- DAD - CESPE - Questões sobre Atos administrativos - 169 QC

  • Upload
    gpsdir2

  • View
    467

  • Download
    0

Embed Size (px)

Citation preview

Direito Administrativo Questes sobre atos administrativos Exibindo 1 de 10 de 169 no total. 1 - Q88112 (CESPE - 2011 - TJ-ES - Analista Judicirio - Direito - rea Judiciria - e specficos) Julgue os itens que se seguem, referentes aos atos administrativos. A autorizao ato administrativo vinculado pelo qual a administrao consente que o part icular exera atividade ou utilize bem pblico no seu prprio interesse.

2 - Q88111 (CESPE - 2011 - TJ-ES - Analista Judicirio - Direito - rea Judiciria - e specficos) O ato administrativo pode extinguir-se pela cassao, situao em que a retirada do ato se d porque sobrevm norma jurdica que torna inadmissvel a situao antes permitida pelo direito e outorgada pelo ato precedente.

3 - Q84796 (CESPE - 2011 - PC-ES - Escrivo de Polcia - Especficos) Acerca do poder de polcia e dos atos administrativos, julgue o item a seguir. Todas as medidas de polcia administrativa so autoexecutrias, o que permite administ rao pblica promover, por si mesma, as suas decises, sem necessidade de recorrer prev iamente ao Poder Judicirio.

4 - Q84795 (CESPE - 2011 - PC-ES - Escrivo de Polcia - Especficos) A nulidade absoluta de um ato administrativo somente pode ser decretada pelo Pod er Judicirio, mediante provocao do interessado ou do Ministrio Pblico; a nulidade rel ativa pode ser decretada pela prpria administrao, independentemente de provocao do in teressado.

5 - Q84179 (CESPE - 2011 - STM - Analista Judicirio - Administrao - Especficos) Julgue os itens que se seguem, relativos a atos administrativos, improbidade administrativa e processo administrativo disciplinar. Os atos administrativos tm origem no Estado ou em agentes investidos de prerrogat ivas estatais.

6 - Q84161 (CESPE - 2011 - STM - Analista Judicirio - Administrao - Especficos) Acerca dos princpios bsicos da administrao pblica, dos poderes e dos atos administrativos, julgue os itens a seguir. A possibilidade de se revogar atos administrativos cujos efeitos j se exauriram d ecorrncia lgica do princpio da autotutela.

7 - Q83725 (CESPE - 2010 - DPE-BA - Defensor Pblico) No que concerne aos atributos do ato administrativo, julgue o prximo item. A presuno de legitimidade de que gozam os atos administrativos constitui presuno iur is tantum, que pode ceder prova em contrrio.

8 - Q82175 (CESPE - 2009 - SEJUS-ES - Agente Penitencirio) Julgue os itens seguintes, relativos aos poderes e atos administrativos. O ato administrativo, quando motivado, somente vlido se os motivos indicados fore m verdadeiros, mesmo que, no caso, a lei no exija a motivao.

9 - Q80929 (CESPE - 2010 - MPU - Tcnico de Informtica) Acerca da administrao pblica, dos servios pblicos e dos atos administrativos, julgue o item abaixo. Imperatividade e autoexecutoriedade so caractersticas do ato administrativo. A imp eratividade diz respeito execuo do ato administrativo pela prpria administrao, dispen sando-se a interveno judicial; a autoexecutoriedade, por sua vez, significa que os atos administrativos se impem a terceiros independentemente de sua concordncia.

10 - Q80815 (CESPE - 2009 - MMA - Agente Administrativo) Em relao aos poderes e aos atos administrativos, julgue os itens a seguir. Pelo atributo da presuno de veracidade, presume-se que os atos administrativos esto em conformidade com a lei.

Exibindo 11 de 20 de 169 no total. 11 - Q80814 (CESPE - 2009 - MMA - Agente Administrativo) Em relao aos poderes e aos atos administrativos, julgue os itens a seguir. Todo ato praticado no exerccio de funo administrativa considerado ato administrativ o.

12 - Q79197 (CESPE - 2010 - ABIN - OFICIAL TCNICO DE INTELIGNCIA - REA DE DIREITO) No que concerne administrao pblica, julgue os itens a seguir. Considerando-se que, de acordo com a teoria do rgo, os atos praticados pelos agent es pblicos so imputados pessoa jurdica de direito pblico, correto afirmar que os ato s provenientes de um agente que no foi investido legitimamente no cargo, so consid erados inexistentes, no gerando qualquer efeito.

13 - Q79195 (CESPE - 2010 - ABIN - OFICIAL TCNICO DE INTELIGNCIA - REA DE DIREITO / Administrao Indireta; ) Caso o diretor-presidente de uma autarquia federal edite um ato, delegando a out ro diretor a competncia para julgar recursos administrativos, tal delegao ser legal.

14 - Q79192 (CESPE - 2010 - ABIN - OFICIAL TCNICO DE INTELIGNCIA - REA DE DIREITO) Julgue os itens subsequentes, a respeito dos poderes e atos administrativos. A revogao de um ato revogador no restaura, automaticamente, a validade do primeiro ato revogado.

15 - Q79191 (CESPE - 2010 - ABIN - OFICIAL TCNICO DE INTELIGNCIA - REA DE DIREITO) A licena um ato administrativo que revela o carter preventivo da atuao da administrao no exerccio do poder de polcia.

16 - Q79190 (CESPE - 2010 - ABIN - OFICIAL TCNICO DE INTELIGNCIA - REA DE DIREITO) Considere a seguinte situao hipottica. Um municpio estabeleceu que somente seriam concedidos alvars de funcionamento a re staurantes que tivessem instalado exaustor de fumaa acima de cada fogo industrial. Na vigncia dessa determinao, um fiscal do municpio atestou, falsamente, que o resta urante X possua o referido equipamento, tendo-lhe sido concedido o alvar. Dias aps a fiscalizao, a administrao verificou que no havia no referido estabelecimento o exau stor de fumaa. Nessa situao hipottica, considera-se nulo o alvar, dada a inexistncia d e motivo do ato administrativo.

17 - Q72657 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - Taquigrafia) Com relao aos atos e aos poderes administrativos, julgue os itens a seguir. De acordo com a teoria dos motivos determinantes, ainda que se trate de ato disc ricionrio sem a exigncia de expressa motivao, uma vez sendo manifestada a motivao, est a vincula o agente para sua realizao, devendo, obrigatoriamente, haver compatibili dade entre o ato e a motivao, sob pena de vcio suscetvel de invalid-lo.

18 - Q72656 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - Taquigrafia) Ato administrativo complexo aquele que resulta do somatrio de manifestaes de vontad e de mais de um rgo, podendo-se citar, como exemplo, a aposentadoria.

19 - Q72655 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - Taquigrafia) Com relao organizao administrativa em sentido amplo, julgue os itens subsequentes. Como exemplo da incidncia do princpio da inafastabilidade do controle jurisdiciona l relativos aos atos administrativos no ordenamento jurdico brasileiro, correto c itar a vigncia, entre ns, do sistema do contencioso administrativo ou sistema fran cs.

20 - Q69906 (CESPE - 2010 - MPU - Analista - Arquivologia) Com relao aos poderes, atos e contratos administrativos, julgue os itens a seguir. A legalidade dos atos administrativos vinculados e discricionrios est sujeita apre ciao judicial.

Exibindo 21 de 30 de 169 no total. 21 - Q69904 (CESPE - 2010 - MPU - Analista - Arquivologia) Com relao aos poderes, atos e contratos administrativos, julgue os itens a seguir. A competncia constitui elemento ou requisito do ato administrativo vinculado, cab endo, entretanto, ao prprio rgo pblico estabelecer as suas atribuies.

22 - Q69496 (CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Analista - Advocacia) Acerca do direito administrativo, em cada um dos itens seguintes apresentada uma situao hipottica, seguida de uma assertiva a ser julgada. Ana servidora pblica lotada no Ministrio da Fazenda e, aps ter preenchido os requis itos legais para se aposentar, requereu sua aposentadoria, que foi deferida. Nes se caso, a concesso da aposentadoria a Ana hiptese de ato administrativo irrevogvel .

23 - Q67729 (CESPE - 2010 - PGM-RR - Procurador Municipal / Contr ) Julgue os itens que se seguem, relativos aos contratos administrativos. A oportunidade e a convenincia so fundamentos para que a administrao revogue um ato administrativo vlido; os efeitos j produzidos por esse mesmo ato, todavia, sero pre servados.

24 - Q65982 (CESPE - 2009 - DETRAN-DF - Todos os Cargos - Conhecimentos Bsicos) Acerca do direito administrativo, julgue os itens a seguir. Considere a seguinte situao hipottica. Joo servidor pblico responsvel por gerenciar obra pblica levada a efeito pela entida de em que exerce suas funes. Ocorre que Joo, nos limites de sua competncia administr ativa, determinou a pavimentao de uma rua, sem que houvesse previso no contrato adm inistrativo, em local que beneficia um imvel de propriedade de sua me. Nessa situao, Joo praticou conduta abusiva com desvio de finalidade.

25 - Q61567 (CESPE - 2010 - TCU - Auditor Federal de Controle Externo - Tecnolog

ia da Informao - Parte I) A respeito dos atos normativos do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto (MPOG), julgue os itens a seguir.

Atender aos atos normativos do MPOG a contratao, por rgo pblico, de suporte tcnico par os seus processos de planejamento e avaliao da qualidade dos servios de tecnologia da informao, desde que sob a superviso exclusiva de servidores do rgo.

26 - Q61536 (CESPE - 2010 - TCU - Auditor Federal de Controle Externo - Tecnolog ia da Informao - Parte I) Julgue os itens seguintes, referentes aos atos administrativos. O Poder Judicirio pode, de ofcio, apreciar a validade de um ato administrativo e d ecretar a sua nulidade, caso seja considerado ilegal.

27 - Q61535 (CESPE - 2010 - TCU - Auditor Federal de Controle Externo - Tecnolog ia da Informao - Parte I) Sempre que a lei expressamente exigir determinada forma para que um ato administ rativo seja considerado vlido, a inobservncia dessa exigncia acarretar a nulidade do ato.

28 - Q59861 (CESPE - 2010 - AGU - Agente Administrativo) Com relao aos atos administrativos e ao controle da administrao pblica, julgue os itens a seguir. Nem todos os atos administrativos possuem o atributo da autoexecutoriedade, j que alguns deles necessitam de autorizao do Poder Judicirio para criar obrigaes para o a dministrado.

29 - Q59860 (CESPE - 2010 - AGU - Agente Administrativo) No caso de um administrado alegar a existncia de vcio de legalidade que invalide d eterminado ato administrativo, esse indivduo dever fundamentar sua alegao com provas dos fatos relevantes, por fora da obrigatoriedade de inverso do nus da prova, orig inada no princpio da presuno de legitimidade do ato administrativo.

30 - Q59859 (CESPE - 2010 - AGU - Agente Administrativo) O Tribunal de Contas rgo que auxilia o Poder Legislativo no exerccio do controle fi nanceiro externo da administrao pblica. Por ter funo de carter administrativo, suas de cises podero ser submetidas ao controle judicial.

Exibindo 31 de 40 de 169 no total.

31 - Q58341 (CESPE - 2008 - TCU - Analista de Controle Interno Tecnologia da Inf ormao - Prova 1) Durante dez anos, Maria ocupou cargo de chefia na concesso de benefcios previdencirios de uma autarquia federal. Tendo em vista a divergncia na aplicao de determinada norma, Maria emitiu uma ordem de servio que disciplinava a concesso do benefcio em determinadas hipteses, acreditando que a sua interpretao, naquele caso, seria a melhor. No ltimo ms, Maria foi substituda por Pedro, que, no concordando com aquela interpretao, resolveu anular a ordem de servio em vigor e rever todos os benefcios concedidos com base nela. Com base nessa situao hipottica, julgue o seguinte item. A anulao dos benefcios j concedidos no se submete a prazo decadencial, j que os atos i legais devem ser anulados pela prpria administrao a qualquer tempo.

32 - Q58340 (CESPE - 2008 - TCU - Analista de Controle Interno Tecnologia da Inf ormao - Prova 1) Considerando que a antiga interpretao fosse uma das interpretaes possveis, a primeira ordem de servio no deveria ter sido anulada, mas sim revogada, passando a nova in terpretao a incidir apenas sobre os fatos posteriores.

33 - Q58233 (CESPE - 2010 - AGU - Contador) A respeito do direito administrativo, julgue o item seguinte. O ato discricionrio permite liberdade de atuao administrativa, a qual deve restring ir-se, porm, aos limites previstos em lei.

34 - Q58231 (CESPE - 2010 - AGU - Contador) facultado ao Poder Judicirio, ao exercer o controle de mrito de um ato administrat ivo, revogar ato praticado pelo Poder Executivo.

35 - Q58230 (CESPE - 2010 - AGU - Contador) O ato administrativo, uma vez publicado, ter vigncia e dever ser cumprido, ainda qu e esteja eivado de vcios.

36 - Q52964 (CESPE - 2008 - STJ - Analista Judicirio - Tecnologia da Informao) Com referncia ao processo administrativo em geral no mbito da Unio (Lei n. 9.784/1999), julgue os itens seguintes. Os atos administrativos que apresentarem defeitos sanveis podero ser convalidados pela prpria administrao, com efeitos retroativos, desde que no acarretem leso ao inte resse pblico nem prejuzo a terceiros.

37 - Q52456 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Tcnico Judicirio - rea Administrativ a) A respeito de atos administrativos, julgue os itens seguintes. A aposentadoria de cargo de provimento efetivo, por implemento de idade, um ato administrativo discricionrio.

38 - Q52455 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Tcnico Judicirio - rea Administrativ a) A administrao tem o nus de provar a legalidade do ato administrativo sempre que ela for questionada judicialmente.

39 - Q52454 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Tcnico Judicirio - rea Administrativ a) O ato administrativo de remoo de servidor pblico ocupante de cargo efetivo com o in tuito de puni-lo caracteriza desvio de poder.

40 - Q52453 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Tcnico Judicirio - rea Administrativ a) O Poder Judicirio pode revogar seus prprios atos administrativos e anular os atos administrativos praticados pelo Poder Legislativo.

Exibindo 41 de 50 de 169 no total. 41 - Q52220 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Administra tiva / Organizao da Administrao Pblica - rgos pblicos; ) Julgue os itens que se seguem, acerca dos atos administrativos e do procedimento administrativo disciplinado no mbito da administrao federal. O TRT da 5. regio, com sede em Salvador, entidade integrante da justia do trabalho.

42 - Q52219 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Administra tiva) O prazo decadencial para a administrao pblica anular atos administrativos de efeito s patrimoniais contnuos renova-se periodicamente.

43 - Q52218 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Administra tiva)

A revogao de ato administrativo por motivo de convenincia e oportunidade deve respe itar os direitos eventualmente adquiridos.

44 - Q52217 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Administra tiva) dispensvel a motivao para o ato administrativo quando este se destinar apenas a sus pender outro ato anteriormente editado.

45 - Q51624 (CESPE - 2008 - STJ - Analista Judicirio - rea Judiciria) Cada um dos itens 64 e 65 contm uma situao hipottica, seguida de uma assertiva a ser julgada com base nos dispositivos legais acerca de prescrio e decadncia. Antnio, servidor pblico federal, recebia determinada parcela remuneratria desde 4 d e abril de 1995. Em julho de 2003, quando ele requereu sua aposentadoria, verifi cou-se que a citada parcela era indevida, no podendo compor seus proventos de apo sentadoria. Nessa situao, j ocorreu o prazo qinqenal de decadncia para a administrao ca anular o ato que determinou o pagamento dessa parcela, j que o termo inicial f oi 4 de abril de 1995.

46 - Q50523 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Administrativa) O estado X editou uma lei que determina nica e exclusivamente s distribuidoras de combustvel a responsabilidade pela instalao de lacres em tanques de combustveis dos postos de revenda, ficando elas sujeitas a multa, em caso de descumprimento da determinao legal. O governador do estado, por meio de decreto estadual, responsabilizou tambm os postos revendedores pela no-instalao dos lacres nos respectivos tanques de combustvel, sob pena de aplicao de multa. Em relao situao hipottica acima, julgue os itens que se seguem. Na hiptese em questo, o decreto um ato primrio do Poder Executivo e tem carter inter no.

47 - Q50522 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Administrativa) A edio do decreto observou fielmente os limites impostos ao Poder Executivo de edi tar atos normativos.

48 - Q50508 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Administrativa) Julgue os itens que se seguem. Um conceito vlido para a funo administrativa o que a define como a funo que o Estado,

ou aquele que lhe faa s vezes, exerce na intimidade de uma estrutura e regime hie rrquicos e que, no sistema constitucional brasileiro, se caracteriza pelo fato de ser desempenhada mediante comportamentos infralegais ou, excepcionalmente, infr aconstitucionais vinculados, submissos ao controle de legalidade pelo Poder Judi cirio.

49 - Q48890 (CESPE - 2009 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) Lucas foi aprovado em concurso pblico de provas e ttulos para o cargo de analista administrativo da ANATEL. Considerando que o prazo de validade do concurso expirar em julho de 2009, com possibilidade de prorrogao por mais um ano, ou seja, julho de 2010, Lucas resolveu encaminhar um e-mail para a ouvidoria da agncia, indagando se o presidente prorrogaria ou no o certame. A ouvidoria da ANATEL respondeu a Lucas que a contratao de pessoal nas agncias, por meio de concurso pblico, um ato de gesto e no de imprio e que a prorrogao do concurso constitui um ato discricionrio. Com base na situao hipottica acima apresentada, julgue os itens subsequentes, acerca da classificao dos atos administrativos. Na situao considerada, a informao da ouvidoria, quanto prorrogao do concurso pblico stituir ato discricionrio, est correta, embora no tenha atendido objetivamente inda gao de Lucas.

50 - Q48889 (CESPE - 2009 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) As informaes prestadas pela ouvidora esto corretas, pois a contratao de pessoal por m eio de concurso pblico para composio de quadro funcional caracterizada como ato de gesto, no intervindo a vontade dos administrados para sua prtica.

Exibindo 51 de 60 de 169 no total. 51 - Q48888 (CESPE - 2009 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) Julgue os itens seguintes, referentes aos atos administrativos. Ato administrativo aquele praticado no exerccio concreto da funo administrativa pel os rgos do Poder Executivo ou pelos rgos judiciais e legislativos. Assim, um tribuna l de justia estadual, quando concede frias aos seus servidores, desempenha uma funo administrativa.

52 - Q48887 (CESPE - 2009 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) O conceito de ato administrativo teve origem e se desenvolveu na Inglaterra, pas filiado ao sistema do civil law, com regime jurdico prprio para as questes concerne ntes ao direito administrativo.

53 - Q48708 (CESPE - 2009 - DPE-AL - Defensor Pblico) Com relao disciplina do ato administrativo, julgue os itens seguintes. O ato composto aquele que resulta de manifestao de dois ou mais rgos, singulares ou colegiados, cuja vontade se funde para a formao de um nico ato.

54 - Q48707 (CESPE - 2009 - DPE-AL - Defensor Pblico) Em decorrncia do atributo da presuno de veracidade, no pode o ato administrativo ter sua validade apreciada de ofcio pelo Poder Judicirio.

55 - Q48706 (CESPE - 2009 - DPE-AL - Defensor Pblico) O ato administrativo est sujeito a regime jurdico administrativo, razo pela qual o ato de direito privado praticado pelo Estado no considerado ato administrativo.

56 - Q48195 (CESPE - 2009 - SECONT-ES - Auditor do Estado Tecnologia da Informao / ) A respeito dos atos administrativos e da responsabilidade dos servidores pblicos, julgue os itens subsequentes. Um cidado que tenha sido absolvido na esfera penal por insuficincia de provas quan to autoria de determinado crime funcional, no pode ser processado e responsabiliz ado pelo mesmo fato na esfera administrativa.

57 - Q48194 (CESPE - 2009 - SECONT-ES - Auditor do Estado Tecnologia da Informao / ) Uma das hipteses de desvio de poder aquela em que o agente pblico utiliza-se do po der discricionrio para atingir uma finalidade distinta daquela fixada em lei e co ntrria ao interesse pblico, estando o Poder Judicirio, nesse caso, autorizado a dec retar a nulidade do ato administrativo.

58 - Q46858 (CESPE - 2009 - ANATEL - Tcnico Administrativo) Acerca do conceito de ato administrativo, julgue o item abaixo. Atos administrativos so aqueles praticados exclusivamente pelos servidores do Pod er Executivo, como, por exemplo, um decreto editado por ministro de estado ou um a portaria de secretrio de justia de estado da Federao.

59 - Q44801 (CESPE - 2010 - MS - Analista Tcnico - Administrativo - PGPE 1) Com relao aos atos administrativos, aos poderes e ao controle da administrao, julgue os prximos itens. Para se chegar ao mrito do ato administrativo, no basta a anlise in abstrato da nor

ma jurdica, preciso o confronto desta com as situaes fticas para se aferir se a prtic a do ato enseja dvida sobre qual a melhor deciso possvel. na dvida que compete ao ad ministrador, e somente a ele, escolher a melhor forma de agir.

60 - Q44800 (CESPE - 2010 - MS - Analista Tcnico - Administrativo - PGPE 1) Existe liberdade de opo para a autoridade administrativa quanto ao resultado que a administrao quer alcanar com a prtica do ato.

Exibindo 61 de 70 de 169 no total. 61 - Q44798 (CESPE - 2010 - MS - Analista Tcnico - Administrativo - PGPE 1) Com relao aos atos administrativos, aos poderes e ao controle da administrao, julgue os prximos itens. Conforme afirma a doutrina prevalente, o ato administrativo ser sempre vinculado com relao competncia e ao motivo do ato.

62 - Q44799 (CESPE - 2010 - MS - Analista Tcnico - Administrativo - PGPE 1) Os atos administrativos gozam de presuno iuris et de iure de legitimidade.

63 - Q44797 (CESPE - 2010 - MS - Analista Tcnico - Administrativo - PGPE 1) No controle dos atos discricionrios, os quais legitimam espao de liberdade para o administrador, o Poder Judicirio deve, em regra, limitar-se ao exame da legalidad e do ato, sendo vedada a anlise dos critrios de convenincia e oportunidade adotados pela administrao.

64 - Q42419 (CESPE - 2010 - MPS - Agente Administrativo) Acerca dos requisitos referentes aos atos administrativos, julgue os itens a seguir. A edio de atos de carter normativo um dos objetos de delegao.

65 - Q42418 (CESPE - 2010 - MPS - Agente Administrativo) A competncia delegvel, mas no passvel de avocao.

66 - Q42015 (CESPE - 2008 - ABIN - Oficial de Inteligncia) Quanto aos poderes pblicos, julgue os prximos itens. O ato normativo do Poder Executivo que contenha uma parte que exorbite o exerccio

de poder regulamentar poder ser anulado na sua integralidade pelo Congresso Naci onal.

67 - Q42014 (CESPE - 2008 - ABIN - Oficial de Inteligncia) No h que se confundir a discricionariedade do administrador em decidir com base no s critrios de convenincia e oportunidade com os chamados conceitos indeterminados, os quais carecem de valorao por parte do intrprete diante de conceitos flexveis. De ssa forma, a discricionariedade no pressupe a existncia de conceitos jurdicos indete rminados, assim como a valorao desses conceitos no uma atividade discricionria, send o passvel, portanto, de controle judicial.

68 - Q42013 (CESPE - 2008 - ABIN - Oficial de Inteligncia) Na segunda fase do concurso para provimento de cargo de policial, Flvio matriculou-se no curso de formao, j que tinha sido aprovado nas provas objetivas, no exame psicotcnico e no teste fsico, que compunham a chamada primeira fase. No entanto, a administrao pblica anulou o teste fsico, remarcando nova data para a sua repetio, motivo pelo qual foi anulada a inscrio de Flvio no curso de formao. Acerca dos atos administrativos referentes situao hipottica apresentada, julgue os itens subseqentes. Conforme entendimento do STF, o exame psicotcnico, para ser admitido em concursos pblicos, deve estar previsto em lei e conter critrios objetivos de reconhecido ca rter cientfico, sendo prescindvel a possibilidade de reexame na esfera administrati va.

69 - Q42012 (CESPE - 2008 - ABIN - Oficial de Inteligncia) Considerando que a motivao apresentada pela administrao no seja a medida mais adequad a para anular o teste fsico de Flvio, o juiz poder aplicar a teoria dos motivos det erminantes para anular o ato anulatrio.

70 - Q42011 (CESPE - 2008 - ABIN - Oficial de Inteligncia) A anulao do exame fsico est inserida no poder de autotutela da administrao, no sendo i prescindvel que haja contraditrio e ampla defesa, pois o ato em si no trouxe qualqu er prejuzo para Flvio - j que ele ir refazer o teste fsico - nem para os demais candi datos.

Exibindo 71 de 80 de 169 no total. 71 - Q41793 (CESPE - 2008 - ABIN - Agente de Inteligncia) O prefeito de determinado municpio houve por bem desapropriar terreno com vistas a construir um hospital. No entanto, em vez de hospital, foi construda uma escola pblica.

Considerando a situao hipottica apresentada, julgue os itens seguintes, que dizem respeito aos atos administrativos. Na situao considerada, no houve desvio de finalidade, sendo o decreto de desapropri ao amparado pelo ordenamento jurdico.

72 - Q41792 (CESPE - 2008 - ABIN - Agente de Inteligncia) O decreto desapropriatrio considerado ato vinculado.

73 - Q41787 (CESPE - 2008 - ABIN - Agente de Inteligncia) Com relao aos princpios bsicos da administrao pblica, julgue os seguintes itens. No viola o princpio da motivao dos atos administrativos o ato da autoridade que, ao deliberar acerca de recurso administrativo, mantm deciso com base em parecer da co nsultoria jurdica, sem maiores consideraes.

74 - Q39461 (CESPE - 2004 - Polcia Federal - Delegado de Polcia - Regional) No tocante a abuso de poder e a ato administrativo, julgue os itens a seguir. Ocorre a extino do ato administrativo por caducidade quando o ato perde seus efeit os jurdicos em razo de norma jurdica superveniente que impede a permanncia da situao a nteriormente consentida.

75 - Q39460 (CESPE - 2004 - Polcia Federal - Delegado de Polcia - Regional) O abuso de poder, na modalidade de desvio de poder, caracteriza-se pela prtica de ato fora dos limites da competncia administrativa do agente.

76 - Q39215 (CESPE - 2004 - Polcia Federal - Delegado de Polcia - Nacional / Servios Pblicos; ) A respeito dos atos administrativos e servios pblicos, julgue os itens que se seguem. A possibilidade de reconsiderao por parte da autoridade que proferiu uma deciso obj eto de recurso administrativo atende ao princpio da eficincia.

77 - Q39213 (CESPE - 2004 - Polcia Federal - Delegado de Polcia - Nacional / Co ntr Servios Pblicos; ) O contrato de concesso de servio pblico extingue-se pela resciso quando a iniciativa de extino do contrato do poder concedente, em decorrncia de descumprimento das nor

mas contratuais pelo concessionrio.

78 - Q38450 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) Julgue os itens que se seguem, relativos discricionariedade dos atos da administrao. O ato disciplinar vinculado, deixando a lei pequenas margens de discricionarieda de administrao, que no pode demitir ou aplicar quaisquer penalidades contrrias lei, ou em desconformidade com suas disposies.

79 - Q38449 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) As dvidas sobre a margem de discricionariedade administrativa devem ser dirimidas pela prpria administrao, jamais pelo Poder Judicirio.

80 - Q38448 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) A reserva do possvel pode ser sempre invocada pelo Estado com a finalidade de exo nerar-se do cumprimento de suas obrigaes constitucionais que impliquem custo finan ceiro.

Exibindo 81 de 90 de 169 no total. 81 - Q38447 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) Julgue os itens que se seguem, relativos discricionariedade dos atos da administrao. A jusridio constitucional atribuda ao STF tem tambm uma dimenso poltica, o que permite ao tribunal exercer controle judicial em tema de implementao de polticas pblicas qu ando configurada hiptese de abusividade governamental.

82 - Q38434 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) Alvars de pesquisa minerria, concedidos empresa Zeta Mineraes e Pavimentaes Ltda., foram revogados pelo Departamento Nacional de Produo Mineral (DNPM), autarquia vinculada ao Ministrio de Minas e Energia (MME), aps o Comando do Exrcito ter solicitado, sob o fundamento da prevalncia do interesse pblico, permisso para que a rea fosse utilizada e explorada pelo 9. Batalho de Engenharia e Construes do Exrcito Brasileiro, tendo em vista a necessidade de que o Exrcito construsse, diretamente e em local prximo rea em explorao, instalaes necessrias ao funcionamento de suas atividades. A empresa, ento, solicitou ao ministro de Estado de Minas e Energia que este avocasse o processo administrativo e reformasse o ato nele praticado, tendo em vista a sua ilegalidade.

A respeito dessa situao hipottica, do regime jurdico dos recursos minerais e da avocao administrativa, julgue os itens que se seguem. No mbito da avocatria, s possvel realizar eventual reviso do ato do DNPM sob a invoca do mrito administrativo, mas no da sua ilegalidade, pois, nesse ltimo caso, ser cabve l a anulao e no, a avocao.

83 - Q38433 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) Julgue os prximos itens, relativos teoria dos motivos determinantes. De acordo com a referida teoria, os motivos que determinaram a vontade do agente e que serviram de suporte sua deciso integram o plano da existncia do ato adminis trativo.

84 - Q38432 (CESPE - 2007 - AGU - Procurador Federal) No se decreta a invalidade de um ato administrativo quando apenas um, entre os di versos motivos determinantes, no est adequado realidade ftica.

85 - Q38290 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - Servio Social) A lei que regulamenta o exerccio profissional do assistente social e o Cdigo de tica da profisso so instrumentos que possibilitam uma compreenso do mundo para alm da prtica profissional, a partir de uma viso crtica e fundamentada. Com relao aos referidos instrumentos, reas e limites da atuao profissional, julgue os itens a seguir.

De acordo com a lei de regulamentao da profisso, a realizao de vistorias, percias tcni as, laudos periciais, informaes e pareceres sobre matria de servio social pode ser p artilhada com profissionais de equipe multidisciplinar.

86 - Q37773 (CESPE - 2010 - MPS - Tcnico em Comunicao Social - Relaes Pblicas) A respeito dos atos administrativos, julgue os itens a seguir. permitido ao Poder Judicirio avaliar e julgar o mrito administrativo de ato proven iente de um administrador pblico.

87 - Q37772 (CESPE - 2010 - MPS - Tcnico em Comunicao Social - Relaes Pblicas) Cabe convalidar o vcio da forma, nos atos administrativos, ainda que a lei faa pre viso expressa quanto forma.

88 - Q37771 (CESPE - 2010 - MPS - Tcnico em Comunicao Social - Relaes Pblicas)

A delegao no transfere a competncia, mas somente o exerccio de parte das atribuies do elegante.

89 - Q37770 (CESPE - 2010 - MPS - Tcnico em Comunicao Social - Relaes Pblicas) Quando um banco estatal celebra, com um cliente, um contrato de abertura de cont a-corrente, est praticando um ato administrativo.

90 - Q35253 (CESPE - 2008 - STF - Analista Judicirio - rea Judiciria) O Ministrio da Sade firmou convnio com uma instituio privada, com fins lucrativos, que atua na rea de sade pblica municipal. O objeto desse convnio era a instalao de uma UTI neonatal no hospital por ela administrado. Conforme esse convnio, a referida instituio teria o encargo de, utilizando-se de subvenes da Unio, instalar a UTI neonatal e disponibilizar, para a comunidade local hipossuficiente, pelo menos 50% dos leitos dessa nova UTI. No entanto, essa instituio acabou por utilizar parte desses recursos pblicos na reforma de outras reas do hospital e na aquisio de equipamentos mdico-hospitalares de baixssima qualidade. Maria, que ali foi atendida, viu sua filha recm-nascida falecer nesse hospital. Apurou-se, por meio de percia, que a morte da recm-nascida ocorreu por falha tcnica na instalao e devido baixa qualidade dos equipamentos ali instalados. Em face dessa constatao e visando evitar novas mortes, o municpio suspendeu provisoriamente o alvar de funcionamento da referida UTI, notificando-se o hospital para cincia e eventual impugnao no prazo legal. Considerando a situao hipottica apresentada acima, julgue os itens de 76 a 85, acerca dos contratos administrativos, dos servios pblicos, da responsabilidade civil e da Lei n. 8.429/1992. A presuno de legitimidade e de veracidade do ato administrativo municipal em tela gera a inverso do nus da prova.

Exibindo 91 de 100 de 169 no total. 91 - Q35252 (CESPE - 2008 - STF - Analista Judicirio - rea Judiciria) O Ministrio da Sade firmou convnio com uma instituio privada, com fins lucrativos, que atua na rea de sade pblica municipal. O objeto desse convnio era a instalao de uma UTI neonatal no hospital por ela administrado. Conforme esse convnio, a referida instituio teria o encargo de, utilizando-se de subvenes da Unio, instalar a UTI neonatal e disponibilizar, para a comunidade local hipossuficiente, pelo menos 50% dos leitos dessa nova UTI. No entanto, essa instituio acabou por utilizar parte desses recursos pblicos na reforma de outras reas do hospital e na aquisio de equipamentos mdico-hospitalares de baixssima qualidade. Maria, que ali foi atendida, viu sua filha recm-nascida falecer

nesse hospital. Apurou-se, por meio de percia, que a morte da recm-nascida ocorreu por falha tcnica na instalao e devido baixa qualidade dos equipamentos ali instalados. Em face dessa constatao e visando evitar novas mortes, o municpio suspendeu provisoriamente o alvar de funcionamento da referida UTI, notificando-se o hospital para cincia e eventual impugnao no prazo legal. Considerando a situao hipottica apresentada acima, julgue os itens de 76 a 85, acerca dos contratos administrativos, dos servios pblicos, da responsabilidade civil e da Lei n. 8.429/1992. O alvar de funcionamento emitido inicialmente considerado como ato vinculado e no, discricionrio.

92 - Q34042 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Tecnologia da I nformao - Prova 1) No que se refere aos atos administrativos, julgue o item seguinte. Quando um governador de estado edita uma norma, a motivao de seu ato poder ser apre sentada sob a forma de considerandos, que ser caracterizada como a narrativa do m otivo.

93 - Q33124 (CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Administrao Indireta; ) A respeito da autonomia universitria, julgue os itens seguintes. A jurisprudncia ptria, na hiptese em que houver concluso de curso superior antes do trnsito em julgado da deciso em que se discuta a idoneidade do ato de matrcula do a luno, manifesta-se pela inaplicabilidade da teoria do fato consumado, uma vez qu e os requisitos legais devem ser analisados de forma definitiva pelo Poder Judic irio.

94 - Q33052 (CESPE - 2010 - AGU - Procurador) Julgue os seguintes itens, acerca do ato administrativo. O ato administrativo pode ser invlido e, ainda assim, eficaz, quando, apesar de no se achar conformado s exigncias normativas, produzir os efeitos que lhe seriam in erentes, mas no possvel que o ato administrativo seja, ao mesmo tempo, perfeito, i nvlido e eficaz.

95 - Q33051 (CESPE - 2010 - AGU - Procurador) A anulao ou revogao de ato administrativo que beneficie o interessado, nos processos que tramitem no TCU, deve respeitar o contraditrio e a ampla defesa, o que se ap lica, por exemplo, apreciao da legalidade do ato de concesso inicial de aposentador ia, reforma e penso.

96 - Q33050 (CESPE - 2010 - AGU - Procurador) O ato de delegao no retira a atribuio da autoridade delegante, que continua competent e cumulativamente com a autoridade delegada para o exerccio da funo.

97 - Q32862 (CESPE - 2009 - AGU - Advogado) Acerca da advocacia pblica consultiva, julgue o item a seguir. No que tange s repercusses da natureza jurdicoadministrativa do parecer jurdico, o S TF entende que: quando a consulta facultativa, a autoridade no se vincula ao pare cer proferido, de modo que seu poder de deciso no se altera pela manifestao do rgo con sultivo; por outro lado, quando a consulta obrigatria, a autoridade administrativ a se vincula a emitir o ato tal como submetido consultoria, com parecer favorvel ou contrrio, e, se pretender praticar ato de forma diversa da apresentada consult oria, dever submet-lo a novo parecer; por fim, quando a lei estabelece a obrigao de decidir luz de parecer vinculante, essa manifestao de teor jurdico deixa de ser mer amente opinativa, no podendo a deciso do administrador ir de encontro concluso do p arecer.

98 - Q31495 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - rea Administrativa) Acerca dos atos e dos poderes administrativos, julgue os itens a seguir. Ato administrativo complexo aquele que resulta do somatrio de manifestaes de vontad e de mais de um rgo, por exemplo, a aposentadoria.

99 - Q31493 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - rea Administrativa) Com relao organizao administrativa em sentido amplo, julgue os itens subsequentes. Como exemplo da incidncia do princpio da inafastabilidade do controle jurisdiciona l sobre os atos administrativos no ordenamento jurdico brasileiro, correto citar a vigncia do sistema do contencioso administrativo ou sistema francs.

100 - Q30803 (CESPE - 2010 - BRB - Advogado) A administrao pblica de determinado municpio expropriou o proprietrio de um prdio urbano, vizinho a um centro populacional, a fim de promover melhorias nesse centro, justificando o ato de desapropriao por considerar o caso como sendo de utilidade pblica. Considerando a situao hipottica apresentada, julgue os itens seguintes, com base nas regras da desapropriao. A jurisprudncia brasileira no admite a desapropriao indireta.

Exibindo 101 de 110 de 169 no total. 101 - Q29563 (CESPE - 2007 - Petrobrs - Advogado) Em ao judicial impetrada contra a empresa Gama Ltda., a PETROBRAS S.A. requereu que uma lei de 1990 incidisse retroativamente para atingir contrato de prestao de servios firmado entre si e a empresa Gama, de modo a fixar novos parmetros de reajustes de preos, diferentes daqueles que foram originalmente pactuados no contrato. Acerca dessa situao hipottica e dos parmetros de interpretao constitucional que se devem aplicar quando se discute o ato jurdico perfeito, julgue os itens a seguir. Na hiptese considerada, tem-se um exemplo de retroao, ou seja, uma circunstncia em q ue se pretende aplicar de imediato uma lei nova para alcanar os efeitos futuros d e fatos passados. Nesse caso, est-se diante da retroatividade mnima.

102 - Q29562 (CESPE - 2007 - Petrobrs - Advogado) No ordenamento jurdico vigente, a legislao infraconstitucional, ainda quando de ord em pblica, no pode retroagir para alcanar ato jurdico perfeito.

103 - Q27705 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - rea Judiciria) Com referncia ao ato administrativo, julgue os itens subsequentes. Apesar de o ato de revogao ser dotado de discricionariedade, no podem ser revogados os atos administrativos que geram direitos adquiridos.

104 - Q27704 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Analista Judicirio - rea Judiciria) Um dos efeitos do atributo da presuno de veracidade dos atos administrativos resid e na impossibilidade de apreciao de ofcio da validade do ato por parte do Poder Jud icirio.

105 - Q27618 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Julgue os itens a seguir, relativos aos atos e poderes administrativos. Entre as espcies de atos administrativos, os atestados so classificados como enunc iativos, porque seu contedo expressa a existncia de certo fato jurdico.

106 - Q27617 (CESPE - 2010 - TRE-BA - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) A autoexecutoriedade um atributo de todos os atos administrativos.

107 - Q26559 (CESPE - 2007 - TCU - Analista de Controle Externo - Comum a todos) Julgue os itens subseqentes, relativos aos atos administrativos.

Os atos praticados pelo Poder Legislativo e pelo Poder Judicirio devem sempre ser atribudos sua funo tpica, razo pela qual tais poderes no praticam atos administrativ s.

108 - Q26558 (CESPE - 2007 - TCU - Analista de Controle Externo - Comum a todos) O ato administrativo no surge espontaneamente e por conta prpria. Ele precisa de u m executor, o agente pblico competente, que recebe da lei o devido dever-poder pa ra o desempenho de suas funes.

109 - Q26557 (CESPE - 2007 - TCU - Analista de Controle Externo - Comum a todos) So exemplos de atos administrativos relacionados com a vida funcional de servidor es pblicos a nomeao e a exonerao. J os atos praticados pelos concessionrios e permissi nrios do servio pblico no podem ser alados categoria de atos administrativos.

110 - Q23827 (CESPE - 2008 - MTE - Agente Administrativo / Licitaes; ) Snia foi destituda do seu cargo em comisso, ao fundamento de que teria recebido propina para firmar contrato administrativo de compra e venda de um imvel pblico, sem que houvesse licitao. Com relao situao hipottica apresentada e acerca dos atos administrativos e das licitaes, julgue os itens seguintes. A venda de imveis pblicos que no mais estejam afetados ao servio pblico deve ser feit a por meio de concorrncia.

Exibindo 111 de 120 de 169 no total. 111 - Q23826 (CESPE - 2008 - MTE - Agente Administrativo) Snia foi destituda do seu cargo em comisso, ao fundamento de que teria recebido propina para firmar contrato administrativo de compra e venda de um imvel pblico, sem que houvesse licitao. Com relao situao hipottica apresentada e acerca dos atos administrativos e das licitaes, julgue os itens seguintes. Se, pelo mesmo fato, Snia for absolvida em processo penal a que responda, ao fund amento de ausncia de prova da materialidade do crime, ento, nesse caso, ela ter dir eito anulao do ato de destituio do cargo em comisso, em face da teoria dos motivos de terminantes.

112 - Q20043 (CESPE - 2008 - INSS - Analista do Seguro Social) A respeito de atos administrativos, julgue os itens a seguir.

O Poder Judicirio pode revogar ato administrativo violador do princpio da legalida de administrativa.

113 - Q20042 (CESPE - 2008 - INSS - Analista do Seguro Social) O ato discricionrio pode ser motivado aps a sua edio.

114 - Q20041 (CESPE - 2008 - INSS - Analista do Seguro Social) A presuno de legitimidade do ato administrativo implica que cabe ao administrado o nus da prova para desconstituir o referido ato.

115 - Q19782 (CESPE - 2009 - TCE-RN - Assessor Tcnico Jurdico) Com relao aos atos administrativos, julgue os itens a seguir. A edio de atos de carter normativo, a deciso de recursos administrativos e as matrias de competncia exclusiva do rgo ou da entidade no so objeto de delegao.

116 - Q19781 (CESPE - 2009 - TCE-RN - Assessor Tcnico Jurdico) Nos processos perante o TCU, asseguram-se o contraditrio e a ampla defesa quando da deciso puder resultar anulao ou revogao de ato administrativo que beneficie o inte ressado, podendo ser citada, nesse sentido, aquela deciso que aprecia a legalidad e de ato de concesso inicial de aposentadoria, reforma e penso.

117 - Q19780 (CESPE - 2009 - TCE-RN - Assessor Tcnico Jurdico) Atos administrativos enunciativos so aqueles em que a administrao certifica ou ates ta um fato ou emite um juzo de valor acerca de determinado assunto, como, por exe mplo, as certides e os atestados.

118 - Q19744 (CESPE - 2009 - TCE-RN - Assessor Tcnico Jurdico) A respeito da administrao pblica brasileira, suas estruturas e servidores, e dos princpios constitucionais, julgue os itens seguintes. A autotutela, uma decorrncia do princpio constitucional da legalidade, o controle que a administrao exerce sobre os seus prprios atos, o que lhe confere a prerrogati va de anullos ou revog-los, sem necessidade de interveno do Poder Judicirio.

119 - Q19693 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Tcnico Judicirio - Tecnologia da Informao / )

Em cada um dos itens a seguir, apresentada uma situao hipottica acerca do servidor pblico, seguida de uma assertiva a ser julgada.

Joo foi nomeado para exercer cargo em comisso no TRT da 17. Regio. Nessa situao, Joo f i previamente aprovado em concurso pblico e, caso a autoridade que o nomeou queir a exoner-lo, deve abrir um processo administrativo para motivar o ato de exonerao e conceder a Joo o direito de defesa.

120 - Q19465 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Judiciria - Execuo de Mandados) Com relao aos atos administrativos e ao poder de polcia administrativa, julgue os itens de 68 a 70. Se, no exerccio do poder de polcia, determinada prefeitura demolir um imvel construd o clandestinamente em logradouro pblico, o invasor de m-f no ter direito nem reteno indenizao relativas a eventuais benfeitorias que tenha feito.

Exibindo 121 de 130 de 169 no total. 121 - Q19464 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Judiciria - Execuo de Mandados) Com relao aos atos administrativos e ao poder de polcia administrativa, julgue os itens de 68 a 70. O direito de a administrao anular os atos administrativos de que decorram efeitos favorveis para os destinatrios expira em cinco anos, contados da data em que foram praticados, salvo comprovada m-f.

122 - Q19463 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Judiciria - Execuo de Mandados) Tendo em vista razes de convenincia e oportunidade no atendimento do interesse pbli co, mesmo os atos administrativos dos quais resultarem direitos adquiridos podero ser revogados unilateralmente pela administrao.

123 - Q19395 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Administ rativa) A respeito do poder de polcia administrativa e dos atos administrativos, julgue os itens que se seguem. O ato administrativo nulo, por ter vcio insanvel, opera sempre efeitos ex tunc, is to , desde ento. Dessa forma, mesmo terceiros de boa-f so alcanados pelo desfazimento de todas as relaes jurdicas que se originaram desse ato.

124 - Q19394 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Administ

rativa) Em algumas circunstncias, pode um agente transferir a outro funes que originariamen te lhe so atribudas, fato esse denominado delegao de competncia. Entretanto, no se adm ite delegar a edio de atos de carter normativo, a deciso de recursos administrativos e as matrias de competncia exclusiva do rgo ou autoridade.

125 - Q19393 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Administ rativa) A administrao exerce o poder de polcia por meio de atos e operaes materiais de aplicao da lei ao caso concreto, compreendendo medidas preventivas e repressivas. A edio, pelo Estado, de atos normativos de alcance geral no pode ser considerada meio ade quado para o exerccio do poder de polcia.

126 - Q18823 (CESPE - 2008 - STJ - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Quanto aos atos administrativos e aos servidores pblicos, cada um dos itens subseqentes apresenta uma situao hipottica, seguida de uma assertiva a ser julgada. Maria Lcia conseguiu aprovao em concurso pblico, e, depois de cinco anos de efetivo exerccio no cargo, este foi extinto, e ela, posta em disponibilidade com remunerao proporcional ao tempo que trabalhara. Nessa situao, Maria Lcia nada poder fazer para reverter a situao, pois o ato praticado atende aos princpios que informam a admini strao pblica, cujo interesse prevalece no caso.

127 - Q18822 (CESPE - 2008 - STJ - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Dalton exerceu, por dois anos, o cargo comissionado de assessor especial de mini stro de Estado. Nessa situao, embora no tenha feito concurso pblico, durante o citad o perodo Dalton atuou na condio de agente pblico.

128 - Q18821 (CESPE - 2008 - STJ - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Uma autarquia federal realizou concurso pblico para alguns cargos e fixou seu pra zo de validade em apenas um ano, improrrogvel. Nessa situao, nada h de irregular na conduta do mencionado ente pblico, pois se trata de ato discricionrio.

129 - Q18695 (CESPE - 2008 - STJ - Analista Judicirio - rea Administrativa) Acerca dos atos administrativos, julgue o item abaixo. O administrador pblico pode praticar ato administrativo que contrarie jurisprudnci a do STJ, firmada em sentido contrrio, desde que o faa de forma motivada, com indi cao dos fatos e dos fundamentos jurdicos.

130 - Q18599 (CESPE - 2008 - STF - Tcnico Judicirio - rea Administrativa)

Joo, inspetor do trabalho, servidor do Ministrio do Trabalho e Emprego (MTE), fiscalizou a empresa Beta e, aps detectar diversas irregularidades, lavrou auto de infrao, fixando multa. A empresa entendeu que o auto de infrao no era cabvel, pois, na sua viso, no havia qualquer irregularidade que a justificasse. A empresa, ento, resolveu recorrer no prazo legal. Entretanto, ao protocolar o recurso, teve notcia de que deveria realizar prvio depsito de 30% do valor da multa fixada para poder recorrer. Tendo como referncia a situao hipottica apresentada, julgue os itens de 81 a 90. O ato administrativo praticado por Joo deve estar pautado nos princpios da legalid ade, da finalidade e da moralidade, que configuram princpios explcitos da administ rao pblica.

Exibindo 131 de 140 de 169 no total. 131 - Q18597 (CESPE - 2008 - STF - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Joo, inspetor do trabalho, servidor do Ministrio do Trabalho e Emprego (MTE), fiscalizou a empresa Beta e, aps detectar diversas irregularidades, lavrou auto de infrao, fixando multa. A empresa entendeu que o auto de infrao no era cabvel, pois, na sua viso, no havia qualquer irregularidade que a justificasse. A empresa, ento, resolveu recorrer no prazo legal. Entretanto, ao protocolar o recurso, teve notcia de que deveria realizar prvio depsito de 30% do valor da multa fixada para poder recorrer. Tendo como referncia a situao hipottica apresentada, julgue os itens de 81 a 90. Caso a administrao pblica verifique que o ato de Joo foi ilegal, deve revog-lo em ate no convenincia pblica.

132 - Q18594 (CESPE - 2008 - STF - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) O ato praticado por Joo goza de presuno de legitimidade e executoriedade.

133 - Q18595 (CESPE - 2008 - STF - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) A autoridade administrativa responsvel pelo julgamento do recurso interposto pela empresa Beta pode delegar a deciso ao prprio Joo.

134 - Q18246 (CESPE - 2009 - ANTAQ - Analista Administrativo) Julgue os prximos itens relativos organizao do poderes. O Poder Judicirio no pode anular ato de nomeao dos diretores das agncias reguladoras

135 - Q18228 (CESPE - 2009 - ANTAQ - Analista Administrativo) Considere que a ANTAQ tenha editado resoluo que exija, como requisito para obteno de autorizao para o afretamento de embarcaes estrangeiras, a prvia consulta sobre a disponibilidade de embarcaes nacionais que possam fazer a navegao de cabotagem. Acerca dessa situao hipottica e dos atos administrativos a ela relacionados, julgue os itens que se seguem. Resolues como a mencionada so classificadas como atos administrativos compostos, j q ue so formadas pela vontade de mais de um agente pblico.

136 - Q18017 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Judiciria ) Julgue os itens a seguir, acerca dos atos administrativos, dos poderes administrativos, do processo administrativo e da responsabilidade civil do Estado. De acordo com a teoria dos motivos determinantes, os atos administrativos, quand o tiverem sua prtica motivada, ficam vinculados aos motivos expostos, para todos os efeitos jurdicos. Havendo desconformidade entre os motivos e a realidade, ou q uando os motivos forem inexistentes, a administrao deve revogar o ato.

137 - Q18016 (CESPE - 2009 - TRT - 17 Regio (ES) - Analista Judicirio - rea Judiciria ) O desvio de finalidade do ato administrativo verifica-se quando o agente pratica o ato visando a fim diverso daquele previsto, explcita ou implicitamente, na reg ra de competncia.

138 - Q17780 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Auditoria de O bras Pblicas - Prova 1) No que concerne aos atos administrativos, julgue os itens a seguir. Caso o TCU identifique que uma aposentadoria por ele j registrada tenha sido conc edida de forma ilegal, sem que se caracterize m-f do aposentado, a referida corte poder anular esse ato, a qualquer tempo.

139 - Q17779 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Auditoria de O bras Pblicas - Prova 1) Uma autoridade poder, se no houver impedimento legal, delegar parte da sua competnc ia a outros titulares de rgos, desde que esses lhe sejam hierarquicamente subordin ados, quando for conveniente, unicamente em razo de circunstncias tcnicas, sociais e econmicas.

140 - Q17650 (CESPE - 2009 - ANAC - Analista Administrativo) Julgue os itens subsequentes, relativos aos atos e aos recursos administrativos.

A revogao, possvel de ser feita pelo Poder Judicirio e pela administrao, no respeita o efeitos j produzidos pelo ato administrativo.

Exibindo 141 de 150 de 169 no total. 141 - Q17649 (CESPE - 2009 - ANAC - Analista Administrativo) Julgue os itens subsequentes, relativos aos atos e aos recursos administrativos. Um decreto assinado pelo chefe do Poder Executivo e referendado por um ministro de Estado e uma dispensa de licitao dependente de homologao por uma autoridade super ior para produzir efeitos so exemplos, respectivamente, de ato complexo e ato com posto.

142 - Q17648 (CESPE - 2009 - ANAC - Analista Administrativo) No mbito administrativo, o princpio da oficialidade assegura a possibilidade de in staurao do processo por iniciativa da administrao, independentemente de provocao do ad ministrado e, ainda, possibilita o impulsionamento do processo, com a adoo de toda s as medidas necessrias a sua adequada instruo.

143 - Q17568 (CESPE - 2009 - Prefeitura de Ipojuca - PE - Procurador Municipal) Em relao aos vrios institutos do direito administrativo, julgue os itens a seguir. O direito da administrao de anular os atos administrativos de que decorram efeitos favorveis para os destinatrios decai em cinco anos, contados da data em que foram praticados, salvo comprovada m-f.

144 - Q17405 (CESPE - 2009 - TCU - Tcnico de Controle Externo - rea Administrativa ) Com relao aos atos administrativos, julgue os itens seguintes. Conforme jurisprudncia recente do STF e do Superior Tribunal de Justia, a aposenta doria um ato complexo que se aperfeioa com o registro no TCU.

145 - Q17404 (CESPE - 2009 - TCU - Tcnico de Controle Externo - rea Administrativa ) A doutrina majoritria afirma ser a presuno de legitimidade, atributo dos atos admin

istrativos, privilgio tpico de um Estado autoritrio, por ser absoluta e no admitir p rova em contrrio.

146 - Q17402 (CESPE - 2009 - TCU - Tcnico de Controle Externo - rea Administrativa ) De acordo com a teoria dos motivos determinantes, o agente que pratica um ato di scricionrio, embora no havendo obrigatoriedade, opta por indicar os fatos e fundam entos jurdicos da sua realizao, passando estes a integr-lo e a vincular, obrigatoria mente, a administrao, aos motivos ali expostos.

147 - Q17403 (CESPE - 2009 - TCU - Tcnico de Controle Externo - rea Administrativa ) No possvel o controle de legalidade exercido pelo Poder Judicirio na hiptese de remoo de servidor pblico de ofcio, mas com caractersticas de perseguio poltica, em razo de a motivao atender ao interesse da administrao.

148 - Q17305 (CESPE - 2009 - DPE-ES - Defensor Pblico) Julgue os itens a seguir, relativos ao ato administrativo. De acordo com a doutrina, as resolues e as portarias editadas no mbito administrati vo so formas de que se revestem os atos gerais ou individuais, emanados do chefe do Poder Executivo.

149 - Q17304 (CESPE - 2009 - DPE-ES - Defensor Pblico) Segundo a doutrina, integra o conceito de forma, como elemento do ato administra tivo, a motivao do ato, assim considerada a exposio dos fatos e do direito que servi ram de fundamento para a respectiva prtica do ato.

150 - Q17303 (CESPE - 2009 - DPE-ES - Defensor Pblico) A autoexecutoriedade atributo presente em qualquer ato administrativo.

Exibindo 151 de 160 de 169 no total. 151 - Q13510 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Judiciria) Acerca da discricionariedade e do controle judicial dos atos da administrao pblica, julgue os itens subseqentes. Mesmo nos atos discricionrios, no h margem para que o administrador atue com excess os ou desvio de poder, competindo ao Poder Judicirio o controle cabvel.

152 - Q13511 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Judiciria) A possibilidade da anlise de mrito dos atos administrativos, ainda que tenha por b ase os princpios constitucionais da administrao pblica, ofende o princpio da separao d s poderes e o estado democrtico de direito.

153 - Q13512 (CESPE - 2008 - TJ-DF - Analista Judicirio - rea Judiciria) O Poder Judicirio poder exercer amplo controle sobre os atos administrativos discr icionrios quando o administrador, ao utilizar-se indevidamente dos critrios de con venincia e oportunidade, desviar-se da finalidade de persecuo do interesse pblico.

154 - Q13359 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Judiciria) Quanto ao Poder Judicirio e s funes essenciais justia, julgue os prximos itens. Os atos administrativos no tm poder de coercibilidade em relao aos particulares, vis to que ningum est obrigado a fazer ou deixar de fazer algo seno em virtude de lei.

155 - Q13357 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Judiciria) Os atos administrativos podem ser anulados pela prpria administrao pblica, sem que s eja preciso recorrer ao Poder Judicirio.

156 - Q13358 (CESPE - 2008 - TRT - 5 Regio (BA) - Analista Judicirio - rea Judiciria) A revogao do ato administrativo ocorre por motivo de convenincia e oportunidade e o pera efeitos ex nunc.

157 - Q13153 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Medicina - Pro va 1) De acordo com a disciplina prevista na Lei da Ao Popular, o ato administrativo apr esenta os seguintes elementos ou requisitos: competncia, forma, objeto, motivo e finalidade.

158 - Q13151 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Medicina - Pro va 1) No tocante aos destinatrios, os atos administrativos so classificados em gerais e individuais. Nesse sentido, se uma autoridade federal editar um regulamento para disciplinar determinada matria, tal regulamento ser classificado como um ato admi nistrativo geral, pois atingir todas as pessoas que se encontrem na mesma situao.

159 - Q13152 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Medicina - Pro va 1) A permisso, que no se confunde com a concesso ou a autorizao, o ato administrativo po r meio do qual a administrao pblica consente que o particular se utilize privativam ente de um bem pblico ou execute um servio de utilidade pblica. Tal ato classificad o como declaratrio, na medida em que o poder pblico apenas reconhece um direito do particular previamente existente.

160 - Q13149 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Medicina - Pro va 1) Como exemplo de discricionariedade no mbito de atuao da administrao pblica, pode-se ci tar a hiptese em que a lei expressamente permite a remoo de ofcio do servidor pblico, a critrio da administrao, para atender convenincia do servio.

Exibindo 161 de 169 de 169 no total.

161 - Q13150 (CESPE - 2009 - TCU - Analista de Controle Externo - Medicina - Pro va 1) A revogao e a invalidao so modalidades de extino do ato administrativo. Quanto ao tema pacfico o entendimento do Supremo Tribunal Federal no sentido de que a administr ao pblica somente poder revogar seus prprios atos, por motivo de convenincia e oportun idade, mas no poder anul-los, haja vista que a anlise relacionada aos vcios de ilegal idade do ato cabe exclusivamente ao Poder Judicirio.

162 - Q13148 (CESPE - 2009 - TCU - Analista va 1) O ato administrativo, por estar submetido a a algumas caractersticas que o diferenciam acordo com o atributo da imperatividade, o mente executado pela administrao pblica, cirio.

de Controle Externo - Medicina - Pro um regime de direito pblico, apresent dos atos de direito privado. Assim, de ato administrativo poder ser imediata sem a necessidade de interveno do Poder Judi

163 - Q5837 (CESPE - 2006 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) Mrio, servidor pblico, vinha percebendo uma parcela remuneratria de forma indevida desde abril de 2000. Em janeiro de 2005, a administrao identificou esse pagamento indevido e iniciou um processo administrativo visando cass-lo. O ato de cassao do benefcio somente ocorreu em maio de 2005, quando se verificou a boa-f de Mrio. Com base nessa situao hipottica, julgue os seguintes itens, relativos a invalidao de atos administrativos.

Nessa situao, a administrao no mais poderia cassar esse benefcio, em face da decadncia

164 - Q5838 (CESPE - 2006 - ANATEL - Analista Administrativo - Direito) Caso o benefcio ilegal tivesse sido concedido em favor de Mrio antes do advento da

Lei n. 9.784/1999, no haveria prazo decadencial para anulao, em face dos princpios t empus regit actum e da irretroatividade das leis.

165 - Q5045 (CESPE - 2007 - TRT-9R - Analista Judicirio - rea Administrativa) Com relao aos princpios bsicos da administrao pblica e dos poderes administrativos, ju gue os seguintes itens. Pelo atributo da coercibilidade, o poder de polcia tem execuo imediata, sem dependnc ia de ordem judicial.

166 - Q4856 (CESPE - 2004 - TRE-AL - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Julgue os itens que se seguem, acerca do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL). Considere que o TRE/AL editou resoluo alterando o seu regimento interno. Essa reso luo no pode ser considerada um ato que configure exerccio de poder regulamentar.

167 - Q4859 (CESPE - 2004 - TRE-AL - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Considerando que Mariana ocupa cargo pblico de provimento efetivo no TRE/AL, julg ue os itens subseqentes. Suponha que Mariana tenha praticado um ato discricionrio e, uma semana depois, te nha percebido que esse ato no atendia a um requisito exigido em lei. Nesse caso, Mariana somente poderia anular o referido ato se alguma das partes interessadas o impugnasse mediante recurso administrativo ou judicial.

168 - Q4835 (CESPE - 2004 - TRE-AL - Tcnico Judicirio - rea Administrativa) Lanando mo do conceito de administrao pblica em seu sentido orgnico, isto , no sentido de conjunto de rgos e pessoas destinado ao exerccio da totalidade da ao executiva do Estado, a Constituio Federal positivou os princpios gerais norteadores da totalidad e de funes, considerando todos os entes que integram a Federao brasileira (Unio, esta dos, Distrito Federal e municpios). Assim, os princpios inerentes administrao pblica so aqueles expostos no art. 37 da Constituio Federal. Alguns foram positivados de f orma expressa, e outros, de forma implcita ou tcita. Acerca do assunto abordado no texto acima, julgue os itens subseqentes. A publicidade um requisito de forma do ato administrativo, e no, de moralidade.

169 - Q4090 (CESPE - 2006 - ANATEL - Analista Administrativo) A noo de agncia reguladora, como instituio resultante da progressiva reconformao da existncia poltica em torno de um setor especfico, e, portanto, utilizando-se um termo de Hegel, como substancialidade imediata do esprito, pode apresentar-se em uma roupagem de vis corporativo totalizante, como espao que encarne uma faco de interessados - da o fenmeno conhecido

por captura do rgo regulador, em que h a contaminao do espao pblico pelos interesses particulares de quaisquer dos partcipes como fins -, ou pode firmar-se na posio a ela designada de espao de suspenso de particularidades do governo, do Congresso, da sociedade civil, dos usurios, das empresas, em nome de uma persona destinada a ser parte de um projeto maior de coexistncia de interesses particulares. Mrcio Irio Aranha. Agncia reguladora e espao pblico: sua funcionalidade como espao de exerccio da virtude poltica. In: Direito das telecomunicaes: estrutura institucional regulatria e infra-estrutura das telecomunicaes no Brasil. Braslia: JR Grfica, 2005 (com adaptaes). Considerando o texto acima como referncia inicial, julgue os itens subseqentes, ac erca da disciplina constitucional e legal da administrao pblica. Os contratos de concesso, celebrados e gerenciados pela ANATEL, so modalidades de contratos administrativos que formalizam o processo de descentralizao administrati va.

GABARITOS: 161 - E 162 - E 163 - E 168 - E 169 - C Previous 1 2 GABARITOS: 164 - E 165 - E 166 - C 167 - E

9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 155 - C 156 - C 157 - C

151 - C 152 - E 153 - C 154 - E 158 - C 159 - E 160 - C Previous 1 2 GABARITOS:

9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 145 - E 146 - C 147 - E

141 - C 142 - C 143 - C 144 - C 148 - E 149 - C 150 - E Previous 1 2 GABARITOS:

9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 135 - E 136 - E 137 - C

131 - E 132 - E 133 - E 134 - E 138 - E 139 - E 140 - E Previous 1 2 GABARITOS:

9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 125 - E 126 - C 127 - C

121 - C 122 - E 123 - E 124 - C 128 - C 129 - C 130 - C Previous 1 2 GABARITOS:

9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo

111 - E 112 - E 113 - E 114 - C 118 - C 119 - E 120 - C Previous 1 2 GABARITOS:

115 - C

116 - E

117 - C

8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 105 - C 106 - E 107 - E

101 - C 102 - C 103 - C 104 - C 108 - C 109 - E 110 - E Previous 1 2 GABARITOS:

7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 94 - E 95 - E 96 - C 97 - C 98

91 - C 92 - C 93 - E - C 99 - E 100 - E Previous 1 2 GABARITOS:

6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Prximo 84 - C 85 - E 86 - E 87 - E 88

81 - C 82 - E 83 - E - C 89 - E 90 - C Previous 1 2 GABARITOS:

5 6 7 8 9 10 11 12 13 74 - C

16 17 Prximo 75 - E 76 - C 77 - E 78

71 - C 72 - E 73 - C - C 79 - E 80 - E

Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 GABARITOS: 61 - E 62 - E 63 - C - E 69 - C 70 - E 64 - E

16 17 Prximo 65 - E 66 - E 67 - C 68

Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 GABARITOS: 51 - C 52 - E 53 - E - E 59 - C 60 - E Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 GABARITOS: 41 - E 42 - E 43 - C - C 49 - C 50 - E Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 GABARITOS: 31 - E 32 - C 33 - C - E 39 - C 40 - C

16 17 Prximo 55 - C 56 - E 57 - C 58

54 - C

16 17 Prximo 44 - E 45 - E 46 - E 47 - E 48

16 17 Prximo 34 - E 35 - C 36 - C 37 - E 38

Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 GABARITOS: 21 - E 22 - C 23 - C - C 29 - C 30 - C Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 GABARITOS: 11 - E 12 - E 13 - E - C 19 - E 20 - C Previous 1 2 3 4 5 6 7 8 9 GABARITOS: 1 - E 9 - E 2 - E 10 - E 3 - E

16 17 Prximo 24 - C 25 - C 26 - E 27 - C 28

16 17 Prximo 14 - C 15 - C 16 - C 17 - C 18

16 17 Prximo 4 - E 5 - C 6 - E 7 - C 8 - C

http://www.questoesdeconcursos.com.br/pesquisar?te=&og=2&in=&an=&cg=&es=&md=2&di =2&ss=5&ni=&ar=&at=&ad=1&ds=1&cd=&pv=&tg=&mc=&rs=&rc=&ri=&pp=20&dt=&bt=Filtrar