Visagism-book Dise±o de La Sonrisa

  • View
    70

  • Download
    15

Embed Size (px)

Text of Visagism-book Dise±o de La Sonrisa

  • Captulo 7 Desenho digital do sorriso: do plano de tratamento realidade clnica

    Visagismo - a arte de personalizar o desenho do sorriso 1

    Christian Coachman, Andrea Ricci, Marcelo Calamita, Livio Galias Yoshinaga

    7.1 Introduo

    Com a demanda crescente por tratamentos altamente per-sonalizados na Odontologia Esttica contempornea, torna-se fundamental incorporar ferramentas que possam ampliar nossa viso diagnstica, melhorar a comunicao entre os membros da equipe e criar sistemas previsveis durante o processo de desenho do sorriso e tratamento.

    Para se obter resultados consistentes, o planejamento das restauraes deve ser definido assim que os dados de diag-nstico forem obtidos, orientando as fases subsequentes da reabilitao1. Cada trabalho artstico requer uma visualizao inicial: na arquitetura, escultura ou pintura necessrio fazer uso de projetos, esboos ou prottipos. So representaes bi ou tridimensionais do resultado final e, depois de terem sido desenvolvidas, iro guiar os processos de construo, desenho e modelagem. Da mesma forma, na Odontologia, todas as necessidades, expectativas, e questes funcionais e biolgicas dos pacientes devem ser cientificamente incorpora-das no desenho esttico do tratamento, que deve servir como referncia para todo o resto do procedimento2-10.

    O objetivo deste Captulo apresentar um conceito singu-lar do desenho digital do sorriso em duas dimenses (DDS), que fornecer parmetros importantes para guiar um encera-mento diagnstico tridimensional efetivo.

    O DDS baseado no uso de ferramentas digitais de alta qualidade estticas e dinmicas que so conside-radas essenciais para anlise, documentao e comunica-o na Odontologia Esttica contempornea11 e que tam-bm podem ser usadas como base para realizao de uma srie de procedimentos diagnsticos, incorporando dados cruciais no processo do plano de tratamento.

    7.2 Razes efetivas para o uso

    do desenho digital do sorriso

    7.2.1 Diagnstico

    O desenho digital do sorriso permite a descoberta gra-dual de muitos fatores clnicos envolvidos num caso restau-rador simples ou complexo que podem passar despercebi-dos durante o exame clnico, na avaliao fotogrfica ou nos modelos de estudo. O desenho das linhas e formas de referncia sobre imagens de alta qualidade na tela do com-putador, seguindo-se um roteiro predeterminado, ampliar a viso diagnstica e ajudar equipe a ponderar as limi-taes e os fatores de risco, como assimetrias, desarmonias e violaes aos princpios estticos. Uma vez identificado o problema e visualizada a soluo, simplifica-se a seleo da tcnica apropriada.

    O protocolo para o desenho digital do sorriso admite a comunicao efetiva entre os membros da equipe inter-disciplinar, incluindo o tcnico de laboratrio. Os membros da equipe podem identificar e ressaltar as discrepncias na morfologia dos tecidos moles e duros, discutindo sobre imagens ampliadas as melhores solues possveis para o caso. Cada membro da equipe pode adicionar informa-es diretamente nos slides, escrever ou fazer o registro vocal simplificando ainda mais o processo. Com o arma-zenamento destes planejamentos nas nuvens, outros mem-bros da equipe podem acessar estas informaes sempre que puderem, mudando ou adicionando novos elementos durante as fases de diagnstico e tratamento.

    Como o uso do desenho digital do sorriso pode tornar o diagnstico mais efetivo e o plano de tratamento mais

    Desenho digital do sorriso: do plano de tratamento realidade clnica

  • Captulo 7 Desenho digital do sorriso: do plano de tratamento realidade clnica

    2 Visagismo - a arte de personalizar o desenho do sorriso

    completo, o tempo necessrio para sua implantao ser resgatado, deixando a sequncia de tratamento mais lgi-ca e direta, poupando tempo, materiais e reduzindo o custo durante o tratamento.

    7.2.2 Comunicao

    A literatura tem ressaltado a importncia do desenho do sorriso, embora seja vaga em relao ao respons-vel pela sua realizao. Podemos ver a importncia da reunio dos dados diagnsticos pelos checklists4,7,12-13; entretanto, muitas informaes podem ser perdidas se o significado real no for transferido de forma adequada ao desenho da reabilitao.

    Tradicionalmente o desenho do sorriso materializado primeiro pelo tcnico de laboratrio, quando realiza o ence-ramento restaurador, criando formas e arranjo, conforme as informaes restritas, seguindo algumas diretrizes escritas ou passadas pelo cirurgio-dentista ao telefone como: aumente 2 mm, feche o diastema etc. Desta forma, muita responsa-bilidade colocada sob os ombros do tcnico(a), porque, muitas vezes, no possui as informaes necessrias para rea- lizar a tarefa. Desta forma, perde-se a oportunidade de criar um sorriso que satisfaa totalmente o paciente.

    Quando o coordenador ou outro membro da equipe res-tauradora que est em contato direto e tem empatia com o paciente e assume a responsabilidade pelo desenho do sor-riso, os resultados podem ser melhores, j que o profissional pode incorporar certas preferncias pessoais ou caractersticas morfopsicolgicas10,14. Assumindo esta responsabilidade, o ci-rurgio-dentista pode comunicar diretrizes importantes para o enceramento, como as recomendaes sobre o comprimento, forma, arranjo e nvel do plano oclusal, baseado nas imagens.

    As desculpas para que o cirurgio-dentista no participe diretamente do desenho do sorriso so muitas, como o tempo ou o treinamento necessrio.

    Para um DDS bidimensional, o tcnico ser capaz de reali-zar um enceramento tridimensional mais eficaz, concentrando-se no desenvolvimento das caractersticas anatmicas dentro dos parmetros especialmente fornecidos, como o plano de referncia, linhas mdia facial e dentria, posio da borda incisal, dinmica labial, arranjo dentrio bsico e plano incisal.

    A transferncia da informao do enceramento para a fase de prova (test drive), pode ser feita pelo uso de uma simulao (mock-up) ou restaurao provisria. O desenho

    das restauraes estticas definitivas deveria ser feito e testa-do to logo possvel, guiando toda a sequncia de tratamen-to para um resultado esttico predeterminado. Um plano de tratamento eficiente permite que toda a equipe identifique, o mais cedo possvel, as mudanas para obteno do resulta-do esperado em todas as especialidades envolvidas1.

    7.3 Avaliao feed-back - aprendizadoO desenho digital do sorriso permite uma reavaliao pre-

    cisa dos resultados obtidos em cada fase do tratamento. Com os desenhos e linhas de referncias criadas, possvel reali-zar comparaes simples entre as imagens do antes e depois, verificar se esto de acordo com o planejamento, ou se ne-cessria qualquer outra medida para melhorar os resultados. Esta verificao dupla constante de todas as informaes uma imgem para tratamentos de alta qualidade e ferramenta de aprendizado para toda a equipe multidisciplinar.

    7.3.1 Educao

    Muitas vezes o paciente no fica satisfeito com sua es-ttica, mas no sabe, exatamente, quais so os fatores que contribuem para sua aparncia. Quando temos a oportuni-dade de mostrar todos os elementos que no esto de acor-do com os princpios estticos numa apresentao didtica, podemos educar o paciente sobre a severidade do caso, estratgias de tratamento, prognstico e recomendaes. A educao sobre as solues ser mais fcil e direta ao paciente, aumentando-se a credibilidade e verdade sobre a equipe odontolgica e, consequentemente, uma melhor aceitao do tratamento proposto.

    7.3.2 Apresentao do caso

    Usado para realizar a apresentao do plano de tratamen-to, o desenho digital do sorriso tornar o processo mais efetivo e direto, porque permitir ao paciente ver e compreender to-dos os mltiplos fatores combinados que criam as caracters-ticas orofaciais. A apresentao do caso ser efetiva e din-mica para ele, aumentando a aceitao do plano proposto.

    7.3.3 Visagismo

    O desenho digital do sorriso se apresenta como ferra-menta fundamental para o profissional que utiliza o visa-gismo em seus planejamentos. Permite a esse profissional confeccionar um desenho de acordo com a vontade de ex-

  • Captulo 7 Desenho digital do sorriso: do plano de tratamento realidade clnica

    Visagismo - a arte de personalizar o desenho do sorriso 3

    presso do paciente e apresent-lo previamente confec-o do enceramento diagnstico. Essa estratgia objetiva a discusso do caso entre ele e o paciente e o alinhamento entre aquilo que o paciente espera ou deseja do tratamento e o que o profissional visualiza para a resoluo do caso. O profissional poder ainda valer-se da apresentao de mais de um desenho de sorriso em caso de dvida, com as variaes de forma possveis para o caso e explicar para o paciente o que cada desenho significa em termos psicovisuais. A deciso do desenho a ser seguido deve ser baseada na vontade do paciente e viabilidade de execu-o. Geralmente aquele desenho preferido pelo paciente ter mais relao com seu senso de identidade visual, uma vez que a leitura visual inconsciente.

    7.4 Desenho digital do sorriso sequncia

    A tcnica proposta realizada pelos autores usando o programa Keynote (Apple), mas outros programas similares como o MicroSoft PowerPoint podem ser usados com pe-quenos ajustes na tcnica a ser descrita. O Keynote permite a manipulao simples das imagens digitais e a adio de desenhos, linhas, formas e medidas sobre imagens clnicas ou laboratoriais.

    O desenho digital do sorriso segue uma sequncia l-gica, da regio externa para a regio interna da anlise no paciente: facial, dentofacial, dentogengival e dentria (intra e interdentria). A sequncia mostrada abaixo um passo a passo completo que pode ser modificado, diminu-do ou adaptado para diversas situaes, dependendo das necessidades individuais.

    Deve-se abrir o programa keynote num formato de slide 3 para 1 e comear a inserir as imagens. As primeiras ima-gens sero de face, sendo da esquerda par