado atravs deste cone. (Requisio/ Devoluo) cone que possibilita ao usurio fazer a requisio e a devoluo de materiais dentro do almoxarifado. (Lanamento de entrada) cone que permite lanar a entrada de materiais novos no almoxarifado. (Consumo direto de Materiais) Este cone refere-se aos materiais que nem chegam a passar pelo estoque. Ao abrir esta tela, todos os itens lanados

5 na tela de Lanamento de Entrada sero mostrados, sendo necessrio informar apenas o nmero das respectivas OSs, Centro de Custo e Conta Contbil. O preenchimento destes dois ltimos ser automtico se estiverem relacionados na OS informada. Ao informar o nmero da OS, cada lanamento de material ser constado no registro de servios da respectiva OS ao confirmar a operao. (Inventrio de materiais) Neste cone o administrador ter a possibilidade de realizar um inventrio completo de todos os materiais inseridos no almoxarifado.

5

GRUPO DE MATERIAIS

O grupo de materiais trabalhado no Engeman como se fosse uma famlia, possibilitando ao usurio distinguir a qual grupo um determinado material pertence. Estes grupos devero ser definidos nesta tela auxiliar para serem relacionados no cadastro dos materiais. Abaixo segue alguns exemplos sobre os grupos de materiais:

6 6 CLASSE DE MATERIAIS

Estas classes seriam como os membros das famlias. Por exemplo, a classe rolamentos do grupo mecnicos e cada um tem sua descrio. Esta descrio ser definida ao ser cadastrado o material. Veremos abaixo algumas classes de materiais e a definio de alguns campos inclusos nesta tela.

Tipo de Atualizao: Automtica (default) ou Manual. Se o tipo de atualizao for "Automtica", o sistema far a atualizao automtica do custo dos materiais desta classe. Se a opo for "Manual", o sistema no atualizar o custo ao ser registrado uma entrada de material no estoque. Tipo de Clculo: ltimo Lanamento (default) ou Mdia Ponderada. Define o clculo que o sistema utilizar para a atualizao dos valores dos materiais. Se a opo for "ltimo Lanamento", o custo do material ser atualizado com o valor que est sendo registrado no lanamento de entrada. Se a opo for "Mdia Ponderada", ser realizado o clculo de valor mdio do custo do material, considerando a quantidade j existente no estoque.

7 Atualizar Estoque: Marque a opo "Atualizar Estoque" caso seja necessrio que qualquer material desta classe altere seu saldo no estoque no caso de requisio/devoluo ou lanamento de entrada de materiais. Se esta opo no estiver marcada, o saldo dos materiais desta classe no ser atualizado. Atualizar: Selecione no campo "Atualizar" uma das seguintes opes: "Custo e Valor de Material (Padro)" ou "Somente Custo de Material". Para a primeira opo, materiais que pertencerem esta classe tero os campos custo e valor atualizados no cadastro e no estoque. Para a segunda opo, somente o campo custo ser atualizado. Esta opo se torna importante para materiais que tm o campo valor atualizado manualmente, em casos em que o material possua um valor de venda, por exemplo.

7

LOCALIZAO DE MATERIAIS

Nesta tela, para que se tenha um melhor controle do estoque, devero ser cadastradas todas as localizaes dos materiais dentro de cada almoxarifado. O Administrador dever cadastrar corredores, prateleiras, armrios, gavetas, etc. Veja alguns exemplos:

8 8 CADASTRO DE MATERIAIS

Para se realizar uma solicitao de material ou a montagem de um kit de materiais, primeiramente deveremos cadastrar os materiais no sistema. Para isso insira um novo registro e descreva qual material a ser cadastrado.

Os campos Data de ltima compra, Valor de ltima compra, Qtde de ltima compra, ndice financeiro e Unidade encontrados no cabealho, sero visualizados ao ser lanado uma entrada deste material no estoque. O administrador dever apenas informar o grupo e a classe a qual este material pertence. Ele dever informar tambm qual a unidade deste material e definir quantas casas decimais estaro aps a vrgula (por exemplo, o metro: 1 metro igual a 1,00 M, ento o nmero de casas decimais igual a 2). importante o administrador definir tambm o custo e valor deste material. Lembrando que o custo dever ser sempre o valor de compra real do material e o valor poder ser um valor de venda deste material, caso a empresa tenha conseguido um desconto na compra. A Data da ltima atualizao tambm ser informada posteriormente pelo prprio sistema. Aps cadastrarmos o material poderemos inserir alguma informao adicional sobre o mesmo atravs da guia Observaes. Alm de j podermos dar entrada no almoxarifado atravs da guia Estoque. Nesta guia o administrador poder estipular o saldo mximo e o saldo mnimo que material poder ter no estoque alm de outras informaes.

9

Este processo dever ser realizado com todos os materiais que sero utilizados nas manutenes. Caso sua empresa j possua este cadastro em outro sistema, poder ser estudada uma forma de migrao de dados para facilitar o cadastro. 9 KIT DE MATERIAIS

O Engeman oferece aos usurios a montagem de kits de materiais para serem utilizados em manutenes freqentes. Nestes kits podero ser inclusos quantos materiais forem necessrios e sua montagem extremamente simples. Veja os exemplos:

Primeiramente insira um novo registro e o denomine. Aps isto, salve e clique na guia Materiais. Nesta guia, insira os materiais que faro parte do kit.

10

Ao inserir os materiais automaticamente ser demonstrada a unidade relacionada, basta apenas inserir ento a quantidade deste material que o sistema calcular o valor total de cada material e ao final da montagem do kit o valor total do mesmo. Estes kits sero lanados nas OSs.

10

SOLICITAO DE MATERIAIS

Ao abrir uma solicitao de materiais, o sistema criar um documento que poder ser encaminhado ao almoxarifado para que seja providenciada a aquisio dos mesmos. Este documento poder ser impresso atravs da tela de edio de relatrios. Ao abrir uma solicitao, automaticamente ser demonstrado o status e a data de abertura. Basta ao usurio informar o material a ser adquirido, prever um fornecedor, data de chegada, data de consumo, se necessrio, e acrescentar a quantidade a ressuprir.

11

Este processo realizado somente quando necessrio comprar um determinado material que ocasionalmente tenha se esgotado no momento da realizao de uma OS.

11

APLICAES

O termo Aplicao, conforme a Abraman (Associao Brasileira de Manuteno), tudo o que se recebe manuteno.

12

TIPOS DE PONTO DE CONTROLE

Os equipamentos que registram algum valor so considerados no Engeman como Tipos de ponto de controle. Estes tipos variam de empresa, desta maneira ser necessrio cadastrar somente os utilizados em sua empresa. Abaixo segue alguns tipos de ponto de controle mais utilizados:

12 ORDEM DE SERVIO A Ordem de servio o documento onde so cadastradas as solicitaes de manuteno com seus parmetros de execuo previstos, parmetros de execuo reais, registro de servio dos funcionrios e registro dos servios realizados. O Engeman oferece aos usurios quatro maneiras diferentes de gerao de Ordens de Servios. So elas: Atravs de coletas de valores Atravs da tela de Gerao de OS Atravs de uma Solicitao de Servios Manualmente atravs da prpria tela de OS O Engeman trabalha tambm com seis modelos padres de impresso de OS que atendem perfeitamente qualquer rea de atuao. Estes modelos devero ser previamente definidos no cadastro de empresas (Ver pg.34) para que sejam visualizados posteriormente na tela da OS. Demonstraremos abaixo como so realizadas todas as maneiras de gerao de Ordem de Servios: GERAO POR COLETAS: O Engeman oferece trs maneiras de se coletar valores. Sendo eles acumulativos, por tendncia de variveis ou por eventos. Para se coletar qualquer valor o usurio primeiramente dever cadastrar um equipamento e vincul-lo a um plano de manuteno. Aps este processo ser necessrio acessar a tela do equipamento em questo e clicar na opo (Coleta). Neste cone sero demonstrados todos os pontos de controle que cada equipamento segue. No exemplo abaixo vincularemos um ponto de controle acumulativo a um nibus:

Ao acessar a tela de coleta o usurio dever inserir pelo menos os campos obrigatrios na guia Lista e realizar uma primeira coleta na guia Coleta.

13

Ser exibido tambm nesta tela um grfico que gerar um histrico das coletas realizadas. Para se visualizar este grfico clique na opo (Exibir Grfico). A partir do momento que as coletas atingirem o limite estipulado no plano relacionado ao equipamento o sistema automaticamente gerar um aviso informando que o limite do plano foi extrapolado e dever ser aberta uma OS para ser realizada a manuteno:

Marque esta opo e confirme a operao

14 Ser gerada uma OS automaticamente que poder ou no ser visualizada pelo usurio bastando apenas solicitar ao sistema para visualiz-la e escolher o modelo a ser impresso:

Da mesma forma que foi realizada a gerao da OS acumulativa representada no exemplo acima, dever ser realizada a coleta de tendncia de variveis. Porm ao se vincular o equipamento ao ponto de controle, dever ser algumas informaes a mais. Veja um exemplo:

O campo Set Point obrigatrio porque define qual o ponto ideal para a variao da tendncia.

15

A maneira de se coletar idntica coleta acumulativa, tendo como diferena a quantidade a maior e a menor que foram especificados na vinculao do plano ao equipamento. Caso se exceda algum limite estipulado ser gerado tambm um aviso de gerao de OS.

Os eventos so coletados atravs das OSs que so geradas. Se o usurio definir ao sistema que foram coletados dois eventos de presso elevada e tiver algum plano que extrapole estes dois eventos ser gerado um aviso informando a gerao de OS:

16

TELA DE GERAO DE OS: Os exemplos acima atendem apenas programaes acumulativas. Para se gerar as OSs peridicas o usurio dever acessar a tela Gerao de OS atravs do menu Processos:

O usurio ter a possibilidade de gerar as OSs em modo simulado para que sejam verificados alguns detalhes. Para isto basta clicar no boto Simulado e se desejar o usurio poder tambm gerar estas mesmas OSs em um arquivo auxiliar, no incluindo as mesmas no banco de dados do sistema. Para isto clique na opo Usar Arquivo Auxiliar. Veja um exemplo de como ficar a tela de gerao de OS:

17

Botes Simular e Usar Arquivo Auxiliar

O usurio ainda ter a opo de informar ao sistema para Priorizar as manutenes de maior perodo, especificar quais as Horas preferenciais definidas nos planos e Cancelar ou No Gerar as OSs com planos de menor perodo. Aps realizado o processo nos botes acima, o usurio dever incluir uma data de gerao e poder ainda filtrar qualquer informao que desejar. Depois de todo o processo definido basta clicar no cone (Gerar OS) que sero geradas simuladamente todas as OSs que esto dentro do perodo informado. Para serem geradas novamente em modo real, o usurio dever desmarcar as opes de Simular e Usar Arquivo Auxiliar e clicar no cone Gerar OS novamente.

18 Para se visualizar a OS gerada basta dar um clique duplo em cima do cdigo que automaticamente ser aberta a tela de cadastro da mesma. SOLICITAO DE SERVIO: As solicitaes de servios so realizadas quando se h a necessidade de um funcionrio que tenha acesso ao sistema solicite alguma manuteno ao responsvel pelo sistema, para que o mesmo possa abrir uma OS para o setor responsvel. Para acessar a tela de solicitao, primeiramente o usurio dever associar um funcionrio para que o sistema entenda sempre que realizar a solicitao. Para isto acesse a tela de Cadastro de Usurios e clique no sinal de + da opo Empresas no controle de acesso:

Depois clique com o boto direito em cima da filial apresentada e acesse a opo Associar um funcionrio

Insira o funcionrio desejado e clique em OK. Aps isto acesse a tela de Solicitao de Servio atravs do menu Cadastro. Nesta tela sero inclusas todas as informaes referente a manuteno a ser realizada, incluindo a aplicao que receber a mesma.

19

Aps ser gravada a solicitao ser demonstrada a opo (Aprovar e gerar OS para esta solicitao). Clique nesta opo que automaticamente ser aberta a tela de cadastro de OS. O usurio dever ento apenas preencher as demais opes que a OS oferece para que seja impressa e repassada ao setor responsvel pela manuteno.

GERAO DE OS MANUAL:

20 Para se gerar a OS manualmente o usurio dever acessar a tela de Ordem de Servio atravs do menu Cadastro. Ser aberta uma tela nova, em branco, para que sejam inseridos os dados. Para insero de dados, primeiramente deve-se clicar no cone (Novo Registro) e sempre Teclar F5. Pois desta maneira ser sempre seguida a numerao seqencial das numeraes j existentes no sistema. Caso o usurio digite um nmero bem superior a numerao atual e gravar o registro o sistema continuar a partir do nmero inserido, deixando assim a numerao falha. Este meio de gerao de OS manual, como o prprio nome diz, deve ser cadastrada manualmente inserindo todos os dados necessrios para impresso:

IMPRESSO DE ORDEM DE SERVIO: A impresso das OSs ser realizada pelo cone (Imprimir OS) acessado no menu da tela de OS. Nele devero estar previamente cadastrados os modelos padres que o Engeman oferece. Usualmente utilizamos o modelo 0501 Modelo de Ordem de Servio nica para impresso de OSs corretivas e o modelo 0506 Modelo de Ordem de Servio nica (com procedimentos) para impresso de OSs preventivas. Veremos primeiramente um modelo de OS corretiva:

21

Este modelo foi criado para atender diretamente os funcionrios que trabalham diretamente com as manutenes; mecnicos, eletricistas, etc. Para que os mesmo possam inserir todos os procedimentos realizados, materiais utilizados e funcionrios que executaram o servio. Aps realizado o servio o funcionrio devolver este documento ao responsvel pelo sistema que alimentar o sistema com os dados informados. Veremos agora como o modelo de OS preventiva:

22

Este modelo demonstra os procedimentos que foram elaborados nos planos de manuteno juntamente com a informaes que foram inclusas no mesmo. ENCERRAMENTO DA ORDEM DE SERVIO: Aps ser realizado o processo de abertura e devoluo da OS pelo setor de manuteno, o responsvel pelo sistema dever acessar a tela de OS novamente, teclar F2 e pesquisar pelas OSs abertas a numerao da mesma que se deseja realizar o encerramento. Pesquise o nmero e d um clique duplo no cdigo da OS para que seja aberta a tela de cadastro da mesma.

23

Aberta a tela de cadastro, acesse a guia Encerramento. Esta guia oferece ao usurio incluir dados de parada de mquina, definir interferncias, destacar os funcionrios que trabalharam na OS e os servios que foram realizados:

Guia de Encerramento

Guia funcionrios

Guia Servios

24 Aps ter inserido todos os dados nas guias de encerramento, o usurio dever fechar a OS clicando no cone (Fechar OS). Desta maneira ser gerado automaticamente da manuteno realizada no equipamento. Histrico este que poder ser visualizado no prximo tpico a ser passado; Editor de Relatrios. EDITOR DE RELATRIOS O software Engeman apresenta a seus usurios a ferramenta Editor de Relatrios destacando mais de 160 relatrios padres e possibilitando treinamentos especializados para confeco de novos relatrios caso seja de interesse do cliente. Para se visualizar os relatrios que o Engeman oferece deve-se acessar a ferramenta Editor de Relatrios atravs do menu Processos.

Para se buscar informaes em algum relatrio clique na opo (Localizar) ou tecle CTRL + F. Ser aberta uma tela de pesquisa onde o usurio poder definir a procura pelo nome ou cdigo do relatrio. Digite uma palavra chave do relatrio e tecle Enter duas vezes. No exemplo veremos um modelo de relatrio de OSs abertas:

25

Clique duas vezes na descrio do relatrio. Ser aberta uma caixa de filtragem de informaes a serem definidas pelo usurio. Neste relatrio em questo dever ser obrigatoriamente definida a data de incio e a data final da pesquisa.

Clique em OK. Automaticamente ser aberto o layout do relatrio demonstrando, no perodo informado, todas as OSs que esto abertas nos sistema, incluindo o cdigo, a data programada, a aplicao que est sofrendo a manuteno, o plano que est sendo executado, o setor executante da manuteno e o servio realizado.

26

Para impresso do relatrio basta o usurio clicar no cone (Imprimir) que automaticamente ser impresso o relatrio desejado. O Engeman ainda oferece a opo de exportao para outros formatos como PDF, EXCEL, WORD, JPG, HTML e outros. E tambm possibilita o envio do relatrio por e-mail para qualquer outra pessoa atravs do cone (Enviar relatrio por e-mail). Segue abaixo alguns outros modelos de relatrios padres que o sistema oferece: Relatrio de Custo das Manutenes:

27

Relatrio de Disponibilidade:

28

INSERIR CORRETIVAS O Engeman oferece tambm outras ferramentas que proporcionam maior facilidade nos processos de insero e visualizao de dados. Uma destas ferramentas o Inserir Corretivas. Esta ferramenta possibilita criar um bloco de OSs corretivas para um mesmo setor executante facilitando na abertura e fechamento das mesmas. Para se acessar o Inserir Corretivas clique no menu Processos. O usurio ter como escolher se prefere inserir uma quantidade de OSs a serem geradas seguindo a numerao automtica do sistema ou inserir as OSs conforme o conhecimento sobre estas numeraes. O usurio dever tambm definir o centro de custo, o setor executante, o tipo de manuteno e a filial.

Feito este processo clique na opo (Executar) ou tecle F5. Ser demonstrado nos campos abaixo as numeraes das OSs que foram geradas no banco de dados, sendo estas acessadas pela prpria tela de cadastro de OS.

29

CALENDRIO DE PERIDICAS: Depois de fazer o relacionamento dos planos com a programao peridica, e com as aplicaes, voc poder iniciar a programao peridica do plano atravs do calendrio de peridicas. No exemplo abaixo, ser configurado no calendrio de peridicas um PLANO DE MANUTENO MENSAL DO GUINDASTE (Periodicidade de 28 dias). Neste caso o cdigo desse plano 137 como aparece na guia Filtro. No campo aplicao foi informada a aplicao GUINDASTE, que tem o cdigo 408. Neste caso foi usado como filtro apenas o plano e a aplicao, mas voc pode observar que tem opes para inserir novos filtros de acordo com sua necessidade. O prximo passo clicar em abrir, e logo em seguida o sistema o direcionar para a guia Calendrio:

30

Quando voc clicar em abrir aparecer a seguinte tela:

Para se obter uma melhor visualizao clique em configuraes / visualizar, neste exemplo vamos visualizar 4 meses. Voc pode escolher quais

31 meses voc ir programar as manutenes, neste caso ser para os meses, Mar, Abr, Mai, Jun de 2007:

Voc pode configurar a programao em dois lugares diferentes obtendo o mesmo resultado, como mostrado na tela abaixo, para este exemplo vamos realizar a configurao pela parte inferior da tela, onde a seta est indicando:

32

A configurao da tela abaixo seguir a seguinte programao: A ltima manuteno foi no dia 10/04/2007, ento selecione ltima, e em seguida clique na data em questo, como na tela abaixo. Observe que quando voc marcar a data da ltima manuteno, o sistema automaticamente ir sinalizar para voc a data de manutenes anteriores, neste caso 13/03/2007, a data da prxima manuteno 08/05/2007 e tambm de manutenes posteriores.

33

Voc tambm tem a opo de programar a manuteno a partir da prxima manuteno. Neste exemplo suponhamos que a prxima manuteno ser no dia 15/05/2007, ento selecione prxima, e em seguida clique na data em questo como na tela abaixo:

34

IMPORTANTE: Se voc alterar qualquer informao no calendrio de peridicas e Gravar toda a sua programao feita anteriormente ser reprogramada. Por isso tenha certeza das alteraes que voc deseja realizar. FUNCIONAMENTO BSICO DO NIVELAMENTO DE RECURSOS Realizaremos o nivelamento sobre uma O.S que contm o plano de reviso de 1 ano para um veculo. O nivelamento ser feito em cima dos materiais, mo-de-obra e custos gastos com essa reviso. O objetivo de realizar o nivelamento para que se possa fazer uma previso se os recursos necessrios para uma determinada manuteno estaro disponveis no dia em que for realizada essa manuteno. Primeiramente foi realizado o cadastro do veculo:

35

Foi cadastrado o funcionrio responsvel pela manuteno:

A configurao da escala desse funcionrio ficou da seguinte forma:

36

HORRIOS PARA ESCALA:

ESCALA DE TRABALHO:

Agora ser realizado o cadastro do plano de manuteno. Para essa manuteno sero gastas 4 horas, e ela comear as 8:00.

O plano ser configurado por Cargos:

37

Observe como est o estoque dos materiais que sero gastos na execuo desse plano:

Abaixo esta a tela de procedimentos do plano, com os servios, qtde de materiais e os custos:

Agora o plano ser relacionado com a aplicao:

38

Na tela abaixo est configurada a programao da manuteno para o veculo com periodicidade de 1 ano, e a prxima manuteno marcada para 19/12/2007:

Atravs da tela de gerao ser gerada a O.S dessa manuteno para o dia 19/12/2007:

39

S aps os procedimentos descritos acima que poder ser realizado o nivelamento.

Na tela de nivelamento, informe o perodo em que a O.S foi gerada e clique em filtrar. A O.S em questo inserida no grid para ser nivelada:

Em Regras de Custos, informe o valor que voc tem em caixa para a manuteno e os demais campos:

40

Em Regras Gerais ser marcada a opo Apenas acusar as Falhas quando for feito o clculo do nivelamento:

41

Feita essas configuraes volte na guia filtros e clique em Calcular:

42

Observe que no foi acusado nenhum erro na rvore de nivelamento. A ausncia de erros s foi possvel pelo motivo de se ter todos os recursos disponveis para a execuo da manuteno em questo:

43

Agora para se ter a rvore de nivelamento mais detalhada v em Regras Gerais e marque a opo Reprogramar as O.Ss conforme recursos e regras de cada nvel:

44 Volte em filtros e calcule o nivelamento outra vez. Observe que a rvore do nivelamento toda detalhada informando o custo total, a quantidade de material que ser retirada do estoque, e o funcionrio que ser alocado para realizar a manuteno:

As informaes geradas na rvore do nivelamento tambm podem ser visualizadas na guia Histrico do Nivelamento:

45

Visto que o nivelamento foi realizado com sucesso, o prximo passo ser aplic-lo no banco de dados clicando no boto .

Veja como ficou a O.S aps o nivelamento: Guia Cadastro:

46

Na guia Encerramento o funcionrio j foi alocado para realizao da manuteno:

Clicando no boto da tela de O.S, ser possvel ter as informaes referentes ao nivelamento de recursos realizado:

47

ANLISE DE SERVIO O Engeman oferece ao usurio a ferramenta Anlise de Servio. Com esta ferramenta os usurios conseguem analisar todos os servios realizados no perodo filtrado. Para analisar estes servios os usurios dever primeiramente filtrar o perodo e outras informaes se desejar.

48 Aps a filtragem clique em Iniciar Anlise. Sero demonstrados vrios registros distribudos em vrias OSs. Para inicializar a anlise, clique com o boto direito do mouse em cima dos registros que sero demonstradas trs opes: Analisar - Esta opo que ser responsvel pela anlise. Ao selecion-la aparecero as seguintes opes: Principais Aplicaes (O.S.) - Sero informadas quantas e quais so as aplicaes cadastradas nas O.S.'s. Principais Aplicaes (Check List) - Sero informadas quantas e quais so as aplicaes cadastradas no Registro de servio. Principais Ocorrncias - Sero informadas quantas e quais so as ocorrncias cadastradas no Registro de servio. Principais Causas - Sero informadas quantas e quais so as causas cadastradas no Registro de servio. Principais Servios - Sero informados quantos e quais so os servios cadastrados no Registro de servio. Principais Materiais - Sero informados quantos e quais so os materiais cadastrados no Registro de servio. Ordem de Servio - Ao selecionar est opo, sero listadas as Ordens de Servios que contm os Registros de Servios encontrados. Refazer - Ao selecionar esta opo, toda a anlise realizada (somente abaixo do item selecionado) ser apagada para que se inicie uma nova anlise.