18252468 RPG eBook Tagmar Daemon

  • View
    71

  • Download
    8

Embed Size (px)

Transcript

Tagmar DaemonAdaptao de Tagmar para o Sistema Daemon: Bruno Siamo Onurb Omais, Brunno Lobo Silva, Daniel Talude Paes, Luiz Leandro Gandalfo Gomes; Reviso e Organizao: Luiz Leandro Gandalfo Gomes; Autores Originais de Tagmar: Marcelo Rodrigues, Ygor Moraes Esteves da Silva, Julio Augusto Cezar Junior e Leonardo Nahoum Pache de Faria; Autores de Tagmar 2: http://br.groups.yahoo.com/group/Tagmar2/ Autores Originais do Sistema Daemon: Marcelo Del Debbio e Norson Botrel; Capa: Jorge Dukenko Ilustraes Internas: Eliane Bettocchi Godinho, Jorge Dukenko, Luiz Berbert,; Coordenao do projeto Tagmar 2: Marcelo Rodrigues, Mauro Draco, Diego Guinncio, Alex Menezes Ladeiras; Coordenao do projeto Tagmar Daemon: Daniel Talude Paes, Luiz Leandro Gandalfo Gomes, Marcelo Rodrigues; Consultoria ao cenrio: Marcelo Rodrigues;

Agradecimentos dos autores da adaptao:- Aos nossos pais, por todo o apoio. - Ao Marcelo Del Debbio, por criar e liberar o sistema Daemon, e por dar a maior fora ao projeto. - Ao Marcelo Rodrigues, pelo Tagmar 2, e pelas dicas e respostas sobre esse cenrio maravilhoso. - Ao Diego Guinancio e ao Renato Curty, do projeto Tagmar 2, pelas dicas e toques. - Ao www.daemon.com.br, www.rederpg.com.br e www.tagmar2.com.br, pela divulgao e apoio. - Ao pessoal da comunidade Tagmar Daemon no orkut. - Aos desenhistas do Tagmar 2, pelas figuras maravilhosas que acompanham este livro. - A todos que, de uma forma ou de outra, influenciaram a concluso desta obra. E-mails dos autores: leandro_gandalfo@hotmail.com (Gandalfo), talouko@ig.com.br (Talude), brunno.silva@yahoo.com.br (Lobo), siamo_siamo@hotmail.com (Siamo Onurb). Visite nossas Homepages: www.daemon.com.br, www.tagmar2.com.br.

Licenciamento do Tagmar 2.0Este livro foi adaptado do livro Tagmar RPG de Aventura Medieval 1991 de autoria de Marcelo Rodrigues, Ygor Moraes Esteves da Silva, Julio Augusto Cezar Junior e Leonardo Nahoum Pache de Faria; e est licenciada de acordo as seguintes condies: Atribuio-Uso No-Comercial-Compatilhamento pela mesma licena 2.0 Brasil Voc pode: - Copiar, distribuir, exibir e executar a obra. - Criar obras derivadas. Sob as seguintes condies: Atribuio. Voc deve dar crdito ao autor original.

Uso No-Comercial. Voc no pode utilizar esta obra com finalidades comerciais. Compartilhamento pela mesma Licena. Se voc alterar, transformar, ou criar outra obra com base nesta, voc somente poder distribuir a obra resultante sob uma licena idntica a esta. Para cada novo uso ou distribuio, voc deve deixar claro para outros os termos da licena desta obra. Qualquer uma destas condies podem ser renunciadas, desde que Voc obtenha permisso do autor. Este licenciamento segue um padro obra aberta e est registrado pela seguinte licena da Creative Commons: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/2.0/br/ com validade legal no Brasil e por muitos outros pases.

Licenciamento do Sistema DaemonO Sistema Daemon no possui nenhuma forma de licenciamento formal. A editora Daemon dispe o sistema Daemon para ser utilizado em quaisquer obras de RPG, comerciais ou no, desde que citadas as fontes originais.

Esteja Atento!Colocaremos constantemente nos sites do Tagmar 2 e do Sistema Daemon, novas regras, netbooks, atualizaes, erratas e outros materiais de complemento a esse livro. Acesse: www.tagmar2.com.br e www.daemon.com.br!

Tagmar DaemonQuando foi lanado, em 1991, Tagmar iniciaria uma histria de sucesso e polmica. Carregando a pomposa alcunha de primeiro RPG Brasileiro o jogo cativou uma legio de fs, que por no serem muitos tampouco assduos acabaram por elevar Tagmar a um status de cult, enquanto especialistas no assunto o classificavam como cpia de D&D. Talvez por emprestar o tema (fantasia medieval) e alguns conceitos do primeiro RPG do mundo essa classificao no seja to maldosa mas Tagmar era muito mais do que isso. E pensando bem, qual RPG de fantasia medieval no se inspirou em D&D? S pela iniciativa pioneira e audaciosa (se hoje em dia o RPG pouco conhecido, imaginem em 1991!), Tagmar j merecia o respeito que detm. Alem disso o cenrio carregava uma srie de elementos inovadores e uma ambientao rica, porm pouco explorada. O sistema como era moda nesses idos tempos era um pouco complicado e dependente de tabelas, entretanto funcionava muito bem, e teve alguns de seus elementos, inclusive, tomados emprestados para outros sistemas que viriam a surgir (ou ningum percebeu a semelhana entre Pontos Hericos e Energia Herica?). Com essas qualidades e defeitos Tagmar sobreviveu por um longo tempo como um timo RPG. Mas os anos se passaram, novos jogos chegaram, as tendncias mudaram, e o jogo acabou por cair num relativo esquecimento. Nenhuma edio revisada foi lanada at que h pouco tempo, repetindo os gestos do passado, os autores tomaram uma iniciativa inovadora e uma deciso histrica. Em 2004 com o advento (e sucesso) da licena D20 e a crescente qualidade dos cenrios e sistemas de RPG gratuitos que circulavam pela internet, os autores de Tagmar reuniram-se e resolveram liberar o cenrio e o sistema para quem quisesse aproveit-los ou reformul-los em forma de netbooks (ou seja, sem comercializao). E os primeiros a tomarem iniciativa foram os prprios autores, que trataram de montar um grupo de aficionados interessados em criar uma nova edio de Tagmar. A proposta inicial era reformular o prprio sistema do Tagmar, deix-lo mais fcil e fluido para se jogar. E aos poucos isso foi sendo feito. Foi durante essa fase de reelaborao que surgiu a idia de adaptar o Tagmar para outros sistemas e imagine qual foi nossa surpresa quando o prprio Marcelo Rodrigues, um dos autores originais, nos convidou para iniciar uma adaptao do cenrio para o Sistema Daemon. Sendo outro grande nome do mercado RPGstico Brasileiro, o Sistema Daemon tambm carrega consigo uma histria de sucesso e unir esses dois pesos-pesados no seria uma tarefa nada fcil. Mas essa idia caiu como uma luva: h pouco tempo o Sistema Daemon tambm havia sido liberado para que os autores tambm pudessem criar jogos baseando-se em suas regras e os fs do sistema estavam rfos de fantasia medieval clssica (e Arkanum foge regra). Por outro lado, Daemon tem uma proposta mais, digamos, realista e p no cho que o sistema de Tagmar (talvez por ser genrico), ento os fs do cenrio teriam mais uma opo de conjunto de regras para rolar suas aventuras. A proposta do Tagmar 2.1, como foi chamado, era a de ser uma opo barata e de qualidade para o RPGista Brasileiro e foi alcanado com maestria. Esperamos humildemente que o Tagmar Daemon tambm tenha alcanado um nvel de qualidade comparvel ao do Tagmar 2, e que vocs jogadores gostem do que iro encontrar nas prximas pginas. Boa aventura a todos! Os autores

IntroduoO que RPG?Caso voc j seja um RPGista veterano e j tenha participado de algumas aventuras (como mestre ou jogador), poder pular essa parte. Caso no seja, recomendo que procure um grupo e participe como espectador de uma sesso para entender bem como funciona uma partida de RPG, quais elementos compe o jogo e como ele se realiza. Para quem no tem acesso a um grupo (o que dificulta s um pouco as coisas), cabe uma breve explicao. Provavelmente voc j participou de um jogo de RPG, mas o chamava de polcia e ladro, bandido e mocinha ou casinha. Nesses jogos de faz-de-conta, voc assumia os papis de outras pessoas detetive e ladro, ndio e xerife ou mame e papai. Agindo e falando como eles o fariam, voc interpretou uma histria. Voc estava participando de um jogo de interpretao. A interpretao o elemento-chave do RPG, mas um RPG difere-se do faz-de-conta de algumas maneiras importantes. Em vez de correr pelo quintal ou pelo parque, voc estar confortavelmente sentado mesa com seus amigos, falando, anotando e rolando dados. E um juiz presidir o jogo, do mesmo modo como um presidente comandaria uma reunio. Desta forma um jogo de interpretao muito parecido com uma histria em um livro ou uma pea de teatro. Em uma histria (ou pea teatral) o autor escolhe um ambiente e as aes de todos os personagens. Em um RPG, o juiz (chamado de Mestre do Jogo, ou apenas Mestre) escolhe o ambiente, toma as decises e determina as aes dos Personagens no Jogadores (Non Players Characters, ou PdMs), estabelecendo assim as bases da aventura que se seguir, da histria a ser contada durante o jogo. Uma das pessoas do grupo deve ser escolhida para ser o Mestre (provavelmente ser voc mesmo, por estar aprendendo as regras primeiro) assim que comear a jogar. Os demais sero jogadores. Ambos os papis so muito divertidos! Durante o jogo, cada jogador escolhe as aes do Personagem Jogador (Player Character, PC) que ele mesmo ir criar, seguindo as regras deste livro. Por exemplo, voc poderia interpretar um Mago Meio - Elfo chamado Cloud, que est a procura de uma espada mgica roubada de sua famlia. Voc assumiria o papel de Cloud, assim como Elija Wood interpretou o papel de Frodo Bolseiro no filme O senhor dos Anis ou como um grande ator shakespereano interpreta Macheth, o trgico rei escocs, no teatro. Voc decide o que Cloud vai dizer e fala como se fosse ele. Voc decide quando Cloud vai soltar uma magia e voc diz ao Mestre que magia ser essa. As regras do jogo determinaram se a magia funcionou ou no. Como j foi dito, o Mestre escolhe as aes dos PdMs. Por exemplo, o Mestre interpretar o velho Guerreiro Gildor quando este PdM encontrar os PCs na estrada. Ele falar com os jogadores como se fosse Gildor e decidir se o Guerreiro fica para dar conselhos ou parte para cuidar de assuntos importantes em outro lugar! Resumindo, cada jogador assume o papel de seu personagem, tornando-o assim um PC (se a aventura fosse uma histria, os PCs seriam os personagens principais), e o Mestre, alm de conduzir o jogo, interpreta os PdMs (viles, aliados, monstros, vtimas e todos os outros coadjuvantes da histria). Um jogo de interpretao a histria viva que resulta da interao entre os personagens para criar uma aventura excitante, em constante mutao. A