Aula I - Émile Durkheim 21.05

  • View
    582

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Aula I - Émile Durkheim 21.05

CLSSICOS

Durkheim (1858-1917)

mile

DURKHEIM Um -

-

dos pensadores que mais contribuiu: para a consolidao a Sociologia como cincia emprica, para sua instaurao no meio acadmico (primeiro professor de sociologia). Fundador da escola francesa de sociologia

DURKHEIM Sua -

obra:

Surge na Europa de guerra e em vias de modernizao, Tem como referncia histrica a Revoluo Francesa e a Revoluo Industrial, Reflete a tenso entre os valores e a instituio (em estado de corroso e as formas emergentes ainda no bem definidas), Tem como referncia autores como Saint-Simon e Comte, Sofre influncia da filosofia racionalista de Kant, do darwinismo, do organicismo alemo e do socialismo de ctedra (recebe e recria)

-

-

DURKHEIM Um -

dos alvos de sua crtica O materialismo individualista (Herbert Spencer) Diz que a cooperao resultado espontneo das aes que os indivduos executam para atender seus interesses particulares. nas cincia social uma expresso da conscincia racional das sociedades modernas (mas dialogava com outras disciplinas, apontando tambm suas limitaes na explicao dos fatos sociais)

Via

DURKHEIM Sociologia

a cincia das instituies, da sua gnese e do seu funcionamento, ou seja, de toda crena, todo comportamento institudo pela coletividade. objeto: os fatos sociais.

Seu

DURKHEIM Fato -

social algo: externo aos membros da sociedade, dotado de vida prpria, que coage a agir, pensar e sentir de determinada maneira. reino social, por ter leis especficas que o rege, necessita de um mtodo prprio para ser conhecido.

O

DURKHEIM Sociedade

mais que a soma dos indivduos (ou suas conscincias) que a compem. As aes e sentimentos particulares, ao serem associados, fazem nascer algo novo e exterior aquelas conscincias e s suas manifestaes.

Ou seja, A sociedade uma sntese, por isso no se encontra em cada um desses indivduos. A sociedade o mais poderoso feixe de foras fsicas e morais cujo resultado a natureza nos oferece.

DURKHEIMO

grupo possu uma mentalidade que no idntica a dos indivduos, assim como os estados de conscincia coletiva so diferentes dos estados de conscincia individual. fenmenos que constituem a sociedade tm sua origem na coletividade e no em cada um de seus integrantes.

Os

Na

coletividade (que apresenta suas formas especficas de pensar e sentir) que se devem buscar as respostas para os fatos sociais.

DURKHEIM Tipos

de fatos sociais :

Maneiras

de agira so os fatos sociais em estado mais fluido, menos consolidados. Ex.: correntes sociais, movimentos coletivos, as correntes de opinio que impelem a algo em determinada poca da histria ao casamento. de ser so os fatos que tem suas formas cristalizadas na sociedade atravs das sucessivas geraes. Ex.: as regras jurdicas, as morais, os dogmas religiosos...

Maneiras

DURKHEIM As

maneiras de agir e as maneiras de ser coagem de forma igual os membros de uma sociedade a adotar determinadas condutas e formas de sentir.

O

-

-

processo educativo o responsvel pela internalizao dos fatos, logo as maneiras de agir e sentir da sociedade so externas aos indivduos. As crianas passam por uma socializao metdica, os pais no as educam como desejam. Ex.: so constrangidas a desenvolver certos comportamentos e maneiras de ser. Logo, a educao cria no ser humano um ser novo.

DURKHEIM As-

representaes coletivas:

-

-

So uma das expresses do fato social, So os modos como a sociedade v a si mesma e ao mundo que a rodeia. Ex. representam atravs dos mitos as pessoas, as coisas que utilizam... Permitem a acumulao de experincia e sabedoria. So responsveis pela origem dos conceitos, por serem mais estveis que as representaes individuais, Exercem coero.

DURKHEIM Como

se produzem as representaes coletivas? Atravs de uma cooperao (que se estende ao espao e ao tempo) de indivduos que misturam suas idias e sentimentos.

DURKHEIM Valores

-

-

outro componente dos fatos sociais, Tambm apresentam uma realidade objetiva, independente da importncia que uma pessoa lhes d, No precisam se manifestar por meio de uma pessoa em particular.

DURKHEIM -

-

Quem se aventura a no atender uma lei: dever enfrentar o impedimento (por risos, violncia, punio) dos demais membros da sociedade, Provavelmente ser vencido em virtude da superioridade da lei, da regra moral...

A pesar disso, h comportamentos inovadores na sociedade. - Ex. as instituies sofrem modificaes desde que vrios indivduos combinem uma ao e desta surja um novo produto que venha a constituir um fato social. Quanto maior o peso ou a centralidade, para a coeso social, da regra que se quer modificar, mais difcil a ao transformadora.-

DURKHEIMMtodo de estudo da sociologia Preocupao: Descobrir qual mtodo

permitiria fazer um estudo da vida social de maneira cientfica, superando as deficincia do senso comum.

DURKHEIM Esse

mtodo deveria

-

Ser parecido com o das cincias naturais, considerando as mudanas necessria que um fato da sociologia exigiria (diferena entre fenmeno da natureza e fenmenos do reino social); Ser estritamente sociolgico.

-

DURKHEIM Funo -

do mtodo de estudo: Investigar possveis relaes de casa e efeito e regularidades com vistas descoberta de leis e de regras de ao para o futuro, observando fenmenos rigorosamente definidos. Primeiro: estudar a sociedade no seus aspectos exteriores (todas as caractersticas: o territrio, sua localizao, a composio da populao que so fatores importantes na vida social)

-

DURKHEIM Regras

que os socilogos devem seguir na observao dos fatos sociais: 1. Fato social deve ser tratado como coisa. -

Como a coisa pode ser reconhecida: Por no poder ser modificada por intermdio de um simples decreto de vontade (mas pode ser modificada). Ex. organizao familiar. Para a modificar: preciso vontade + um esforo mais ou menos laborioso, devido a resistncia que se ope e que, nem sempre pode ser vencida.

DURKHEIM -

Caracterstica da coisa fato social

Se ope a idia, todo objeto do conhecimento que a inteligncia no penetra de maneira natural, o que o indivduo no pode compreender seno sob a condio de sair de si mesmo, Pode ser conhecido pela observao e pela experimentao, passando progressivamente dos caracteres mais exteriores (mais acessveis) aos menos visveis e profundos. OBS.: As coisas so produto da atividade humana. Ex. a organizao familiar, a represso, a liberdade poltica.

DURKHEIM -

O observador deve: Afastar sistematicamente as prenoes; Definir previamente os fenmenos tratados a partir dos caracteres exteriores que lhe so comuns; Considerar os fenmenos tratados, independente de suas manifestaes individuais, da maneira mais objetiva possvel.

-

DURKHEIM Questiona

a conduta do investigador que mesmo encontrando-se diante de uma realidade externa desconhecida, parece mover-se como se estivesse entre coisas imediatamente transparentes ao esprito, to grande a facilidade com que o vemos resolver questes obscuras. O pesquisador no faz mais do que expressar suas prenoes, as quais acabam tornando-se como um vu interposto entre ele e as coisas estudadas.

Assim,

DURKHEIMO -

socilogo: Deve ter a atitude mental e comportar-se diante de um fato social como faria qualquer cientista: considerar que se acha diante de objetos ignorados completamente, porque

as representaes que podem ser formuladas no decorrer da vida, tendo sido efetuadas sem mtodo nem crtica, esto destitudas de valor cientfico e devem ser afastadas.

DURKHEIMA dualidade dos fatos morais Regras 1. 2.

morais:

So fatos sociais; Apresentam duas faces: Uma coativa (noo de dever), Outra de coisas agradveis das quais gostamos e desejamos, mas que exigem esforo para serem cumpridas.

DURKHEIM

A dificuldade dos socilogos para se livrarem das evidencias formadas fora do campo da cincia (falsas evidncias) deve-se ao fato dos seres humanos possurem sentimentos, ou seja, uma paixo sobre os objetos morais que ele analisa. sbio tem o papel de exprimir a realidade, no de julg-la.

O

DURKHEIM A sociedade

nossa protetora, por isso tudo que aumenta sua vitalidade ao mesmo tempo eleva a nossa, dessa forma precisamos de tudo que ela preza. a coero deixa de ser sentida graas ao respeito que a sociedade tem em relao aos ideais coletivos.

Ento,

DURKHEIM A coao

-

necessria para que o ser humano ultrapasse sua natureza para uma superior (a social), Proporciona ao homem o prazer de compartilhar interesses com outros membros da sociedade, de levar com ele uma mesma vida moral.

-

DURKHEIM Os

ideais que congregam os membros dos grupos sociais devem ser periodicamente revificados a fim de que no se debilitem. Ex.: reunies, assemblias, as cerimnias, os ritos religiosos... A sociedade refaz-se moralmente, ou seja, reafirma os sentimentos e idias que constituem sua unidade e sua personalidade, o que garante a coeso, a vitalidade e a continuidade do grupo, assegurando energia a seus membros.

-

DURKHEIMO

que faz com que o homem se mantenha em sociedade?

A coeso, a solidariedade, a conscincia.

DURKHEIM Tipos 1.

de conscincia: comum com todo o nosso grupo, por isso no representa a ns mesmos,Ex. as crenas religiosas, as crenas e as prticas morais, as tradies nacionais ou profissionais,as opinies coletivas de toda espcie.

2.

S nos representa no que temos de pessoal e distinto, nisso faz de ns um indivduo(Personalidade).