Seminario Web Radio Podcast Radio Digital

  • Published on
    27-May-2015

  • View
    3.494

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Seminrio apresentado por Ana Flvia Luna, Elton Barbosa, Mayara Maia, Jos Maria e Ricardo Oliveira na disciplina "Teorias das Culturas Miditicas Audiovisuais" do Mestrado em Comunicao da UFPB.

Transcript

<ul><li> 1. </li></ul> <p> 2. INTRODUO 3. Webrdio 4. A webradio tem uma homepagena internet por meio da qual podem ser acessadas as outras pginas da emissora. Na homepage aparecem o nome da emissora, geralmente um slogan que resume o tipo de programao e vrioshiperlinks para os outros sites que abrigam as diversas atividades desenvolvidas pela rdio. Vrias novidades so oferecidas pelas webradios, comochats, podcasts, biografias de artistas, receitas culinrias, fruns de discusso, letras cifradas de msicas , etc. H tambmfotografiasna homepage e nas outras pginas, tanto imagens publicitrias, quanto fotos de artistas e de funcionrios da emissora. H tambmvdeos e infografia . Um detalhe, porm, difere o site da webradio de tantas outras pginas da internet: um boto para a escuta sonora da rdio .Ao clicar nesse cone, o usurio poder ouvir a transmisso radiofnica. Mas, para entender a mensagem transmitida, no preciso o auxlio visual da pgina, que pode ser minimizada. A mensagem tem sentido apenas pelo udio. Webradio: novos gneros, novas formas de interao Nair Prata 5. WEBRDIOS - Exemplos Links: http://www.cidadewebrock.com.br/v3/index. php http://www.territorioeldorado.limao.com.br/ http://jovempan.uol.com.br/ 6. Rdio + imagem = 7. Rdio + Imagem pontos de vista CBN Estratgia visa atender os internautas que consomem rdio em seus computadores. Afinal, se esse um meio que permite a fruio da imagem, por que privaramos o usurio disso? 8. Rdio + Imagem pontos de vista Band News FM Um instrumento que pode elevar a audincia da emissora, pois divulga o contedo e representa uma tima maneira de conferir prestgio marca, associando-a a idia de vanguarda em comunicao. 9. Rdio + Imagem pontos de vista Itatiaia No haveria muitos atrativos em apenas colocar uma cmera para registrar tudo o que faz um radialista. Entendemos que isso no grega nada ao ouvinte. 10. Rdio + Imagem pontos de vista Jovem pan Online O projeto envolve contedos desenvolvidos em uma linguagem prpria de vdeo na internet para a Jovem Pan. 11. </p> <ul><li>Um dispositivo reunir todas as mdias numa nica plataforma (rdio, TV, internet?); </li></ul> <ul><li>Novidade =Experimentaes = construo de novas linguagens; </li></ul> <ul><li>Ampliar a experincia do </li></ul> <ul><li>pblico com o contedo. </li></ul> <p> 12. Podcasting 13. </p> <ul><li>Brecht, nas suas teorias de la radio de 1932, buscava transformar o rdio em um instrumento que fizesse com que cada ouvinte se tornasse tambm um produtor de informao. (LEMOS) </li></ul> <ul><li>Surge em 2004. </li></ul> <p> 14. </p> <ul><li>Neologismo:iPod e broadcasting - no parece adequado. (LEMOS E MEDEIROS) </li></ul> <ul><li>Podcast (registro sonoro) </li></ul> <ul><li>Podcaster (produtor) </li></ul> <ul><li>Podcasting: uma forma de produo descentralizada de contedo sonoro que disponibiliza os arquivos na Internet para serem baixados quando o usurio quiser. (LEMOS). umaradiodifusosob demandadecarterassincrnico (KISCHINHEVSKY). </li></ul> <p> 15. </p> <ul><li>Quatro modelos:</li></ul> <ul><li> metfora,</li></ul> <ul><li> editado,</li></ul> <ul><li> registro , </li></ul> <ul><li> educacional. (MEDEIROS ) </li></ul> <p> 16. </p> <ul><li>Rdio x Podcasting (MEDEIROS) </li></ul> <ul><li>Falta de fluxo de transmisso ( ocorre por demanda).</li></ul> <ul><li>No est necessariamente ligado a uma instituio</li></ul> <ul><li>H liberao do plo de emisso (LEMOS). Modelo TODOS-TODOS</li></ul> <p> 17. </p> <ul><li>Podemos chamar de rdio arquivos MP3, com formato de emisso radiofnica, gravados por qualquer pessoa e disponibilizados na internet por meio de blogs e sistemas RSS para transmiti-lo a um grupo de assinantes? (LEMOS)</li></ul> <p> 18. A linguagem radiofnica (locuo, vinhetas, blocos, musicais, notcias, entrevistas) encontrada nosPodcasts, mas, no so regras. No geral,as caractersticas de umpodcasting so opostas s de um modelo radiofnico tradicional. (MEDEIROS) 19. </p> <ul><li>Uma modalidade de rdio, e no um novo meio, que estaria remediando a radiodifuso. preciso considerar rdio aquilo ao qual o ouvinte atribui essa caracterizao, aquilo que ele necessita, identifica e utiliza como tal.(KISCHINHEVSKY) </li></ul> <p> 20. Primeiro, no o fim do rdio como meio de comunicao. O podcast s vem a somar aos diversos formatos broadcasting. Segundo, tampouco o fim do rdio como ns conhecemos hoje, em seus formatos AM e FM. O que estamos vendo uma reconfigurao miditica (lgica da reconfigurao) em que ambos os formatos permanecem. (LEMOS) 21. </p> <ul><li>HERSCHMANN, M. KISCHINHEVSKY, M.A "gerao podcasting" e os novos usos do rdio na sociedade do espetculo e do entretenimento . In:Revista FAMECOS: mdia, cultura e tecnologia. Porto Alegre: 2008 </li></ul> <ul><li>KISCHINHEVSKY, M.Cultura da Portabilidade e Novas Sociabilidades em Mdia Sonora Reflexes sobre os Usos Contemporneos do Rdio. Disponvel em: http://www.obs.obercom.pt/index.php/obs/article/viewPDFInterstitial/271/241. Acesso em: abr 2009. </li></ul> <ul><li>LEMOS, Andr (2005) . Podcast.Emisso sonora, futuro do rdio e cibercultura. 404nOtfOund. v.1, n. 46. Salvador. </li></ul> <ul><li>MEDEIROS, Marcello Santos de.Podcasting : um Antpoda Radiofnico. Braslia: XXIX Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao - Intercom Sociedade de Estudos Interdisciplinares de Comunicao. Braslia, 2006. Disponvel em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2006/resumos/R0776-1.pdf. Acesso em: abr. 2009.</li></ul> <p> 22. Rdio Digital no Brasil Desafios e Possibilidades 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30. 31. 32. 33. 34. Convergncia e participao: o futuro do rdio. 35. Novas formas de pensar, produzir e consumir produtos miditicos. Segundo um estudo do NPD Group, em 2008, 52% dos jovens pesquisados, entre 13 e 17 anos, preferiram ouvir msicas em radios online, em sites de streaming gratuito, como Imeem, Pandora e MySpace (sites em que voc no precisa baixarmp3, escuta tudo online). 36. E o futuro que se esperava, passa a ganhar ainda mais possibilidades. No ano anterior, apenas 34% dos jovens utilizavam esses sites. Enquanto isso, no mesmo perodo, o ato de baixar msicas na internet caiu 6% e o tempo gasto em sites de downloads de msicas desceu 13%. 37. No pense que a indstria e os artistasesto falindo, eles s no entendem sobre as novas possibilidades miditicas. - O Ecad Escritrio Central de Arrecadao e Distribuio teve no valor distribudo aos titulares de direitos autorais e conexos (autores, intrpretes, msicos, editores, produtores fonogrficos, entre outros) um crescimento 8,38% em relao ao ano de 2007, totalizando cerca de R$ 271 milhes. Foram 73, 7 mil titulares beneficiados.- Entre 2000 e 2008, a distribuio dos direitos autorais deu um salto de 222%. (da Assessoria de Imprensa do rgo). 38. Ao invs de falar de produtores e consumidores miditicos em papis separados, agora podemos v-los como participantes que interagem uns com os outros de acordo com novas regras, que nenhum de ns entende por completo (JENKINS) 39. Projeto RADAR CULTURA d espao ao jornalismo participativo (ou cidado) atravs da Rdio Cultura AM. Usurios podem se cadastrar no site e enviar sugestes de msicas e arquivos em udio que so votados pela prpria rede para entrar ou no na programao da rdio. Interao social, produo de contedo e participao em meio de comunicao de massa. 40. Tudo que voc ouve na Rdio BBC de Londres, atravs dos streamings armazenado e gera grficos indicativos e comparativos. Outras pessoas podem v-los e indicar msicas para voc. Aplicativos podem ser inseridos em blogs para que outras pessoas conheam o servio. Interao social, organizao de contedo e informao, pesquisa de mercado da BBC atravs de um aplicativo para os usurios. 41. 42. 43. 44. 45. 46. Um site-aparelho-de-rdio: Tun3r. Centenas de webrdios agregadas num s lugar. 47. Milton Jung, apresentador do programa CBN So Paulo, utiliza o Twitter durante as transmisses para interagir com os ouvintes. O que quero mesmo do Twitter aumentar a rede de relacionamento e ouvir o que as pessoas esto pensando sobre os diferentes assuntos da cidade. Quero encontrar novidades. Boas idias. E pedir ajuda para elas, para que me ensinem a fazer um blog que interesse ao cidado. E no apenas para satisfazer meu ego." O Twitter tm me oferecido a oportunidade de exercitar a escrita. Adoro escrever, mas no rdio se tem pouco espao para isto. Fala-se muito (em entrevista ao jornalista Tiago Dria). 48. Uma mudana cultural, na qual consumidores so encorajados a procurar novas informaes e fazer conexes entre contedos miditicos dispersos (JENKINS).</p>